Faculdade de Medicina de Olinda 2

03/07


2013

Cabo: oposição denuncia descaso no Hospital Mendo Sampaio


















''Mais um exemplo do descaso e total abandono com o cidadão e prova cabal da incapacidade de gerenciar e garantir saúde de qualidade''. Foi com essa expressão que reagiu o vereador e vice-presidente do PSDB cabense, José de Arimateia, diante da notícia de fechamento do plantão na urgência do Hospital Mendo Sampaio na última segunda-feira (1º).

O parlamentar viu de perto o cenário e recebeu como justificativa para a medida a ausência dos profissionais devido à greve dos ônibus, que teria impedido o translado de técnicos de enfermagem.

“É injustificável tal argumento. Tivemos uma paralisação de rodovia que até o meio-dia já estava resolvido. Pelos relatos que ouvimos todos os dias, esse fechamento é mais um dentre vários. Infelizmente, o Mendo Sampaio deixou de ser referência no atendimento de emergência do Cabo e virou, há tempo, um prédio apenas, sem qualquer função.''

Diante da situação, o vereador informou que ainda esta semana irá protocolar uma queixa-crime no Ministério Público de Pernambuco, solicitando rigor nas investigações. ''É urgente que as autoridades competentes ajam com rigor diante dessa calamidade. Num momento, inclusive, desse grito da sociedade exigindo o cumprimento de seus direitos, o que se constata é uma gestão municipal que desdenha do direito do cidadão de ter saúde com qualidade, com dignidade'', argumentou Arimateia.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Detran

03/07


2013

Votação da cassação de Afif é adiada para agosto














A presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa de São Paulo, deputada Maria Lúcia Amary (PSDB), tentou até segunda-feira (1º) que o pedido de cassação do vice-governador de São Paulo, Guilherme Afif (PSD), fosse votado ainda no primeiro semestre.

A intenção era convocar uma reunião da comissão para esta quarta-feira (3). No entanto, a deputada preferiu deixar para agosto.
Na última reunião, o relator do processo, deputado Cauê Macris (PSDB), pediu vista, após o deputado José Bittencourt (PSD) apresentar voto favorável à manutenção do vice-governador em seu posto. Macris apresentou parecer contra a manutenção de Afif no cargo estadual.

Antes de Macris, o deputado Fernando Capez (PSDB) havia pedido vista, adiando a votação.

PT, PSD, PSB, PTB, PMDB e PV devem votar contra a cassação. Nos bastidores, especula-se que o PSDB, sem conseguir cooptar votos para a cassação, tem adiado a votação na CCJ para desgastar a imagem do ministro e vice-governador.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

lindalva coelho

Isto é uma vergonha.Esse cara tem que ser cassado.


13° Bolsa Familia

03/07


2013

Artigo especial

Ruídos e sinais
*Adriano Oliveira

Recomendo aos analistas e estrategistas que leiam o livro “O sinal e o ruído”, de Nater Silver. Após a leitura desta brilhante obra, o leitor descobrirá que sinais são informações que possibilitam análises e prognósticos factíveis. E ruídos são informações que permitem análises e prognósticos não factíveis.

A recente pesquisa do Datafolha, divulgada nos dias 29 e 30 de junho, sugere que Dilma Rousseff está enfraquecida para a disputa presidencial, pois 30% dos eleitores aprovam a sua administração. A pesquisa também revela que a presidente tem 30% de intenções de voto e que a possibilidade de segundo turno é iminente.

Caso o contexto em que a pesquisa foi realizada seja desprezado, os dados apresentados passam a ser meros ruídos. Eles adquirem capacidade de serem sinais quando se considera que os eleitores, em particular os das capitais, estão inquietos com os governos.

Se os eleitores estão hoje inquietos, isto não significa, necessariamente, que eles continuarão neste estado em 2014. Se o contexto muda, a preferência do eleitor também poderá ser modificada. Portanto, considero que a pesquisa do Datafolha sugere que Dilma tem frágil favoritismo para vencer no primeiro turno a eleição de 2014.

Para que o favoritismo frágil passe a ser sólido, se faz necessário, dentre outras mudanças, que o pessimismo econômico dos brasileiros diminua. A pesquisa do Datafolha revela que:

1) 54% dos eleitores tem a expectativa de que a inflação irá aumentar;
2) 44% acreditam que o desemprego irá crescer;
3) 38% creem que o poder de compra dos salários irá declinar. Portanto, quadro preocupante.

Mas se existem sinais preocupantes, existem outros que tranquilizam e confortam a presidente Dilma.  A parceria entre Lula e Dilma pode trazer benefícios eleitorais para ela. As manifestações podem incentivar sentimentos de mudança em grande parte do eleitorado. E, por consequência, surgir a ressaca eleitoral para com o PT entre os eleitores atualmente dilmistas.

Se esta hipótese vier a ser verdadeira, surge a indagação: Qual candidato conquistará os votos dos eleitores que desejam mudança? E qual candidato conquistará os votos dos eleitores que estão ressacados com o PT?

A pesquisa do Datafolha mostrou que nenhum candidato, neste instante, canaliza fortemente o possível desejo de mudança eleitoral (aqui incluso a ressaca com o PT) do eleitor.

Marina Silva cresceu eleitoralmente após as manifestações. Ela obteve 23% de intenções de voto. Aécio cresceu, mas não de modo expressivo. O candidato do PSDB conquistou 17% de intenções. Eduardo Campos oscilou positivamente para 7%.

Mas se no início de junho 12% dos eleitores, segundo o Datafolha, declararam votar em branco/nulo ou nenhum candidato, desta vez, o percentual foi de 24%. Portanto, concluo que parte dos eleitores de Dilma não fez a opção por nenhum outro candidato.
Então, os sinais são claros:

1) O favoritismo de Dilma para vencer no primeiro turno é frágil, neste instante;
2) Se as manifestações criarem sentimentos de mudança eleitoral, Eduardo e Aécio ainda não representam para o eleitor esta mudança;
3) O percentual de votos obtidos por Marina sugere que ela pode vir a angariar grande parte dos votos dos eleitores que desejam mudança eleitoral, caso esta venha a existir.

*Cientista político.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

JORGE GUERREIRO

Quá,quá,quá...

ney durval dos santos

O povo esta discontente não é com a presidente Dilma mais com aqueles que são formalizadores das leis desse pais. os meios de comunicação é que estão adicionando e vinculando, a Dilma sempre foi a favor que os recursos do présal fossem destinados para saúde e educação.

Francisco Eugênio Marinho de Barros

O único sinal que esta pesquisa emite, é a insatisfação e o esgotamento da paciência, do povo brasileiro, com as práticas políticas dominantes. Neste contexto, aqueles que hoje, representarem a continuidade destas práticas, estão sob forte ameaça. Qualquer outra conclusão é mero ruído.

JORGE GUERREIRO

Isso!!! srsrsrsrsrsrsr...

José Pereira da Silva

O JOAQUIM BARBOSA, que você fala é aquele senhor que veste uma capa preta, que quando aparece os petistas borram as calças. hahahahahaha


Prefeitura de Limoeiro

03/07


2013

Ex-prefeito de Camaragibe é agredido em Aldeia
















A disputa política extrapolou o campo eleitoral de Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife. O ex-prefeito da cidade, o médico João Lemos (PCdoB), prestou queixa, na noite de ontem (2), contra agressão na delegacia do município. João Lemos afirma ter levado uma surra de um homem identificado como Délamo Meira, irmão do ex-candidato a prefeito de Camaragibe, Demóstenes Meira (PSB).

O ex-prefeito relata que estava em uma lanchonete em Aldeia quando foi abordado por Délamo Meira e outro homem, que o espancaram. Délamo e Demóstenes são irmãos do ex-comandante do Batalhão de Choque da Polícia Militar de Pernambuco, Coronel Meira. Délamo, atualmente, é oficial reformado da corporação.

Depois de prestar queixa na delegacia, João lemos foi atendido no Hospital da Unimed, na Ilha do Leite e de lá iria para o Instituto de Medicina Legal (IML) fazer exame de corpo de delito.

Com informações do Diario de Pernambuco.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


03/07


2013

A charge do dia

 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

o povo da de olho

SAI LOGO DAI SE TU COMEÇARES A PROTESTAR EM PERNAMBUCO TU VAIS É PRESO.

Guilherme Jungbluth

A maior parte dos problemas do Brasil se resolve com uma reforma política bem executada. Os políticos trabalham para eles mesmo e para as empresas que os financiam. Empresas de transportes, construtoras, conglomerados médicos, entre outras, são os únicos beneficiados por nossos políticos.

JORGE GUERREIRO

Para MUDAR, "Joaquim Barbosa" lá. Avante BRASIL!!!

Rafael C.Soares Quintas

A Presidente Dilma quer passar para a população que todos os problemas do Brasil se resumem à reforma política. E a corrupção, mordomias, saúde, educação, transporte, rodovias etc?


Magno coloca pimenta folha

03/07


2013

Coluna da quarta-feira

Titica de galinha

Dilma perdeu o bonde da história e fez uma leitura equivocada das manifestações que ganharam as ruas do País. O sistema político brasileiro é caduco e deve ser mudado, mas não é a prioridade, não representa o desejo da voz rouca do povo. Quem protesta, em sua grande maioria arregimentada pelas redes sociais, não sabe nem o que é reforma política.

O povo brasileiro cansou do atraso sistema de transporte público, de hospitais precários, sem remédios e médicos. Cansou da péssima qualidade de ensino, da violência que ceifa vidas inocentes em plena luz do dia.

Cansou de estradas esburacadas, de planos de saúde caríssimos, de falta de saneamento público. Cansou de taxas altíssimas de desemprego, de trabalho escravo, de penitenciárias lotadas e de tantas e tantas mazelas.

A presidente está malhando em ferro frio. Reforma política não é o mal da raiz dos problemas crônicos. É parte, mas não é prioridade para o povo. A proposta contendo os temas para a reforma política sugerida pelo Governo é surrealista, não passa no Congresso, mesmo em forma de consulta popular aprovada nas urnas.

O Congresso torceu o nariz para o plebiscito do governo, porque não interessa aos parlamentares, por exemplo, mexer num sistema que para eles está dando certo, como as coligações partidárias e o modelo da eleição proporcional sem voto distrital ou misto.

Dilma acha que muda alguma coisa no país com financiamento público de campanhas? Pelo amor de Deus, quem vai aceitar que o dinheiro da saúde e da educação sirva também para financiar políticos em campanha?

A saída para debelar a crise está errada. Quem fez a cabeça de Dilma tem titica de galinha na cabeça.

Proposta inócua – Se o TSE concluiu, ontem, que o plebiscito só pode ser feito em setembro e não em agosto, como deseja Dilma, as regras que porventura venham ser aprovadas não entrariam em vigo para a eleição de 2014 porque qualquer mudança no sistema eleitoral tem que ser aprovada um ano antes da eleição. Esta posição ficou bem clara ao fim da reunião de todos os presidentes estaduais de TREs com a presidente do TSE, Carmem Lúcia.

Mudança no diálogo - O vereador Wanderson Florêncio, da bancada do PSDB na Câmara do Recife, integrante da oposição, levou o secretário de Mobilidade, João Braga, ontem, para o bairro do Totó. E lá, Braga comprovou o que o parlamentar já havia denunciado da tribuna: o acesso precário ao Alto da Bela Vista. E de imediato autorizou as obras.



Fim de ministérios - Ao invés de propor reforma política, a presidente Dilma poderia fazer, em primeiro lugar, uma faxina interna reduzindo o número de ministérios, hoje com 37. Tem ministro que até hoje, com dois anos e meio de Governo, nunca despachou com a presidente. Com 13 ministérios, no máximo, o país avançaria muito mais em programas sociais, na educação e na saúde.

Fora do PDT - O deputado Paulo Rubem Santiago está aguardando apenas a criação do partido da ex-senadora Marina Silva, a cada dia mais difícil, para abandonar o PDT. Ex-petista, Paulo Rubem reclama que não tem voz ativa na legenda pedetista, tanto que na eleição passada não conseguiu apoio do partido para disputar a Prefeitura do Recife.

Um passo atrás - O vice-governador João Lyra Neto deu um timing nas articulações que vinha fazendo junto aos líderes dos partidos governistas. Lyra já visitou até o senador Jarbas Vasconcelos para tratar de 2014. Se assumir, ele tem planos para disputar a reeleição. Só não tem ainda o aval do governador.


 

CURTAS

Voz cearense – Em viagem pela Europa, o governador Cid Gomes não apareceu na reunião da executiva do PSB no Recife, mas foi representado pelo irmão, o ex-ministro Ciro Gomes, presidente estadual da legenda no Ceará e que teve voz ativa e uma participação destacada no encontro.

Emancipação – Majoritário em Afogados da Ingazeira, o deputado Gonzaga Patriota (PSB) usou a tribuna, ontem, para homenagear os 104 anos de emancipação política do município. A ação de Patriota em favor da cidade se reveste também em recursos federais, através de emendas de sua autoria ao orçamento da União.

Perguntar não ofende: Por que Lula não dá um pio sobre a crise e o besteirol do plebiscito?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

o povo da de olho

O PAÍS ESTÁ PRECISANDO DE UMA MEDIDA DE IMPACTO, DE CHOQUE, URGENTE. QUEM PODERÁ NOS SALVAR?????

José Egnaldo Pereira

Por isso a presidente Dilma está certa.Sem reforma política é melhor então jamais sairmos das ruas.

José Egnaldo Pereira

Quando se protesta contra a corrupção é o mesmo que se protestar contra o sistema político mesmo sem consciência disso,pois ele é mãe dos corruptos.O sistema político brasileiro afasta gente de bem e atraí os canalhas porque para entrar na política junta-se primeiro dinheiro e onde encontrá-lo?

JORGE GUERREIRO

em especial o transporte público, o aumento da criminalidade”

JORGE GUERREIRO

“É absolutamente inviável do ponto de vista prático e uma matéria diversionista. A presidente da República quer dizer aos brasileiros que aquilo que os levou às ruas foram as propostas que interessam ao PT na reforma política, e não a calamidade da saúde pública, a falência da mobilidade urbana, em


Banner de Arcoverde

03/07


2013

TRT: fim da greve, mas sem certeza de ônibus nas ruas

 O Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região decidiu encerrar a greve dos rodoviários. Em reunião realizada na noite de ontem, os desembargadores determinaram que os funcionários deveriam voltar ao serviço a partir da 00h desta quarta-feira (3). Caso não voltassem teriam que pagar multa no valor de R$ 100 mil ao Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco. Mas a quarta-feira na Região Metropolitana do Recife amanhece com incertezas sobre a presença de ônibus nas ruas.

Dez minutos após a sentença dada pelo pleno do TRT, o grupo fez uma reunião com motoristas em frente à sede do Tribunal e iniciou uma convocação via telefone celular da categoria para impedir a saída de ônibus dos terminais na manhã desta quarta-feira. Oficialmente, o líder do movimento, Aldo Lima, criou um suspense revelador sobre as ações dos rodoviários. ''Aguardem o dia de amanhã(hoje)''.

SEM GARANTIA

Enquanto integrantes da Oposição arregimentavam seguidores para os terminais de ônibus, o presidente quase vitalício do Sindicato dos Trabalhadores, Patrício Magalhães, anunciava que iria comunicar oficialmente a decisão do TRT em uma assembleia, às 10h, na sede da entidade. ''Vou orientar a todos que a decisão judicial deve ser cumprida'', antecipou Patrício, que está no comando do sindicato há 33 anos.

O Sindicato foi multado em R$ 200 mil pela paralisação dos últimos dois dias, por ter descumprido a liminar do vice-presidente do TRT, Pedro Paulo da Nóbrega, que determinava que 80% da frota de veículos estivessem nas ruas no horário de pico. Como a greve foi comandada pela Oposição, a decisão do Tribunal não garante que os motoristas voltem a trabalhar normalmente nesta quarta-feira.    (Com informações do Diario de Pernambuco)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

JORGE GUERREIRO

O cara é um PROPINEIRO, e o PAU está cantando na BOA VISTA.

Luiz de Alcantara Andrade

Apenas uma pergunta, porque o presidente do Sindicato dos Rodoviários não quer largar o osso. Além do status têm mais alguma coisa?



03/07


2013

Eduardo critica ''''artificialidade'''' da base de Dilma

''''Advertimos o governo para a artificialidade de sua base parlamentar, sem consonância com a realidade social nem correspondência com os propósitos do governo de centro-esquerda''''.

 A advertência está explicitada em documento assinado pelo governador Eduardo Campos, divulgado ontem pelo partido, um dia após a reunião da executiva nacional do PSB, presidida pelo governador no Recife. Eduardo deixou claro ainda que a presidente Dilma Rousseff não deverá contar com o apoio do PSB para realizar a consulta popular ainda neste ano.

Marcando sempre um posionamento que tem mantido alguma divergência para com aquilo que prega o deseja o governo Dilma, o governador deixa claro ainda:  “Entendemos que têm mudanças que podem ser feitas imediatamente para melhorar o sistema eleitoral brasileiro”.

É uma referência às sugestões da presidente Dilma em torno da reforma, destacando Eduardo  que propostas como o fim do voto secreto no Parlamento e das coligações proporcionais são questões que não precisam esperar pela realização do plebiscito nem da reforma política para serem aprovados no Congresso Nacional.  

(Com Informações do Diario de Pernambuco - Rosália Rangel)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

ney durval dos santos

O governador de pernambuco sempre foi aliado dos governos do PT com o Lula e continou com a Dilma pernambuco também foi um dos estados que mais foi beneficiado com liberações de recursos,transposição, suape, transnordestina, montadora da fiat, e muito mais.

Geraldo Luiz dos Santos

Antes do governador dá uma de bom moço,pague na integralidade o piso nacional do professor que ainda é uma miséria. Ofereça condições dignas de trabalho e lembre-se que, foi vossa excelência que acabou o nosso pcc.

Luiz Henrique Valois Cireno

Antes de cobrar isso do governo federal ele deveria dar o exemplo no Estado. Mais político que só joga para a plateia e não possui proposta.

weltgeist da silva

Governo de centro-esquerda? o que é isso? socializar os meios de produção como queria o vovó? dar bons empregos a familiares?