FMO janeiro 2020

04/04


2020

Guga troca PV por Pros e disputa em Olinda

Candidato a prefeito de Olinda na eleição de 2016 pelo PV, o médico Gustavo Rosas, o Guga, ingressou, há pouco, no PROS. Estimulado pelo ex-deputado João Fernando Coutinho, presidente estadual da legenda, Guga será candidato novamente à sucessão do prefeito Lupércio(SD).

Em ato sem holofotes, em tempos de coronavirus e de isolamento social, Guga assinou a ficha do seu novo partido na presença apenas de Fabio Freitas, Antônio Benedito e o presidente  municipal do Pros em Olinda,  Marcos Rueda. O ato festivo da filiação será logo após o encerramento do isolamento social proposto para o coronavírus em Pernambuco.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu e Lima

04/04


2020

Obrigado, Correio!

Por Edinho Magalhães*

E o futuro chegou. Antes mesmo dos efeitos colaterais provocados pelo isolamento social devido ao Coronavírus, uma geração inteira já vivenciava a evolução de uma modernidade usando aplicativos vinte e quatro horas por dia para se alimentar, se comunicar, pagar contas, fazer compras, trabalhar, se relacionar e viver, enfim, com tudo ao alcance das mãos e sem precisar sair de casa. A modernidade que se impõe à sociedade do século 21 nos colocou também diante de um caminho sem volta em direção às mídias digitais. Não se trata tão somente (do início) do fim do jornal impresso, mas de uma mudança de costume e de postura das pessoas. Ir à banca comprar jornal nos dias de hoje, por exemplo, tornou-se um charme. Receber em casa, então, quase um luxo mantido por antigos assinantes e apaixonados pelo papel. O imediatismo ‘on line’ e em ‘tempo real’,  que surgiu como um passe de mágica da tecnologia anos atrás, se tornou parte de nosso cotidiano pela internet. Os ‘smarts phones’ como ficaram conhecidos os aparelhos de celular, completaram esse cenário futurista trazendo ao nosso mundo real toda invenção imaginada para o futuro. E o futuro chegou.

E com ele toda necessidade de se adaptar aos novos tempos. Tempos modernos de uma sociedade  onde cada uma das pessoas pode criar seu próprio mundo nas redes sociais, com sua própria ‘live’, seu ‘history’, seu mural de fotos, suas opiniões, enfim, com sua própria ‘página’.

Pois bem, sou ainda do tempo em que ‘página’ era a grande paixão de todo jornalista e ‘a primeira página’ era a vitrine de todo jornal que balizava a opinião de toda uma sociedade.

Aliás, ‘opinião e cobertura’ são características do jornalismo que nunca vão mudar, pois independe da forma (impresso, digital, virtual, etc), vez que é inerente ao seu mérito.

E mérito, por sua vez, é algo que precisamos resgatar numa reflexão necessária sobre esses novos tempos da sociedade moderna, onde o bom senso está cada vez mais escasso dando lugar à frivolidade de opiniões, com o mundo real perdendo interesse em detrimento das centenas de ‘likes’ de uma foto qualquer no mundo virtual.

É preciso, pois, mudar. Não somente na forma, como a tecnologia e a modernidade nos impõe, alterando o formato do jornalismo impresso para as mídias digitais (sites, blogs e portais), mas também no mérito. Manter a credibilidade sobre o que se escreve é parte do trabalho do bom jornalismo para atrair o interesse do leitor ao que realmente importa em nosso mundo real. Ter a percepção dessa importância é dever de casa das pessoas que precisam ajudar a construir a evolução de nossa sociedade. Esse é o desafio de mérito, ainda mais em tempos de coronavirus.

Ao mesmo tempo em que essa pandemia nos impôs, a todos, um isolamento social, a cobertura jornalística dos fatos políticos vindos da Capital Federal, tornou-se tão importante quanto relevante para acompanharmos as estratégias de defesa nessa guerra que estamos vivendo. As sessões remotas nos plenários da Câmara e do Senado são parte dos efeitos dessa pandemia, mas também, um olhar para o futuro que se avizinha onde a tecnologia e a modernidade que transformam tudo, permitam também a transformação do Parlamento.

Nesse epílogo do jornalismo impresso só tenho que agradecer ao CORREIO pelos melhores momentos profissionais de minha vida. À família Cavalcanti Ribeiro meu muito obrigado. Aos colegas de redação o meu abraço fraterno. E à querida editora Sony Lacerda, em saudosa memória à Lena Guimarães, Walter Galvão, Giovanni Meirelles e Rubens Nóbrega que a antecederam, dizer que foi um honra servir aos leitores paraibanos, ao seu lado.

Obrigado, amigos!

Correio da Paraíba

*Colunista semanal e correspondente do Correio da Paraíba em Brasília


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


04/04


2020

Casamentos virtuais viram moda em Pernambuco

Épcoa 

"Denise Coutinho Siqueira Guimarães, é de livre e espontânea vontade que deseja se casar com Marcelo Siqueira de Araújo?". A pergunta repetida ao noivo durante a celebração de um casamento em Recife (PE) seria apenas mais uma de praxe do ritual, não fosse por um motivo: o juiz a fez por chamada de vídeo pelo WhatsApp.

Em meio às restrições por conta do coronavírus, essa foi a solução encontrada por magistrados de Pernambuco para unirem casais que já haviam programado a solenidade. Os casamentos virtuais começaram quando o Tribunal de Justiça do Estado suspendeu, em 16 de março, audiências e sessões para reduzir o fluxo de pessoas. No dia seguinte, houve a primeira celebração online.

Os funcionários públicos Denise Guimarães, 37, e Marcelo Siqueira, 40, se programaram para casar oficialmente no dia 18. Na véspera, receberam uma ligação repentina para que fossem o mais breve possível ao cartório. A celebração seria imediata. "Estávamos na rua. Eu, de blusa, short, sandália havaiana e meu marido, de bermuda. Só tínhamos dobrado a esquina da casa do meu cunhado, quando ele me ligou, e saímos correndo. Casamos com roupa de casa", contou Guimarães.

Os casamentos na capital costumam ocorrer às quartas-feiras com média de 40 casais a cada semana. Dessa vez, os noivos imaginavam uma celebração privada, apenas com juiz e testemunhas presentes. "Quando chegamos lá, o oficial disse que ia ser por videochamada. A gente ficou bem surpreso", afirmou Guimarães. O alívio, no entanto, só veio após a entrega da documentação. "Só acreditamos que realmente tinha validade quando o oficial entregou nossa certidão", disse.

A solenidade online dura entre um a dois minutos. Noivos e testemunhas se reúnem no cartório para fazerem uma chamada de vídeo com o magistrado. Já há planos para que os matrimônios ocorram por videoconferência, com todos de suas casas. Responsável pela iniciativa em Recife, o juiz Clicério Bezerra, da 1ª Vara de Família e Registro Civil, explicou que a cerimônia virtual é muito mais simples e rápida, além de preservar os participantes em tempos de isolamento social.

"A diferença básica é que não falo tanto com no presencial, no qual aproveito que é um momento muito importante da vida dos casais, para falar algumas coisas sobre os deveres do casamento, sobre o casamento civil e a diferença do casamento religioso", disse Bezerra. "Infelizmente, no casamento virtual, não. Me atenho somente a saber se eles estão se casando por livre e espontânea vontade", concluiu.

Bezerra já conduziu oito casamentos no formato alternativo. As exigências são as mesmas do matrimônio presencial, bastando apenas o processo de habilitação e apresentação dos documentos requisitados por lei. Não são necessárias justificativas especiais até o momento, o que pode mudar caso o número de pedidos dispare.

"Se a demanda aumentar e não conseguirmos fazer dessa outra forma, teremos que fazer a triagem para ver quem tem uma justificativa plausível para casar de imediato", disse o juiz, que foi convencido a realizar as cerimônias após contato da irmã de Guimarães, funcionária do fórum na capital.

A iniciativa se ampliou a outras localidades. Na comarca de Petrolina, ao menos quatro casamentos virtuais foram realizados nas últimas duas semanas de março. 

Se o sonho do casamento não precisou ser adiado, as comemorações e a lua de mel tiveram de ser reagendadas. Pelo menos no caso de Guimarães e Siqueira. O jantar pós-cerimônia para 70 convidados foi cancelado. A festa ocorreria no salão do prédio onde a irmã da noiva mora, mas o local foi fechado pelo síndico. A viagem para Natal (RN) no último dia 27 também teve de ser reprogramada.

"Estamos em lua de mel de quarentena em Garanhães (cidade onde o casal vai morar). Conseguimos cancelar tudo o que podíamos, menos bolo, doces, flores. Parte do buffet nós pegamos e alguns serviços ficaram como crédito de um ano", contou Guimarães.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

04/04


2020

PE tem mais 4 mortes e 40 novos casos de Covid 19

Por G1 PE

Pernambuco registrou mais quatro mortes de pacientes com coronavírus (Sars-Cov-2), neste sábado (4). Com isso, subiu para 14 o número de óbitos de pessoas com a Covid-19, doença causada pelo novo vírus. Além disso, houve 40 novos casos confirmados, totalizando 176. Foi o maior aumento em 24 horas, desde os dois primeiros pacientes, no dia 12 de março. Houve, ainda, seis novos pacientes curados, resultando em 23 recuperações

Os 40 novos casos são de pacientes entre 21 e 95 anos, sendo 22 mulheres e 18 homens. Das quatro mortes, três são homens, de 65, 71 e 74 anos. Também morreu uma mulher de 95 anos de idade. Todos moravam no Recife. A mulher tinha fibrose cística e morreu na quinta-feira (2), em uma unidade privada da capital pernambucana.

O homem de 65 anos era ex-fumante e morreu na sexta-feira (3), no Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc), no Centro do Recife. Enquanto o de 71 tinha cardiopatia, era diabético e hipertenso. Ele morreu na 31, em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Já o idoso de 74 anos tinha doença cardiovascular crônica e morreu na terça-feira (31), em uma Upinha.

Na sexta-feira (4), houve 30 novos casos de coronavírus e, até então, tinha sido o maior aumento em um dia. Uma dos resultados positivos para o Sars-Cov-2 foi o de um bebê de 1 mês de idade.

Pernambuco registrou mais quatro mortes de pacientes com coronavírus (Sars-Cov-2), neste sábado (4). Com isso, subiu para 14 o número de óbitos de pessoas com a Covid-19, doença causada pelo novo vírus. Além disso, houve 40 novos casos confirmados, totalizando 176. Foi o maior aumento em 24 horas, desde os dois primeiros pacientes, no dia 12 de março. Houve, ainda, seis novos pacientes curados, resultando em 23 recuperações 

Atualmente, há 52 pacientes internados, sendo 18 em Unidades de Terapia Intensiva e 34 em leitos de isolamento. Outros 87 estão em isolamento domiciliar.

Até a sexta-feira, a SES havia divulgado a morte de, ao menos, duas pessoas com menos de 60 anos de idade. A primeira foi uma mulher de 37 anos, com histórico de problemas cardíacos. A segunda foi uma paciente de 51 anos, fumante, que tinha histórico de problemas respiratórios.

Há casos confirmados em 14 cidades pernambucanas, além do arquipélago de Fernando de Noronha, que teve dois novos casos, totalizando sete. Também há casos confirmados de Covid-19 de pacientes que moram em outros estados e países, mas que passaram por Pernambuco.

Confira mais aqui: Pernambuco tem mais 4 mortes e 40 novos casos de ...


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

JN: derrota do Bozonaro na luta à Covid: Mandetta76 % x 33% Bozonaro.

marcos

Somados aos 12 homicídios temos 16 mortes em Pernambuco.



04/04


2020

Armando não se surpreende com Tabira

Em conversa, há pouco, com o presidente estadual do PTB, ex-senador Armando Monteiro Neto, o trabalhista disse que não se surpreendeu com a debandada do prefeito de Tabira, o agora neosocialista e ex-trabalhista Sebastião Dias, para as hostes do PSB, para, consequentemente, ficar na sombra confortável do Governo do Estado, com quem trombou em oito anos de mandato e nunca recebeu apoio para projetos e programas voltados para o povo tabirense.

"Sebastião já vinha há muito tempo distanciado, diferente do seu vizinho e firme trabalhista Sávio Torres, prefeito de Tuparetama", disse Armando. Para ele, o que tem faltado muito aos políticos é firmeza de propósito, lealdade e posições coerentes, o que não se pode dizer em relação ao prefeito de Tabira.

 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

04/04


2020

PSDB vai à Justiça para tirar Carlos do Planalto

O Antagonista

O PSDB pediu à Justiça Federal que proíba Carlos Bolsonaro de ocupar qualquer gabinete no Palácio do Planalto e de determinar, ainda que informalmente, qualquer política do governo.

O partido aponta as suspeitas de que, mesmo sem cargo no Executivo, o vereador do Rio tem orientado a comunicação digital do governo, bem como pronunciamentos e declarações Jair Bolsonaro contra o isolamento social na epidemia do novo coronavírus.

“Ao desempenhar ilegalmente atribuições na Presidência da República, cometeu, em tese, crime de usurpação de função pública”, diz a ação. Em caso de decisão favorável, o partido pede que a sentença seja remetida à Câmara dos Vereadores do Rio para que ele tenha o mandato cassado.

Ainda ontem, Rui Falcão, ex-presidente do PT, fez pedido semelhante.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

04/04


2020

Carlos Vereza rompe com Bolsonaro

Do UOL

Um dos apoiadores do presidente Jair Bolsonaro durante os primeiros meses de governo, o ator Carlos Vereza anunciou, por meio de um post, um rompimento depois dos atritos entre o chefe do Executivo e o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. 

"Estava tentando defender Bolsonaro, não tanto por ele, mas pela normalidade das instituições. Mas ele desautorizar publicamente o ministro da saúde por ciúmes, não dá mais: tirei o time", escreveu no Facebook. 

Depois, diante da repercussão, ele avisou que fecharia seu perfil para o público. "Não tomo essa decisão por cansaço. O que me motiva a escrever para poucas pessoas, é estar constatando a invasão de uma horda de bárbaros, quadrúpedes fanatizados, filhotes sectários formados pelo populismo do honesto mas egocêntrico Jair Messias Bolsonaro", escreveu.

Ao longo dos últimos dias, Vereza já havia feito críticas a Bolsonaro por causa de sua postura em relação à pandemia do novo coronavírus. O presidente defende um relaxamento no isolamento social, o que vai de encontro à postura do Ministério da Saúde e governadores.

"A mesma fritura de sempre: Bolsonaro agitando seus apoiadores radicais preparando para demitir Mandetta", disse em uma postagem. " O número de mortes no país não está maior porque as pessoas estão se preservando em casa. Obrigado Mandetta", escreveu em outra. Depois da repercussão, Vereza escreveu um longo texto explicando a sua posição. 

Leia a íntegra da matéria com o texto de Carlos Vereza: Carlos Vereza rompe com Bolsonaro em post - UOL TV e ...


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro

04/04


2020

Polo do Agreste pode fazer máscaras a rodo


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Shopping Aragão

04/04


2020

Valorize as relações China-Brasil, deputado Eduardo

Por Li Yang*

Deputado Eduardo, no tuíte que você postou no dia 1º de abril, chamou o Covid-19 (SARS-CoV-2) de “vírus chinês”, o que se trata de mais um insulto à China que você fez depois de ter postado tuítes em 18 de março para atacar maliciosamente a China.

Você é realmente tão ingênuo e ignorante? Como deputado federal da República Federativa do Brasil que possui alguma experiência em tratar dos assuntos internacionais, você deveria saber que os vírus que causam pandemia são inimigos comuns do ser humano, e a comunidade internacional nunca chama os vírus pelo nome de um país ou região para evitar a estigmatização e a discriminação contra qualquer grupo étnico específico. A Organização Mundial da Saúde seguiu esta regra do direito internacional para chamar o novo coronavírus de Covid-19 (SARS-CoV-2). Além disso, ainda está por se confirmar a origem deste vírus. O surto de Covid-19 em Wuhan não significa necessariamente que Wuhan foi a fonte inquestionável do novo coronavírus.

O diretor do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos já reconheceu que, durante a chamada “epidemia de gripe” nos Estados Unidos, no ano passado, algumas pessoas teriam morrido por Covid-19. Isso justifica que, muito provavelmente, os Estados Unidos foram a fonte da Covid-19. Mas podemos batizar o Covid-19 (SARS-CoV-2) como “vírus norte-americano”? Não! Do mesmo modo, ninguém no mundo pode chamar o zika como “vírus brasileiro”, apesar do fato de a epidemia de zika ter acontecido e ainda acontecerem  casos frequentemente no Brasil.

É por causa do seu ódio à China que ataca frequentemente a China? Mas de onde vem esse ódio? A aproximação entre a China e o Brasil é resultado de um desenvolvimento histórico com alicerce natural. Tanto a China como o Brasil são grandes países emergentes com território e população gigantes, com culturas ricas e coloridas e povos simpáticos e amigos. Ambos os países possuem planos grandiosos para promover a prosperidade e riqueza nacionais, bem como ambição para salvaguardar a paz e justiça internacionais. É ainda mais importante o fato de que não há divergências históricas nem conflitos atuais entre os dois países,  que já se tornaram parceiros estratégicos globais. O povo chinês sempre abraça o povo brasileiro com sincera amizade, tratando o Brasil como nosso país irmão e parceiro. O respeito recíproco e a cooperação de ganhos mútuos de longo prazo entre os dois países trazem benefícios pragmáticos para os dois povos. Por dois anos consecutivos, dois terços do superávit do comércio exterior do Brasil vieram da China, o seu maior parceiro comercial! É por isso que tanto a geração do seu pai como a da sua idade estão todos se dedicando a promover a cooperação amigável sino-brasileira. Em resumo, os seus comportamentos remam contra a maré e não só colocam você no lugar adverso do povo chinês de 1,4 bilhão, mas também deixam a maioria absoluta dos brasileiros com  vergonha, bem como criam transtornos ao seu pai, que é o presidente da República. É realmente uma prova de ignorância a respeito do tempo atual!

Será que você recebeu uma lavagem cerebral dos Estados Unidos e quer ir firmemente na esteira deles contra a China? Os Estados Unidos eram realmente um país grande e glorioso. No entanto, neste ponto crítico do avanço da civilização humana, os EUA perderam sua posição histórica e o sentido de desenvolvimento, tornando-se quase totalmente causadores de problemas nos assuntos internacionais, e uma fonte de ameaça à paz e segurança mundiais. Os líderes atuais norte-americanos já se esqueceram dos ideais dos fundadores do país de assegurar a justiça. Ademais, tornaram-se monstros políticos cheios de preconceitos ideológicos contra os outros países e sem capacidade de governar, o que pode ser justificado pelo desempenho horrível no combate à pandemia de Covid-19 nos EUA. Por outro lado, sendo uma potência cheia de vitalidade e em ascensão, o Brasil deve e é capaz de fazer contribuições importantes para o progresso da civilização humana, desde que tenha sua própria visão estratégica, possua sua perspectiva correta sobre os assuntos internacionais e desempenhe seu próprio papel construtivo. O Brasil não deve tornar-se um vassalo ou uma peça de xadrez de um outro país, senão o resultado seria uma derrota total num jogo com boas cartas, como diz um provérbio chinês.

Deputado Eduardo, há pelo menos uma semelhança entre a cultura confucionista chinesa e a cultura cristã brasileira,  que é a crença em que sempre existe a causalidade em tudo, razão pela qual a gente tem que pensar nas consequências antes de fazer qualquer coisa. Como não é uma pessoa comum, você deveria entender melhor essa razão. O que é o mais importante para o Brasil agora? Sem dúvida, é salvaguardar a vida e a saúde de centenas de milhões de pessoas, e reduzir ao mínimo o impacto da pandemia na economia do Brasil, da China e do mundo, através da cooperação China-Brasil no combate à  Covid-19. A China nunca quis e nem quer criar inimizades com nenhum país. No entanto, se algum país insistir em ser inimigo da China, nós seremos o seu inimigo mais qualificado! Felizmente, mesmo com todos os seus insultos à China, você não conseguirá tornar a China inimiga do Brasil, porque você realmente não pode representar o grande país que é o Brasil. Porém, como é um deputado federal, as suas palavras inevitavelmente causarão impactos negativos nas relações bilaterais. Isso seria uma grande pena! Contaminaria e poluiria totalmente o ambiente saudável que China e Brasil conquistaram até aqui.

Portanto, é melhor ser mais sábio e racional. Você pode não pensar na China, mas não pode deixar de pensar no Brasil. O demônio da Covid-19 chegou finalmente à  maravilhosa terra brasileira. Neste momento crucial da cooperação bilateral no combate à pandemia de Covid-19, seria mais prudente não criar mais confusões. Ainda mais importante, seja um verdadeiro brasileiro responsável, ao invés de ser usado como arma pelos outros!

*Li Yang é cônsul-geral da República Popular da China  no Rio de Janeiro; artigo transcrito de O Globo


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


04/04


2020

Juristas: eventual "canetada" pode ser derrubada

Por Estadão Conteúdo

O presidente Jair Bolsonaro afirmou anteontem que pretende liberar o funcionamento do comércio, fechado na maior parte do País por causa do coronavírus, com uma “canetada”. Não foi a primeira vez que o presidente usa a expressão para se gabar do poder de sua caneta. Na avaliação de especialistas, porém, a esmagadora maioria dos atos do chefe do Executivo – como a edição de decretos e medidas provisórias – está sujeita a controles.

A contenção de medidas adotadas pelo Palácio do Planalto faz parte do sistema de “freios e contrapesos”, que serve para impor limites e impedir abusos cometidos pelos Poderes.

Segundo o professor de direito penal Davi Tangerino, da FGV São Paulo, um decreto de Bolsonaro liberando as atividades do comércio teria poucos efeitos práticos. “O impacto na prática ia ser baixo, porque quase todos os Estados e municípios já criaram decretos. Hoje é mais bravata e jogar para o grupo de apoiadores fanáticos, do que uma possibilidade de alteração jurídica importante”, disse.

Tangerino também observa que uma medida nesse sentido poderia ser revertida pelo STF ou pelo Congresso, que pode anular decretos presidenciais. “99,9% dos poderes do presidente são controláveis ou pelo Congresso ou pelo STF, se desobedecer a lei”, disse Tangerino. “O poder do presidente não é um poder absoluto”, complementou o professor da FGV Roberto Dias.

Apesar de dizer que pode definir com “uma canetada” o fim do isolamento social, Bolsonaro ainda quer fazer uma última tentativa de articular a medida com o Congresso e o STF. O esforço, segundo integrantes do governo, é para evitar que ele seja enquadrado em crime de responsabilidade. Nos bastidores, o presidente tem repetido que há em curso um plano para iniciar um processo de impeachment e diz que precisa se cercar de cuidados para não dar pretexto aos adversários.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


04/04


2020

Sebastião apoia PT em Tabira de olho na Alepe

Tabira, no Sertão do Pajeú, a 400 km do Recife, virou um conchavo de amplitude no último dia permitido para troca de partido. Adversário do Palácio, ligado ao ex-senador Armando Monteiro Neto, o prefeito trabalhista e poeta Sebastião Dias ignorou as divergências com o deputado Carlos Veras (PT), deu a cabeça de chapa do seu candidato ao próprio PT e cedeu a vice ao PSB.

Tudo, diga-se de passagem, em troca do apoio desse novo grupo para sair  candidato a deputado estadual em 2022. O PTB ficou fora da chapa. O candidato a prefeito é o secretário Flávio Marques, com o socialista Zé de Bira na vice.

Na eleição passada, Zé de Bira tentou derrotar Sebastião como candidato da terceira via. Já o deputado Carlos Veras não recebeu um só voto da estrutura de Sebastião. Quanto ao PSB, o Palácio deu às costas ao deputado Waldemar Borges, permitindo que o presidente municipal, Pipi da Verdura, levasse aliados e novos filiados para o palanque de Flávio com a condição de Zé de Bira ser o vice.

Sebastião, achando que existe um vácuo de lideranças no Pajeú para sair estadual em 22, aceitou de bom grado abrir a cabeça de chapa para o PT, mesmo sem o aval de Armando. E o acordo para 22 passa pela reeleição de Veras federal e a eleição de Sebastião estadual.

Alijado do processo em Tabira, o deputado Waldemar Borges disse que não mudou em nada suas opiniões. Para ele, Sebastião Dias continua sendo uma boa pessoa, mas sua gestão  reprovada pela população. “Diminuíram o PSB ao transformá-lo num anexo da Prefeitura. Depois de tanto tempo de oposição, acho que a população não vai entender esse movimento, principalmente porque dessa vez tínhamos condições de fato de criar uma terceira via competitiva”, afirmou.

A terceira via que Borges se refere é a presidente da Câmara de Vereadores, Nelly  Sampaio (PSC), que tinha apalavrado o apoio do PSB e do Palácio para ser a candidata de união com o objetivo de somar forças e derrotar o grupo de Sebastião.

Com a reviravolta, Nelly rompeu com o prefeito e se aliou ao grupo do ex-prefeito  Dinca Brandino, que está no MDB e tinha expectativa de atrair o PSB. Pelo acordo, Nelly será vice na chapa de Nicinha Brandino, esposa de Dinca. Este não pode ser o candidato da oposição por estar com seus direitos políticos suspensos com base na lei de inelegibilidades. Nelly fez a travessia para a oposição levando mais os vereadores Marcos Crente e Didi da Borborema.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha