Lavareda

26/10


2020

Datena é operado após sentir dores no peito

O apresentador da Band José Luiz Datena passou por um procedimento cirúrgico após sentir dores no peito ontem. Internado no Hospital Sírio Libanês, ele fez uma publicação nas redes sociais para contar aos fãs que passa bem.

"Meus queridos e queridas de todo o Brasil, saí há pouco do centro cirúrgico após dar entrada no Hospital Sírio-Libanês com algumas dores no peito. Estou em plena recuperação e, em breve, espero estar com vocês novamente. Meu respeito, meu carinho e meu agradecimento! Até já!", escreveu na conta dele no Twitter.

O apresentador foi além e lamentou a morte de pessoas durante a pandemia do novo coronavírus: "Meus pêsames a quem tem perdido vidas durante a pandemia e esperança é a palavra de sempre. Eu já luto durante todo o tipo de doença há bastante tempo e, graças à Deus, no nome de Deus e dos homens, tenho vencido essas batalhas", disse.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

26/10


2020

Matuto pede habeas corpus ao STJ

A defesa do prefeito afastado de Paulista, Junior Matuto (PSB), ingressou no Superior Tribunal de Justiça (STJ), hoje, com um pedido de habeas corpus. O gestor, que tenta retornar ao cargo, está impedido de chefiar o Executivo desde a última quinta-feira (22), graças a uma decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, que acolheu um agravo regimental.

Matuto é um dos alvos das operações Chorume e Locatário, ambas deflagradas pela Polícia Civil de Pernambuco, que investigam fraudes em contratos milionários da Prefeitura de Paulista com uma empresa de limpeza urbana e um esquema de dispensa de licitações para aluguel de prédios públicos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu no Zap

26/10


2020

A cidade que queremos

Por Maurício Rands*

Na era da revolução tecnológica, as cidades assumem uma relevância estratégica. Em Democracy and Prosperity (Princeton University Press, 2019), Iversen e Soskice argumentam que as cidades que desenvolverem “clusters tecnológicos” terão força política exponencial. Porque atrairão pessoas com elevada criatividade cultural, social, política e econômica. Para ambos, o adensamento, inclusive vertical, é positivo. Porque concentra moradores criativos e tecnologicamente antenados. Além disso, como argumenta Edward Glaeser (Harvard), em seu The Triumph of the Cities (Penguin, 2011), o adensamento pode produzir saldo ambiental positivo ao evitar os grandes deslocamentos de moradores que moram onde trabalham. E também ao impedir a expansão da população para áreas que poderiam permanecer verdes. Para Glaeser, as cidades podem ser os ambientes mais saudáveis e verdes. Além de cultural e economicamente os melhores lugares para se viver.

O cotejamento dessas potencialidades com o presente debate eleitoral chega a ser desalentador. Multiplicam-se promessas sem indicação da viabilidade. Como Lula e Bolsonaro bem o sabem, a transferência de renda direta aos vulneráveis é poderoso instrumento eleitoral.  E aí quase todos prometem um complemento do auxílio-emergencial. Algo positivo e necessário. Mas é preciso ir além disso. E essas propostas deveriam ser acompanhadas do exame de viabilidade. Da mudança de gestão para reduzir outras despesas e ampliar as receitas com incremento das atividades econômicas. Não com aumento de IPTU, ITBI, taxas e indústrias de multas. Esse é o caminho mais fácil. Mas que asfixia o empreendimento na cidade. E afasta-o em busca de outras praças menos onerosas e menos burocráticas. Nesse item, a cidade que precisamos deve passar por uma revisão profunda da burocracia. O cidadão usuário de um serviço tem que ser tratado como cliente. Respeitado e valorizado. Hoje, quem se dirige à prefeitura parece que está pedindo um favor. E comumente é tratado como culpado a priori.

Queremos, para isso, uma cidade com dirigentes que não se queiram perpetuar no poder. Para quem o poder não seja um fim em si. Mas sim um instrumento para desenvolvimento da comunidade. Isso reclama uma liderança madura e capaz de unir a cidade em torno de um propósito. Que aponte caminhos para o futuro. Que supere a velha prática da demonização do adverso. Que respeite a autonomia de cada setor e das diversas forças políticas. Apta a desenvolver políticas públicas de combate à pobreza e à exclusão. Não queremos uma cidade dividida.

Queremos uma cidade aberta à inovação. Onde os corredores tecnológicos possam atrair gente criativa. Em todas as atividades. Que a cidade invista na educação de suas crianças e adolescentes. Os futuros inovadores. Com escolas de mesma qualidade para ricos e pobres. Para isso, a educação reclama uma revolução. Para melhorar as instalações, os equipamentos e as metodologias pedagógicas. Mas sobretudo para ter professores valorizados. O magistério deve voltar a ser uma profissão de status elevado. Admirada, desejada e bem remunerada. Com investimentos em formação, avaliação e carreiras estruturadas. Ao nível de procuradores e auditores. Para isso, há que cortar recursos de outras secretarias e entes da administração indireta. Se o orçamento da cidade é limitado, priorize-se a educação, o mais estratégico de todos. Mas sem descurar o espaço orçamentário para a prestação de bons serviços de saúde, saneamento, meio-ambiente, segurança e cultura. Assim como em planejamento urbano, manutenção e limpeza. Esses desafios reclamam dirigentes com muita capacidade de gestão. Para cortar radicalmente despesas desnecessárias. Cancelar atividades supérfluas, cargos comissionados, contratos terceirizados hoje loteados entre os partidos, carros oficiais e outras benesses. Que saibam fazer parcerias com o setor privado, como as PPP, e que não sucumbam à corrupção.

A cidade que queremos precisa voltar a nos ofertar qualidade de vida. Não pode ser um engarrafamento perene que sufoca a produtividade. Precisa cultivar a diversidade étnica, religiosa, de orientação sexual e de gênero. Combater os preconceitos. Que não seja dividida entre uma cidade para trabalhar e outra para morar. O uso misto tem que prevalecer. As vocações naturais do Recife para os serviços e a produção de conhecimento precisam ser cultivadas. Investindo em infraestrutura de conexão, sobretudo internet, para que ricos e pobres estejam digitalmente incluídos. Bem gerida, nossa cidade poderia voltar a ser um polo de liderança regional na economia criativa, na tecnologia, na medicina, no direito, no turismo, na logística. Poderia voltar a atrair gente e empresas inovadoras se proporcionasse um bom ambiente para os negócios. Poderia vir a ser um hub de gestão. Resgatando sua vocação cosmopolita. Voltando a falar para o mundo. Concentrando gente inteligente, poderia recuperar a influência política e econômica que deixou de ter.

*Advogado formado pela FDR da UFPE, PhD pela Universidade Oxford


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Esse é do time do Mendonça, que cara chato. Pega o o beco Rands.


Banco de Alimentos

26/10


2020

Em Passira, Miguel tem pedido de candidatura indeferido

O candidato à Prefeitura de Passira pelo partido Podemos, Miguel Gomes de Freitas, teve sua candidatura indeferida, em virtude de diversos processos de improbidade administrativa.

Miguel foi gestor do município entre os anos de 2005 e 2012 e, este ano, tentaria mais uma vez a vaga no executivo municipal, contudo foi considerado inapto por acumular contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas da União.

Até o momento, não se sabe se um novo candidato será anunciado pelo partido ou se a chapa será desfeita.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


26/10


2020

Cumaru: Justiça nega pedido de registro de Eduardinho

O juiz da 91ª Zona Eleitoral, Altamir Cléreb de Vasconcelos Santos, indeferiu o pedido de registro de candidatura de Eduardinho Tabosa (PSD) à Prefeitura de Cumaru, no Agreste Setentrional pernambucano. Em sentença proferida ontem, o magistrado atendeu a ações de impugnação impetradas por duas chapas que concorrem ao pleito majoritário e pelo Ministério Público Eleitoral.

Para chegar à decisão, o juiz levou em consideração a rejeição das contas do exercício financeiro de 2014, quando Eduardinho Tabosa era prefeito de Cumaru. “As condutas irregulares apontadas pelo TCE, com nota de má gestão financeira e não respeito a metas fiscais, que ensejaram a rejeição das contas do exercício 2014 do impugnado pela Câmara, assinalam atos passíveis de serem considerados como atos dolosos de improbidade dotados de irregularidade insanável, para fins de inelegibilidade”, sentenciou.

O processo também cita a reprovação das contas de Eduardinho em 1998 pela Câmara de Vereadores de Cumaru e o fato de o Tribunal de Contas da União (TCU) julgar irregular o exercício financeiro de 2015 em razão do manejo de verbas repassadas pelo Ministério do Turismo. Nos dois momentos, ele ocupava o cargo de prefeito.

“O impugnado utilizou recursos públicos federais, no mínimo, para finalidades divergente do pactuados em Convênios e, pelo que se depreende, que ensejou omissão no dever de prestar contas e desvio de finalidade quanto aos recursos. Atos que prejudicaram a fiscalização dos recursos financeiros e a execução do objeto, segundo os julgados do TCU”, declarou.

Em contrapartida, o juiz Altamir Cléreb deferiu o pedido de registro da candidata a vice-prefeita, Nenê de Ameixas (PSD). Mesmo assim, julgou inapta a chapa da coligação


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


26/10


2020

Candidata a vice-prefeita em Boa Vista morre de Covid

A candidata à vice-prefeita de Boa Vista na chapa do MDB, Edileusa Loz, morreu, aos 57 anos, vítima da Covid-19, na manhã de ontem.

A informação da morte foi divulgada pelo comitê de campanha do candidato a prefeito, Arthur Henrique (MDB), com quem Edileusa concorria no pleito. A coligação suspendeu as atividades de campanha por 24h.

"A coligação “O Trabalho Continua” e o MDB lamentam informar o falecimento de nossa candidata a vice-prefeita, Edileusa Lóz. Edileusa faleceu no dia de hoje em decorrência da Covid-19. A campanha de nossa coligação, em todas as suas frentes, será suspensa pelas próximas 24 horas.", comunicou a nota.

Edileuza Loz estava internada na Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital Geral de Roraima (HGR) desde a última quarta-feira (21). Ela deixa marido e filhos. Ela nasceu na Paraíba e morava em Roraima há 20 anos. Formada em Administração, pós-graduada em Gestão Social e especialista em Gestão Social e Políticas Públicas.

A candidata foi apresentada como a vice-prefeita do candidato Arthur Henrique no dia 15 de setembro durante convenção virtual.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


26/10


2020

Indústria quer corrigir privilégios na reforma tributária

Representantes da indústria brasileira defendem tratamento tributário mais justo para o segmento. No evento “Indústria em Debate: o que fazer para o Brasil voltar a crescer”, eles ressaltaram que a reforma tributária é a melhor oportunidade para desonerar o setor e torná-lo mais competitivo no mercado internacional. As informações são do Blog do Riella.

Robson Andrade, presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), disse que, ao longo dos anos, alguns segmentos conseguiram regalias e proteção fiscal devido a um lobby intenso.

Líder do governo na Câmara dos Deputados, o Deputado Ricardo Barros concorda que deve haver equalização da tributação sobre os diversos segmentos da economia. “Isso já está sendo considerado. A tributação precisa ser mais justa e a indústria precisa ter uma redução, para que possa ser competitiva”, aponta.

Segundo Barros, para que isso ocorra é necessário que os segmentos privilegiados estejam dispostos a contribuir um pouco mais, de forma que os setores mais onerados sejam mais competitivos e voltem a crescer.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


26/10


2020

Militares caem na armadilha. Bem feito.

Por Helena Chagas*

O prazo de validade de Ricardo Salles no governo já venceu há muito tempo. Ainda que saibamos que o descalabro na política ambiental tem a digital explícita de Jair Bolsonaro, uma simples troca na pasta do Meio Ambiente já teria, há meses, melhorado o ambiente internacional a a imagem do Brasil nesse assunto. Mas Salles, espertamente, se abraçou ao bolsonarismo ideológico, e agora sua saída -- ou não -- virou uma batalha importante na guerra entre essa ala e os militares. Até mesmo os filhos presidenciais pegaram em armas em sua defesa neste fim de semana.

Do outro lado, os militares, sobretudo no Alto Comando do Exército, estão furiosos -- e não só com o fato de Salles ter chamado o general Luiz Eduardo Ramos de Maria Fofoca. Além das trombadas do ministro do Meio Ambiente com o vice Hamilton Mourão, não estão gostando da forma como outro general, Eduardo Pazuello, foi tratado pelo chefe do episódio da vacina "chinesa" contra o coronavírus. Sem contar no vazamento gratuito de notícias de que o próprio Mourão será rifado da chapa presidencial de 2022.

Há algo de podre no reino de Bolsonaro, que depois do acordo com o Centrão está se sentindo muito seguro para cutucar e desautorizar seus generais -- aqueles mesmos que, lá trás, dizia-se que iriam "tutelá-lo". Assim como, justiça seja feita, o presidente vem fazendo com os próprios ideológicos em sua estratégia de se recompor com o establishment político e o próprio STF.

Talvez Bolsonaro tenha percebido que nem ideológicos e nem militares têm para onde ir sem ele. Uns, porque não vão encontrar, nem em 2022 nem nunca, um candidato mais à direita do que ele para apoiar. Outros, porque entraram numa canoa furada e agora não têm como sair. Ao passar por cima de valores como a lealdade ao Estado -- e não a governos -- os militares que correram para apoiar Bolsonaro e ocupar, aos milhares, os cargos da administração, talvez não tenham percebido a armadilha em que caíram. Ou talvez os espaços a preencher na volta ao poder tenham falado mais alto.

Agora, divididos e enfraquecidos, os militares percebem que sua imagem se colou a de um governo que contraria tudo aquilo que prometeu no quesito austeridade e combate à corrupção. O inevitável desgaste das Forças Armadas já se manifesta nas pesquisas. Bem feito.

*Jornalista


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


26/10


2020

Pernambucana lidera comunidade de Cybersecurity no NE

A pernambucana Flávia Brito, CEO da BidWeb Security IT, empresa embarcada no Porto Digital, lidera o capítulo Nordeste da “LATAM Women in Cybersecurity (WOMCY)”, rede para profissionais de segurança cibernética na América Latina. A atividade será inaugurada no dia 28 de outubro, em um evento online. Durante o evento, serão apresentados os objetivos da WOMCY no Nordeste, projetos e ações, apresentação da campanha de apoio ao combate da violência à mulher e uma sessão de perguntas e respostas. As inscrições já podem ser realizadas: https://bit.ly/35ek6y3.

A WOMCY tem por objetivo aumentar a presença de mulheres e reduzir o gap de conhecimento entre gêneros em cybersecurity nas organizações latino-americanas, com promoção de criação de redes, orientação e entrega de programas especiais para ajudar a promover a carreira e a conscientização da segurança cibernética.

A comunidade WOMCY proporciona networking, palestras, cursos, mentoria e desenvolvimento profissional para mulheres que iniciam sua carreira em segurança cibernética ou que já possuam uma carreira estabelecida. Para aqueles que estão apenas começando sua carreira ou estão investigando carreiras em segurança cibernética, a WOMCY fornece suporte e rede para apoiar suas habilidades e associar um novo membro a um líder experiente por meio de uma comunidade integrada.

A escassez de mão de obra no setor de Segurança da Informação é de 4 milhões de profissionais no mundo, segundo pesquisa do ISC2 em 2019, o que representa uma grande oportunidade para alavancar e estimular a carreira nesse setor com a inclusão de mais mulheres e gêneros.

“É preciso criar mecanismos e programas para resolver esse gap. Com uma grande representatividade geográfica, criar um Capítulo da WOMCY no Nordeste representa abrir espaço para incentivar e formar mais profissionais no mercado, além de aumentar a taxa de participação de mulheres e outros gêneros em Segurança da Informação. Isso porque a WOMCY conta com diferentes programas, que vão desde suporte aos voluntariados, mentorias, treinamentos, cursos, parcerias com importantes programas de ensino, como a Academia da CISCO, e convênio com empresas”, destaca Flávia Brito.

Para ingressar na comunidade Womcy, basta fazer o cadastro no link: https://www.womcy.org/pt/membro-individual

 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


26/10


2020

A revolta da vacina

A história se repete na primeira vez como tragédia e na segunda como farsa, assim reza o anunciado do energúmeno Karl Marx. O bicho-grilo Adalbertovsky evoca o episódio histórico da “Revolta da Vacina”, ocorrido no início do século passado no Rio de Janeiro, então Distrito Federal.

Transcreve amostra-grátis do livro de sua autoria sobre o assunto.

“Gaiola de ouro” dos corruptos, reduto de bicheiros e traficantes apelidada de maravilhosa, o Rio de Janeiro era uma cidade pestilenta, assolada por epidemias de febre amarela, varíola e peste bubônica. O presidente da República, Rodrigues Alves, um cara politicamente rochedo, nomeou em 1904 o cientista e médico sanitarista Oswaldo Cruz como chefe da Diretoria de Saúde Pública, cargo equivalente hoje ao de ministro da Saúde.

“Oswaldão recebeu a missão heróica de erradicar as doenças, assassinar os ratos e exterminar os mosquitos Aedes aegypti, transmissores da febre amarela, ele mesmo o causador da dengue. Em janeiro 1904, foi editado decreto tornando obrigatória em todo o País a vacina contra a varíola. A mundiça protestava: “É golpe!” “Força, Aedes aegypti!”, “Força, Orthopoxvirus!”, a pretexto de defender direitos individuais, os direitos de contrair doenças”.

“O Brazil vinham de efervescências políticas entre remanescentes da Monarquia no século anterior e os novos republicanos. Os conflitos se acirraram. Ocorreram escaramuças, quebra-quebra, incêndios de bondes. O governo acionou as forças policiais para conter os revoltosos. Houve mortes, feridos, prisões. Mais de 900 pessoas foram presas. Em novembro 1904 foi decretado estado de sítio e revogada a obrigatoriedade da vacina”.

“Oswaldão atracou-se com os mosquitos e os ratos, de homem para homem, e as epidemias foram excomungadas. Nos tempos recentes as autoridades deram bobeira e os mosquitos ressuscitaram, na forma mutante. Salve, salve! Oswaldo Cruz, grande alma verde-amarela, diamante sem jaça!” A crônica sanitária do bicho-grilo Adalbertovsky está postada no Menu Opinião.       


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Vacina chinesa eu não tomo, disse o brasileiro imbecil que todo ano toma vacina contra gripe H1N1 da Sinivac Biotech, que é chinesa.



26/10


2020

Coluna da segunda-feira

Nem Bolsonaro, nem Lula

Bolsonaro e Lula, as duas principais lideranças nacionais do País em campos opostos, não se revelam bons cabos eleitorais nas eleições municipais que se avizinham. O ex-presidente demonstrou explicitamente, em seu perfil no Twitter, apoio a oito candidatos a prefeito nas capitais brasileiras. O atual chefe do Executivo sinalizou a outros três. Nenhum deles, no entanto, lidera as pesquisas nas capitais. Os últimos levantamentos mostram que, hoje, o aceno dos políticos não significa, necessariamente, bom desempenho no pleito.

Em São Paulo, capital mais rica e populosa do País, Celso Russomanno (Republicanos) recebeu apoio de Bolsonaro e vem perdendo popularidade. As últimas pesquisas mostram queda nas intenções de voto do candidato, que agora aparece, numericamente, atrás de Bruno Covas (PSDB). Já Jilmar Tatto (PT), apoiado por Lula, tem 4%. No Rio, o primeiro colocado nas pesquisas não recebeu apoio nem de Lula nem de Bolsonaro: Eduardo Paes (DEM) tem 28%, segundo o último estudo divulgado pelo Datafolha.

O atual prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) é apoiado por Bolsonaro. Ele tenta ir ao segundo turno, mas aparece empatado numericamente com Martha Rocha (PDT) e tecnicamente com Benedita da Silva (PT) – candidata de Lula. Já em Belo Horizonte, Nilmário Miranda (PT) é o candidato apoiado por Lula. Bruno Engler (PRTB), por Bolsonaro. Ambos patinam com 2% e 3% das intenções de voto, respectivamente. O primeiro colocado é o prefeito Alexandre Kalil (PSD), que tem 60%.

No Recife, o ex-presidente Lula demonstrou apoio a Marília Arraes (PT), que tenta ir ao segundo turno, mas está em situação de empate técnico com a Delegada Patrícia Domingos (Podemos) e Mendonça Filho (DEM), enquanto em Fortaleza o PT tem uma de suas mais bem colocadas candidatas: Luizianne Lins. Ela é apoiada por Lula e no cenário atual pode chegar ao segundo turno com o Capitão Wagner (Pros). Em Salvador, por sua vez, a candidata apoiada por Lula é a Major Denice (PT).

As pesquisas indicam, no entanto, que Bruno Reis (DEM) – apoiado pelo correligionário ACM Neto, atual prefeito da cidade – pode ganhar já no primeiro turno. Em Aracaju, outrora reduto do PT, o candidato apoiado por Lula é Márcio Macêdo (PT), que aparece com apenas 6% das intenções de voto. Em Natal, Lula demonstrou apoio a Jean Paul Prates (PT), atual senador, que aparece com apenas 2% das intenções de voto.

R$ 2 bi pelo ralo – A Polícia Federal suspeita que mais de R$ 2 bilhões tenham sido usados em licitações fraudulentas, na compras de insumos com empresas de fachada e superfaturamento na aquisição de equipamentos durante a pandemia. As informações são do jornal ‘O Globo’. Segundo a reportagem, a Polícia Federal já realizou desde abril 52 operações em 19 Estados, em busca de provas para aprofundar as investigações. Investigadores apuram agora, dentro desse universo de R$ 2 bilhões, quanto de fato foi desviado. Todas essas ações somaram 11 prisões preventivas, 120 detenções temporárias e 929 mandados de busca e apreensão.

Se a moda pega... – Em Santa Catarina, o governador Carlos Moisés (foto), do PSL, foi afastado na última sexta-feira pela Assembleia Legislativa. A denúncia contra ele foi apresentada em janeiro deste ano pelo ex-defensor geral de Santa Catarina, Ralf Zimmer, que apontou crime de responsabilidade na equiparação salarial dos procuradores do Estado. Segundo o denunciante, o reajuste não poderia ter ocorrido sem aprovação de lei na Assembleia. O pedido chegou a ser arquivado em fevereiro, mas em maio, após o escândalo dos respiradores, que criou uma crise política no Estado, uma nova manifestação do Tribunal de Contas apontou ilegalidade no reajuste aos procuradores e viabilizou o desarquivamento da denúncia no parlamento. Se a moda pega em nível municipal, Geraldo Júlio estaria frito no Recife.

Centrão de Alcolumbre – O Senado tem agora um Centrão para chamar de seu. A formação do grupo envolve negociações para a reeleição do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), filiação de senadores e tratativas para a distribuição de cargos e verbas no governo do presidente Jair Bolsonaro. Em busca da recondução ao cargo, em fevereiro de 2021, Alcolumbre está montando uma trincheira de articulação política no Salão Azul do Congresso em um jogo combinado com o Palácio do Planalto. A expansão dos domínios do Centrão para o Senado ganha relevância em um momento no qual o presidente também precisa de apoio na Casa que abriga seu filho Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), alvo de investigações.

Impulsionamento – Até agora, os candidatos nas eleições municipais de 2020 gastaram R$ 17, 5 milhões em impulsionamento de conteúdo na internet. Entre os cinco maiores fornecedores de serviços, três são especializados em marketing estratégico na web, como o Facebook Serviços Online, por exemplo. Os dados foram obtidos no portal DivulgaCandContas, do Tribunal Superior Eleitoral. A plataforma reúne a prestação de contas de candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereador. Os gastos dos postulantes seguem concentrados na publicidade em materiais impressos. Foram R$ 159,6 milhões até agora nesse modelo de propaganda. A despesa com a produção de programas de rádio e televisão vem logo em seguida, totalizando R$ 87 milhões.

CURTAS

O LÍDER – Entre os cinco principais fornecedores até agora, três estão relacionados ao impulsionamento de conteúdo. O Facebook faturou, diretamente, R$ 4,2 milhões. Mas a rede acaba recebendo dinheiro das eleições também pelas empresas de pagamento eletrônico Dlocal (R$ 7,7 milhões recebidos) e Ayen do Brasil (R$ 4,4 milhões). Elas funcionam como intermediárias para o pagamento das ações de impulsionamento. A maior parte dos gastos com essas empresas também está na rubrica “impulsionamento de conteúdo”. O fornecedor que mais recebeu recursos até o momento é a Irmãos Soutello & Mendonça Consultoria: R$ 8,6 milhões. A empresa está produzindo material em vídeo para a campanha à reeleição do atual prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB).

VASSOURADA – Ao ser reempossado em Paulista no lugar do prefeito Júnior Matuto (PSB), afastado pelo presidente do STF, Luiz Fux, o vice-prefeito Jorge Carreiro (PV) repetiu o mesmo ato quando tomou posse pela primeira vez, varrendo do cargo todos os servidores comissionados. "Procedemos como da primeira vez. Exoneração de todos os comissionados. Aqueles que se apresentarem para o trabalho nesta segunda-feira terão a análise da possibilidade de retorno", disse.

Perguntar não ofende: A quem a Polícia Federal dará bom dia ao longo desta semana? 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

CNT/MDA: para 76% dos brasileiros, corrupção aumentou ou permaneceu igual nos últimos dois anos. Nova pesquisa nacional CNT/MDA indicou que 39,3% da população brasileira acredita que a corrupção aumentou nos últimos dois anos. Para 36,6%, o desvio de verbas públicas permaneceu igual.

Fernandes

Cota feminina foi direcionada para empresas ligadas a dois assessores de Flávio Bolsonaro. Durante a campanha de 2018, o PSL do Rio de Janeiro direcionou dinheiro da cota feminina para empresas ligadas a dois assessores de Flávio Bolsonaro envolvidos no esquema de rachadinha. As duas empresas contratadas são Alê Soluções e Eventos e Jorge Domingues Sociedade Individual Advocacia, diz o UOL.

Fernandes

Se insistir nos sinais populistas, Bolsonaro vai levar o país ao desastre. A aceleração da inflação nos últimos meses constitui um alerta claro de que há problemas na economia e de que qualquer deslize do governo poderá levar o país a um quadro de grande dificuldade, diz a Folha de S. Paulo, em editorial.

Fernandes

PF abre inquérito para apurar pagamentos a Wassef. A investigação tem como base documento de inteligência do Coaf produzido em julho deste ano, que mostrou pagamentos de R$ 9 milhões da JBS para Wassef. Diz a Folha de S. Paulo. Vai pegar o clã Bozo.

Fernandes

Auxiliares de Jair Bolsonaro disseram a Andreia Sadi que a ala ideológica atribui a Luiz Eduardo Ramos o casamento do presidente com o Centrão. A colunista lembra, porém, que o acordo foi costurado por diversos ministros, entre eles Ramos e Fábio Faria (PSD), mas só foi para frente depois de determinado e avalizado por Bolsonaro.



25/10


2020

FBC reforça a campanha de aliados no Agreste

Após participar de atos políticos no Grande Recife, o líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB), segue viagem rumo a municípios do Agreste amanhã. Acompanhado do deputado federal Fernando Filho e do deputado estadual Antonio Coelho (ambos do DEM), FBC participa de atividades de campanha em cinco municípios da região. O primeiro compromisso será em Caruaru, onde o senador inicia a agenda com entrevista a uma rádio local e, às 9h, tem encontro com a prefeita e candidata à reeleição, Raquel Lyra (PSDB). 

Da capital do Agreste, os parlamentares partem para Santa Maria do Cambucá para participar de uma reunião com o candidato a prefeito Mário Filho (PSDB) às 11h30. Também estão programadas visitas ao Mercado Público e ao Mercado de Frutas, e entrevista à emissora local. O município de Frei Miguelinho vem na sequência, onde, a partir das 14h30, concedem entrevista a uma rádio da cidade e participam de uma live com o vice-prefeito José Lindonaldo (MDB).

As atividades prosseguem, ainda na segunda, na cidade de Brejo da Madre de Deus com uma caminhada, às 17h, ao lado do prefeito Hilário Paulo (PSD), que busca a reeleição. O último compromisso do dia será em Toritama, às 20h, com uma reunião com lideranças políticas da região e o prefeito Edilson Tavares (MDB), que busca renovar seu mandato à frente da administração municipal.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha