FMO

23/10


2011

Brasil se prepara para ofensiva comercial chinesa

 O governo brasileiro e a indústria preparam novas armas de defesa comercial para combater uma nova ofensiva chinesa. A economia da China se desacelerou, e a crise se aprofunda em mercados tradicionais das exportações do país, como EUA e União Europeia. Com isso, empresários brasileiros já antecipam uma alta na exportação de produtos asiáticos para o Brasil.  ''É a maior preocupação dos empresários que nos procuram: se a China continuar se desacelerando, o Brasil pode se tornar grande alvo de exportações'', diz Felipe Hees, diretor do Departamento de Defesa Comercial do Mdic.

 AÇO
Segundo Thomaz Zanotto, diretor de comércio exterior da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) e assessor internacional da CSN, os chineses começam a tentar escoar aqui parte dos produtos intermediários, como chapas de aço.
''Por enquanto, a China absorve sua enorme produção de aço, mas começa aos poucos a exportar para outros países, entre eles o Brasil'', afirma Zanotto. ''Se vier um tsunami, não temos muralhas prontas; a legislação de defesa comercial ainda é mal estruturada, lenta, e há um número insuficiente de pessoas.''  (As informações são da Folha de S.Paulo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Governo de PE

23/10


2011

Lula e seu espaço na mídia diária

 
Cláudio Humberto nunca esquece Lula em sua coluna diária, veiculada em jornais de todo o país. O ex-presidente é alvejado com ''''mimos'''' do jornalista todos os espaços diários da coluna. Como a deste domingo:
 
** Pressionado pelos indígenas bolivianos, o presidente cocaleiro Evo Morales cancelou as obras de rodovia construída pela OAS com US$ 332 milhões do BNDES em área ambiental.
 
** O pé-frio foi à Bolívia num jatinho privado para tentar contornar o “rolo”, que agora cai no colo do contribuinte brasileiro.
 
** A oposição boliviana quer investigar suposto acordo para obras da OAS em troca do gás que Morales fornece. O cocaleiro ainda não detalhou como será desfeito o negócio, que envolve acusações de superfaturamento com nosso.
 
** O maior medo de Lula agora é que os rebeldes confisquem in loco a condecoração que ele recebeu de Kadafi, a maior da antiga Líbia.
 
** Lula se meteu na disputa para líder do PT na Câmara. Não se decidiu ainda entre Jilmar Tatto (SP) e José Guimarães (CE), irmão de José Genoino cujo assessor foi preso com a cueca recheada de dólares.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Paulista

23/10


2011

PCdoB perde condição de manter Ministério do Esporte

DO BLOG DE CHRISTINA LEMOS

Carece de coerência política a tese de que, mesmo com a saída de Orlando Silva do ministério do Esporte, a vaga continua sendo do PCdoB. Trocar o titular, acusado de desviar recursos dos programas da pasta para financiar o partido e manter no comando um integrante da legenda equivale a substituir o invasor do galinheiro por outro da mesma família - para usar uma imagem do gosto popular. As denúncias que afetam a pessoa física do ministro, também afetam a jurídica- indissociáveis neste caso.

Se a demissão de Silva baseia-se no fato de que o ministro perdeu a condição política elementar para permanecer no cargo, trocá-lo por um correligionário significa manter a suspeição de que o caixa do Esporte continua financiando o PCdoB. Enquanto não se esclarecer se o esquema desvendado pela polícia civil no ano passado, no correr da Operação Shaolin, efetivamente engordou os caixas do PCdoB, o partido não tem condição moral de conduzir a pasta, que, no momento, tornou-se estratégica para o país e para os planos re-eleitorais de Dilma Rousseff.

No entanto, é mais simples para o governo - e para o partido - sacrificar o homem do que arrebentar elo da aliança. Lançar Orlando Silva ao território enlameado dos corruptos que jamais conseguem restaurar o estargo na própria imagem é uma operação mais simples do que ofender um aliado histórico do PT, que apesar da pequena representação numérica, representa um símbolo da esquerda.

Dilma está sendo pressionada a trocar o ministro, e ignora, intencionalmente, que as denúncias afetam também o partido que ela promete manter no comando da pasta. O PCdoB, no limite do desespero, ameaça atirar contra o PT, mais especificamente contra o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, que, quando ministro do Esporte, teria instituído o esquema - segundo suspeita a polícia.

Sem passar a limpo esta embaralhada história, a simples troca no ministério do Esporte pode não resolver o problema do Brasil e da pasta, que é de credibilidade.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Ipojuca

23/10


2011

PCdoB: passado a limpo

O PM João Dias, que narrou a VEJA os bastidores do esquema de corrupção operado no Ministério do Esporte

Para o PCdoB, até o passado é imprevisível. Na luta para livrar o ministro dos Esportes, Orlando Silva, das acusações que lhe foram feitas, o partido delirou: no programa partidário para TV, tratou a História como massinha de moldar.

De repente, citam Luiz Carlos Prestes, Niemeyer, Drummond como grandes nomes do partido. Prestes, líder do PCB, linha russa, era inimigo do PCdoB, linha chinesa. Quando a União Soviética denunciou os crimes de Stalin, seu antigo ditador, Prestes e Niemeyer aceitaram as denúncias (Drummond já nem era comunista); o PCdoB ficou fiel a Stalin, rompeu com o PCB e mudou de nome.

Na época da ditadura, havia comunistas do PCB e do PCdoB na prisão. Quem falasse com o pessoal do PCdoB não era aceito para diálogo com a turma do PCB. Era esse o nível da inimizade, o tamanho da divergência: os heróis de um partido eram os que o partido inimigo considerava traidores.

Não, não houve erro ao recontar o passado. Houve manipulação deliberada, porque os dirigentes do PCdoB sabem melhor do que todos o que foi sua luta com o PCB. Houve uma tentativa de buscar para o partido os nomes históricos que, supõe o PCdoB, lhe dariam maior respeitabilidade. Tanto em russo, a língua preferida do PCB, como em chinês, o idioma do PCdoB, isso se define numa palavra extremamente precisa: falsificação. Se é desse jeito que pretendem salvar o ministro Orlando Silva, é melhor já ir pensando no nome de seu substituto.

Aliás, o PCdoB esqueceu Roberto Freire, que dirigiu o PCB. Discriminação
?    (Carlos Brickmann)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/10


2011

Quem vai piscar primeiro nessa briga?

 A indagação é de Elio Gasperi, na sua coluna deste domingo: ''''Seja qual for o tamanho da caverna do Ministério dos Esportes (e do ervanário nela envolvido), ela é muito menor do que os intere$$e$ da turma da Fifa. A pergunta de dez milhões de dólares é a seguinte: quem piscará primeiro, o supercartola Joseph Blatter, ou Dilma Rousseff?''''

E alfineta mais Gasperi: ''''Há cadáveres no rastro das roubalheiras dos convênios do Ministério do Esportes. Nas confrarias de artes marciais o que não falta é gente capaz de quebrar o pescoço alheio.''''


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Abreu e lima

23/10


2011

Poço sem fundo

 Na ofensiva para conseguir o apoio de políticos a fim de obter novos contratos e minimizar seus graves problemas de caixa, o PanAmericano priorizou o lobby nos fundos de pensão de estatais.
E-mails recolhidos pela Polícia Federal no inquérito que apura o socorro ao banco revelam que, em 2009, os executivos mapearam os políticos que "estariam no comando" dos principais fundos e se dividiram para contatá-los. Na correspondência, diretores do PanAmericano apontam José Sarney (PMDB-AP) como "quem está por trás na verdade" dos maiores fundos de pensão nas áreas elétrica e de telecomunicações.

Sempre ele O então presidente do banco, Rafael Palladino, mandou um subalterno "dar parabéns" a Sarney por ter voltado ao comando do Senado e, em seguida, "pedir abertura" para o PanAmericano nos fundos.(Renata Lo Prete - Folha de S.Paulo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

22/10


2011

Ministério diz ser "ataque leviano" matéria da Folha

 O Ministério do Esporte, em nota divulgada neste sábado, chamou de ataque leviano a reportagem publicada na Folha de S.Paulo deste sábado, que traz o caso de um pastor evangélico que afirma ter sido pressionado a repassar 10% dos R$ 1,2 milhões recebidos da pasta para os cofres do PCdoB, partido do ministro Orlando Silva, que há dias é alvo de denúncias de corrupção.

O ministério diz que repudia a matéria, que, segundo a pasta, ''repete acusações sem provas, não apura (e) apóia-se num acusador envolvido em irregularidades''. ''As afirmações não se amparam em provas. O jornal ataca uma instituição de forma leviana, usando uma entrevista que carece de sustentação. (O pastor) David Castro, sem apresentar qualquer justificativa, se recusa a apresentar o nome do suposto servidor que o teria procurado (para cobrar a suposta propina). Nega-se até mesmo a informar o cargo que seria ocupado por esse suposto servidor'', diz a nota.

A pasta faz duras críticas ao jornal, e diz que, ''na tentativa de criar fato jornalístico'', a publicação ''tenta promover a acusador, um personagem que é cobrado pelo Ministério do Esporte para devolver recursos desviados na execução de (um) convênio'', se referindo ao pastor. Ao contrário do publicado na Folha, o ministério diz que não foi o ministro Orlando Silva que assinou convênio com a Igreja Batista Gera Vida. Por fim, a pasta sugere um pedido de retratação à Folha de S.Paulo, caso não sejam apresentadas as evidências das denúncias.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Deomiro Silva dos Santos

Até um Pastor? um homem de Deus? envolvido em escândalos? o mundo prevalece sobre o divino? É MUITA GENTE QUE GOSTA DE DINHEIRO E FAZ DE TUDO PARA OCUPAR CARGOS CHAVES. PASTOR ACHA POUCO O DINHEIRO DOS FIÉIS E VAI ATRÁS DO DINHEIRO DO Governo. DEUS LIVRA-NOS DESSES MALFEITORES.

Wellington Jorge Pires Pereira

Agora, vou para a festa do santinha e tomar algumas!!! E a cobra vai subir!!!

Wellington Jorge Pires Pereira

Leviano é ele continuar!!!


Prefeitura de Limoeiro

22/10


2011

Bandidos torturam deputado e sua mulher no Paraná

 Ladrões armados invadiram, na tarde de sexta-feira (21), a casa do deputado estadual Luiz Accorsi (PSDB-PR), em Curitiba, e torturaram o político e sua mulher. Segundo a Polícia Civil, os bandidos permaneceram cerca de 1h30 no local e foram bastante agressivos. Accorsi, que tem 62 anos, e sua mulher levaram chutes, coronhadas e socos, foram amarrados e ameaçados com revólveres e facas. Os ladrões chegaram a tentar sufocar a mulher com uma sacola.

De acordo com a Delegacia de Furtos e Roubos de Curitiba, os bandidos sabiam que a casa pertencia a um deputado e tinham detalhes sobre a vida de Accorsi, que é deputado há 17 anos. Eles fugiram em um veículo, levando joias, dinheiro e um revólver que pertencia ao político.

A polícia ainda não tem pista dos bandidos. O sistema de monitoramento da casa, que fica no bairro de Santa Felicidade, não estava funcionando. (G1)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

hbony bituraldo da silva

so assim esses deputados vao fazer leis que esses bandidos nao saiam mais da cadeia .. sebe pq eles fazem isso pq sabem que existe a impunidade.


Banner de Arcoverde

22/10


2011

Oposição: há provas, se Dilma não demitir é conivente

 Depois de mais uma revelação de VEJA sobre o escândalo no Ministério dos Esporte, a oposição intensificou o coro pela saída do ministro Orlando Silva. O líder do DEM na Câmara, ACM Neto (BA), acredita que, se a presidente Dilma não exonerar o subordinado, deixará claro que é conivente com a corrupção. "Se isso não for prova, Dilma legalizará a corrupção no País. Ou toma atitudes, ou ela chancela a corrupção em seu governo. Orlando tem que sair", opina o parlamentar.

A situação do ministro pode gerar um impasse: como fez nos casos anteriores, Dilma espera que o ministro peça demissão. Mas o PCdoB não aceita. "Até agora ela não demitiu ninguém. Se o PCdoB e o Orlando Silva insistirem, não vai restar alternativa senão exonerá-lo", afirma o líder tucano.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

milton tenorio

Tem não Luciana..é o sujo falando do mal lavado..rsrss

S. C. B. M.

DEVERIA TER UMA LEI MO TER Q,QUALQUER POLÍTICO ACUSADO DE DESVIO DE DINHEIRO PÚBLICO SER AFASTADO DAS FUNÇÕES,PRESID.DEP. MIN E PRINCIPALMENTE DO 1º ESCALÃO TODOS Q FOSSEM NOMEADOS PELO PRESIDENTE FOSSE QUEM FOSSE SÓ VOLTARIA DEPOIS DE SER JULGADO E SER ABSOLVIDO PELO SUPREMO

S. C. B. M.

ANTES A DILMA TINHA UM FEFENÇOR O JABASTA; DEVE TER GANHO MUITO PARA DEFENDE LA, HOJE APARECEU A LUCIANA ALVES.

LUCIANA ALVES

Chamar Dilma de conivente é criancice do mesmo. Nãp estamos nos tempos ditatoriais quando o seu avô reinava, e a família enricava. Morei na Bahia e sei estórias do arcxo da velha. Toda entourage da família Magalhães se locupletou.

LUCIANA ALVES

ACM Neto, e todo Brasil sobejamente sabe, faz parte do Grupo que durante décadas se beneficou do maior esquema de corrupção do país. Desviam em beneficio próprio( por isso a família Magalhães é uma das mas ricas da Bahia e do país). Tem moral esse cidadão para emitir qualquer opinião sobre corrupção



22/10


2011

Bêbados sem lei

 Às vezes a prepotência dos boyzinhos infratores é tamanha ("não se incomodem que eu pago o tratamento", "a pintura do carro nem riscou") que se esquece um ponto importante: além do excesso de velocidade, da imperícia, da imprudência, há também a embriaguez.

A lei pune embriaguez ao volante e não há uma ação sequer da Polícia para impô-la. No Rio, houve algumas batidas policiais, que por coincidência atingiram sempre adversários do Governo estadual; em São Paulo, houve algumas batidas, logo após a aprovação da lei. Depois, nada. Sabe-se de onde saem os bêbados, sabe-se que estão prontos para matar e morrer, mas a Polícia não age.

Pede-se a mudança do Código Penal, para alcançar os motoristas bêbados; mas de que isso adianta, se a Polícia não os detiver?   (Carlos Brickmann)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Wellington Jorge Pires Pereira

Tive que sair da festa da COBRA VAI SUBIR para alcamar os nervos de Zé de Góes!!!

Flavio

A torcida da "Coisa" está descontrolada, estão quebrando tudo que se encontra pela frente.



22/10


2011

Mínimo de ministro do STF pode ir a 32 mil reais

 A Câmara decidiu que vão caminhar juntos os dois projetos que tratam do reajuste dos ministros do Supremo – e que, por tabela, repercutem nos salários de toda magistratura, informa Lauro Jardim, na Veja. Em agosto de 2010, Cezar Peluso enviara um projeto para aumentar para 30 000 reais o subsídio de ministro do Supremo. No mês passado, Peluso remeteu outra proposta que, como passará a tramitar colada com a antiga, subiria o contracheque do ministro em 2 147 reais a partir do ano que vem , ficando em R$ 32.147 reais. A propósito, a mesma decisão foi tomada para reajustar o salário dos procuradores da República.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/10


2011

Sarney não deixa vida pública por se achar útil ao país

 Em uma reflexão sobre sua dificuldade de deixar a vida pública após 50 anos e sua revolta com os números da criminalidade e impunidade no país, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), monopolizou o plenário durante a tarde desta quinta-feira. Em discurso da tribuna como um senador mortal, ele disse que se sentia um jovem deputado ao abraçar a causa da mudança do código penal. Ele também defendeu o endurecimento das penas para assassinos, criticou o fato de os homicidas poderem se defender fora da cadeia e comparou os altos índices de criminalidade do Brasil com países que adotam a prisão perpétua e a pena de morte.

''''Ontem (quarta) à noite, umas 11 horas, quando eu presidia a sessão, eu me perguntei a mim mesmo: na minha idade, depois de tanto tempo, eu ali estava debaixo de tensões, emoções, mas procurando cumprir com o meu dever. Então, a minha reflexão foi uma só: a de que a paixão pela vida pública é mais forte do que a paixão da vida'''', disse Sarney ao iniciar seu discurso.

Ainda influi

Em outro trecho, Sarney diz que não abandonou a vida pública porque acha que sua voz ainda pode ter eco: – Confesso que eu ainda não consegui abandonar-me, quer dizer, livrar-me dessa paixão pela vida pública, na qual alguns problemas ainda me fazem achar que a minha voz, a minha presença, a minha denúncia possa ter alguma repercussão.(O Globo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

roberto lima

É o responsável pela mordaça ao Estadão que tentou mostrar a gatunagem do primeiro escalão se sua gang familiar .Se deixar o poder, sua influência desaparece e sua turma poderá (?) ir parar no xilindró.

Oráculo de Delfos

Tenho certeza que a LuciAnta também passou pelo Maranhão. afinal é a terra do Sarney, grande aliado do Messias de Caétes. A LuciAnta é de uma fidelidade invejável...hehehe

S. C. B. M.

ELE NÃO DEIXA POR SER ÚTIL AOS corruPTos DESTE GOVERNO.

Francisco Brito

Já era para ter sumido do mapa politico a mais tempo.

eduardo da silva souza

O MINISTÉRIO DA SAÚDE ADVERTE: O Apoio de SARNEY pode causar um desvio de verba no governo da Presidente DILMA,SARNEY é prejudicial a saúde do povo.



22/10


2011

O chefe era ele; veja aqui toda a trama escandalosa

ISTOÉ

''Saquei R$ 150 mil para Agnelo''

Principal testemunha da Operação Shaolin e ex-funcionário das ONGs que participaram das fraudes no Ministério do Esporte, Michael Vieira acusa o governador do DF e ex-ministro de ser o principal chefe do esquema e de ter recebido propina

Claudio Dantas Sequeira

img3.jpg
ENROLADO
Governador do DF teria comandado as fraudes no
programa Segundo Tempo, de acordo com testemunha

Nos últimos dias, o escândalo dos desvios de verbas de ONGs ligadas ao Ministério do Esporte, detonado pelo policial militar João Dias Ferreira, atingiu em cheio o ministro Orlando Silva e colocou em xeque a administração de nove anos do PCdoB à frente da pasta. Agora, uma nova e importante testemunha do caso pode dar outros contornos à história, ainda repleta de brechas e pontos obscuros. O que se sabia até o momento era que os comunistas, além de terem aparelhado o Ministério do Esporte, montaram um esquema de escoamento de verbas de organizações não governamentais para abastecer o caixa de campanha do partido e de seus principais integrantes. Em depoimentos ao longo da semana, o PM João Dias acusou Orlando Silva de ser o mentor e principal beneficiário do esquema. A nova testemunha, o auxiliar administrativo Michael Alexandre Vieira da Silva, 35 anos, apresenta uma versão diferente. Em entrevista à ISTOÉ, Michael afirma que o atual governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, e ex-ministro do Esporte, hoje no PT, mas que passou a maior parte de sua trajetória política no PCdoB, é quem era o verdadeiro “chefe” do esquema de desvio de recursos do Esporte. Até então, Agnelo vinha sendo poupado por João Dias.

Michael foi a principal testemunha da Operação Shaolin, deflagrada no ano passado pela Polícia Civil do DF e na qual foram presas cinco pessoas, entre elas o próprio soldado João Dias. Seu papel nesse enredo é inquestionável. Michael trabalhou nas ONGs comandadas por João Dias, conheceu as entranhas das fraudes no Ministério do Esportes e, durante um bom tempo, esteve a serviço dos pontas-de-lança do esquema. Sobre esse período, ele fez uma revelação bombástica à ISTOÉ: “Saquei R$ 150 mil para serem entregues a Agnelo (então, ministro)”, disse ele na entrevista.

img4.jpg
COMPLICOU
Denúncias de desvios de verbas do Ministério do Esporte
fragilizaram o ministro Orlando Silva e a administração comunista

Em 2008, Michael já havia denunciado todo o esquema das ONGs no Ministério do Esporte e, desde então, passou a colaborar secretamente com os investigadores. Hoje, se mudou de Brasília e vive escondido. Os depoimentos de Michael serão cruciais para o andamento inquérito 761 sobre o envolvimento de Agnelo, que corre no STJ e deverá ser remetido ao STF pelo procurador-geral da União, Roberto Gurgel. Partícipe do esquema, Michael tem uma série de elementos para afirmar categoricamente que era Agnelo “quem chefiava o esquema”. Durante o tempo em que trabalhou no Instituto Novo Horizonte, o auxiliar administrativo ficou sabendo de entregas de dinheiro e da liberação de convênios, por meio de Luiz Carlos de Medeiros, ongueiro e amigo do governador. “Medeiros falava demais... Sempre comentava que estava cansado de dar dinheiro para Agnelo”, diz. Sobre o ministro Orlando Silva, Michael afirma que ouviu seu nome uma única vez e por meio do delegado Giancarlos Zuliani Júnior, da Deco (Divisão Especial de Repressão ao Crime Organizado). “Contei a Giancarlos sobre a existência de um cofre num depósito de João Dias, em que havia armas e documentos que poderiam incriminar algumas pessoas. Aí ele me perguntou se eu sabia do envolvimento de Orlando Silva e da ONG Cata -Vento”, lembra.

Na entrevista à ISTOÉ, Michael revela ainda que o esquema de fraudes com ONGs de fachada transcende as fronteiras do PCdoB e do Esporte. Atingiria também, segundo ele, o Ministério da Ciência e Tecnologia, então na cota do PSB. Ele conta que chegou a ser convocado pela CPI das ONGs para falar sobre o tema, mas seu nome foi retirado da lista de depoentes na última hora sem qualquer justificativa. Sobre o envolvimento do Ministério de Ciência e Tecnologia, Michael diz que o Instituto Novo Horizonte chegou a assinar convênios com a Secretaria de Inclusão Social, subordinada à pasta, para a instalação de uma biblioteca digital em Natal, no Rio Grande do Norte, no valor de R$ 2 milhões. Esses contratos, segundo Michael Vieira, teriam sido avalizados pelo então secretário, o atual deputado distrital Joe Valle (PSB), amigo de Medeiros e definido no grupo como laranja de João Dias no comando do Instituto Novo Horizonte.

Com todo esse arsenal de informações, entende-se por que a investigação sobre as fraudes do PCdoB no Distrito Federal foi deflagrada a partir de denúncia de Michael ao Ministério Público. O que Michael contou à ISTOÉ, com riqueza de detalhes, também está registrado em outros 11 depoimentos que prestou em sigilo à Polícia, ao Ministério Público e à Justiça nos últimos três anos. Michael e o policial João Dias participavam de um mesmo esquema enquanto Agnelo Queiroz ocupou o Ministério do Esporte. Depois, tomaram rumos diferentes. Agnelo se elegeu governador do Distrito Federal e o PM circula ao seu lado até hoje, mesmo sendo réu em um processo que apura desvio de dinheiro público. No governo do DF, emplacou um afilhado político, Manoel Tavares, na BRB Seguros, a corretora do Banco Regional de Brasília, um dos cargos mais cobiçados do governo local. Até bem pouco tempo atrás, o PM mantinha silêncio absoluto sobre as fraudes das quais participou, confiante de que sua relação com autoridades influentes lhe serviria de salvo-conduto. “Ele fez isso por dinheiro e para se livrar das denúncias que fiz a seu respeito”, afirma Michael. Ele assegura que João Dias tentou silenciá-lo, primeiro com ofertas financeiras, e depois com ameaças de morte. Por causa do assédio, Vieira entrou no Programa de Proteção a Testemunhas. Mas após alguns meses abriu mão da proteção para tentar retomar sua vida. Hoje, Michael vive com mulher e filhos de pequenos bicos e da ajuda de amigos numa cidade do interior de outro Estado. Não se arrepende de ter denunciado o esquema, mas passou a desconfiar de tudo e todos, especialmente depois que foi usado pelo ex-governador Joaquim Roriz para atingir Agnelo na campanha eleitoral do ano passado.

img5.jpg
LUXO
O PM (acima) que delatou o esquema mora numa mansão em
Sobradinho (DF). Em sua garagem, um Volvo, um Camaro e uma BMW

img2.jpg

À ISTOÉ, Michael pediu que seu rosto não fosse inteiramente revelado. A decisão de romper o pacto de silêncio deve-se, segundo ele, à indignação com a postura de João Dias no episódio. “Não posso aceitar que um cara como João Dias pose de bom-moço para a sociedade”. O desabafo, no entanto, não invalida as denúncias a respeito do esquema no Esporte nem as desqualifica, afinal não se espera que pessoas escaladas para participar de fraudes sejam selecionadas num convento. Mas é fato que João Dias tem uma ficha corrida para lá de complicada. Levantamento da ISTOÉ encontrou nada menos que 15 ocorrências policiais contra o PM, que tem fama de truculento. Há acusações de lesão corporal, roubo e ameaças de morte. Brigas no trânsito, dentro de hospitais e até tentativa de golpe na locação de imóveis e na contratação de funcionários para atuar nos convênios do Segundo Tempo.

A trama policial tem contaminado o ambiente político em Brasília. Até o final da semana, a presidente Dilma Rousseff, temendo precipitar uma crise com um importante aliado, o PCdoB, hesitava em mudar o comando do Ministério do Esporte. Na quinta-feira 20, Dilma disse a assessores que não agiria sob pressão e reclamou publicamente do “apedrejamento moral” que o ministro do PCdoB estaria sofrendo. Chamou os comunistas de aliados históricos. “Temos de apurar os fatos, temos de investigar. Se apurada a culpa das pessoas, puni-las. Mas isso não significa demonizar quem quer que seja, muito menos partidos que lutaram no Brasil pela democracia”, afirmou. Em Brasília, Orlando Silva reuniu-se por cinco horas com a cúpula do PCdoB.

Ao chegar de Angola na noite da quinta-feira 20, Dilma Rousseff convocou uma reunião de emergência com a coordenação política do governo. No encontro, comentou que não tinha convicção sobre as denúncias contra Orlando Silva, mas admitiu que o desgaste político sofrido era irreversível. Dilma também consultou o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, sobre o andamento das investigações na Polícia Federal e no Ministério Público. Na avaliação da presidente, as explicações que o ministro dos Esportes deu na Câmara e no Senado não foram suficientes para reverter o quadro. Pesam também contra Orlando os embates com a Fifa e a CBF para a organização da Copa de 2014. Dessa maneira, o mais provável é que a presidente aguarde os desdobramentos do caso para tomar uma decisão de cabeça fria. Nas fileiras comunistas, caso o PCdoB não perca o ministério, o nome mais cotado para substituir Orlando Silva é o da ex-prefeita de Olinda (PE) Luciana Santos, hoje deputada federal. Seu nome já havia sido sugerido por Dilma quando montou a equipe, mas Orlando acabou mantido por pressão do PCdoB – além de apoio aberto do ex-presidente Lula. Caso a presidente resolva retirar a pasta das mãos dos comunistas, já há articulações para tentar emplacar no cargo o ex-ministro Márcio Fortes, hoje presidente da Autoridade Pública Olímpica. Procurado por ISTOÉ, Agnelo estava fora do País e até o fechamento desta edição não havia se manifestado.

img1.jpg
CONTRATO
Empresa Personnalité, dirigida por uma pessoa ligada a João Dias, trabalha para o MP

img6.jpg

mi_9248538113270447.jpg


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

S. C. B. M.

DEVERIA TER UMA LEI MO TER Q,QUALQUER POLÍTICO ACUSADO DE DESVIO DE DINHEIRO PÚBLICO SER AFASTADO DAS FUNÇÕES,PRESID.DEP. MIN E PRINCIPALMENTE DO 1º ESCALÃO TODOS Q FOSSEM NOMEADOS PELO PRESIDENTE FOSSE QUEM FOSSE SÓ VOLTARIA DEPOIS DE SER JULGADO E SER ABSOLVIDO PELO SUPREMO

Wellington Jorge Pires Pereira

Saudações tricolores!!!

Wellington Jorge Pires Pereira

Isso é uma praga!!!!

Wellington Jorge Pires Pereira

Em um país sério, todos três estariam na cadeia!!!

Flavio

Saiu na Veja dessa semana: A força da torcida do Santa Cruz que está em primeiro lugar no Brasil. Isso sim é que uma torcida arretada!