O Jornal do Poder

26/09


2020

Miguel celebra liderança de Petrolina no Idepe

Após obter resultados inéditos e o topo no ranking no Ideb entre os municípios pernambucanos com mais de 100 mil habitantes, Petrolina também se consolidou com a melhor nota na avaliação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica de Pernambuco (Idepe) no segmento.

Pela primeira vez, a cidade sertaneja superou o patamar da nota 6 no estudo produzido pelo Governo do Estado. Nos anos iniciais, as escolas municipais da cidade sertaneja lideram o ranking com uma média 6,04 - representando a maior evolução do município no indicador. Em 2016, Petrolina teve nota 5,35; já em 2017, a média obtida foi 5,52; por fim, em 2018, subiu para 5,69.

A evolução também foi constatada nos anos finais. Petrolina aparece com a melhor nota entre as cidades com mais de 100 mil habitantes. As escolas municipais petrolinenses conquistaram média 4,8. A cidade registrou um crescimento substancial já que havia alcançado 4,65 (em 2016),  4,5 (em 2017) e 4,72 (em 2018).

As notas de Petrolina (6,04 e 4,8) ainda superaram as médias de Pernambuco (5,13 e 4,17). Para o prefeito Miguel Coelho (MDB), esses resultados reforçam a avaliação apontada anteriormente pelo Ministério da Educação, que colocam a cidade sertaneja como referência estadual no ensino público.

"Estamos muito orgulhosos do trabalho realizado pelos nossos professores, pela equipe da Educação e por todos investimentos empreendidos. Estamos ampliando as melhorias nas creches e escolas, modernizando a rede com aulas de robótica, ensino em tempo integral e garantindo melhores condições de trabalho aos profissionais. O resultado disso tudo está aí confirmado tanto pelo Ministério da Educação quanto pelo Governo do Estado. Isso é motivo de orgulho não apenas para quem faz parte gestão, mas para todos os petrolinenses que percebem um avanço expressivo e o futuro melhor para nossas crianças", comemorou. 

SOBRE O IDEPE - O Idepe é um índice criado pelo Governo do Estado para avaliar o ensino básico nas escolas públicas.  A análise leva em conta a proficiência e o fluxo escolar na rede de ensino. A avaliação ocorre anualmente e se baseia nos critérios de metodologia do Ideb, indicador divulgado a cada dois anos pelo Ministério da Educação.

 Confira as notas dos municípios com mais de 100 mil habitantes:

ANOS INICIAIS
Petrolina 6,04
Caruaru 5,44
Garanhuns 5,25
Jaboatão 5,24
Recife 5,22
Paulista 5,15
Santa Cruz do Capibaribe  5,10 
Igarassu 4,99
Olinda 4,94
Camaragibe 4,86
Cabo 4,77
São Lourenço 4,58
Vitória 4,13

ANOS FINAIS
Petrolina 4,8 
Caruaru 4,39 
Garanhuns 4,39
Igarassu 4,28 
Recife 4,15
Jaboatão 4,13 
Olinda 3,98
Paulista 3,92 
Santa Cruz 3,88
São Lourenço 3,82
Cabo 3,73
Vitória 3,4
Camaragibe (não registrou nota)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Potencial Pesquisa & Informação

26/09


2020

Cooafsul celebra início das atividades em Ribeirão

Para agradecer o início das atividades da Cooperativa dos Produtores de Cana de Açúcar da Mata Sul (Cooafsul), uma celebração ecumênica ocorreu, ontem, na sede da Usina Estreliana, que foi arrendada pela cooperativa, em Ribeirão. A cerimônia contou com as presenças do prefeito de Ribeirão, Marcello Maranhão, de trabalhadores, do presidente da Cooafsul, Carlos Antônio César, e do deputado estadual Aluísio Lessa (PSB). 

Após a celebração, Aluísio e Marcello visitaram as instalações da usina. Eles conferiram de perto a estrutura que deve moer 700 mil toneladas de cana nesta safra e ser responsável pela geração de 2,7 mil empregos na Mata Sul.

"Desejo sucesso aos trabalhadores da usina e tenho a certeza que teremos uma grande safra. A Cooafsul vai gerar emprego e renda, consequentemente movendo a economia e o comércio de Ribeirão. Aproveito para agradecer ao deputado Aluísio Lessa, que sempre foi nosso parceiro em busca de recursos e iniciativas para a nossa cidade", salientou Maranhão.

"Ver a Estreliana voltando a moer é um sonho que se torna realidade. A Cooafsul chega para fortalecer a produção do setor sucroalcooleiro, bem como a economia da Mata Sul e de Pernambuco como um todo. Eu tiro o chapéu para o prefeito Marcello Maranhão e sua família, por terem permitido a concretização desta iniciativa. Vamos seguir articulando junto ao Governo do Estado a concessão do crédito presumido de 18,5% sobre o ICMS para a cooperativa", destacou Lessa.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

26/09


2020

Bolsonaro diz que está bem e espera receber alta hoje

Por Leandro Magalhães, da CNN Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) falou à CNN que está 100% e que terá possível alta neste sábado (26), às 14h. À reportagem, o presidente também questionou a data da cirurgia: "Por que operei numa sexta-feira? Para não perder dois ou três dias úteis. Tenho muito trabalho. Por isso que achei melhor fazer a cirurgia no final de semana", ressaltou.

Jair Bolsonaro foi submetido a uma cirurgia para remoção de um cálculo na bexiga nessa sexta (25) no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. A cirurgia, considerada simples, durou uma hora e meia e, de acordo com o último boletim médico, o presidente passa bem, está afebril, não apresentou complicações, nem sangramento e foi retirada a sonda vesical. Bolsonaro fez caminhada fora do quarto.

No final de agosto, o presidente havia antecipado à CNN a informação de que estava com uma pedra na bexiga pouco maior que um grão de feijão e que iria retirá-la no mês de setembro. Essa é a quinta cirurgia a que Jair Bolsonaro foi submetido desde que levou uma facada em Juiz de Fora, Minas Gerais, ainda como candidato à presidência em 2018.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


26/09


2020

Lançamento de programa adia live de ministra

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina Dias, que tinha confirmado participação na live deste blog para a próxima quarta-feira (30), ligou, há pouco, pedindo para adiar em função da solenidade de lançamento da nova fase do programa habitacional Casa Verde e Amarela, marcada para o mesmo dia, no mesmo horário. O programa vai destinar linhas de crédito imobiliário para agricultores assentados de todo o País. Ela ficou de reagendar a nova data, porque no dia seguinte tem viagem marcada ao Paraná.

Esta segunda fase do programa tem como foco a regularização fundiária e objetiva a melhoria habitacional e a redução da taxa de juros, com vistas a facilitar o acesso dos cidadãos deste segmento ao financiamento da casa própria, segundo a própria ministra explicou. Neste ano, serão permitidas apenas propostas na modalidade Urbanização e Regularização de Assentamentos Precário (UAP), que busca melhorar condições de moradia em favelas, palafitas, loteamentos informais, entre outros. 

A UAP permite cinco tipos de intervenções, a serem avaliadas e selecionadas pelo proponente de acordo com as necessidades da moradia: regularização fundiária, melhorias habitacionais, urbanização integral ou parcial e intervenção estruturante. Os projetos devem ter valor de financiamento entre R$ 1 milhão e R$ 50 milhões, e o ente público deve aportar contrapartida de, no mínimo, 5% do valor de investimento total. 

Mais detalhes deste programa – que envolve vários ministérios do Executivo Federal, sobretudo o da Agricultura – só serão divulgados no dia da solenidade, no Palácio do Planalto com a presença do presidente Bolsonaro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


26/09


2020

Cumaru tem mais eleitores do que habitantes

Luiza Falcão, do G1 PE

Cumaru, no Agreste de Pernambuco, possui 10.192 moradores, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apontam que há 15. 335 pessoas aptas a votar nas eleições em 2020. Em números absolutos, a cidade lidera a lista nacional de municípios com mais eleitores do que habitantes.

Segundo levantamento do G1, utilizando dados do IBGE e do TSE, o número de cidades que possuem mais eleitores que habitantes cresceu 60% desde as últimas eleições, em 2018. Atualmente, são 493 municípios brasileiros com essa situação. Há dois anos, eram 308.

A cidade com a maior diferença proporcional é Severiano Melo (RN), que tem 6.482 eleitores registrados no TSE e 2.088 habitantes, segundo estimativa do IBGE. O número de pessoas aptas a votar no município é mais de três vezes maior do que a quantidade de habitantes.

Outras três cidades de Pernambuco também estão na lista de municípios com mais eleitores que habitantes. São elas: Brejinho e Calumbi, no Sertão, e Sairé, no Agreste.

Em Brejinho, a população estimada é de 7.488 pessoas, segundo o IBGE. Dados do TSE apontam que o município tem 7.722 eleitores.

Em Calumbi, são 5.747 moradores e 6.154 eleitores. Já em Sairé, moram 9.764 pessoas e 10.683 podem votar.

Cumaru

Cumaru possui a maior diferença, em números absolutos, de eleitores a mais do que moradores, entre todas as cidades brasileiras. Ela é de 5.143 pessoas ou 150,46% o total da população.

A prefeita de Cumaru, Mariana Medeiros (PP), contesta os dados. Para ela, o problema começou com a realização de um censo, em 2000, que apontou uma quantidade muito maior de moradores do que "existiria na realidade, na época".

A matéria completa está disponível no G1.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


26/09


2020

O poder dos desconectados

Por Marcelo Tognozzi*

Não é exagero dizer que nossa mídia comercial está desconectada da maioria dos brasileiros e que isso acaba sendo vantagem competitiva para um presidente que enxerga como adversários políticos os grandes grupos de comunicação. São vários os indícios de que alguma coisa não está funcionando bem, como indica a última pesquisa CNI-Ibope divulgada na 5ª feira (24.set.2020).

O Ibope indagou qual a notícia sobre o governo Bolsonaro era mais lembrada. Nada menos que 40% dos entrevistados não souberam responder e outros 11% disseram que não lembravam de notícia relevante. Somados, são 51%. Ou seja: os principais veículos não estão conseguindo fazer com que a informação veiculada seja retida pela maior parte do público. A única notícia que 10% dos entrevistados diz lembrar é sobre os incêndios na Amazônia e no Pantanal. Duvido que isso aconteça se a notícia for futebol ou Anitta.

A pesquisa confirma o que os leitores do Poder360 já sabiam pelos números quinzenais do PoderData: Bolsonaro é hoje um presidente cada vez mais popular entre os mais pobres e menos entre os mais ricos. O brasileiro ouvido pelo Ibope, que ganha até 1 salário mínimo e praticamente não frequentou a escola, ignora o que é dito e repetido exaustivamente pelos que criticam o governo todos os dias.

Há um fenômeno cada vez mais evidente nesta pandemia, que é o apartheid social entre os que têm ou não acesso à internet. Hoje temos crianças e adolescentes estudando remotamente e outros que não puderam aprender durante o ano porque a eles não foi garantido o direito à educação previsto no artigo 205 da Constituição. Entre os que estudaram até a 4ª série do ensino fundamental, o apoio ao governo cresceu de 25% para 44% e subiu de 26% para 40% entre os que têm até a 8ª série. Enquanto a agenda do Congresso estiver focada em discutir fake news em vez de debater universalização do acesso à internet, esta tendência continuará crescendo.

Dos 148 milhões de brasileiros que votam, 47%, ou 69,5 milhões, estão desempregados ou sem renda fixa. Outros 32%, ou 47,3 milhões, ganham até 2 salários mínimos. Somente neste universo temos nada menos que 116,8 milhões de pessoas. É entre estas pessoas que um governo dá certo ou não, são elas que validam e confirmam.

Por exemplo: quem ganha até 2 mínimos ou recebe auxílio emergencial não tem dinheiro para comprar conteúdo de TV a cabo, dos sites de notícias ou de qualquer outro tipo. Um exemplar de jornal custa R$ 5, pouco mais que uma passagem de ônibus no Rio ou São Paulo. Um jornal popular custa em torno de R$ 1,50, o preço de um pão com manteiga nas padarias. Um pacote mixuruca de internet não sai por menos de R$ 30, R$ 40, praticamente o que custa uma cesta básica sem produtos de higiene nos supermercados. A prioridade é andar de ônibus, comer pão com manteiga e garantir uma cesta básica.

Este público excluído da internet e do acesso ao noticiário mais qualificado consome conteúdo de TV aberta, rádio e, quando consegue uma conexão, das redes sociais. Para entender por que as pessoas estão aprovando Bolsonaro e seu governo é preciso tentar olhar as coisas do ponto de vista delas –calçar seus sapatos, como diria Nelson Rodrigues.

Dos 69,5 milhões de eleitores brasileiros mais pobres, pelo menos 67 milhões estão recebendo auxílio emergencial. Na pesquisa do Ibope, assim como em outras que já circularam, eles engrossam o sentimento da maioria desaprovando a forma como o Ministério da Economia combate o desemprego, a inflação e os juros. Aqui um parêntese: os mais pobres não estão se referindo à Selic, mas aos juros do crédito ao consumidor ou aos juros que incidem sobre as contas em atraso. Ao mesmo tempo, reforçam a percepção positiva de melhoria na segurança pública e no combate à pobreza.

Os 116,8 milhões de brasileiros que sobrevivem com até 2 salários mínimos percebem o Brasil e o mundo de maneira distinta de outros 26,9 milhões que ganham acima deste valor, incluindo os 4,4 milhões (3% do total) que ganham mais de 10 mínimos. A realidade são os 116,8 milhões, não os outros.

Não adianta dizer que tudo está horrível e que o presidente não usa máscara, que os filhos do presidente visitam índios sem máscara, que a Amazônia está em chamas, que as onças do Pantanal estão morrendo, se a maioria ignora tudo isso solenemente. Isso vale para a bolha de pouco mais de 4 milhões de eleitores e suas famílias que tiveram acesso à educação, não dependem do auxílio emergencial para comer, nem do transporte público para se movimentar.

O enfrentamento aos principais grupos de comunicação e seus influenciadores promovido por Bolsonaro e seus apoiadores acabou dando certo. Pelo menos até aqui. O governo é percebido de forma positiva por aqueles que decidem a eleição de fato e de direito. Perceber os resultados das pesquisas pelo que elas têm de humano, não como simples percentuais, é essencial para entender este Brasil de Bolsonaro e o mundo pós pandemia. Furar esta enorme bolha dos brasileiros desconectados que se encantaram com o presidente é o maior desafio para a oposição chegar viva e forte em 2022.

*Jornalista


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


26/09


2020

Família Coelho está no palanque de Juliana em Casinhas

Pré-candidata a prefeita de Casinhas, Juliana de Chaparral (DEM) terá algumas presenças de peso da política pernambucana em um grande ato político de apoio à sua campanha nas eleições deste ano. O evento está marcado para hoje, às 13h, em sua residência, no Sítio Belo Monte, na cidade.

"Já temos confirmadas as presenças do senador Fernando Bezerra Coelho, líder do Governo Bolsonaro no Senado, do deputado federal Fernando Filho e do deputado estadual Antônio Coelho, além do prefeito de Orobó, Cléber Chaparral. Também lideranças políticas expressivas e incontestáveis do nosso Estado, que estão junto conosco dando total apoio nesta caminhada em prol de um futuro muito melhor e com qualidade de vida de verdade para o povo de Casinhas", informou a prefeiturável.

"Será um encontro importantíssimo, em que o povo de Casinhas terá a oportunidade de conhecer de perto e ouvir a mensagem dos parceiros que nos ajudarão a escrever, a partir de janeiro de 2021, o capítulo mais especial do município, simplesmente porque o povo acordou e dará um basta à oligarquia familiar que domina a cidade há mais de duas décadas, sem garantir o devido avanço, crescimento e desenvolvimento que ela tanto merece", prosseguiu Juliana.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


26/09


2020

No programa de Ratinho

Passei a vida inteira ouvindo dos políticos, raça que convivo desde que ingressei no jornalismo na década de 80, que gesto é tudo. Uma das maiores fortunas do Brasil hoje no segmento da comunicação, o apresentador Carlos Roberto Massa, o Ratinho, mostrou, ontem, ao me enviar uma mensagem tão simpática e emocionante, tocado pela impressionante repercussão da entrevista que me concedeu, que além de ser um homem de gesto, é humilde, extremamente simples.

Reafirmou o velho provérbio de que o dinheiro faz homens ricos; o conhecimento, homens sábios; a humildade, grandes homens. Desde que tomei a iniciativa de ouvi-lo sobre o mega investimento que iniciou no polo de confecções, em Santa Cruz do Capibaribe, a reação positiva dos que me seguem foi quase unânime, mas sempre aparecem os invejosos e negativistas. Gente que vive roendo as unhas por não se dobrar ao sucesso dos outros.

Essa mesma gente acha que Ratinho é estúpido, que cresceu explorando o jornalismo sensacionalista e que faz um programa de TV sem repercussão na classe média e formadora de opinião, voltado apenas para o povão. Todo pensamento se deve respeitar, mas alguém que fala para 30 milhões de brasileiros merece ser tirado o chapéu. Ratinho é uma personalidade que se relaciona com gente importante no seu dia a dia, vive na grande mídia e poderia muito bem ter encarado o bate-papo comigo como algo rotineiro. 

Mas não. Ficou tão impressionado com as mensagens carinhosas que continua recebendo, desde aquele dia que o entrevistei, que me mandou um áudio informando que, só agora, depois de ver sua caixa postal congestionada, teve a exata noção da minha importância no jornalismo brasileiro.

Que maravilha receber um reconhecimento de alguém da sua dimensão no meu segmento! Fiquei ancho da vida, como diz o jornalista José Adalberto Ribeiro, exercitando o seu linguajar próprio de bicho grilo. Nossa profissão é, muitas vezes, ingrata, mas ao mesmo tempo nos proporciona momentos inesquecíveis. Nunca esqueço da grande emoção de entrevistar Tancredo Neves, de estar frente a frente com Fidel Castro, em Cuba, no seu palacete.

Foi a mim que o ex-presidente Collor revelou pela primeira vez que iria votar em Lula depois de cassado. Nunca esqueço também de Barbosa Lima Sobrinho ter me recebido em sua casa, no bairro de Botafogo, no Rio, quando completou 90 anos, para uma entrevista sensacional e memorável. 

Era a mim que Lula recorria, ainda líder do PT na Câmara dos Deputados, para falar ao Nordeste, já de olho na Presidência da República. Nunca esqueço, igualmente, de ter sido recebido para entrevistas exclusivas por Ulysses Guimarães, o Doutor Diretas. Como esquecer igualmente ter sido recebido pelo empresário Antônio Ermírio de Moraes em seu concorrido gabinete de trabalho em São Paulo para uma entrevista reveladora!

Vivi momentos inesquecíveis, como o de ser recebido em seu gabinete, no Rio, por Doutor Roberto Marinho, o então poderoso dono das Organizações Globo. Ratinho não sabia nada disso sobre minha trajetória, mas aceitou dar entrevista como se fosse a um anônimo. 

Menino pobre, que teve que engraxar sapato para ajudar no sustento da casa dos seus pais, Ratinho aprendeu que na vida o que vale, acima de qualquer coisa, é o valor da simplicidade. E simplicidade é saber arrancar um sorriso de alguém que nunca viu.

Ratinho compreendeu que só sobem na vida aqueles que têm a humildade de descer quantas vezes forem necessárias. Ser humilde não é ser menos que alguém. É saber que não somos mais que ninguém. A vida requer simplicidade e não teorias e complicações.

Ratinho foi mais além comigo. Convidou-me para ir ao seu programa em São Paulo, ao vivo. Que honra para um pobre plebeu! Ratinho reacendeu em mim a certeza de que a vida pode ser muito mais leve do que imaginamos quando percebemos que precisamos de muito pouco para vivê-la, como o seu carinhoso gesto.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Paulino Arantes

Parabéns Magno,você merece!



26/09


2020

Coluna do sabadão

Bolsonaro fora da eleição

Com agenda marcada para Pernambuco na próxima quinta-feira, quando cumprirá uma agenda hídrica, inaugurando a Adutora do Pajeú, com uma visita pelo meio ao Ramal do Agreste, o presidente Bolsonaro mandou um recado, ontem, pelas redes sociais, aos que estão forçando a barra na identificação das suas candidaturas com o Palácio do Planalto. Afirmou que não deem crédito a quem aparecer em campanha informando que tem o seu apoio.

Com isso, o presidente quer dar um basta aos que insistem em explorar a sua imagem, principalmente agora quando sua popularidade volta aos patamares anteriores de popularidade, na campanha para prefeito, principalmente nas capitais. No caso do Recife, dois candidatos querem e trabalham o tempo todo pelo apoio do presidente: Alberto Feitosa, do PSC, e Marco Aurélio, do PRTB. Mendonça Filho, do DEM, trabalha também o eleitorado de centro direita.

É esse segmento que deu a Bolsonaro 44% das intenções de voto no Recife na eleição presidencial de primeiro turno em 2018 e 48% no segundo turno. Impossível imaginar que alguém que votou em Bolsonaro, considerado na época como um candidato conservador e de direita, possa votar num candidato de esquerda no Recife, que seriam as opções Marília Arraes, do PT, e João Campos, do PSB.

Bolsonaro decidiu, não se sabe lá por quais razões, ficar de fora da disputa municipal em primeiro turno. Há quem admita que esse envolvimento só venha a se dar de fato no segundo turno nas capitais. Um dos fatores que teriam convencido o presidente a não se comprometer com candidatos em primeiro estaria relacionado ao fato de não estar filiado a partido algum, tendo recentemente deixado o barco do PSL, por desentendimento com o presidente nacional da legenda, Luciano Bivar.

Era de se esperar que Bolsonaro abrisse uma exceção para o Rio, sua principal base eleitoral, por onde conquistou todos os seus mandatos de deputado federal antes de virar presidente da República. Mas o tempo está mostrando, na prática, que não haverá exceção e que qualquer carimbo de Bolsonaro com as urnas municipais se dará apenas no segundo turno.

Adutora – Pela programação inicial, a aeronave do presidente pousará em Campina Grande. De lá, Bolsonaro segue de helicóptero para a estação de bombeamento da bacia do projeto de Transposição em Sertânia, de onde seguirá a água para a Adutora do Pajeú, região formada por 17 municípios, entre eles Afogados da Ingazeira, sede da Diocese Católica. A adutora deu uma alavancada no abastecimento de água de vários municípios. São José do Egito, berço da poesia e do repente nordestino, saiu do colapso de abastecimento de água depois da instalação da adutora.

Ramal do Agreste – Está na agenda do presidente, também, uma vistoria às obras do Ramal do Agreste, projeto orçado em mais de R$ 1 bilhão, que levará água para mais de 60 municípios pernambucanos entre o Agreste e Sertão, atingindo, inclusive, Caruaru, que sofre hoje colapso em seu abastecimento. Os efeitos do Ramal também serão sentidos no polo de confecções do Agreste, cujo coração é Santa Cruz do Capibaribe, onde o apresentador Ratinho, do SBT, está abrindo um shopping popular orçado em mais de R$ 30 milhões.

Protesto – Um ato com cruzes, caixões e carteiras escolares aconteceu na manhã de ontem, no Pátio da Basílica de Nossa Senhora do Carmo, na Avenida Dantas Barreto, no Centro do Recife. A ação foi realizada em protesto contra o decreto que determina a volta às aulas presenciais no Estado, a partir de 6 de outubro, para alunos do 3º ano do ensino médio. A manifestação foi organizada pelo Sindicato dos Professores da Rede Municipal do Recife (Simpere). De acordo com participantes do ato, a retomada das atividades coloca em risco a saúde de alunos, parentes e professores. Em Pernambuco, os estudantes estão com as aulas presenciais suspensas desde março, como medida de prevenção à pandemia do novo coronavírus.

Emergência – Em Pernambuco, 114 dos 184 municípios estão em situação de emergência devido à estiagem prolongada. O decreto, válido por 180 dias, determina que as localidades afetadas pela falta de chuva recebam recursos e auxílios para lidar com o problema.  Em 11 de setembro, foi publicado no Diário Oficial do Estado o decreto de situação de emergência para 55 municípios pernambucanos. Posteriormente, no dia 19 do mesmo mês, essa lista aumentou, com a inclusão de outras 59 cidades. Segundo o secretário-executivo da Defesa Civil, coronel Lamartine Barbosa, os valores destinados para cada cidade variam de acordo com o planejamento e a necessidade do local.

CURTAS

REDE BOLSONARISTA – Investigado em dois inquéritos do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre propagação de notícias falsas e financiamento de atos antidemocráticos, o empresário Otávio Fakhoury, apoiador de primeira hora do presidente Jair Bolsonaro, quer montar uma rede de comunicação conservadora de direita no Brasil. O projeto inclui o controle sobre emissoras de rádio e uma rede de TV. "Tenho em papel ainda o projeto de estação de rádio e de rede de televisão que é algo que eu não tinha estudado, mas me foi oferecida uma participação. Não foi adiante, mas sei que existem interessados. Está no meu radar", disse ele.

APOIO DO BNDES – O projeto, segundo Fakhoury, alia suas posições políticas pessoais e interesses empresariais. Para ele, o Brasil não tem hoje um veículo de comunicação de direita fora da mídia alternativa. "O mercado hoje não tem isso. É vantajoso porque não vejo no mercado hoje uma rede de rádio ou televisão com viés de direita. Se algum anunciante quiser, não tem", afirmou. Para viabilizar o projeto, Fakhoury conta com parcerias de empresários amigos e diz que, se necessário, vai buscar financiamento no sistema bancário, inclusive o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), controlado por Bolsonaro.

Perguntar não ofende: E o projeto Renda Brasil foi para as cucuias?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

bope É Frustrante Para Bolsonaro E Aprovação Dificilmente Se Sustentará, O aumento da popularidade do governo de Jair Bolsonaro indicado por pesquisa CNI/Ibope divulgada na quinta-feira 24 se deve, basicamente, ao auxílio emergencial de 600 reais. É um resultado muito ruim para o Bolsonaro ter melhorado 10 pontos depois de gastar 300 bilhões de reais.

marcos

O alcoolismo e a possível depressão de Lula................................ PARA ENTENDER A DEPENDÊNCIA QUÍMICA ................................ O alcoolismo e a possível depressão de Lula.............................. O álcool é uma droga depressora do sistema nervoso central. Assim que a pessoa começa o seu uso, tem um estado de euforia e, com mais consumo, ou mesmo com seu efeito no organismo, começa a ter as dificuldade de falar, caminhar e pensar; alguns chegam a ter a amnésia alcoólica (não se lembrar do que falou, do que fez etc.). Um grupo de cientistas da Universidade de Sussex, na Inglaterra, revelou que o álcool facilita a criação de memórias para eventos emocionais – na maior parte positivos – vividos antes da intoxicação, e prejudica a criação de memórias para eventos emocionais – muitas vezes negativos – ocorridos depois do consumo abusivo de bebidas. A maioria das pessoas acha que um alcoólatra é aquele que bebe e cai pelas calçadas, que dá escândalo, mas não são somente estes. Aqueles que bebem rotineiramente, pouco ou muito, têm uma compulsão pelo álcool. E o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está nessa lista. Muitos vídeos que correm no YouTube o mostram o fazendo uso de álcool. E, maldosamente, muitas piadas são criadas em cima do tema.

marcos

Em resposta a essa mania de rotular conservadores de \"ultraconservadores\", que tal começar a chamar de \"ultracomunistas\" os palpiteiros da Fôia, do Grobo e da Óia?

marcos

Católicos da China e o testemunho moral da Igreja..................................................... NONE SEPTEMBER 27, 2020................................................... A situação dos direitos humanos na China tem se deteriorado severamente sob o regime autocrático de Xi Jinping, especialmente para crentes religiosos. Relatórios confiáveis expuseram o programa do Partido Comunista Chinês (PCC) de esterilizações forçadas e abortos de muçulmanos em Xinjiang, o abuso a padres católicos e leigos e o ataque a igrejas domésticas protestantes — todos parte de uma campanha de “sinicização” para subordinar Deus ao PCC, enquanto promovem o próprio Xi como divindade ultramundana. Agora, mais que nunca, o povo chinês precisa do testemunho moral e da autoridade do Vaticano para apoiar os crentes religiosos da China. Diplomatas do Vaticano se reúnem este mês com seus homólogos para negociar a renovação de um acordo provisório de dois anos entre Santa Sé e China. Os termos do pacto nunca foram divulgados publicamente, mas a esperança da Igreja era que melhorasse a condição dos católicos no país, chegando a um acordo sobre a nomeação de bispos, os tradicionais guardiões da fé nas comunidades locais. Dois anos depois, está claro que o acordo sino-vaticano não protegeu os católicos das depredações, para não falar no tratamento horrível do partido aos cristãos, budistas tibetanos, devotos do Falun Gong e outros fiéis. O relatório anual de 2019 do Departamento de Estado sobre liberdade religiosa traz um exemplo ilustrativo com a história do padre Paul Zhang Guangjun, que foi espancado e “desapareceu” por se recusar a unir-se à Associação Católica Patriótica dirigida pelo PCC. Infelizmente, sua experiência não é única. As autoridades comunistas continuam fechando igrejas, espionando e perseguindo os fiéis, e insistem que o partido é a autoridade máxima em assuntos religiosos. Como parte do acordo de 2018, o Vaticano legitimou padres e bispos chineses, cuja lealdade permanece obscura, confundindo católicos chineses que sempre confiaram na Igreja. Muitos se recusam a adorar em locais de culto sancionados pelo Estado, por medo de que, ao se revelarem católicos fiéis, sofram os mesmos abusos que testemunham com outros, nas mãos do ateísmo cada vez mais agressivo das autoridades chinesas. Em Hong Kong, a recente imposição pelo governo local de uma Lei de Segurança Nacional por Pequim levanta o espectro de que o partido usará as mesmas táticas de intimidação e todo o aparato de repressão estatal contra fiéis religiosos. As vozes mais preeminentes de Hong Kong em defesa da dignidade humana e dos direitos humanos costumam ser os católicos. Não é surpresa que católicos como Martin Lee, o “pai da democracia” em Hong Kong, e Jimmy Lai, um barão da mídia e promotor da democracia, tenham sido presos, espionados e assediados pelo simples “crime” de defender as liberdades básicas que Pequim prometeu proteger em troca de recuperar a soberania sobre Hong Kong em 1997. Conheço esses dois homens e posso atestar sua bondade e sinceridade de coração. Sua devoção a Deus, a todos os filhos de Deus e a uma China pacífica, livre e próspera é inegável. Muitas nações se juntaram aos Estados Unidos para expressar repulsa pelas crescentes violações dos direitos humanos pelo regime chinês, incluindo a liberdade religiosa. No ano passado, 22 países enviaram uma carta ao Conselho de Direitos Humanos da ONU para denunciar a detenção, pelo PCC, de mais de um milhão de muçulmanos uigures, cazaques étnicos e outras minorias nos campos de “reeducação” em Xinjiang. A Aliança Inter-parlamentar sobre a China, que inclui legisladores de democracias de todo o mundo, lastima o “desenrolar das atrocidades” do partido. O Departamento de Estado tem sido uma voz forte pela liberdade religiosa na China e no mundo todo. Tomou medidas para responsabilizar aqueles que abusam dos fiéis. Continuaremos fazendo isso. A Santa Sé tem a capacidade e o dever únicos de chamar a atenção do mundo para as violações dos direitos humanos, especialmente as perpetradas por regimes totalitários como o de Pequim. No final do século XX, o poder de testemunho moral da Igreja ajudou a inspirar aqueles que libertaram a Europa Central e Oriental do comunismo e os que desafiaram os regimes autocráticos e autoritários na América Latina e no Leste Asiático. Esse mesmo poder de testemunho moral deveria ser empregado hoje em relação ao PCC. O Concílio Vaticano II e os Papas João Paulo II, Bento XVI e Francisco ensinaram que a liberdade religiosa é o primeiro dos direitos civis. A solidariedade é um dos quatro princípios fundamentais da doutrina social católica. O que a Igreja ensina ao mundo sobre a liberdade religiosa e a solidariedade deve agora ser expressado enérgica e persistentemente pelo Vaticano em face dos incansáveis esforços do PCC em curvar todas as comunidades religiosas à vontade do partido e a seu programa totalitário. O Papa Francisco disse em 2013 que “os cristãos devem responder ao mal com o bem, levando sobre si a cruz como Jesus o fez”. A história nos ensina que regimes totalitários só podem sobreviver na escuridão e no silêncio, seus crimes e brutalidade despercebidos e não notados. Se o PCC conseguir subjugar a Igreja Católica e outras comunidades religiosas, os regimes que desdenham os direitos humanos serão encorajados, e o custo de resistir à tirania aumentará para todos os corajosos crentes religiosos que honram a Deus acima do autocrata do momento. Oro para que, ao lidar com o PCC, a Santa Sé e todos os que acreditam na centelha divina que ilumina cada vida humana prestem atenção às palavras de Jesus no Evangelho de João: “A verdade os libertará”. Michael R. Pompeo é secretário de Estado dos EUA Texto originalmente publicado na revista “First Things”

marcos

Coppola explica didaticamente a enorme popularidade de Bolsonaro e vídeo viraliza ............................................. Questionado sobre a enorme aprovação de Jair Bolsonaro, e se ela é realmente consistente, o comentarista Caio Coppolla deu uma explicação extremamente convincente................................................ De fato, o presidente inegavelmente goza atualmente de uma altíssima popularidade. Algo inquestionável.......................................... Caio é preciso e contundente em sua explanação:............................................................... “Chegaram a associar o presidente da República a um assassinato de uma parlamentar, mesmo contra todas as evidências noticiadas na própria matéria. No jornal de maior circulação, o editorialista publicou um artigo odioso, intitulado “Porque torço para que Bolsonaro morra”. Atos contra o governo, realizados por vândalos encapuzados e armados de paus e pedras, foram rotulados como ‘manifestações democráticas’, enquanto as imagens mostravam esses delinquentes agredindo a polícia e atacando grupos com mulheres, crianças e idosos. Vocês acham mesmo que a população não percebe isso?”....................................................... E Caio prossegue:................................................................ “As elites estão conseguindo a proeza de transformar um dos homens mais poderosos do Brasil, numa vítima perante a opinião pública. Porque a tendência natural das pessoas é ter empatia por quem é atacado injustamente a todo o tempo.”....................................... E o brilhante comentarista desenha o cenário:....................................................... “Então se você acusa um presidente de fascista e autoritário, mas ele defende as liberdades individuais do cidadão contra os abusos dos governadores e dos prefeitos, ele sobe. Se você fala que o presidente é inimigo da ciência na pandemia, mas a ‘ciência’ erra de forma grosseira e gradualmente incorpora a visão original dele (do presidente), ele sobe. Se você alega que o presidente não se importa com os trabalhadores, mas ele edita uma medida provisória que salva milhões de contrato de trabalho, ele sobe. Se você diz que o presidente é inimigo dos mais pobres, mas as políticas do governo beneficiam justamente os mais pobres, ele sobe. E se você fala que o presidente é um preguiçoso, mas a televisão mostra o cara trabalhando das 7 da manhã, às 10 da noite, inclusive aos finais de semana, visitando diversas cidades pelo Brasil, inaugurando obras que estavam paradas há anos, ele sobe.” E Caio conclui:....................... “Ele sobe usando como escada todo o ressentimento, toda a inveja e toda a incoerência de seus críticos.”



25/09


2020

No jogo eleitoral, Paulo Câmara vai a Santa Cruz

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), esteve em Santa Cruz do Capibaribe, hoje, para inaugurar a primeira etapa do esgotamento sanitário da cidade. Na ocasião, descerrou uma placa (foto). Mais adiante, ao visitar as obras da Adutora do Alto Capibaribe, que pretende levar água a oito cidades do Agreste Setentrional, chegou até a irrigar plantas.

A ida do governador a Santa Cruz do Capibaribe já chamaria atenção pelo cargo que ocupa. Contudo, em ano de eleição, acende o alerta. Especialmente porque o candidato do PP à Prefeitura, Fábio Aragão, tem apoio irrestrito do Palácio do Campo das Princesas. 

O movimento do governador não é gratuito: a cidade é administrada por Edson Vieira, do PSDB, um partido que se opõe à gestão socialista. O prefeito tucano, por sua vez, tenta emplacar o correligionário Dida de Nan na sucessão.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha