FMO janeiro 2020

17/06


2014

FHC diz que Lula vestiu a carapuça sobre corrupção

De O GLOBO

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso acusou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de baixar o nível da campanha eleitoral e de vestir a carapuça por causa de sua fala contra a corrupção na convenção nacional do PSDB, no último sábado.

“Lamento que o ex-presidente Lula tenha levado a campanha eleitoral para níveis tão baixos. Na convenção do PSDB não acusei ninguém; disse que queria ver os corruptos longe de nós. Não era preciso vestir a carapuça”, escreveu o tucano, em sua conta no Facebook.

Leia mais clicando aí:  Fernando Henrique diz que Lula vestiu ‘carapuça’ sobre corrupção ao atacá-lo


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

o povo da de olho

DE UM LADO EDUARDO DE OUTRO DILMA , SO VAI DAR AÉCIO NEVES PARA SALVAR ESSE PAÍS

Andre

até o veio perdeu a noção do ridículo

Andre

duas giseles bundachas


Governo de PE - Redução nos Homicídios

17/06


2014

Dilma deu o troco

Carlos Chagas

 Continua dando o que falar a ausência da presidente Dilma, no fim de semana, na convenção do PT paulista que formalizou a candidatura de Alexandre Padilha a governador de São Paulo. Fica difícil aceitar o argumento de que ela deixou de comparecer para não ofender Paulo Skaf, no mesmo período sagrado em convenção do PMDB. O ex-presidente da Fiesp já havia recusado o apoio dos companheiros e da própria Dilma.

Tanto faz o motivo, pois a verdade é que as relações entre o criador e a criatura não andam bem. Lula, pela milésima vez, repetiu que a candidata é a Dilma e que estará com ela para o que der e vier, ou seja, ganhar ou perder. O problema é que se continuar caindo nas pesquisas, como atualmente, logo crescerá o coro já razoável de petistas empenhados no “volta Lula”. E como o primeiro-companheiro sempre ressalva, hipóteses não podem ser rejeitadas.

 Clique aí e Leia mais  (Artigo na íntegra)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

acolher

17/06


2014

Xingamento é ''réplica'', não ''agressão'', diz PSDB

Josias de Souza (Blog)

Em texto veiculado no site oficial do PSDB nesta segunda-feira (16), o Instituto Teotônio Vilela, entidade responsável pela formulação da doutrina do tucanato, anotou que o PT faz política com ataques, achincalhe e desrespeito. E, “quando tomam apupos como respostas, [os petistas] posam de vestais.”

Numa alusão à hostilidade infligida a Dilma Rousseff no jogo inaugural da Copa, o instituto do PSDB como que referendou o comportamento da torcida. Chamou de “maus modos” o coro —‘Dilma, vai tomar no cu’— entoado pela arquibancada. Mas preferiu justificar a reprovar a manifestação.

“As vaias e os xingamentos são difusos, partem de gente insatisfeita com o governo, ainda que com maus modos. São uma réplica à forma de governar de um partido e não agressão a uma mulher.”

Sob o título “A união contra o ódio”, o texto tem efeito inverso do pretendido. A pretexto sustentar que o petismo “prega o ódio”, acaba por jogar água no moinho de Lula, que passou o final de semana acusando o PSDB de instilar na “elite” ofensas como as que foram dirigidas a Dilma no estádio do Corinthians (aqui e aqui).

Curiosamente, a “análise” do Instituto Teotônio Vilela foi ao ar no dia em que o PSDB divulgou, no mesmo site, uma nota de sua Executiva nacional em resposta aos ataques de Lula e outros caciques do petismo. Nessa nota, o partido escreveu: “Convocamos nossos militantes a não responder a esse tipo de agressão e ameaça.”

O texto do Instituto Teotônio Vilela deixou sem nexo também o senador Aécio Neves, oficializado como presidenciável do PSDB no sábado. Em entrevista que deu na noite desta segunda-feira, Aécio declarou que as críticas de Lula “apequenam a política”.

Em resposta ao ministro petista Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência), que lamentara o fato de os antagonistas de Dilma não terem condenado os xingamentos ouvidos no estádio, Aécio soou assim:

“Nunca aprovei nenhuma ação violenta, seja discriminatória ou de ataques seja a quem fosse. As crítica ao governo existirão sempre, mas eu já disse mais de uma vez e repito: não aprovo ataques pessoais e xingamentos.”

A declaração do candidato não orna com a avaliação do Instituto Teotônio Vilela, segundo a qual o palavrão que alvejou Dilma é “uma réplica à forma de governar de um partido e não agressão a uma mulher.”


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Ataufo Tavares

eu não tenho pena quem tem pena é galinha


Prefeitura de Serra Talhada

17/06


2014

Aécio põe a corrida presidencial no rumo que o PT quer

 A polarização com o senador Aécio Neves (PSDB-MG), intensificada nos últimos dias, coloca a disputa presidencial exatamente onde o PT quer.  A equipe da presidente avalia desde o início da corrida que o tucano deve ser alçado à condição de principal adversário.
 
Embora a campanha já não trabalhe mais com a hipótese de uma vitória no primeiro turno, o PSDB ainda é tido como um adversário conhecido.

Além disso, os petistas acreditam que, com isso, o ex-governador Eduardo Campos teria chances menores de se viabilizar como terceira via. Se Eduardo avançar demais na disputa, Dilma corre o risco de chegar ao segundo turno mais enfraquecida. E, no caso de um segundo turno com Aécio, como quer o PT, ainda haveria a chance de atrair parte do eleitorado de Campos. (Clarissa Oliveira - Blog Poder Online)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


17/06


2014

Joaquim Barbosa quer o advogado de Genoino na cadeia

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, pediu ontem à Procuradoria da República no Distrito Federal a abertura de uma ação penal contra advogado do ex-deputado José Genoino, Luiz Fernando Pacheco. Barbosa pede que Pacheco seja investigado pelos crimes de desacato, calúnia, difamação e injúria. Na semana passada, Barbosa mandou seguranças da corte retirarem Pacheco do plenário.

Ao subir à tribuna e interromper o julgamento para cobrar de Barbosa a liberação do recurso, Pacheco foi questionado pelo presidente: ''Vossa Excelência vai pautar [a corte]?''. O advogado respondeu: “Eu não venho pautar. Venho rogar a vossa excelência que coloque em pauta, porque há parecer do procurador-geral da República [Rodrigo Janot] favorável à prisão domiciliar deste réu, deste sentenciado. Vossa excelência, ministro Joaquim Barbosa, deve honrar esta Casa e trazer aos seus pares o exame da matéria”, respondeu Pacheco.

Após dizer duas vezes: “eu agradeço a vossa excelência”, na tentativa de cortar a palavra de Pacheco, Barbosa determinou a retirada do advogado do plenário. “Eu vou pedir à segurança para tirar este homem”, disse Barbosa.

Ao ser abordado pelos seguranças, o advogado protestou: “isso é abuso de autoridade!”, gritou. Joaquim Barbosa ainda retrucou: “Quem está abusando de autoridade é vossa excelência. A República não pertence a vossa excelência, nem à sua grei (grupo). Saiba disso.”   (André Richter - Repórter da Agência Brasil)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Saulo Alves

É isso aí BARBOSÃO !!!!

Saulo Alves

É isso aí BARBOSÃO !!!!

ANTONIO JOSE DE ASSIS JUNIOR

Joaquim Barbosa já virou uma piada... Já cumpriu seu propósito de vida e seu destino é o esquecimento...

José Pereira da Silva

O grande JB fez o correto, parabéns... Coloque esse bêbado na cadeia. Quanto à prisão de Lula juntamente com Rose como sugeriu Tavares eu sou contra, pois, o Barba vai RELAXAR E GOZAR. hahahahahahahahahahahahaha

Erivaldo Melo

Não voto no PT,mas quem está embriagado é o ministro, embriagado pela vaidade, isso acontece com muita gente. Abusou da autoridade quer investigação de que? O advogado desacatou? Deveria ter dado voz de prisão, não fez, sabe q estava abusando da autoridade. A ameaça já sumiu do rol de acusação...


Prefeitura de Limoeiro

17/06


2014

E o de quem trabalhou nas campanhas? Cadê? Calote?

Partidos políticos começaram a ser condenados pela Justiça do Trabalho a pagar, junto com candidatos, dívidas com pessoas que trabalharam nas campanhas. As dívidas despertaram a atenção do Ministério Público do Trabalho, que começou a entrar com ações civis públicas contra candidatos.

O tema é recente no Judiciário. Somente com a edição da Emenda Constitucional 45, de 2004, com a ampliação da competência da Justiça do Trabalho, os magistrados passaram a analisar todas as relações de trabalho — incluindo esses casos sem vínculo empregatício.

As condenações são baseadas na Lei 9.504, de 1997, que estabelece normas para as eleições. O artigo 29 prevê a responsabilidade solidária dos partidos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

17/06


2014

Barbosa e o CNJ: ''Estou de saída, não estou nem aí''

O presidente do STF, Joaquim Barbosa, após sua última sessão no CNJ (Foto: Mariana Oliveira/G1)O O presidente do STF, Joaquim Barbosa, após sua última sessão no CNJ (Foto: Mariana Oliveira/G1)

Portal G1 Brasília - Mariana Oliveira

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Joaquim Barbosa, disse após participar de sua última sessão no conselho nesta segunda-feira (16) que tanto faz se haverá prosseguimento nos debates sobre criação de cotas para ingresso na magistratura. Barbosa anunciou há duas semanas que vai se aposentar até o fim deste mês.

Perguntado se a divulgação do censo do Poder Judiciário poderia levar a um debate sobre cotas dentro do CNJ, ele disse: "Não sei, não sei, não sei e estou de saída. ''Es ist mir ganz egal'' [em alemão; na tradução em português ''para mim, tanto faz'']. Não estou nem aí", afirmou, fazendo gesto de indiferença com as mãos.

O censo mostrou que há apenas 1,4% de juízes pretos (conforme definição de cor do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) na magistratura. Um dos motivos da realização do estudo foi embasar a discussão no conselho sobre adoção de cotas para o ingresso na magistratura.

O presidente do STF e do CNJ foi questionado ainda sobre como foi sua gestão no CNJ, mas afirmou que a imprensa só noticia "coisa ruim".

''SÓ COISA RUIM''

"Houve um monte de coisas, só que vocês não noticiam, só noticiam coisa ruim. [...] Eu tenho um balanço, procurem a assessoria. Balanço de ordem financeira, orçamentária, de ordem administrativa, disciplinar, tem todos esses dados. Agora, vocês nunca querem saber", afirmou Barbosa.

O presidente do Supremo e do CNJ chegou para a reunião do conselho por volta das 9h e deixou o local perto das 19h. Na saída, abraçou e tirou fotos com servidores, que o aguardavam perto do estacionamento do tribunal.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Ataufo Tavares

QUE PENA, O BRASIL PERDEU DE 10000 A ZERO



17/06


2014

Os esqueletos de Aécio


A filha de Aécio, Gabriela (vestido verde), e a mãe do presidenciável, Inês Maria (de azul), compareceram à convenção
Foto: Marcos Alves / O Globo

Ricardo Melo - Folha de S.Paulo
 
Sombras permanecem na biografia do tucano; cabe ao eleitor medir a sinceridade de seus depoimentos

Ninguém é obrigado a ser candidato a presidente. Mas quem abraça a causa deve saber que sua vida está sujeita a ser esquadrinhada --Mirian Cordeiro que o diga. O tucano Aécio Neves, agora candidato oficial do PSDB, parece incomodado nesta missão.

Ainda pré-candidato, Aécio começou mal. Decidiu fugir de perguntas incômodas, atacar as críticas como obra de um submundo e acionar a Justiça para tentar limpar uma biografia no mínimo controvertida. Nada a favor dos facínoras que inventam mentiras em redes sociais para desqualificar adversários. Mas daí a ignorar questionamentos vai uma distância enorme.

A repórter Malu Delgado, da revista ''piauí'', prestou um belo serviço ao escrever um perfil do tucano. Lá estão prós e contras, alinhados com sobriedade e rigor jornalístico. Cada um que chegue às suas conclusões. Por enquanto, elas soam desfavoráveis ao candidato.
Deixe-se de lado qualquer falso moralismo. É direito do eleitor sabatinar quem se propõe a dirigir o país. A fronteira entre o público e o privado se esmaece, sem que isso signifique a condenação a priori de qualquer um.

Vídeos na internet mostram práticas nada republicanas, como gostam de falar, por parte do então governador de Minas Gerais. Entre outras façanhas em bares e blitze, montou uma tropa de choque midiática para sufocar críticas.

Tanto fez que a guilhotina tucana decapitou sem piedade inúmeros jornalistas em Minas Gerais. Os testemunhos estão à disposição, basta querer ver e ouvir.

Sombras permanecem. A questão das drogas é uma delas, e cabe ao candidato refutá-las ou não; ao eleitor, mensurar a sinceridade dos depoimentos e até que ponto o tema interfere na avaliação do postulante. Aécio tem se embaralhado frequentemente no assunto. Adotou como refúgio a acusação de que tudo não passa de calúnias. Ao vivo, acusou jornalistas reconhecidamente sérios de dar vazão a rumores eletrônicos. Convenceu? Algo a conferir.

Na reportagem citada, destaca-se um mistério. Uma verba de R$ 4,3 bilhões, supostamente destinada à saúde, sumiu dos registros oficiais do Estado. Apesar de contabilizada na propaganda, a quantia inexiste nos livros de quem teria investido o dinheiro.

O caso foi a arquivo sem ter o mérito da questão examinado. A promotora autora da denúncia insiste na ação de improbidade. Na falta de esclarecimentos dos acusados, aguarda-se o veredicto da Justiça.

Continue lendo aqui a matéria na íntegra.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


16/06


2014

"Arbitrariedades" de Barbosa levam à carta pró-Dirceu





















G1.


Cerca de 300 pessoas do meio acadêmico, artístico, sindical, político e jurídico assinaram carta pública divulgada nesta segunda-feira (16) com críticas a decisões do presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, relativas à execução das penas dos petistas condenados no processo do mensalão: José Dirceu, Delúbio Soares, João Paulo Cunha e José Genoino.

O texto condena supostas "arbitrariedades" cometidas por Barbosa e pede que os demais ministros do STF "revejam e corrijam" a decisão que exigiu de Dirceu o cumprimento de um sexto da pena para poder trabalhar fora da prisão.

Com o mesmo argumento, outros sete condenados, entre eles Delúbio Soares, foram impedidos do direito ao trabalho externo.

A carta, intitulada "Apelo Público ao STF, em defesa da Justiça e do Estado de Direito", é assinada por atores como Osmar Prado, Sergio Mamberti, Zé de Abreu e Chico Dias, pelo cantor Chico César, pelo escritor Fernando Morais, além dos professores Emir Sader, Leonardo Boff e Marilena Chauí. O grupo pleiteia que o plenário da Suprema Corte julgue recursos que pedem benefícios aos presos do processo do mensalão do PT.

Dirceu pede direito ao trabalho externo. O ex-presidente do Partido dos Trabalhadores, José Genoino, tenta voltar a cumprir pena em casa por alegar piora no estado de saúde.

"O desrespeito aos direitos de um único cidadão coloca em risco o direito de todos, e o Brasil já sofreu demais nas mãos de quem ditava leis e atos institucionais, atacando os mais elementares direitos democráticos", diz o texto.

De acordo com a defesa de Dirceu, a carta será entregue na quarta-feira (18) a todos os ministros do Supremo. Mais cedo, o advogado de Dirceu, José Luís de Oliveira Lima, requereu que o STF analise com "urgência" o pedido de trabalho externo do cliente.

Dirceu foi condenado no processo do mensalão do PT a 7 anos e 11 meses de prisão no regime semiaberto, no qual é possível deixar o presídio durante o dia para trabalhar. O ex-ministro aguardava decisão do presidente Joaquim Barbosa sobre se poderia trabalhar em um escritório de advocacia com salário de R$ 2,1 mil, mas teve o pedido negado.

Barbosa entendeu que, antes de ter direito à saída para trabalho externo, era necessário cumprir um sexto da pena.

Na carta, o grupo diz que, com a decisão de negar trabalho externo aos condenados do semiaberto, Barbosa impõe regime fechado aos presos do mensalão e "ameaça levar ao caos o sistema prisional brasileiro".

"Adotada, à revelia de entendimento do pleno desse Supremo Tribunal Federal, tendo como alvo os sentenciados, todos ao regime semiaberto, inclusive Delúbio Soares, João Paulo Cunha, José Dirceu de Oliveira e Silva e José Genoíno, levará angustia e desespero não somente a eles e seus familiares, mas a dezenas de milhares de famílias de sentenciados que cumprem penas em regime semiaberto."

Conforme a carta pública, "é preciso que o plenário do Supremo Tribunal Federal impeça a continuidade dessa agressão ao Estado de Direito Democrático".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

RENAN

ESSE PESSOAL QUER ESCREVE: "O desrespeito aos direitos de um único cidadão coloca em risco o direito de todos" DEVERIA ESCREVER UM MANIFESTO EM PROL DOS MILHÕES DE BRASILEIROS QUE SOFREM NAS INTERMINÁVEIS FILAS DO SUS, NAS ESTRADAS, NO MUNDO DAS DROGAS, NOS SUPERMERCADOS...

Ataufo Tavares

DIRCEU SAFADO, CABRA SEM VERGONHOSO!!!

José Cassé Sobrinho

Essa carta representa um apelo público ou de apenas alguns petistas e simpatizantes petistas? Pelos nomes citados...



16/06


2014

Haddad: "Xingamento foi uma deselegância sem paralelo""
























Valor.

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), disse nesta segunda-feira (16) que os xingamentos à presidente Dilma Rousseff (PT) na abertura da Copa do Mundo, na semana passada, refletem a falta de educação de um grupo da sociedade. Segundo ele, os gritos e vaias contra a presidente não foram uma ação democrática.

“Aquilo não era vaia. Vaia é democrática. Aquilo foi deselegância sem paralelo na história da Copa do Mundo”, disse o gestor municipal, ao evitar vincular os gritos contra a presidente à elite brasileira.

“Não sei da onde veio a vaia. Um grupo de pessoas na Área VIP que começou e estimulou as pessoas a gritar,  mas não conheço essas pessoas. Reflete a falta de educação de um grupo específico da população”, afirmou. "Acho que são mal educados, nada além disso".

Ao falar sobre a onda de manifestações do ano passado, Haddad afirmou “conviver bem” com os protestos. “Venho de uma tradição de luta contra a ditadura, sobretudo quando as reivindicações são legítimas e se apresentam de forma pacífica. Não tenho dificuldade, independente da temperatura, que pode estar elevada”, afirmou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Ataufo Tavares

A VAIA ??? EU ACHEI FOI BOMMMMMMMMMMMMMM


Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores