Lavareda

11/02


2012

MP recusa arquivamento de ação contra Daniel Dantas

 O Ministério Público Federal em São Paulo recorreu contra decisão da 6ª Vara Federal Criminal que determinou o arquivamento da ação penal contra o banqueiro Daniel Dantas e mais 13 pessoas pelos crimes de quadrilha, gestão fraudulenta, evasão de divisas e lavagem de dinheiro. Para o procurador Rodrigo de Grandis, o juiz deu uma interpretação muito abrangente à decisão do Superior Tribunal de Justiça que determinou a anulação de todas as provas produzidas com a participação da Abin.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

S. C. B. M.

Magno é verdade q o filho de Lula la lá e sócio de Daniel. .??


O Jornal do Poder

11/02


2012

Tem gato no telhado

CARLOS BRICKMANN

 Greve de policiais na Bahia e no Rio, articulações entre dirigentes sindicais da Polícia dos dois Estados, gravação que sugere vandalismo - como queimar duas carretas numa estrada, para paralisá-la. Nos Governos, duas pessoas que devem ser boas, simpáticas, agradáveis, mas que haja ou não problemas preferem viajar para o Exterior. O fluminense Sérgio Cabral, entre uma viagem e outra, fala grosso; e se falou, tá falado, não se preocupa em dar consequência ao que disse. O baiano Jaques Wagner nem fala grosso, e não pode: quando estava na oposição, apoiou greves iguais, como se uma tropa armada pudesse, na boa, ignorar o poder civil. E, mantida ou suspensa a greve, foi o que aconteceu na Bahia.

De volta para o passado? Não - ainda não. Não há insubordinação nas Forças Armadas, não há mobilização civil, ninguém sério pensa em derrubar o Governo. Não há hoje, no Exército, nenhuma liderança expressiva, exceto a do general Augusto Heleno, que já passou para a reserva (o que significa, entre os militares, a perda de boa parte da influência que pudesse ter tido). Não há mais a Guerra Fria, que anabolizava conflitos internos e lhes dava repercussão internacional.

Tudo bem? Também não: até 30 de março de 1964, o general Mourão Filho, que tomou a iniciativa de derrubar o Governo, só era conhecido por algo folclórico, a elaboração, quase 30 anos antes, do Plano Cohen, usado como justificativa por Getúlio Vargas para implantar a ditadura de 1937. Se o gato está no telhado, é bom ir buscá-lo antes que haja um acidente. E, no caso, não dá nem para chamar os bombeiros para recolher o gato.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu no Zap

10/02


2012

PT deve apoiar um governo que é seu, diz Dilma em SP

Em discurso durante a comemoração dos 32 anos do Partido dos Trabalhadores nesta sexta-feira (10), a presidente Dilma Rousseff afirmou que a legenda deve se sentir responsável pelo sucesso e também pelos insucessos de sua administração à frente do governo federal. A declaração foi feita quando falava da relação do Executivo com os partidos da base aliada.

"Este é também um governo do PT, principal partido de sustentação e por isso grande responsável pelo sucesso e pelos eventuais insucessos do governo", disse a presidente.

A presidente Dilma Rousseff e o ex-ministro José Dirceu na cerimônia comemorativa dos 32 anos do PT (Foto: Pedro Ladeira / Frame / Agência Estado)
A presidente Dilma Rousseff e o ex-ministro José Dirceu na cerimônia comemorativa dos 32 anos do PT (Foto: Pedro Ladeira / Frame / Agência Estado)

Ao falar sobre o tema, ela também agradeceu aos partidos que a apoiam. "Nosso governo é fruto da coalizão de partidos. Essa coalizão tem se revelado leal e eficaz na tarefa de mudar o Brasil. Sou agradecida à nossa base de apoio", afirmou.

Na fala, que durou cerca de 10 minutos, Dilma elogiou a militância do PT, a liderança do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o "desafio" de eliminar a desigualdade social, a importância da educação para o desenvolvimento e o compromisso com o crescimento econômico.

No início, Dilma enalteceu o papel de "luta" exercido pela militância. Disse que "cada encontro com a militância do PT é também um encontro com as lutas do povo brasileiro". "[Os militantes do PT] Não sucumbiram ao cantos das sereias conservadoras disfarçadas de modernidade", disse.

Ao falar sobre Lula, afirmou que tem a "honra de continuar" a herança do governo do antecessor. "A herança de um Brasil em que caibam todos e cada um dos brasileiros, a herança de um crescimento continuado de nossa economia para que este Brasil seja de todos, a herança do gigantesco e este esforço para conseguir a inclusão social de milhões e milhões de brasileiros".

Com o discurso, a presidente fechou o evento de comemoração de aniversário do PT. Antes dela, falaram diante da plateia o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Arthur Henrique, o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia, e o presidente nacional do PT, Rui Falcão.(Portal G1)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

10/02


2012

Mantega vai ao México para reunião do G-20

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, está com viagem marcada para o México. Ele participa, entre os dias 25 e 26 de fevereiro, da reunião dos ministros de Finanças e os presidentes de Bancos Centrais do grupo das 20 maiores economias do mundo, o G-20. O evento está programado para ocorrer na Cidade do México. Hoje, o Diário Oficial da União (DOU) trouxe a liberação de profissionais do Ministério da Fazenda para acompanhar o ministro na viagem.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


10/02


2012

Temer diz que privatização não deve ter viés ideológico

 O vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), concordou hoje com a avaliação do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) de que as privatizações não devem ter viés ideológico, informa o Estadão. Na avaliação de Temer, é preciso que o setor público e privado trabalhem juntos para levar adiante os projetos nacionais. "No Brasil, nós temos a mania de ideologizar temas que não podem ser ideologizados. É preciso verificar o que é melhor para o Brasil, de uma ou de outra forma", disse o peemedebista.

Temer reconheceu que há uma leve diferença entre concessão e privatização, mas considerou que essa discussão não tem "muito significado". "O que importa é que o resultado seja bom, através de concessão ou entrega definitiva para a iniciativa privada. É isso o que temos de fazer", reiterou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


10/02


2012

Dilma comemora decisão do STF sobre Lei Maria da Penha

A presidente Dilma Rousseff comemorou a decisão do Supremo Tribunal Federal, de que o Ministério Público poderá efetuar denúncias contra agressões em ambiente familiar, sem precisar que a vítima faça nenhuma queixa. A presidente se manifestou durante a cerimônia de posse da ministra Eleonora Menicucci. "O STF teve uma decisão em relação à Lei Maria da Penha que fortalece a luta das mulheres e elimina controvérsias sobre a aplicação dessa legislação. Ontem, tenho certeza, todos nós, mulheres e homens, demos um passo na construção de uma sociedade em que, de fato, a luta contra a violência e a discriminação avançou", disse.

Além dela, Menicucci também demonstrou satisfação com o resultado, mas fez crítica à atual aplicação da lei. "A vitória no STF é um marco histórico na vida das mulheres brasileiras, porém restam muitos desafios, sobretudo em relação à ampliação das políticas sobre serviços públicos na área de segurança, saúde, justiça, para que efetive a prática da lei", declarou a ministra.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


10/02


2012

Chalita afirma que não se aliará a Kassab

O pré-candidato do PMDB à Prefeitura de São Paulo, Gabriel Chalita, criticou nesta manhã a atual administração da capital paulista e disse que não se aliará ao prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, presidente nacional do PSD. De acordo com o Estadão, o peemedebista avaliou a atual gestão da cidade de São Paulo como "discutível" e ressaltou que ela padece de "problemas sérios". "Eu não me aliaria ao Gilberto Kassab, já deixamos claro o tom que vamos desenvolver nesta campanha e o trabalho que a gente vai fazer", disse. "Nossa grande aliança é com o povo, e o povo não está aliado ao atual prefeito de São Paulo."


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

milton tenorio

Faz muito bem..



10/02


2012

Eduardo diz a Armando que terá encontro com Lula sobre Recife

O senador Armando Monteiro Neto (PTB) saiu, há pouco, de encontro com o governador Eduardo Campos, em Palácio, anunciando que ele (Eduardo) não vai interferir no processo de escolha do candidato a prefeito dentro do PT. ''Quem tem que resolver seus problemas é o PT'', teria dito o governador, segundo relato de Armando.

O senador foi comunicar ao governador que ouviu todos os partidos da Frente Popular sobre a tese de candidaturas múltiplas no Recife e que a alternativa ganha força. Mas não disse se o governador aprova. Informou que, após o Carnaval, Eduardo terá um encontro com Lula para discutir o processo sucessório no Recife e a divisão no PT.

De um lado, o prefeito João da Costa, candidato natural à reeleição, não tem o apoio do principal líder petista no Estado, o deputado João Paulo. Caberá a Lula reabrir a discussão no diálogo, o que deverá fazer com as principais lideranças do PT no Estado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

CLEIÇON HENRIQUE PESSOA

Sonhar não paga,por isso q o Senador Armando continua sonhando com a Prefeitura do Recife,a Frente Popular vai responde mais uma vez,junto com o Prefeito João da Costa e com o apoio do Governador Eduardo Campo.

CLEIÇON HENRIQUE PESSOA

Sonhar não paga,por isso q o Senador Armando continua sonhando com a Prefeitura do Recife,a Frente Popular vai responde mais uma vez,junto com o Prefeito João da Costa e com o apoio do Governador Eduardo Campo.

Tatiana Maria

O Senador Armando, deve ta sonhando com o apoio do Governador a sua candidatura a Prefeito do Recife. Pois com toda essa movimentação o Senador é candidatíssimo a Prefeito! Mas tem q combinar com a população também...



10/02


2012

Sérgio Guerra: ‘PT faz aniversário comemorando privatização’

O presidente do PSDB, deputado federal Sérgio Guerra (PE), afirmou que o PT comemora aniversário envolto em contradições. “PT faz aniversário comemorando privatização”, declarou o deputado, ao destacar a incoerência entre os discursos e a prática do partido governista. Guerra lembra que, quando o PT estava na oposição ao governo FHC, a sigla fez críticas severas q política de desestatização promovida pelo ex-presidente – e, nos dias atuais, comandou a privatização de três aeroportos.
 
O deputado destacou também que o PT voltou a falar sobre o controle da mídia e a restrição das liberdades de expressão. Uma resolução divulgada pelo partido indicou que o PT vê como prioridade para 2012 “a campanha pela democratização dos meios de comunicação de massa” – o que, na prática, reitera as intenções da sigla de promover um controle sobre o que é veiculado na imprensa. “O PT faz de tudo para se perpetuar no poder e abafar as vozes que se levantam contra a corrupção e os desmandos no governo federal”, disse Guerra.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

milton tenorio

..E no poder, ao contrário de vcs que não aprendem..

Wellington Antunes

Esse deputado perdeu uma ótima oportunidade de ficar calado, então fica misturando as coisas tentando enganar os incautos, mas até o reino mineral sabe muito bem que concessão não tem nada a ver com privatização. Cala a boca Severino!

Raimundo Eleno dos Santos

Esse tucano desaprendeu a gramática.Há muito não lê um dicionário.PRIVATIZAÇÃO FOI A VENDA DESREGRADA QUE FIZERAM NA ERA FHC.Dilma fez foi permitir que particulares administrassem por tempo limitado alguns aeroportos, em forma de cessão, concessão,permissão...O FHC dilapidou o patrimônio da nação!



10/02


2012

Dilma diz que nova ministra atuará conforme o governo

A presidente Dilma Rousseff afirmou hoje que, ainda que a nova ministra da Secretaria Especial de Política para as Mulheres, Eleonora Menicucci, tenha ''ideais'', ela terá de se enquadrar às políticas do governo. A nova ministra chega ao governo enfrentando críticas por defender pessoalmente o direito ao aborto.

Dilma, que nos anos de chumbo recepcionou a nova ministra no presídio Tiradentes, abrigo de prisioneiras políticas do regime militar, disse que ambas passaram pela ''dura experiência da prisão'' e afirmou contar agora no governo com uma ''lutadora incansável''. ''Ela vem engrandecer meu governo e tenho absoluta certeza que ela é capaz de assegurar, dentro da diversidade que é o nosso País, que todas as situações sejam consideradas. Quando assumimos o governo, governamos para todos os brasileiros, sem distinções políticas, religiosas ou de qualquer outra ordem'', completou Dilma.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha