FMO

21/11


2019

Pimentel é condenado a 10 anos e 6 meses

A Justiça Eleitoral condenou o ex-governador Fernando Pimentel (PT) a 10 anos e 6 meses de prisão por tráfico de influência e lavagem de dinheiro, com o agravante de abuso de poder, por ter usado o cargo de ministro para cometer os crimes. O inquérito apurou irregularidades de caixa 2 no período em que Pimentel foi ministro do Desenvolvimento, no governo Dilma, entre 2011 e 2014.

A juíza Divina de Paula Peixôto determinou que a pena seja cumprida em regime fechado, mas o ex-governador poderá recorrer em liberdade.

O empresário Benedito Rodrigues de Oliveira, o “Bené”, que teria prestado serviços para a campanha de Pimentel ao governo de Minas em 2014 e ajudado no esquema de caixa 2, foi condenado a 8 anos de prisão.

Marcos Coimbra, sócio da Vox Populi, e o empresário Márcio Hiran Novaes foram condenados a 2 anos, 9 meses e 18 dias de prisão. A pena foi substituída por prestação de serviços comunitários (1 hora por dia de condenação) e pelo pagamento de 30 salários mínimos.

A decisão afirma que os direitos políticos de Pimentel e dos outros réus serão suspensos após trânsito em julgado da condenação – ou seja, quando não couber mais recurso.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Moro manda, e o porteiro que sabe que milicianos estão na área, obedece por amor à vida!

Fernandes

O fantasma da realidade assombra Carluxo.

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Fica difícil apostar em quem, da petralhada, não vai ser condenado.


Governo de PE

21/11


2019

Pós-verdades de Lula no Recife

Por Tonico Magalhães*

O último domingo (17) teve vários eventos para acompanhar no Recife, ao vivo ou pela tv: como o jogo do Sport; a partida que deu o tetra campeonato mundial à seleção brasileira de futebol sub-17; a corrida de Fórmula Um em São Paulo, o palhaço Chocolate no Morro da Conceição; e até o festival Lula Solto no Pátio do Carmo, com música, poesia, protestos e a fala do Lula da Silva aos convertidos do Partido dos Trabalhadores.

Quero aqui falar das lorotas e exageros do ex-presidiário no seu discurso recheado de pós-verdades, fatos que não condizem com a realidade, como costuma dizer a TV Globo para não chamar de mentiras.

Nas primeiras palavras, afirmou, sem cerimônia, que passou 580 dias trancado numa solitária na Polícia Federal em Curitiba e que só conversava com os advogados e carcereiros, o que todos sabem que não aconteceu. Mandava cartinhas para o PT, recebia correligionários e adeptos, dava entrevistas à imprensa e recebia até políticos de outros países, como o então candidato, depois eleito presidente da Argentina Alberto Fernandez.  

Lula da Silva nunca esteve só ao cumprir parcialmente a sua pena por crimes de corrupção e lavagem dinheiro. Ele disse que saiu da cadeia melhor do que entrou. Há controvérsia nessa afirmação. No Pátio do Carmo foi o sindicalista de sempre, exaltando o que não fez e detonando o que os outros vêm tentando consertar.

Para ele, o atual governo federal  vem destruindo o País. Mas a insuspeita para a esquerda, jornalista Míriam Leitão, acha o contrário e publicou neste mesmo dia n’O Globo um balanço da gestão petista à frente da administração federal.

Disse ela que “quando o PT saiu do Planalto a economia estava em ruínas: o PIB encolheu 3,5%, a inflação havia batido  em 10%, os juros estavam em 14% (hoje estão em 5%), o desemprego havia disparado de 6% para 11,4%  em um ano e meio, a dívida pública subia em espiral, o país perdera o grau de investimento, as contas públicas estavam no vermelho. E há uma falta mais grave da perspectiva de um partido de esquerda: ele transferiu renda para cima”.

O discursante também agrediu verbalmente os culpados de sempre para ele, como Sérgio Moro, Dalton Dallagnol e Jair Bolsonaro. Para Lula da Silva, a Lava Jato tirou 580 dias de liberdade de um cidadão de bem. E que não quis passar para o regime semi-aberto porque sua casa não era prisão nem sua canela era de pombo para usar tornozeleira. Na verdade já esperava a controversa decisão do Supremo Tribunal Federal que liberou os condenados em segunda instância de cumprir pena na cadeia.

Comparou-se aos heróis locais do passado, como Frei Caneca e Padre Roma. E destacou a dignidade dos pernambucanos que ele levou com o pai e a mãe quando a família migrou para São Paulo. Uma afronta aos pernambucanos não convertidos ao credo do PT, uma vez que dignidade não é exclusiva de estados ou regiões, mas, sim, de pessoas íntegras que não se corrompem. Enfatizou ainda, repetindo a frase quando foi preso há um ano e sete meses, que “não era mais Lula, mas uma ideia”. Uma péssima ideia, por sinal.

O saldo dessa passagem pelo Recife foi uma torrente de pós-verdades que nunca serão comprovadas. Lula da Silva fala da boca para fora o que não pode resolver. O escritor e professor israelense Yuval Harari, no seu livro Lições para o século 21, registra que “para bem ou para o mal eleições não têm a ver com o que pensamos. Tem a ver com o que sentimos”. É nisso que aposta o ex-presidiário, conclamando os sentimentos da massa para uma utopia que não existe, nem existirá.

Os blogs amigos do PT e alguns veículos de comunicação, com exceção da TV Globo que ele chamou de mentirosa, noticiaram com ênfase a retomada da caravana petista  e promoveram o maior festival de fake news do domingo passado no Recife.

*Integrante da Cooperativa de Jornalistas de Pernambuco


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Lula é fadástico, os esquerdopatas ficam morrendo de inveja.Pega o Beco.

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Não adianta! O PT e seus satélites não mais existe. O Lula ladrão, o povo já conhece. Ficou, infelizmente em Pernambuco, uma herança política que insiste em enganar o povo com promessas esquerdistas que só fazem afundar cada vez mais nossa falida economia. Espero que nas próximas eleições o Sr. Mendonça Filho, o qual admiro, tenha coragem de assumir a linha liberal que o Bolsonaro assumiu e... ganhou. Parabéns ao Tônico Magalhães.


Prefeitura de Ipojuca

21/11


2019

Bolsonaro sobre emendas: Passa no Posto Ipiranga

As queixas públicas de deputados quanto ao ritmo de liberação de emendas parecem ter surtido efeito. O clima no Congresso chegava próximo ao do motim: a Coluna do Estadão informa que Rodrigo Maia (DEM-RJ) avisou ao Planalto que dificilmente alguma proposta do Executivo seria votada se as liberações acordadas não ocorressem. Em almoço com deputados, Bolsonaro foi cobrado e disse que conversaria com o ministro Paulo Guedes (Economia) para liberar os recursos.

Reportagem do Globo informa que o titular da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, foi ao Congresso conversar com líderes e tentar amainar o clima. Foi ele quem levou expoentes de vários partidos para o almoço com Bolsonaro. Eles disseram ao presidente que o governo precisa “honrar seus acordos“, e ouviram a resposta de que Bolsonaro vai falar com Guedes.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Parece até verdade. As emendas estão sendo liberadas normalmente. A imprensa vive a inventar notícias por não ter o que falar mal do atual Governo.


Prefeitura de Abreu e Lima

21/11


2019

As excelências e suas apreensões

Por Cássio Rizzonuto

Não há, em sã consciência, cristão-novo que entenda as razões pelas quais os partidos da chamada esquerda estejam contra a prisão em segunda instância. Sabe-se, é claro, que eles defendem o ex-presidente Lula da Silva, um dos maiores assaltantes dos cofres públicos de que se tem notícia no mundo. Mas isso só não se justifica.

Lula da Silva é aquele bandido que afirma gostar de mentir (o Youtube fervilha vídeos com ele próprio confessando) e que destinou bilhões de reais do dinheiro público para o financiamento do esquerdismo na América Latina. Condenado em três instâncias, o ex-presidente foi solto, em decisão vergonhosa do STF, e vive atacando a todos.

A democracia no Brasil, segundo o professor Modesto Carvalhosa, corre grande perigo por conta do STF. Ele defende o impeachment dos ministros Dias Toffoli Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski, “para início de conversa”. Nesta quarta-feira (20), no STF, Gilmar Mendes disse que ele era “falso professor, reprovado em concurso”.

Carvalhosa retrucou, desafiando Gilmar Mendes a provar o que disse, lembrando que reprovado “foi o presidente do STF, Dias Toffoli, em dois concursos de primeira instância”. O professor acrescentou que Toffoli “é medíocre defensor do PT que só ascendeu ao STF por serviços prestados ao PT como advogado de eficiência duvidosa”.

O fato é que os integrantes da Suprema Corte estão extrapolando todas as medidas. Decidindo situações que não encontram respaldo constitucional, pois criam realidade paralela. Os ministros têm afundado o país na insegurança jurídica e os seus atos podem causar graves danos à economia.

O grande problema é que o Senado, que é quem pode afastar ministro do STF, não se movimenta e deixa que tudo fique à deriva. Um ministro como Gilmar Mendes se sente absoluto, pois sabe ser muito difícil sofrer punição.

Num Congresso Nacional onde a maioria dos 513 deputados e dos 81 senadores possui alguma pendência judicial, medos e receios eletrificam o ambiente. Se um ministro do STF se sentir encurralado, se ele achar que pode ser agarrado, basta renunciar e tudo cessa. Ganha gorda aposentadoria e vai flanar em outros ambientes.

O Judiciário brasileiro é Poder que envergonha com o seu mar de corrupção generalizada. Agora mesmo, na Bahia, o presidente do Tribunal de Justiça, Gesivaldo Nascimento Britto, foi afastado do cargo sob suspeita de estar vendendo sentença. O TJ emitiu nota dizendo-se “surpreso”, mas não é a primeira vez que tal acontece.

Em novembro de 2013, o então presidente do mesmo Tribunal, Mário Alberto Simões Hirs, foi afastado sob a acusação de corrupção e o TJ emitiu nota dizendo-se “surpreso”. Todas as vezes que pegam gatuno ali dentro, o ambiente “se surpreende”.

É bom que se ressalte que quatro anos depois Mário Alberto foi absolvido pelo CNJ cujo corregedor, à época, chamava-se João Otávio de Noronha. Vamos aguardar e ver o que acontece com a montanha de acusações contra Gesivaldo Britto. A ex-ministra Eliana Calmon (STJ), denunciou muita coisa e nada foi apurado. Ficaram todos calados.

Vamos torcer no sentido de ver o ministro Sérgio Moro (Justiça), aprovando seu pacote anticrime, numa Câmara presidida por Rodrigo Maia (o Botafogo) e num Senado sob a batuta de Davi Alcolumbre. É tudo muito lento e difícil, mas não se deve duvidar. Os congressistas sabem que, se aprovarem o pacote, grande parte deles será presa.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Parabéns Cássio. Depois da Constituição Cidadã quando as esquerdas assumiram de fato o Brasil, começamos a afundar. Com o PT e seus partidos satélites, o País naufragou de vez. Incompetência, roubo, institucionalização da corrupção e o aparelhamento do STF foi a herança maldita dessa corja.

walber brito

A verdade poderia ser dita, essa PEC 199/99 aprovada ontem, modifica os artigos 102 e 105 da constituição, inviabilizando recursos tanto no STF como principalmente no STJ, com isso o transito julgado na segunda instância pega tudo agora, crimes nas areas: criminal, trabalhista e tributária, não passará no plenário, e não é por causa de LULA e sim pelos Dep. e Sen. empresários, essa é a verdade que vocês escondem da população.

walber brito

A verdade poderia ser dita, essa PEC 199/99 aprovada ontem, modifica os artigos 102 e 105 da constituição, inviabilizando recursos tanto no STF como principalmente no STJ, com isso o transito julgado na segunda instância pega tudo agora, crimes nas areas: criminal, trabalhista e tributária, não passará no plenário, e não é por causa de LULA e sim pelos Dep. e Sen. empresários, essa é a verdade que vocês escondem da população.



21/11


2019

Lançada a campanha "Vamos ajudar Belo"

Aos que se sensibilizaram com a triste notícia do quadro depressivo do radialista Reinaldo Belo, um quadro atual passado pela família e minha amiga Madá, jornalista contemporânea do tempo que trabalhei no Diário de Pernambuco.

Ele está internado num hospital em Uberlândia, no triângulo mineiro, acompanhado pela esposa Nadja. Meu médico Denisson Monteiro entrou em contato com ela e dela recebeu informações terríveis da falta de solidariedade na fase que estava penando em Pernambuco em Upas e hospitais públicos.

Sem ajudas, se abriu uma janela para tratamento em Minas. O que podermos fazer? Só nos resta agora orar e ajudar financeiramente. Madá me passou as informações abaixo.

O telefone de Nadja, a  mulher de Reinaldo, é 62 - 992800861. 
Conta para o depósito:

Caixa - Conta Poupança - Nadja Ferreira x Belo - Ag. 0867 - Operação - 013 - Conta - 00014163 - 8 ( e ) Banco do Brasil - Conta Poupança - 621.677 - 2 - Ag. - 0007 - 8 - Operação -  51 

A conta do Banco do Brasil é Nadja F x Belo. Poupança também.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

21/11


2019

Coluna desta quinta na Folha

Pré-sal já sai em dezembro

Estados e Municípios vão ter o dinheiro da cessão onerosa do pré-sal mais cedo do que esperavam. A boa notícia foi dada, ontem, em Brasília, pelo presidente da Confederação Nacional dos Municípios, Glademir Aroldi. Segundo ele, o Governo Federal vai depositar R$ 5 bilhões nos cofres dos governadores e prefeitos no dia 27, com liberação três dias depois, dia 30.

O anúncio foi festejado, mas Estados e Municípios só podem usar a grana em investimentos ou cobrir o passivo da Previdência. Folha de pessoal está proibida. O volume de recursos poderia ter sido bem maior se o Governo tivesse arrecadado o que previa - um valor acima de R$ 1 trilhão. Os lotes leiloados renderam R$ 70 bilhões.

Mesmo assim, é uma grana razoável para Estados e Municípios quebrados, sufocados, sem uma política arrojada de ajuste fiscal. A agilidade na liberação também foi algo extremamente positivo.

Liderança nacional – Tem um pernambucano em alta no Congresso na esfera municipalista. É o deputado Silvio Costa Filho (PRB). Presidente da Frente Nacional Mista por um Novo Pacto Federativo, Silvinho, como é mais conhecido, ganhou visibilidade nacional pelas causas mais nobres que vem defendendo em busca do fortalecimento dos municípios.

Nem parece – Silvio Costa Filho chama atenção também na Câmara pelo jeito fino de tratar os companheiros de parlamento. Alguns que começam a ligar ele ao pai, o ex-deputado Silvio Costa, marcado pelo pavio curto e a forma barulhenta de pautar a mídia, tomam susto. “Esse deputado tão educado é filho de Silvio?”. Assim, reage a maioria.

Bomba – Brasília virou um pandemônio, ontem, com a notícia antecipada pela mídia online de que estaria prestes a ser estourada uma bomba de alto teor explosivo no gabinete do presidente Bolsonaro. O tic-tac deixou muita gente nervosa. Pegaria um dos filhos do rei.

Independente – Numa sinalização de que não se rende às pressões do PSB, pelo qual foi punido por ter votado a favor da reforma da Previdência, o deputado Felipe Carreras já se decidiu em apoiar a proposta de prisão após condenação em segunda instância.

Contramão – Já o senador Humberto Costa, líder do PT no Senado, age para atrapalhar a tramitação da PEC que trata da prisão em segunda instância. Tem as suas digitais o pedido que atrasa a tramitação na Casa Alta da proposta do senador Lasier Martin (Podemos-RS).

JUSTIÇA – Duas homenagens justas prestadas pela Câmara Federal, ontem, com a Medalha do Mérito Legislativo: os ex-senadores Marco Maciel e Armando Monteiro Neto, o primeiro por indicação de Augusto Coutinho (SD) e o segundo por sugestão de André de Paula (PSD).

Perguntar não ofende: Recife campeã em desemprego: culpa do PSB ou consequência da crise econômica?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

E agora PT, perdeu as ruas, acabou a Mortadela e o ladrão presidiário Lula aonde passa é vaiado. Tchau Querido.

marcos

Só lembrando, Lula o ladrão presidiário saqueou a Petrobras, quebrou o Brasil, deixou 13 milhões de Desempregados e mandou matar Celso Daniel.

Fernandes

Presidente Jair Bolsonaro garante que o óleo não chegará às praias de Minas Gerais.

Fernandes

Dólar R$ 4,20. Gasolina R$ 4,85. Gás de cozinha R$ 85,00. Desemprego 13% Sem direitos trabalhistas. Aposentadoria tardia. Estado desigual. Instabilidade econômica.

Fernandes

Bolsonarismo é uma ideologia de classe média americanizada, ressentida.


Prefeitura de Limoeiro

21/11


2019

Joaquim destaca segurança em Gravatá

Em Brasília, Prefeito Joaquim Neto representa Gravatá durante audiência pública sobre segurança.

O Prefeito de Gravatá-PE, Joaquim Neto, foi um dos participantes da Audiência Pública Extraordinária da Comissão de Segurança e Combate ao Crime Organizado, que foi realizada nesta quarta-feira (20), na Câmara dos Deputados, em Brasília. O convite feito ao prefeito teve como motivo a diminuição dos índices de violência no município, fato que colocou a cidade no primeiro lugar do ranking dos municípios menos violentos do Projeto Cidade Pacífica, no estado de Pernambuco. 

Ao lado de autoridades, como o Deputado Federal, Eduardo da Fonte, e o Procurador Geral da República, Dr. Francisco Dirceu Barros, o Prefeito Joaquim Neto compôs a bancada da câmara para falar sobre o trabalho da gestão municipal, ao unir forças da segurança pública, organizações não governamentais e sociedade civil em prol do combate à violência, que tem transformado Gravatá em exemplo nacional. 

O título de cidade mais pacífica foi concedido ao município no dia 05 de setembro pelo Ministério Público do Estado de Pernambuco – MPPE, órgão responsável pelo Programa Cidade Pacífica, que teve a adesão de 73 municípios pernambucanos. Criado em 2018, o projeto tem o objetivo de promover ações de combate à criminalidade no estado, através dos esforços e planos estratégicos dos municípios. 


"O projeto cidade pacífica tem apenas um ano e surgiu de uma ideia básica presente na Constituição Federal, artigo 144, que diz que a segurança pública é dever do estado, direito e responsabilidade de todos. Mas toda forma de segurança pública, se for vertical, se vier da União para a população, se não contar com a colaboração dos municípios, está fadada ao insucesso. Identificamos que a violência tem fatores multifatoriais, como a face cultural, genética, econômica, socioeconômica e geográfica. Sendo assim, pensamos em um programa, no qual os municípios se envolvessem para resolver a criminalidade específica vivenciada em cada lugar. Os promotores de cada cidade se reúnem com as gestões de cada cidade e, juntos, cumprem uma agenda com eixos estabelecidos pelo programa, como a criação de uma mesa municipal de segurança, por exemplo", explicou o Procurador Geral de Justiça do MPPE, Dr. Francisco Dirceu Barros.

Durante o evento desta quarta, o Deputado Federal, Eduardo da Fonte, que presidiu a audiência, elogiou a atual gestão de Gravatá, que mesmo diante de diversos empecilhos, conseguiu elevar a cidade a uma posição de destaque.   

"Gravatá foi uma cidade que Joaquim assumiu em 2017, após uma intervenção. Havia um caos instalado naquele momento. A cidade estava repleta de problemas seríssimos na área  administrativa, mas, hoje, está aí, como um exemplo de experiência que deu certo. É observando e se espelhando nesses projetos exitosos que a gente pode repassar essas histórias para outras cidades do Brasil e melhorar a segurança pública em todo o país", destacou.

O Deputado Federal, General Girão, também enalteceu o desempenho do município e fez um apelo para que o projeto seja levado para outros estados do Brasil.

"Nós temos que analisar mais a fundo onde é a raiz dessa violência que assola o nosso país e fazermos um esforço, para que Gravatá não seja um exemplo isolado, porque os outros municípios não irão conseguir resolver seus problemas sozinhos. Deixo meus parabéns ao município por dar um passo à frente e unir forças em prol da segurança", enfatizou.

O Prefeito Joaquim Neto enumerou algumas das ações que resultaram na diminuição do índice de violência em Gravatá e pediu o apoio da esfera federal para dar continuidade aos projetos.

"Segurança pública se faz através da colaboração de todos e, foi com esse pensamento, que unimos forças e mobilizamos tantos parceiros, que foram essenciais. Mas não vamos parar por aqui. Iremos investir 7 milhões de reais na iluminação de ruas com lâmpadas de led inteligente e com câmaras de monitoramento. Estamos investindo em construção de escolas em tempo integral, quadras poliesportivas, incentivo ao esporte, cursos profissionalizantes para capacitar os jovens para o mercado de trabalho e estamos com um projeto pronto para a instalação de uma muralha digital, para termos a tecnologia do videomonitoramento em nossa cidade. Estamos fazendo isso em um momento em que estão sendo dadas mais atribuições ao município e menos recursos. Nós queremos levar nossos projetos adiante e, para isso, precisamos do apoio de outras esferas, como a estadual e a federal", registrou.

Além do Prefeito Joaquim Neto, do Deputado Federal, Eduardo da Fonte, e do Procurador Geral da República, Dr. Francisco Dirceu Barros, também compuseram a mesa do evento a Conselheira do Conselho Nacional de Justiça – CNJ, Maria Tereza Uille Gomes, o Coordenador de Políticas Municipais de Segurança Pública da Secretaria Nacional de Segurança Pública, representando o Ministério da Justiça, Gustavo de Souza Rocha, e o Promotor de Justiça do Distrito Federal e Territórios, representando o Conselho Nacional do Ministério Público – CNMP, Antônio Henrique Graciano Suxbeger. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

21/11


2019

Dudu da Fonte abre debate sobre violência

A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara Federal discutiu, nesta quarta-feira (20), o projeto “Cidade Pacífica”, implantado em 72 municípios pernambucanos.

O objetivo da audiência, presidida pelo deputado federal Eduardo da Fonte, foi apresentar o projeto-piloto desenvolvido em Gravatá para ser utilizado como referência em outros estados brasileiros.

Na ocasião, o procurador-geral de Justiça do Estado de Pernambuco, idealizador do programa, Francisco Dirceu Barros, destacou que o projeto foca peculiaridades de cada cidade: “A violência tem vários fatores. Devido a isso, pensamos em um programa em que os municípios pudessem resolver a sua criminalidade nos pontos específicos da região.  

A conselheira do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) Maria Tereza Uille Gomes parabenizou pelos dados  positivos alcançados e fez um convite para um novo encontro em janeiro para verificar as situações que podem demandar um ajuste legislativo na Câmara Federal, usando o exemplo da cidade de Gravatá.

Para o autor do pedido de audiência, o deputado federal Eduardo da Fonte, a experiência pode ser expandida a outras cidades do Brasil. “Gravatá vem fazendo uma grande gestão e, com certeza, o exemplo será expandido para outros municípios pernambucanos e brasileiros”.   

 “Gravatá tem procurado fazer mais com menos recursos. Segurança, hoje, é uma responsabilidade de todos. Não adianta o prefeito jogar o problema para os Estados ou para a União, temos que enfrentar o problema”, destacou Joaquim Neto, prefeito de Gravatá.

Criado em 2018 pelo Ministério Público de Pernambuco, o Cidade Pacífica tem o objetivo de promover ações de combate à violência nos municípios em nove eixos: guarda municipal; Iluminação pública; segurança nos estabelecimentos comerciais/bancários; proteção integrada nas escolas; empresas solidárias; transporte pacificador; esporte pacificador; pacificação de bares e similares (Operação Bar Seguro).

 Atualmente, a cidade de Gravatá é considerada a primeira no ranking, com o menor índice de violência em Pernambuco, entre 72 municípios.

Estavam ainda presentes na audiência o chefe de gabinete do Ministério Público de Pernambuco, o promotor Paulo Augusto de Freitas; o  coordenador de Políticas Municipais de Segurança Pública (SENASP), Gustavo Souza Rocha; o conselheiro do Conselho Nacional do Ministério Público(CNMP), Antônio Suxberger, além dos deputados federais Felipe Carreiras, Silvio Costa Filho, Danilo Cabral, Wolney Queiroz e o ex-parlamentar Marinaldo Rosendo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Shopping Aragão

21/11


2019

Família diz que federalizar investigação é "retrocesso"

Caso Marielle

Família de Marielle diz em carta a ministros do STJ que federalizar investigação é "retrocesso".

Marielle Franco, em foto de novembro de 2017 — Foto: Mario Vasconcellos/Câmara Municipal do Rio de Janeiro/AFP/Arquivo

Do Blog da Andrea Sadi

 

"Apelamos à sensibilidade dos excelentíssimos(as) senhor(as) ministro(as) para essa demanda da família de Marielle Franco, principal interessada na devida investigação, elucidação e responsabilização dos executores e do(s) mandante(s) do assassinato da vereadora e de Anderson Gomes. Esse pedido é movido pela convicção de que a apuração está sendo bem conduzida e que a sua federalização representará um retrocesso lamentável", acrescenta a família, em outro trecho.

O documento é assinado por cinco familiares de Marielle, entre os quais Monica Benício (viúva) e Aniele dos Reis (irmã). A carta foi entregue pelo deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ) à relatora do caso, ministra Laurita Vaz.

Freixo tem feito um périplo em gabinetes da Corte para discutir o assunto. Ao blog, o deputado disse ter ouvido de um ministro que o fato de a família de Marielle se posicionar contra a federalização é algo importante.

"Estamos conversando para mostrar quão grave seria a federalização. Os investigadores estaduais avançaram de forma positiva para elucidar o caso. A carta traz argumentos da família, contra a federalização", disse.

Conforme o G1, o STJ avalia criar uma força-tarefa composta por policiais estaduais do Rio de Janeiro e policiais federais para investigar as mortes de Marielle e do motorista Anderson Gomes.
A TV Globo apurou que a conversa com o deputado sensibilizou a relatora. Antes, havia uma tendência maior a federalizar o processo. Por isso, o gabinete estuda uma via alternativa, que contemplaria as linhas investigativas tanto das autoridades estaduais quanto das autoridades federais.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


21/11


2019

STF julga caso envolvendo Coaf, Receita, BC e MPF

Nelso JR/SCO/STF

Do G1 

 

O Supremo Tribunal Federal (STF) começou a julgar se informações sigilosas levantadas por órgãos de controle e inteligência financeira -- como o antigo Coaf (hoje UIF), a Receita e o Banco Central -- podem ser compartilhadas com o Ministério Público para investigações sem precisar de autorização da Justiça.

Dias Toffoli foi o primeiro a votar e propôs restringir o uso desses dados para evitar abusos. Num voto longo, de mais de 4 horas, o ministro também defendeu que as mais de 900 investigações suspensas por decisão dele sejam reavaliadas caso a caso. Entre esses inquéritos está o que investiga o senador Flavio Bolsonaro.

O julgamento continua hoje, com os votos dos demais 10 ministros. O primeiro será Alexandre de Moraes.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha