Faculdade de Medicina de Olinda 2

11/07


2009

Multa à Petrobras provoca saída de Lina Vieira

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, decidiu demitir a secretária da Receita Federal, Lina Vieira, e já comunicou isso a ela, numa conversa esta semana, informa Jorge Bastos Moreno. Mantega ficou muito irritado desde que O Globo revelou, em maio, que a Receita investigava a Petrobras – depois multada – num processo que acelerou as articulações para a criação da CPI da Petrobras no Senado. Além de, como superior hierárquico, não ter sido informado de que a Receita aplicara punição milionária à maior empresa do país, Mantega ainda ficou em situação desconfortável por ser membro do Conselho de Administração da Petrobras.

O novo secretário da Receita vai ser escolhido pelo secretário-executivo do ministério, Nelson Machado, que já vem comandando informalmente a Receita. Lina Vieira, a primeira mulher a comandar a Receita, ficou apenas 11 meses no cargo, o menor tempo de permanência de um secretário. Sua passagem também foi marcada por forte queda de arrecadação, informou O Globo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Jonas

Pensava que a queda da receita era culpa da marolinha, mas já acharam alguem para culpar.

Gilberto Carvalho Moura

A mãe de Mução não teve o desempenho esperado. Dançou!

Jair Lima Lopes de Vasconcelos

A demissão foi política. Agora querem uma justificativa técnica. Essa turma do PT não toma jeito.

uilma

Essa criatura tem um jeito de pirua.


Detran

11/07


2009

Prefeitura fará mutirão de limpeza amanhã

Depois de romper com a Qualix e assinar um contrato emergencial com a Vital Engenharia Ambiental, uma das empresas do Grupo Queiroz Galvão, na última terça-feira para atuar na coleta do lixo, a Prefeitura do Recife vai realizar amanhã o primeiro mutirão de limpeza em 16 bairros da cidade com a nova empresa.

Depois de meses enfrentando problemas na coleta do lixo, principalmente nos bairros da zona norte da cidade, o trabalho deste final de semana vai tentar regularizar o serviço.

Segundo informações da prefeitura, durante o mutirão, além da remoção do lixo domiciliar, que já era executada nas ações anteriores, haverá atividades de poda, varrição, capinação e lavagem de ruas. A operação será acompanhada pelo prefeito João da Costa.(pe360graus)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

13° Bolsa Familia

11/07


2009

Desconheço existência de arquivo JS-2, declara Moreira

 

 

 

 

 

 

 

 

Desde que perdeu o banco Santos, Edemar Cid Ferreira vem amargando um período de purgação. O ex-banqueiro garantiu a VEJA que o Santos nunca foi depositário de recursos de terceiros no exterior, inclusive qualquer quantia de propriedade do senador José Sarney.E acrescentou: "Desconheço a existência de um arquivo JS-2 em meu computador. Não sei quem criou, quando e com que propósito".

O arquivo JS-2, segundo os registros digitais que podem ser verificados no próprio computador do ex-banqueiro, foi criado no dia 3 de julho de 2001, às 10h05, por uma funcionária chamada Vera – mais precisamente Vera Lúcia Rodrigues da Silva, secretária de Edemar, a mesma que, de acordo com a polícia, operava as contas e fazia os pagamentos clandestinos do Banco Santos. Com a palavra final, a Justiça. (VEJA)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro

11/07


2009

Fiz transferência por conta própria, diz ex-banqueiro

Envolvido em uma espiral de denúncias desde que assumiu o comando do Congresso, o senador José Sarney também é mencionado de maneira explícita numa agenda em que o ex-banqueiro Edemar Cid Ferreira  lista tarefas que precisava cumprir no dia 1º de novembro de 2004 – onze dias antes da intervenção do BC em seu banco.

A agenda deixa evidente que a relação entre o senador e o ex-banqueiro não era apenas de amizade ou interação intelectual. Em um dos itens, logo abaixo do nome de Sarney, aparece o nome da estatal Eletrobrás. A empresa, comandada por gestores indicados pelo senador desde o início do governo Lula, é uma das patrocinadoras do fundo de pensão Real Grandeza.

Dos cinco maiores fundos de pensão que perderam recursos com a quebra do banco, o Real Grandeza foi o maior prejudicado. Sofreu um prejuízo de 153,6 milhões de reais. O Nucleos foi outro fundo que ficou no prejuízo com a liquidação do Santos. Ele pertence aos empregados das estatais do setor nuclear, uma área notoriamente controlada por pessoas indicadas pela ala do PMDB mais ligada a Sarney.

A relação entre o ex-banqueiro e o senador sempre foi pontuada por episódios estranhos. Há cinco anos, um dia antes da intervenção do BC no Santos, Sarney conseguiu retirar 2,2 milhões de reais que tinha investido no banco do amigo. Entre as centenas de aplicadores no banco de Cid Ferreira, Sarney foi o único que conseguiu salvar suas economias, escapando do bloqueio imposto pelo BC aos outros investidores.

O presidente afirmou, então, que mandara sacar o dinheiro por causa dos rumores no mercado dando conta da péssima saúde financeira do Santos. Sarney negou ter recebido informação privilegiada.

Em entrevista a VEJA, o ex-banqueiro Edemar Cid Ferreira disse ter ordenado a transferência por conta própria. "Sarney nunca me pediu para retirar o dinheiro do banco. Eu que o fiz", afirmou. A explicação sobre a origem do dinheiro também não convence muito.(VEJA)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

roberto lima

Por que esse cretino cara de pau não transferiu tambem as economias daquela velhinha que vivia de uma mísera pensão?



11/07


2009

Veto a imagem de rivais volta à tona

Mal deixou a Câmara, a proposta de reforma eleitoral já começa a criar polêmica no Senado. A base governista se mobiliza para ressuscitar a emenda que proíbe os partidos de usar imagens de adversários na propaganda política em 2010, derrubada pelos deputados federais. Já os oposicionistas preparam munição para manter a blindagem de fora da nova lei.

O texto que chegou ao plenário da Câmara na quarta-feira vedava a utilização de “imagem ou voz” de candidatos adversários nas propagandas das candidaturas. Com isso, os oposicionistas não poderiam explorar, por exemplo, a famosa expressão “relaxa e goza”, da ex-ministra do Turismo Marta Suplicy, durante o auge do caos aéreo. A restrição acabou rejeitada pelos parlamentares, informou o Correio Braziliense.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Magno coloca pimenta folha

11/07


2009

Sarney nega existência de ''conta secreta''

A relação íntima e histórica de José Sarney com Edemar Cid Ferreira, os negócios do ex-banqueiro em áreas de influência política do senador e a coincidência entre as iniciais JS são, repita-se, apenas evidências, quase inequívocas, sim, mas apenas evidências, de que ambos se associaram na prática dos delitos financeiros consubstanciados nos documentos em poder da Justiça.

A dúvida sobre se as iniciais JS se referem mesmo a José Sarney não existe. A prova disso está em outro documento em posse da Justiça ao qual VEJA teve acesso: a agenda de Edemar. A letra "J" registra nomes conhecidos como José Serra, Jô Soares, Jayme Sirotsky, Jorge Santana e João Santos.

Entre nomes completos está a sigla "JS". Clicando em cima das iniciais abre-se uma página intitulada "Contatos JS". Nesse arquivo estão armazenados todos os endereços de José Sarney em Brasília e em São Paulo e todos os telefones, inclusive de secretárias, ajudantes de ordens e seguranças do presidente em Brasília, São Luís e Macapá.

"As referências a José Sarney em muitos documentos encontrados no banco eram feitas simplesmente pela sigla JS", confirma um dos auditores do Banco Central que participaram do processo de liquidação do Santos e não pode se identificar.

A suspeita de que mantinha uma arca milionária e secreta no exterior, administrada pelo amigo banqueiro, é terrível para o presidente do Congresso porque suas declarações de imposto de renda não registram dinheiro no exterior no período contemplado pela contabilidade do Banco Santos.

Além disso, os dólares de "JS" equivaliam a 1,7 milhão de reais em 1999 – 74% do patrimônio total declarado por Sarney à Justiça Eleitoral em 1998, quando concorreu ao cargo de senador pelo Amapá.

Questionado por VEJA sobre a existência de recursos de sua propriedade no exterior, entre 1999 e 2001, o senador foi enfático. Por meio de sua assessoria de imprensa, Sarney informou que não manteve recursos fora do país nesse período.(VEJA)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Carlos Odair da Luz Sá

Faça um favor à Nação, coronel Sarney: Saia de cena, se aposente...

uilma

Apredeu com o companheiro Lula, não sabe de nada, mas de Deus nada se esconde.

Paulin de Caruaru.

Diante da falta de justificativa para tanta bandidagem,a alegria dos Petistas agora é salientar o podre dos outros."Sempre foi assim e deixa como está" é a teoria do momento.

roberto lima

O desfecho do "affair" das contas secretas já É CONHECIDO: quando esfregarem nas "ventas" dele os comprovantes, vai sobrar para o seu auxiliar que certamente errou de banco , como a casa sobrou para o contador.

roberto lima

A criese é do senado. Todos ou quase todos são podres e para olhar a cara deles é preciso tampar o nariz. Porém as evidencias contra o sujo sarney são em quantidade e em qualidade tais que impossibilitam ao mais ingenuo cidadão defende-lo de uma punição. Depois , os outros com o mesmo rigor.


Banner de Arcoverde

11/07


2009

Apoio do PP a Guerra gera crise na base de Eduardo

Porta-voz do partido do governador Eduardo Campos, o presidente estadual do PSB, Milton Coelho (foto), anunciou ontem que o governo não aceitará de nenhum partido da base aliada "apoio pela metade" na eleição de 2010. "Não compreendemos nenhum posicionamento de legendas da base que seja meio apoio. Não é possível apoiar o governo e não a chapa majoritária. Essa posição não é só do PSB, mas dos demais partidos aliados", criticou Coelho, revela matéria de Cláudia Eloi, no Diário de Pernambuco.

O enquadramento do socialista aconteceu um dia após o deputado federal Eduardo da Fonte (PP) anunciar que, mesmo sendo integrante da base governista, apoiará a reeleição do senador da oposição, Sérgio Guerra (PSDB). Na última quinta-feira, Eduardo da Fonte revelou que, mesmo estando no palanque da reeleição de Eduardo Campos, estaria livre para decidir quem apoiaria para o Senado.

O anúncio oficial do apoio a Sérgio Guerra está agendado para a próxima segunda-feira, à tarde, na sedo do PP. Ao saber da reação de Milton Coelho, o parlamentar disse que não discutiria o assunto com intermediários. "O governador é quem tem que falar. Vou discutir diretamente com Eduardo e não por intermediários", assegurou.

Por telefone, Milton Coelho ressaltou que a posição do deputado é extemporânea e que é consenso entre os partidos da base que o condutor da sucessão eleitoral é o governador Eduardo Campos. "Não se pode contaminar 2009 com disputas eleitorais que só ocorrerão em 2010. Os candidatos ao Senado não foram sequer definidos. A unidade tem que ser preservada. Não podemos abrir exceção", afirmou Coelho.

Em sua avaliação, o eleitor não entenderia um apoio pela metade. "Em que palanque vai estar o PP? O eleitor vai se perguntar", criticou. Ele acrescentou que tentou falar com Eduardo da Fonte, mas não foi possível porque o parlamentar estava em Brasília. "Falarei com ele no fim de semana ou na segunda-feira", garantiu. As lideranças dos demais partidos que compõem a base do governo foram unânimes ao declarar que a decisão de Eduardo da Fonte é uma posição isolada.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Junior Bernardino de Albuquerque

Ô camboi de bestas, vou revelar uma coisa dita por um deputado da base de Eduardo, mais de dose deputaados da base dele só esta esperando e brecha para trocar de partido e ir apoia Jarbas e Sergio Guerra, ano que vem só vai dar Jarbas, deu uma pisa no vei, agora vai dar no neto

bernardino cintra

Sergio guerra, jarbas e mendonça devem estar rindo a toa com essa onda de traiçoes. Eduardo ñ tem do que reclamar. Sergio guerra consegui o que queria, dividir os governistas, quer ser reeleito e eduardo que se dane. As traiçoes vao virar bola de neve

bernardino cintra

Quem começou a estimular traiçoes foi eduardo campos no sao joao de sergio guerra. Agora ñ vai ter autoridade p/cobrar fidelidade aos aliados. No ultimo ano de governo, pior ainda. De traição em traição, dudu beleza está ameaçado de perder eleição.

Fabio Leite Macedo

vivemos numa democracia, o apoio é dado a quem quer esse lembre é um ditadorzinho de meia tigela,um tolo que vive dados palpites idiotas.

Felipe Vasconcelos

De bobo, esse Dudu da Fonte não tem nada. Sem essa.



11/07


2009

Inocêncio também sinaliza para Sérgio Guerra

Da coluna de Marisa Gibson, no DP: "O deputado federal Inocêncio Oliveira (PR) afirma que não tem nenhum problema em apoiar a candidatura de Sérgio Guerra (PSDB) ao Senado em 2010. E Guerra, que já conquistou o apoio do PP, de Eduardo da Fonte, afirma que vai juntar a esquerda todinha em seu palanque. Ontem, o senador tucano foi a Petrolândia conversar com o prefeito Lourival Simões, do PR.

Inocêncio Oliveira tem o controle de cerca de 700 mil votos no estado. Ou seja, decide uma eleição no estado. Por enquanto, em relação ao Senado, o deputado só declarou seu apoio à candidatura de João Paulo. Ele ainda não conversou nem com Armando Monteiro Neto (PTB) nem com Sérgio Guerra. Mas, por esses dias a agenda do deputado vai ficar mais movimentada.

Inocêncio Oliveira enfatiza que tem um relacionamento pessoal e político muito bom com Sérgio Guerra e que trabalhou bastante para sua candidatura ao Senado, em 2002. O deputado salienta também que gosta muito do senador Marco Maciel, mas não quer conversa com o DEM. Como se vê, muita água ainda vai passar por debaixo do palanque governista. E Armando Neto que se cuide.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

uilma

Esse cara fura poço pra lavar suas motos da concecionaria com maquina do governo, enquanto o povo pobre na seca suas cabras morre de sede, e ainda tem 70 mil votos, ja sei que povo è besta, fora os escravos que foi descoberto em sua pequena fazenda, toma vergonha.

bernardino cintra

Governador dudu beleza, lembra-te do seguinte: trair e coçar, é so começar. Se a coceira da traição de espalhar no governo, eduardo campos será a vitima

Wellington Antonio Cabral Ribeiro Júnior

Abre o olho Armando ! Tão querendo acabar com a liderança de Armando no Estado o deixando sem mandato algum, eu se fosse ele pensaria duas vezes antes de entrar nessa, no sertão Inocêncio é adversário histórico dele, como pois daria a Armando uma ajuda?Armando pode ser o próximo candidato a governad

Jonas C Holanda Junior

Vamos ver se Milton Coelho e Eduardo Campos enquadram também Inocêncio. Enquadrar Eduardo da Fonte é simples como tirar doce da boca de criança. Agora com a velha raposa do sertão o buraco é mais em baixo. Vamos aguardar.

fernando gordinho

que falta faz uma reforma politica.