Faculdade de Medicina de Olinda 2

30/06


2013

Rio: equipe da Globo é expulsa de protesto contra a Copa

Manifestantes que estão na Tijuca chutaram carro da Rede Globo Foto: Monica Garcia / Artevista Comunicação, Assessoria e Empreendimentos Culturais Ltda - Especial para o Terra

Manifestantes que estão na Tijuca chutaram carro da Rede Globo
Foto: Monica Garcia / Artevista Comunicação, Assessoria e Empreendimentos Culturais Ltda - Especial para o Terra

Manifestantes que se concentram na Praça Saens Peña, na Tijuca, zona norte do Rio, hostilizaram uma equipe da Rede Globo que fazia a cobertura jornalística de mais um protesto contra a realização de grandes eventos esportivos no Brasil, como a Copa das Confederações e Copa do Mundo. Ao avistarem o repórter Vandrey Pereira, os manifestantes começaram a gritar palavras de ordem contra a emissora.

Os jornalistas foram obrigados a se retirar, depois de um grupo de policiais escoltar a equipe da Globo. O carro da emissora, descaracterizado, ainda chegou a ser chutado por algumas pessoas. Outros manifestantes ameaçaram outros jornalistas em meio a confusão.

Milhares de pessoas permanecem no local. Eles pretendem caminhar até o estádio do Maracanã, que tem forte bloqueio policial em todo o seu entorno.

Representante da Comissão de Direitos Humanos da OAB-RJ, André Borges defendeu a atitude dos manifestantes, que quase agrediram o repórter da Globo.

''Eles têm o direito a se manifestar contra a mídia. A mídia mente sobre as manifestacoes. Ela também precisa fazer uma autocrítica, a revolta é contra o sistema'', afirmou. ''Eles não podem agredir, mas podem expulsar, sim'', acrescentou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Detran

30/06


2013

Ô Dilma!

 A reunião entre Dilma Rousseff e os líderes do MPL, na semana passada, teve lances de informalidade absoluta, em pleno Palácio do Planalto. Lá pelas tantas, um deles, ao dirigir-se à presidente da República, sacou um “Ô Dilma…” e foi em frente.

Delfim Netto, com seu brilhantismo e poder de síntese habituais, resumiu a um interlocutor o motivo dos protestos: “Os governos não atenderam às prioridades da população. Ela queria metrô, não estádios. O povo recusou as prioridades dos governos. É tão simples quanto isso”.

Delfim é otimista (“O movimento das ruas está na direção civilizatória”), mas alerta que redução do preço das tarifas dos ônibus e trens e o congelamento do preço dos pedágios afugentam os investidores, já assustados com o Brasil. Diz Delfim: “Não chegou a ser um rompimento mas, assim, se levantam dúvidas sobre o cumprimento dos contratos”.  (Lauro Jardim - VEJA)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

enoque viana de oliveira filho

safada


13° Bolsa Familia

30/06


2013

Grande entrave da reforma eleitoral é o Congresso, dizem juristas

O nó que amarra a reforma política no Brasil nunca foi desatado. O motivo é simples. Não há interesse. Historicamente, parlamentares só mudam as regras em benefício próprio.

Quem está dentro do jogo não quer sair. Agora, com o empurrão que veio das ruas, o país se questiona: as mudanças no sistema político e eleitoral serão levadas adiante? Financiamento de campanha, fim das coligações, unificação do calendário eleitoral e ampliação da participação popular são os principais pontos. A reportagem ouviu ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), cientistas políticos e advogados. (João Valadares – O Estado de Minas) Clique aí e continue lendo


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

o povo da de olho

FECHA QUE NÃO SENTIREMOS FALTA.

weltgeist da silva

Se existe idade mínima para se candidatar por que não ter tb idade máxima? Deixar de fora essas múmias que so querem largar o osso para a mudança ao cemitério. Com 70 anos deveria voltar para casa cuidar dos netos.


Prefeitura de Limoeiro

30/06


2013

De onde vem o dinheiro da Copa?

BBC Brasil - Ruth Costas

 

Os protestos das últimas semanas abriram um amplo debate sobre os custos e impactos econômicos da realização da Copa do Mundo no Brasil.

Alguns manifestantes chegam a defender um boicote ao evento em protesto contra o que consideram um desperdício de recursos públicos. Para eles, as entidades governamentais deveriam estar investindo em educação e hospitais os bilhões usados para construir estádios e outras obras ligadas ao evento.

O ex-jogador e deputado Romário engrossou o coro em um vídeo que se tornou viral na internet, no qual ataca a Fifa e alega que a Copa brasileira custará cerca de três vezes mais do que as anteriores - número contestado pelo Comitê Gestor da Copa do Mundo de 2014, o CGCopa.

''A África do Sul teve um gasto de R$ 7,7 bilhões de reais, o Japão de R$ 10,1 bilhões, a Alemanha de R$ 10,7 bilhões e o Brasil já está em R$ 28 e alguma coisa (bilhões). Ou seja, desculpe a expressão, mas que sacanagem. É sacanagem com o dinheiro do povo. Falta de respeito e escrúpulos'', disse o deputado.

As autoridades envolvidas na organização da Copa se defendem alegando que muitos desses bilhões na realidade serão gastos em obras de infraestrutura e mobilidade urbana que precisavam ser realizadas com ou sem o torneio.

A presidente Dilma Rousseff também garantiu, em discurso em rede nacional, que nem um centavo do orçamento foi usado em estádios. Mas isso não quer dizer que não tenham sido usados recursos públicos em tais obras.

O BNDES financiou boa parte dos estádios com linhas de crédito a juros subsidiados – e, em muitos casos, os empréstimos foram tomados por governos estaduais, que terão de pagar o banco também com dinheiro público.  Clique e Continue lendo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

o povo da de olho

Sem querer SER REPETITIVO, MAS SERIA MUITO JUSTO QUE TODOS QUE GERIRAM ESSA FORTUNA FOSSEM SUBMETIDO A UMA SERIA INVESTIGAÇÃO E CASO CONSTATASSE OU MAL USO OU DESVIO DO DINHEIRO DO POVO IRIA PARA CADEIA E DEVOLVERIA O DINHEIRO, CASO NÃO TENHA FARIA TRABALHO FORÇADO ATE MORTE.



30/06


2013

Após polêmica, Lula elogia Dilma e manifestações

 Em visita à África, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou neste domingo (30) que o Brasil poderia se considerar um país feliz pelo fato das pessoas terem liberdade de se manifestar nas ruas.

''As pessoas querem mais no Brasil, mais transporte, mais saúde, mais salário, questionar o custo da Copa do Mundo. Acho que isso é saudável para um país que vive apenas 20 e poucos anos de democracia contínua'', disse no discurso de abertura do encontro sobre segurança alimentar organizado pela ONU e pelo Instituto Lula em Adis Abeba, na Etiópia.

Lula também elogiou a presidente Dilma Rousseff pela atuação nos recentes episódios de protestos em todo o país. O ex-presidente esteve envolvido em uma polêmica na semana passada, quando teve que desmentir supostas críticas feitas ao governo.(Do Portal UOL) Continue lendo aqui


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

antonio lopes coutinho

OS CAMARADAS DO PARTIDO NUNCA MAIS IRÃO APOIAR OS FALSOS COMUNISTAS

adeildo antonio de moura

LULA MODOU O BRASIL O RESTO E RESTO LULA 2014

o povo da de olho

ISSO É UM ESCROTO.

Wellington Antunes

Enquanto Lula faz o discurso de abertura sobre segurança alimentar organizado pela ONU os rola bostas ficam morrendo de inveja e partem para agressões. A inveja é uma merda....kkkkkkkkk

Wellington Antunes

A inveja é uma merda...esses rola bostas não tem jeito.


Magno coloca pimenta folha

30/06


2013

Itália vence o Uruguai nos pênaltis

Com o resultado a Itália conquista o 3º lugar da Copa das Confederações.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

30/06


2013

A perplexidade petista com a crise nas ruas

O GLOBO - José Casado, Tatiana Farah, Maria Lima e Luiza Damé

 Eles chegaram de forma inesperada. Aos gritos, repetiam em coro ritmado: ''Xi, fedeu/ O povo apareceu/ Xi, fedeu/ O povo apareceu...''

Em minutos a portaria do edifício número 1.400 da Avenida Prestes Maia, em São Bernardo do Campo (SP), foi cercada por manifestantes. No centro das vaias e xingamentos estava o morador da cobertura: Luiz Inácio Lula da Silva.

Aquela noite de quarta-feira, 19 de junho, se tornou inesquecível na cidade onde Lula escreveu uma página espetacular da mobilidade social brasileira - ali, o ex-sindicalista liderou as greves que abalaram a ditadura militar, criou o Partido dos Trabalhadores e se elegeu presidente da República.

Desde 1969, quando um irmão comunista o inscreveu na chapa da diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos, como suplente, Lula sempre esteve no comando de protestos nas ruas. Nunca fora alvo de multidão rebelada, muito menos de jovens e jamais na porta de sua casa - ainda mais sob um notável silêncio da vizinhança. Seu principal aliado político na cidade, o prefeito Luiz Marinho, descansava em Paris.

A cena sugeria uma inflexão: aqueles jovens manifestantes tratavam Lula como personagem da galeria de políticos tradicionais. Clique aí e continue lendo


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


30/06


2013

Manifestantes invadem nova sede da CBF no Rio

Torero

Manifestantes são observados por policiais perto do estádio do Maracanã; PM estima 2 mil no protesto

Cerca de 40 manifestantes invadiram o prédio da nova sede da CBF, na manhã desde domingo, por volta das 9h30, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. Eles protestavam contra um suposto superfaturamento das obras do edifício da entidade. Ninguém ficou ferido e não houve depredação. O novo prédio da CBF fica na rua Luis Carlos Prestes, em frente ao Hospital Municipal Lourenço Jorge.

O grupo colou na entrada do espaço adesivos exigindo a saída do presidente da CBF, José Maria Marin. Alguns manifestantes escondiam o rosto com a camisa.

''Na hora a gente tomou um susto com a maior barulhada em frente ao hospital. Mas foi só para assustar mesmo. Eles pularam o cercado, invadiram o prédio e penduraram uma bandeira no alto da guarita de segurança'', disse Luiz Gustavo da Silva, vigia de um prédio vizinho.

Seguranças do prédio da CBF contaram que o lugar ainda está em obras e, por isso, não tinha ninguém da entidade no espaço. Por volta das 11h, com a chegada da PM, os manifestantes deixaram o local e foram embora num ônibus de excursão, que os aguardava na rua.

Em abril, documentos revelados pela Folha apontaram superfaturamento na compra do prédio, feita por R$ 70 milhões em 2012. (Folha de S.Paulo - Diana Brito)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha