FMO

14/12


2019

Coluna deste sabadão na Folha

Fenômeno eleitoral inexplicável

A literatura política do Estado ainda não imprimiu um exemplar de uma obra para explicar o fenômeno eleitoral Gleide Ângelo, arrastão de votos das eleições 2018. Uns atribuem seus mais de 400 mil votos, carimbo do passaporte de entrada na Assembleia Legislativa, à forte exposição na TV antes da campanha, como xerife das saias vítimas da violência.

Outros, à arrojada performance nas redes sociais. Seja lá o que for, o fato é que a delegada comeu o cartão de muita gente que jamais imaginava que 2018 revelasse uma alma viva da nova seara política com tamanha desenvoltura nas urnas.

O que mais impressiona é que quando seu nome é posto para uma disputa majoritária em qualquer cenário de pesquisa nos mais diversos centros urbanos da Região Metropolitana, incluindo Recife, dá de lapada em todo macho com cabelo na venta, a começar por Anderson Ferreira, em Jaboatão, município que ela será a estrela de 2020.

Sem apego ao poder – O prefeito de Triunfo, João Batista (Avante), é outra espécime rara da política. Apesar de pilotar um governo bem avaliado, que mudou hábitos e deu cara nova à cidade, não quer saber de reeleição. Acha que já deu a contribuição ao município como filho, fiel e leal, e deseja voltar ao seu escritório de advocacia. Enquanto isso, muitos matam e morrem pelo poder.

Dor de cabeça – O governador Paulo Câmara revelou, ontem, durante café da manhã oferecido a este colunista, no Palácio das Princesas, que o ítem estradas é o que mais provoca demandas em seu Governo, só perdendo para saúde. “Antigamente, era a segurança pública, que agora aparece em terceiro lugar, daí nossos esforços em priorizar a recuperação das rodovias”, afirmou.

Fiscalização – O TSE aprovou as primeiras resoluções com regras para as eleições municipais. A principal amplia o rol de entidades que podem fiscalizar a votação, incluindo as Forças Armadas, o Conselho Nacional de Justiça, o Tribunal de Contas da União e entidades privadas, sem fins lucrativos, que possuam a notória atuação em fiscalização e transparência em gestão pública.

Nadando em dinheiro – Em São José do Egito, o prefeito Evandro Valadares (PSB) fazia uma gestão mais suja do que pau de galeiro. Mas levou a sorte de o município botar no papo mais de R$ 10 milhões em precatórios, dinheirama que começa a mudar a face do seu governo tocando pequenas-grandes obras.

Divisionista – Sabendo que Evandro abriu um cenário bem favorável à reeleição, o ex-deputado José Marcos (DEM), até então líder nas pesquisas de intenção de voto para prefeito, já admite não entrar na parada, até porque o ex-prefeito Romério Guimarães (PT) insiste em dividir a oposição.

Tem lógica – O que se ouve nos bastidores é que o pré-candidato do PDT a prefeito do Recife, Túlio Gadelha, estaria mais propenso a ser vice de Marília Arraes. Por qual razão? Eleita, a petista logo se transformaria em candidata natural a governadora e, triunfando, Gadelha viraria prefeito.

Perguntar não ofende: Existe algum governador satisfeito com o tratamento dispensado aos Estados pelo presidente Bolsonaro?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Governo de PE

13/12


2019

Celebração de natal da Fundaj reuniu crenças, arte e cultura

A Cantata de Natal da Fundação Joaquim Nabuco marcou um novo começo para o coral da instituição o qual estava há 30 anos sem funcionar. Culto ecumênico e exposição artística sobre monumentos históricos de Pernambuco também fizeram parte da celebração de hoje, no campus da Fundaj de Casa Forte, em frente ao Solar Francisco Pinto Guimarães. Com entrada gratuita, o público pôde participar da cerimônia que celebrou a união entre religiões, e também ouvir músicas natalinas as quais encantaram pessoas de todas as idades. Além disso, foram recebidos alimentos não perecíveis para a Campanha Natal sem Fome.

“Esse é um ato de muitos simbolismos. Após um culto de paz entre as religiões,  celebramos Jesus na Cantata e marcamos a reinauguração do Coral da Fundaj. Depois, por meio da exposição do cartunista pernambucano Humberto, conhecemos várias cenas do cotidiano pernambucano”, afirmou o presidente da Fundaj, Antônio Campos.

No culto ecumênico, representantes de quatro religiões foram reunidos para falar sobre as festividades do mês de dezembro conforme a fé de cada um. “Desde o dia 1º iniciamos o período do advento, tempo que começamos a nos preparar para o natal. Essa festividade singela nos faz lembrar do exemplo de Jesus, o qual nos incentiva a ser fraternos e solidários”, afirmou o arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido.

Logo depois foi a vez do espírita e médium, Francisco da Rocha, fazer suas colocações. “Estamos aqui para promover a unidade, pois somos células de um corpo chamado universo. Nesse tempo, precisamos abrir o coração para servir melhor o outro”, afirmou. Enfatizando a importância do combate ao preconceito direcionado a sua religião, o babalorixá, Edson de Omolu, afirmou: “que trabalhemos juntos contra essa ignorância, pois somos de paz e nos preocupamos com a sociedade. Nessa época, destaco a importância não só de cuidar do outro, mas também de si”.

Por fim, foi a vez do pastor evangélico, Ricardo Dutra, expressar sua crença. “Natal é o nascimento da compaixão, do amor, do social, da gratidão, da família, e o mais importante: do salvador em nossos corações”, afirmou. 

Após o culto, o coordenador e fundador do Comitê da Ação da Cidadania Pernambuco Solidário, Anselmo Monteiro, convidou os voluntários da ação Natal Sem Fome para fazer um agradecimento. A campanha arrecadou meia tonelada de alimentos e os campi da Fundaj foram sedes de arrecadação. Para encerrar o momento, o responsável pela iniciativa convidou os presente para fazer as orações do Pai Nosso e da Ave Maria.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

EMPETUR

13/12


2019

Triunfo é um canto de amor à vida

Acabei de botar os pés na santa terra abençoada e batizada de Triunfo. Aqui, quem triunfa é a vida. Como canta Zeca Pagodinho, o carioca mais sambista da gema, recorro ao seu refrão: “Deixa a vida me levar, Triunfo".

Cheguei em pleno verão brabo, com o termômetro em 25 graus. Mais tarde, quando a noite encobrir os casarões coloniais da mais suíça sertaneja, as luzes do Natal se estenderão sobre as suas águas límpidas para receber a lua em adoração.

Aqui, nem parece chão seco e batido do sertão. Sua lindeza nos leva a uma viagem imaginária. Pode ser Paris, à nobreza de Londres, o mais longínquo ponto da beleza europeia ou qualquer ponto do planeta

A praça do charmoso Cine Guarany lembra Veneza. Só falta a igreja San Marco.

Triunfo é só lirismo, poesia, rima, verso troncho, bálsamo para aliviar as dores da alma e do espírito.

Amanhã, sua gente boêmia, de alma sedenta de amor, vai verter lágrimas de felicidade cantando em praça pública os maiores sucessos do romantismo de Moacyr Franco.

Tenho impressão que o artista vai ser acolhido com tanto amor e emoção que vai querer ficar por aqui mesmo, misturando seu sangue latino com o sangue contagiante do sertanejo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Paulista

13/12


2019

Feitosa: Previdência estadual é ainda mais dura

Na reunião plenária de ontem, o deputado Alberto Feitosa (SD) subiu à tribuna para chamar a atenção quanto à reforma da previdência estadual proposta no Projeto de Lei 803/2019.

De acordo com o parlamentar, a proposta do Estado se baseia na Reforma feita pelo Governo Federal e é até mais dura para o trabalhador, quebrando pontos que os governadores do Nordeste colocaram como inegociáveis, tais quais: a desconstitucionalização, a capitalização e, não prevê o escalonamento.

“Os governadores  chegaram a colocar essas quatro exigências: não podia mexer nos trabalhadores rurais, também não podia ter o BPC (Benefício de Prestação Continuada), não poderia ter a capitalização e não podia desconstitucionalizar. Hoje, estamos tratando um Projeto de Lei, porque não mandou uma PEC se não podia desconstitucionalizar?”, questionou.

Segundo o parlamentar, a medida proposta pelo Estado foge das exigências feitas pelos governadores, ou seja, desconstitucionaliza, cria capitalização, e é bem pior que a Reforma proposta por Bolsonaro, pois não tem o escalonamento. 

Feitosa ponderou que o discurso dos governadores era não penalizar aqueles que ganham menos  e cobrar de quem ganha mais, quando na verdade isso não foi incluso no projeto do Estado. 

“O que era para amenizar os sacrifícios do trabalhador, só piorou . Há uma grande diferença entre a reforma proposta por Paulo Câmara e a de Bolsonaro: a Reforma Estadual penaliza o cidadão que ganha menos e terá que pagar mais, pois não tem o escalonamento. Alertei em maio deste ano, que teríamos que votar a reformas nos estados, pois a previdência estadual está deficitária em 2,7 milhões. Isto porque os governadores do Nordeste não fizeram o acordo e deixaram de fora os estados E municípios, assim, prefeitos e vereadores estão numa situação dificílima, pois terão que apresentar, discutir e votar um tema, necessário, mas extremamente impopular em ano de eleições municipais ”, explicou.

O deputado defendeu  que o Brasil e Pernambuco  precisa da Reforma para se desenvolver economicamente e gerar mais empregos e oportunidades para os cidadãos.

“Falo da recuperação da indústria, do comércio, do emprego e da região que espera pela reforma da previdência. É preciso garantir a segurança e o investimento, para que a região possa ter mais visibilidade e oportunidades”, finalizou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


13/12


2019

Dom Malan, dos Bororos à Catedral

Por Carlos Laerte*

Quando nesta segunda-feira, 16 de dezembro de 2019, estivermos agradecendo a Deus o centésimo quinquagésimo quinto aniversário de nascimento de Antonio Maria Malan, essas mesmas graças e louvores também serão ouvidas com festa e flores nos distantes campos da região Centro – Oeste do Brasil.

Se por aqui este italiano de São Paulo de Coni escreveu seu nome como o primeiro bispo de Petrolina, deixando para a posteridade uma obra fundamental nas áreas religiosa, educacional e de saúde, foi como padre Malan que ele ficou conhecido nos sertões indígenas de Mato Grosso. O primeiro inspetor da Missão Salesiana que fundou colégios em Cuiabá e Corumbá, as escolas agrícolas de Coxipó da Ponte e Palmeiras além das missões do Sagrado Coração do Rio Barreiro, da Imaculada no Rio das Garças e de São José no Sangradouro.

Em 1895, com as recém-chegadas Filhas de Maria Auxiliadora, assume os trabalhos à frente dos Salesianos junto aos índios Bororos, às margens do Rio São Lourenço na Colônia Teresa Cristina. Um projeto de educação que ensinava música, português, matemática, prática agrícola e ciências, além de promover a evangelização.

Segundo a historiadora Maria Isabel Ribeiro Lenzi, esse projeto se tornaria conhecido em todo Brasil em 1908, quando da realização, no Rio de Janeiro, da Exposição Nacional que comemorou o Centenário da Abertura dos Portos às Nações Amigas. O padre Malan, depois de uma turnê por várias cidades do Sudeste, chega a então capital do país trazendo uma banda de música formada por crianças indígenas da Missão Salesiana Sagrado Coração do Rio Barreiro.

A banda, com 21 índios Bororos, tocou no Teatro João Caetano, na Câmara dos Deputados, no Senado e, diante do presidente Afonso Pena, no Palácio do Catete, então sede da Presidência da República. Interpretações impecáveis de temas clássicos, inclusive o Hino Nacional, chamaram a atenção para a causa indígena e figuraram nos principais jornais da imprensa à época.

Uma nota destoante, porém, espalhou muita tristeza e dor. Três dos músicos Bororós morreram ao longo da turnê após contraírem doenças nas cidades percorridas. O fato foi ironizado pelo cronista e jornalista, João do Rio, que em artigo publicado posteriormente no livro 'Cinematógrafo, Crônicas Cariocas', brinca chamando o visionário religioso de “padre inexoravelmente civilizador que conseguiu domesticar meia dúzia de guris bravios ensinando-os a tocar bombardão e flautim”. Mas, o salesiano que estudou no Oratório de Turim, concluiu os estudos secundários em Paris, recebeu o hábito religioso na Casa do Noviçado, em Marselha e chegou à América do Sul pelas mãos de Dom Bosco, tinha ainda muito chão pela frente e uma missão evangelizadora do tamanho dos seus sonhos. Em 1914, depois que a Santa Sé criou a Prelazia do Registro do Araguaia, foi ordenado seu primeiro prelado com a dignidade de bispo titular.

Depois disso, ele chega a Petrolina, em 15 de agosto de 1924, para fazer uma obra monumental em apenas sete anos. Construiu o Palácio Episcopal, os colégios Maria Auxiliadora e Dom Bosco, além de ter inaugurado o hospital de Nossa Senhora da Piedade, que hoje leva o seu nome e acionado a chave inaugurando a energia elétrica da cidade em 1927. 

Entretanto, foi na edificação da Igreja Catedral do Sagrado Coração de Jesus Cristo Rei do Universo, majestoso “Poema de Pedra”, pelas mãos do poeta José Raulino Sampaio, que o religioso deixou mais vivo na memória da população o exemplo imortalizado na determinação e na fé. “Façamos a casa de Deus e tudo crescerá ao seu redor”, vaticinou.

Depois de assistir à solenidade de inauguração do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, Dom Malan foi internado no Hospital do Brás, em São Paulo, com complicações respiratórias. Morreu de pneumonia em 28 de outubro de 1931, aos 67 anos. Seus restos mortais estão sepultados na Capela São José, atrás do altar-mor da igreja por ele concretizada. Hoje, tanto a Catedral como a obra evangelizadora junto aos índios Bororos são símbolos, exemplos vivos da fé do visionário religioso de gestos calmos, passos tranquilos e olhar de avenidas.

*Poeta, jornalista e diretor da Clas Comunicação e Marketing


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Ipojuca

13/12


2019

Usina de Itacuruba é tema de debate na CHESF

A Companhia Hidrelétrica do São Francisco (CHESF) sediou, na manhã de hoje, um evento que debateu a criação de novas usinas nucleares no Brasil. Estiveram presentes na reunião, o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB), o deputado federal Fenando Filho (DEM), o deputado estadual Alberto Feitosa (SD) o secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério de Minas e Energia, Reive Barros, presidente da Eletronuclear, Leonam Guimarães, o presidente da CHESF, Fábio Alvez, e o presidente da Associação Brasileira para Desenvolvimento de Atividades Nucleares (ABDAN), Celso Cunha.

Na ocasião, Reive Barros falou na matriz de energia elétrica do passado, presente e futuro, destacando o papel futuro da energia nuclear. Em sua palestra, o presidente da Eletronuclear falou dos aspectos globais da energia no mundo atual enfocando a sustentabilidade e a importância da energia nuclear nesse contexto, para atingir as metas de descarbonização do planeta.

Na oportunidade, os participantes focaram na Central Nuclear de Itacuruba, apresentada em detalhes e cujo os benefícios socioeconômicos foram ressaltados pelo deputado Alberto Feitosa. Tanto o senador FBC como o deputado Fernando Filho se comprometeram com a gestão política para concretizar a Central Nuclear de Itacuruba.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Abreu e lima

13/12


2019

Câmara vota aumento de repasses para municípios

O Plenário da Câmara dos Deputados pode votar, na próxima segunda-feira, a proposta que aumenta o repasse da União às cidades por meio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

Trata-se da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 391/17, do Senado, que aumenta em 1 ponto percentual os repasses de certos tributos da União para os municípios.

Atualmente, de 49% da arrecadação total do imposto de renda e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), ficam com as cidades 22,5 pontos percentuais, por meio do FPM. Com a PEC, passam a ser 23,5 pontos percentuais, aumentando o repasse global de 49% para 50% da arrecadação.

O texto prevê um aumento gradativo nos quatro primeiros anos da vigência da futura emenda constitucional. Nos dois anos seguintes, o repasse a mais será de 0,25 pontos percentuais. No terceiro ano, de 0,5 ponto percentual; e do quarto ano em diante, de 1 ponto percentual.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

13/12


2019

Paulo vai à posse da nova superintendente da PF

O governador Paulo Câmara, acompanhado da esposa Ana Luiza, participou, na manhã de hoje, da cerimônia de posse da nova superintendente da Polícia Federal em Pernambuco, a delegada Carla Patrícia Cintra Barros da Cunha. Primeira mulher a assumir o cargo, ela substitui o delegado Carlos Henrique Oliveira de Sousa, que agora comanda a Superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro. "Com a sua larga experiência, a delegada Patrícia muito tem a contribuir com Pernambuco. Vamos unir forças e trabalhar de forma conjunta", destacou Paulo Câmara.

Já empossada, a nova superintendente da Polícia Federal falou do orgulho da missão recebida, destacando ser o momento de renovar compromissos e estreitar as relações institucionais, visando fortalecer o papel conjunto e individual de cada uma, perante a sociedade. "Será uma gestão que prima pela técnica e atuação contundente", enfatizou.

Em seu discurso, ela também fez referência aos órgãos de segurança pública do Estado, lembrando do período em que atuou como corregedora-geral da Secretaria da Defesa Social (SDS). "Muito aprendi", disse. Realizada no auditório do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5), no Cais do Apolo, Recife, a solenidade reuniu autoridades do meio jurídico e empresarial, além de políticos e secretários de Estado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro

13/12


2019

Canarius promete melhorar seus serviços

Recebi, ontem, uma ligação da empresária Gabriela Dias, filha do empreendedor Rui Dias, presidente do Grupo Dias, detentor do controle de empresas em variados segmentos no Estado, entre elas o hotel Canariu’s, em Gravatá, objeto de uma dura, mas oportuna, critica que postei sobre os serviços de má qualidade prestados pelo hotel, um dos melhores parques aquáticos do Nordeste.

Na ocasião, ela me explicou que o hotel prima pelo padrão de qualidade em todos os seus serviços dispensados aos hóspedes, desde o check-in ao atendimento na borda da piscina.

Contestei, ressaltando não ter sido isso, infelizmente, o quadro que me apareceu à frente nos dois dias em que me hospedei com os meus filhos. Ela justificou que, no período, houve uma redução inesperada do quadro de funcionários e que não mais se repetiria.

Reafirmo aos leitores o que deixei bem claro para Gabriela: nada contra o hotel, que tem instalações maravilhosas. Tudo contra o péssimo serviço. Afinal, só havia um garçom para uma multidão que implorava atendimento na piscina.

Não fiz crítica ao Canarius por má-fé. Expliquei a Gabriela que viajo muito e por onde passo, seja hotel ou restaurante, costumo dar dicas de roteiros, hospedagens e boa cozinha aos meus leitores fiéis. Fico muito à vontade também para oferecer meus pitacos apimentados quando julgo não aconselhável minhas experiências de caixeiro viajante.

O importante do episódio, entretanto, é que o hotel pediu desculpas e prometeu melhorar os seus serviços. Ponto para direção. Boa notícia para os que têm curiosidade e interesse em passar temporada de relaxe no Canarius.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde
Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores