O Jornal do Poder

13/03


2011

A oposição está satisfeita com Dilma

 O Globo - Ilimar Franco

 Apesar das críticas de praxe ao governo, a oposição está satisfeita com o desempenho da presidente Dilma Rousseff. Com uma atuação mais discreta do que o ex-presidente Lula, é como se o governo tivesse descido do palanque. Isso faz com que os ânimos estejam menos exaltados. “Isso pode melhorar a qualidade do debate”, diz o presidente do PSDB, deputado Sérgio Guerra (PE).

Tirando esse raro momento de refresco, a oposição não perde a oportunidade de lembrar que a presidente Dilma afirmou, durante a campanha eleitoral, que não era necessário fazer ajuste fiscal.

Ao mesmo tempo, o PSDB e o DEM acusam o governo de fazer um arremedo de ajuste fiscal com o corte anunciado de R$ 50 bilhões no Orçamento. Também criticam o salário mínimo de R$ 545 e o reajuste por decreto nos próximos quatro anos. Guerra elogia, no entanto, a defesa dos direitos humanos na política externa, a tentativa de passar imagem de austeridade fiscal e a revisão da decisão de compra dos caças para a Aeronáutica.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Julio Povoas de Arruda Miranda

"Um governo deve saber conviver com as críticas dos jornais para ter um compromisso real com a democracia. Porque a democracia exige esse contraditório"(Da presidente Dilma Rousseff em discurso na cerimônia de 90 anos da Folha de S. Paulo). Espero que a oposição também faça o seu papel.


Abreu no Zap

13/03


2011

BC do Japão injeta 450 milhões de euros para segurar a economia

Para apoiar a economia local, fortemente abalada, o Banco Central do Japão, Boj, anunciou neste domingo a injeção de 55 bilhões de ienes (480 milhões de euros) em 13 bancos localizados na região mais castigada pelo terremoto, que foi seguido de tsumani. Além disso, o BC do Japão também prevê para segunda-feira a aplicação ''em massa'' de capital nos mercados, para ajudá-los a estabilizar-se depois da catástrofe, informou ''O terremoto terá impacto considerável nas atividades econômicas de numerosos setores'', advertiu domingo o porta-voz do governo, Yukio Edano, em entrevista à imprensa.

O sismo, de magnitude 8,9, e o maremoto que o seguiu devastaram o nordeste da costa japonesa sobre o Oceano Pacífico, com repercussões seriamente negativas no percentual de cálculo do Produto Interno Bruto (PIB, o conjunto de bens e serviços do país) da terceira economia mundial.

Numerosas atividades no litoral estão completamente paralisadas. A região de Kanto, mais ao sul, que compreende a megalópole de Tóquio e representa 40% do PIB, também foi duramente tocada, de modo talvez tão intenso como em Iichihara (leste de Tóquio), onde uma refinaria de petróleo da companhia Cosmo Oil foi parcialmente queimada.

A maior parte da infraestrutura e dos prédios também foi atingida nesta zona urbana estratégica. A rede nuclear nipônica, que assegura entre 25% e 30% da produção elétrica nacional, vive a mais grave crise de sua história, desde a explosão de sábado no reator N°1 da usina de Fukushima (nordeste), em meio à violência do sismo.

Toyota e Nissan

Grandes indústrias japonesas, incluindo a Toyota e a Sony, foram forçadas a suspender sua produção em algumas fábricas. A Toyota, a maior montadora de automóveis do mundo, informou ter suspendido sua produção em quatro fábricas operadas por subsidiárias nas prefeituras de Miyagi, Iwate e na ilha de Hokkaido, nordeste do país.

A Nissan informou ter interrompido as operações em quatro fábricas, enquanto um pequeno incêndio atingiu uma planta localizada em Fukushima e Kawachi, afetadas pelo tsunami.

Sony 

A Sony Corp suspendeu a produção em seis fábricas da prefeitura de Miyagi. ''Serão necessários muitos anos antes de o custo do desastre ser apagado'', afirmou a consultoria britânica Capital Economics em um estudo. Já o custo para as seguradoras dos danos causados pelo terremoto de sexta-feira no Japão pode ascender a 34,6 bilhões de dólares, segundo estimativa inicial divulgada neste domingo pela AIR Worldwide, firma especializada na avaliação de riscos.(AFP)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

13/03


2011

Desafeto de Dilma no governo anterior, Jobim encara a degola

 O ministro da Defesa, Nelson Jobim, é outro que vive em permanente corda bamba no cargo, desde o início do governo em situação de desconforto com a presidente Dilma Roussef. A antipatia entre os dois é mútua, e vem di governo Lula, quando, ambos ministros viviam às turras. No Planalto, ele é visto como o melhor nome para a pasta, principalmente pela autoridade que tem junto aos militares. Mas existe incômodo com o que foi classificado internamente de ''chantagem'' permanente, que são os recados dele, pelos jornais, de que pode deixar o governo nos próximos meses. Jobim estaria contrariado com o corte orçamentário em sua pasta, principalmente por causa da reação dos militares.

Outro integrante que ficou frágil na equipe é a ministra da Cultura, Ana de Hollanda. Há duas semanas, Dilma saiu em socorro de Ana ao cancelar a nomeação do sociólogo Emir Sader, que tinha chamado a ministra de ''meio autista'', para o comando da Fundação Casa de Rui Barbosa. Mas a percepção no núcleo do governo é que Ana de Hollanda ainda precisa mostrar autoridade e pulso para conduzir os problemas da Cultura e, principalmente, o polêmico debate sobre direitos autorais.

Numa situação semelhante está o ministro do Turismo, o peemedebista Pedro Novaes. Até agora, o governo não viu uma ação concreta da pasta do Turismo, e Dilma praticamente não se encontrou com Novaes.(Com Informações de O Globo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Julio Povoas de Arruda Miranda

Além de Nelson Jobim, Pedro Novaes e Ana de Hollanda, a presidente poderia aproveitar para também se livrar dos ministros Fernando Haddad(Educação) e Orlando Silva(Esportes), nenhum deles fariam falta.

roberto lima

o genuino poderá ser o ministro



13/03


2011

Cedro: corrupção envolvia todo o setor público do município

 A descoberta de um esquema de corrupção no município de Cedro, no interior do Ceará, envolvendo secretários municipais, servidores, prestadores de serviços e comerciantes, colocou a Controladoria-Geral da União em estado de alerta em torno do Programa Garantia-Safra, auxílio criado para agricultores que sofrem perda de safra por motivo de seca ou de excesso de chuvas.

O governo deverá fazer uma varredura em vários estados que hoje recebem o benefício, depois que uma investigação da Polícia Federal descobriu um conluio para que os R$ 640 pagos anualmente para os agricultores afetados pela perda das colheitas ficassem concentrados no grupo suspeito. As informações são do jornal Correio Braziliense. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

jose carlos da silva

Em tempo:...resultou no assassinato...

Paulo Roberto Leite Muniz

Seria Cedro no Ceará ou em Pernambuco? Na matéria postada no blog OABELHUDO em 10 de março, sobre o cerco que a CGU move em torno de prefeituras municipais é citado essa intervenção no município de CEDRO.

jose carlos da silva

bajuladores e analfas. Tô fora! zecarlosmeuvelho.

jose carlos da silva

Na década de oitenta foi descoberto uma fraude no banco do brasil, ESCÂNDALO DA MANDIOCA, onde foram fraudados mais de um bilhão de cruzeiros. Apuração daqui e dali.Resultou noi assassinado de um procurador da REPÚBLICA DO BRASIL. E até o presente momento nada=nada."Brasil um país de tolos, imbecis

José Carlos da Silva

Cedro em relação ao municiípio de Ipojuca é fichinha. Em Ipojuca, não existe conluio, existe facção.Seria bom que o TCU desse uma passadinha por aqui. Alias dizem que tem gente até em Portugal recebendo dos cofres públicos.São mais de 6 bilhões que ninguém sabe para onde está indo, será que TCU sabe



13/03


2011

Conselhos de Ética continuam enterrados pelos parlamentares

 Mais de um mês depois de o Congresso iniciar os trabalhos legislativos de 2011, os Conselhos de Ética da Câmara e do Senado permanecem sem nenhum integrante, assim como a Corregedoria do Senado, após a morte do antigo corregedor, Romeu Tuma (PTB-SP). Na Câmara, os líderes partidários começaram a indicar os integrantes do conselho depois das denúncias contra a deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF) e está marcada para a próxima quarta-feira (16/3) a sessão que deve eleger o novo presidente.

No Senado, o conselho está sem seu quadro completo desde agosto de 2009, quando a oposição se retirou do colegiado em protesto ao arquivamento de 11 processos contra o atual presidente da Casa, o senador José Sarney (PMDB-AP).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


13/03


2011

OEA quer que Brasil justifique construção de hidrelétrica

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos pediu ao governo brasileiro informações sobre as licenças para a construção da hidrelétrica de Belo Monte, que começou as suas obras na região amazônica. A solicitação foi feita pelo secretário-executivo da CIDH, Santiago Cantão, com base em um pedido de medida cautelar apresentada contra a obra pelo Movimento Viva Xingu e mais de 40 grupos que se opõem ao projeto. Os opositores argumentam que a hidrelétrica, cujas obras começaram nesta semana no município de Altamira, no estado do Pará, causará danos irreparáveis ao ecossistema e às condições de vida de indígenas e agricultores que habitam as margens do rio Xingu, um dos afluentes do Amazonas. As informações são da revista Época.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

jose carlos da silva

E porque não constroi as NE 1, 2 e 3 nas terras tórridas e sem utilidades no nordeste do país? Uma ótima saída.

uilma

Coisa boa.



13/03


2011

Dos prefeitos eleitos em 2008, 82 foram cassados

 Segundo levantamento feito pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM), dos prefeitos eleitos em 2008 em todo o país, pelo menos 127 não estão mais à frente da administração de suas cidades. De acordo com a notícia, 82 deles foram cassados, a maioria por descumprir a legislação eleitoral ou a de improbidade administrativa. Minas Gerias lidera a lista com 23 afastamentos, e, em termos proporcionais a liderança é do Acre (13,6%).

Vontade comum
O mesmo levantamento da CNM aponta que 800 distritos em todo o país já protocolaram nas assembleias legislativas pedidos de emancipação. Contudo, os deputados estaduais estão impedidos de legislar sobre o tema até que o Congresso Nacional aprove uma lei complementar estabelecendo os critérios. Segundo o jornal Correio Braziliense, atualmente, 19 propostas de lei complementar com diferentes requisitos para a emancipação, fusão e desmembramento de distritos tramitam na Câmara dos Deputados. A expectativa é que a votação ocorra ainda neste primeiro semestre.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Carlos da Silva

O prefeito de Ipojuca está pendurado. O problema é que ele administra 6 bilhões. Nesse caso e como se trata de brsail, ele não vai cair.



13/03


2011

Orlando Silva é o mais perto de degola no governo Dilma

 A situação de Orlando Silva é a mais delicada de todos os ministros sob risco de degola no governo. A presidente Dilma queria que o PCdoB tivesse indicado a deputada Luciana Santos (PE) para o Ministério dos Esportes, o que não aconteceu, entrando Orlando quase que como uma imposição de seu partido, o PCdoB. Além disso, o Planalto identificou uma articulação de Orlando Silva, com o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), para enfraquecer o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles, escolhido por Dilma para o comando da Autoridade Pública Olímpica (APO). Para amenizar a crise, a cúpula do PCdoB teve um jantar com Dilma no Palácio da Alvorada há duas semanas.

 

Estão também sob risco os ministros Fernando Haddad, Orlando Silva e Guido Mantega. O titular da Fazenda Guido Mantega foi aceito por Dilma por imposição de Lula e ela tem boa relação com ele, mas a presidente vai nomear para o cargo o atual secretário-executivo da pasta, Nelson Barbosa, na primeira oportunidade. No núcleo do governo, chamou a atenção o fato de Dilma ter desautorizado publicamente Mantega, ao falar de improviso pela primeira vez, por ocasião do anúncio do crescimento do PIB de 7,5% em 2010. Ela explicitou a preocupação do governo com a inflação depois de Mantega ter afirmado que o corte orçamentário não tinha a inflação como alvo direto. (Com informações de O Globo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

uilma

OI LORINHO VAI SER DEGOLADO.KKKKKKKKKKKKKK



13/03


2011

Enxugando gelo e ensacando fumaça

Depois de duas semanas de ócio,  prepara-se o Congresso para começar a debater a reforma política.  Reúnem-se terça-feira as comissões especiais da Câmara e do Senado, claro que em separado. Uma não sabe nem se interessa em saber o que fará a outra. Semanas, talvez meses, vão decorrer antes que deputados, de um lado, e senadores, de outro, cheguem a qualquer conclusão, tendo  em  vista divergências partidárias internas profundas, lá e cá.

Ainda que por milagre venha a haver maioria  para a aprovação de determinadas propostas no plenário da Câmara, o mesmo acontecendo no Senado, a etapa seguinte se afiguraria intransponível, tendo  em vista que o projeto aprovado numa casa irá  para a outra, e vice-versa.  Estes modificariam a proposta daqueles, e aqueles, a destes.

Resultado: preparam-se os deputados  para enxugar gelo e  os senadores para ensacar fumaça, numa prática corporativa típica. E pode esperar sentado quem  imaginar o Executivo intrometendo-se para alcançar um texto comum. No fim, salvo    engano, a grande decisão dos políticos sobre a reforma política será não tomarem decisão alguma. Ou no máximo paliativos, para burlar  a opinião pública.(CARLOS CHAGAS)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


13/03


2011

Espólio do DEM: o que Lula não obteve, Eduardo e Kassab verão

Caindo aos pedaços, o Democratas (DEM), que tentou se renovar através da mudança de nome - era o Partido da Frente Liberal (PFL) - e abrindo espaço para lideranças jovens, escolhendo o deputado Rodrigo Maia (RJ) para comandar a legenda , chega a 2011 com um pé no abismo.

E é em meio à crise provocada pela anunciada saída de Gilberto Kassab, prefeito de São Paulo, que dará ao PSB a musculatura que falta para o projeto nacional do governador Eduardo Campos, que o DEM realiza sua convenção na próxima terça-feira. Se não houver surpresas, os convencionais deverão eleger presidente, em chapa única, o senador José Agripino (RN).

Agora, o que restará depois da convenção não se sabe mas o que se espera é uma revoada para o Partido Democrático Brasileiro (PDB), que Kassab pretende criar, para se fundir futuramente com o PSB. Estima-se que dos 43 deputados federais democratas 20 ingressem no PDB, deixando o DEM praticamente sem pernas. E o que se coloca é que o que sobrar do DEM também poderá caminhar para uma fusão com outro partido, que poderia até ser o PSDB do qual os democratas são aliados nacionalmente. Enfim, se essas previsões acontecerem será a concretização do que pregou Lula na campanha eleitoral do ano passado: ´precisamos extirpar` o DEM da política brasileira. O ex-presidente não conseguiu, mas Eduardo com Kassab pode deixar os democratas fora do cenário nacional em 2014.

MARISA GIBSON - Coluna Diario Político


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Erivaldo Melo

Com a saída do DEM da turma do muro, finalmente o Brasil voltará a ter um partido verdadeiramente de oposição. Sem Kassab o DEM ficará melhor. Espero que radicalizem com a presidente(a), como o PT fez com FHC. É bíblico: Tens que ser quente ou frio, morno eu te vomito.

milton tenorio

Que sobra?! Uilma está em outro planeta..........

uilma

VAI NAD,A O PMDB VAI FICAR NA SOBRA DO PT.

Julio Povoas de Arruda Miranda

Muito arriscada essa manobra política do governador Eduardo Campos, pois Kassab amarga negativos índices de aprovação ao seu governo e não possui força suficiente para derrotar o PSDB em SP. Já o PMDB continuará sendo o maior aliado do PT e este deverá lançar candidato próprio ao governo em 2014.

milton tenorio

Devo discordar da nobre Jornalista...Se ela tivesse alguma fonte em São Paulo, saberia que Kassab não é esses coisas todas que Eduardo tanto o assedia.... Sequer ele tem naquele estado musculatura para Governador...Será Geraldo Alkimin novamente....É só perguntar a qualquer paulistano....



13/03


2011

Desempenho de Bezerra Coelho é a grande surpresa de Dilma

 O ministro Fernando Bezerra Coelho (Integração Nacional) tem se constituído na grande supresa para a presidente Dilma Roussef. Ela tem destacado o desempenho de Fernando, ressaltando a rapidez nas providências do ministro no desastre ambiental da Região Serrana do Rio, e também em outros episódios semelhantes ocorridos nos estados de São Paulo e Rio Grande do Sul.

Dilma considera também que superou todas as expectativas o desempenho do ministro Antonio Palocci. E principalmente a relação direta com ele no Planalto. Na transição, houve uma resistência inicial à presença de Palocci no Planalto, mas, segundo interlocutores, hoje ela avalia que o seu maior acerto foi ter nomeado o ex-ministro da Fazenda para a Casa Civil. Nesse período, ele ganhou ainda mais a confiança de Dilma.

Outras nomeações muito elogiadas são as dos ministros José Eduardo Cardozo (Justiça) e Alexandre Padilha (Saúde).Outro ministro que reforçou a boa impressão que já causava na presidente é Antonio Patriota (Relações Exteriores). Ele conseguiu dar uma nova personalidade à política externa do governo, de forma suave. (Com informações de O Globo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

FRANCISCO GEORGE ARAUJO SALES

Menos Milton, menos. Qualquer um se orgulha de ter um conterrâneo ocupando papel tão importante. Se fosse você inúmeras pessoas também estariam vibrando. Vamos avaliar em cima de fatos e os fatos por enquanto são de bom desempenho do ministro.

milton tenorio

Cheio de aulico...As babas se escorrem num show de horror!

Deomiro Silva dos Santos

Qualquer oportunidade ao povo do Sertão será sempre motivo para muito trabalho e bom desempenho. Provavelmente estará pavimentando o caminho para sonho de Governar Pernambuco ou se não, permanecer no governo Federal. É muito importante para PERNAMBUCO.

Gesson Cavalcanti

Eu sempre soube que bastava uma oportunidade para Fernando mostrar seu talento. Conheco-o não é de hoje e tenho certeza tratar-se de uma grande liderança, um administrador competente, um político como poucos.

JOSÉ ALBERTO BARBOSA

O Ministro Fernando Bezerra Coelho realmente tem esse diferencial: URGENCIA E COMPETÊNCIA, bem como, não manda recados nem emissários, ele mesmo gosta de ver de perto seja qual for o tamanho do problema. Sua disposição para o trabalho lhe faz merecedor dessa distinção. Daqui torcendo sempre por ele.