Faculdade de Medicina de Olinda

14/09


2019

Mega Sena: sorteio de hoje pode pagar R$ 100 milhões

Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 100 milhões neste sábadoApostas podem ser feitas até as 19h, em lotéricas ou pela internet.

Aposta única da Mega-Sena custa R$ 3,50 — Foto: Marcelo Brandt/G1

Do G1 

 

O concurso 2.188 pode pagar um prêmio de R$ 100 milhões para quem acertar as seis dezenas. O sorteio ocorre às 20h (horário de Brasília) deste sábado (14) em São Paulo (SP).

Para apostar na Mega-Sena

As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país ou pela internet. A aposta mínima custa R$ 3,50.

Probabilidades

A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 17.517,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Governo de PE

14/09


2019

Site: Witzel plagiou autores em dissertação de mestrado

Witzel plagiou seis autores em dissertação de mestrado, diz site. Reportagem da BBC Brasil apontou 63 parágrafos que teriam sido copiados de outras obras sem citá-los nas referências bibliográficas.

Witzel comentou no Twitter a prisão de milicianos na Praça Seca: 'No meu governo bandido não tem vida fácil' Foto: Guito Moreto / Agência O Globo

O Globo

 

O governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), envolveu-se em nova controvérsia em relação a seus títulos acadêmicos. Segundo reportagem da BBC Brasil, Witzel plagiou pelo menos 63 parágrafos de seis autores diferentes em sua dissertação de mestrado, defendida na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), em 2010. Em maio, O GLOBO revelou que o governador mentira sobre ter realizado parte do seu doutorado na Universidade Harvard, conforme constava em seu currículo Lattes.

Segundo o site, cinco dos seis autores copiados por Witzel sequer aparecem nas referências bibliográficas, um requisito obrigatório em trabalhos acadêmicos. O sexto teria sido citado em obra diferente da que foi usada.

19 página plagiadas

Há vários trechos na dissertação nos quais o governador reproduz parágrafos idênticos aos dos títulos plagiados sem fazer qualquer citação direta, como seria obrigatório. É o caso de um artigo de dois estagiários da divisão gaúcha da Advocacia Geral da União (AGU), Renato Braga Vinhas e Filipe Loureiro Santos, intitulado "A competência absoluta e o princípio da proporcionalidade", publicada em 2005.

O trecho “A competência ratione materiae (em razão da matéria) é aquela que se refere à natureza da causa, podendo ser vista sob duas vertentes” é copiado sem qualquer mudança na dissertação do então juiz, um dos 11 parágrafos que foram reproduzidos integralmente, segundo o site. A BBC ouviu especialistas em plágios acadêmicos que confirmaram as irregularidades no trabalho de Witzel.

A dissertação, orientada pelo docente Jader Ferreira Guimarães, tem como título “Medida Cautelar Fiscal” e soma 139 páginas, incluindo índices e referências. De acordo com a BBC, o trabalho tem 118 páginas de desenvolvimento teórico, dos quais 16%, ou 19 páginas, seriam fruto de plágio.

Procurada pelo GLOBO, a assessoria do governo do Rio afirmou que "os trechos citados exemplificam a dissertação de mestrado apresentada pelo governador Wilson Witzel em 2010, que foi aprovada pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes)". A nota segue: "Como toda obra acadêmica, a tese de Witzel se utiliza de citações de diferentes autores e fontes que compõem a abordagem teórica sobre o tema".

O GLOBO verificou as citações citadas pela BBC Brasil e confirmou que são idênticas ou muito similares às usadas pelo então mestrando. Parágrafos tiveram palavras pontualmente substituídas, sem alterar a estrutura do original. Neste caso, seria necessário fazer citações indiretas, o que também não foi feito por Witzel. Os autores, ainda assim, deveriam ser identificados na bibliografia.

Relembre a polêmica do doutorado 

Há três meses, Witzel reconheceu ter incluído indevidamente na plataforma Lattes uma passagem pela Universidade Harvard, nos Estados Unidos, durante o seu doutorado, no formato “sanduíche”. O governador chegou a incluir o professor que o teria orientado na instituição americana, Mark Tushnet.  

Na ocasião, alegou que a inclusão de Harvard refletia a intenção de cursar parte do doutorado na universidade, o que não se concretizou. O governador apresentou sua tese de doutorado no fim de agosto por videoconferência, após a ocorrência de protestos durante a banca de qualificação duas semanas antes


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Governo de PE

14/09


2019

Hospital: mortes por asfixia e desligamento de aparelho

Incêndio em hospital no Rio

Incêndio no Hospital Badim: vítimas morreram por asfixia e desligamento de aparelhos. Todos eram pacientes e idosos. Oficial dos Bombiros confirma combate a incêndio dentro de CTI. Chamas atingiram prédio às 18h30 de quinta; unidade foi interditada nesta sexta.

Incêndio em hospital particular do Rio deixa 11 mortos/Imagem TV Globo

Por Cristina Boeckel e Fernanda Rouvenat, G1 Rio

A direção do Hospital Badim – atingido por um incêndio na noite desta quinta-feira (12) – afirmou nesta sexta (13) que os bombeiros encerraram, no fim da madrugada, as buscas por mortos. Ao menos 11 corpos – todos de pacientes e idosos – foram retirados.

Por volta das 15h desta sexta, o diretor do hospital, Fabio Santoro, afirmou que o incêndio deixou 11 mortos. A mesma informação foi dada pela Defesa Civil, ainda durante a madrugada.

No início da tarde, no entanto, a Polícia Civil comunicou que 11 corpos estavam no Instituto Médico Legal (IML).

Segundo exames preliminares, a maioria das vítimas estava no CTI do hospital e morreu asfixiada com a fumaça, sem queimaduras graves. Algumas pereceram com o desligamento dos aparelhos.

"A maioria foi por asfixia, alguns casos não, mas coisas correlacionadas ao acidente (...) São descompensações das doenças que as pessoas, relacionadas aos aparelhos que as mantinham vivas e que deixaram de funcionar com o incêndio", explicou Gabriela Garça, diretora do IML que coordenou a necropsia.

Confira a íntegra da reportagem aqui: Incêndio no Hospital Badimvítimas morreram por asfixia e ...


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura do cabo

14/09


2019

Peritos buscam causa de Incêndio no Hospital Badim

Peritos buscam causa do incêndio que deixou 11 mortos em hospital no Rio. Delegado que investiga o caso afirma que ainda não é possível assegurar se o fogo começou no gerador do centro médico.

Para tentar identificar o início do fogo, a polícia recolheu os aparelhos de imagem do hospital (Celso Pupo /Fotoarena/Folhapress)

Da redação da Veja

 

Peritos da Polícia Civil do Rio de Janeiro estão tentando encontrar o foco primário do incêndio que atingiu, na quinta-feira 12, o Hospital Badim, na zona norte da cidade. A tragédia deixou onze pacientes mortos. De acordo com o delegado Roberto Ramos, da Praça da Bandeira (18ª DP), que investiga o caso, ainda não é possível confirmar onde começou o fogo.

A hipótese inicial é de que as chamas tenham começado com um curto-circuito no gerador de energia do hospital. Para Ramos, no entanto, ainda não se pode afirmar isso. “Sabemos que o fogo chegou ao gerador, mas estamos vendo o foco primário, para saber se foi no gerador ou não”, disse. Também está sendo investigado se houve um pico de luz que possa ter afetado o aparelho.

Para tentar identificar o início do fogo, a Polícia Civil recolheu os aparelhos de imagem do circuito interno do Hospital Badim. Segundo o delegado Roberto Ramos, o trabalho dos peritos está sendo dificultado pela fumaça, calor e pouca luminosidade dos locais investigados.

Ao ser questionado sobre a hipótese levantada pelo prefeito carioca, Marcelo Crivella, de que o incêndio possa ter sido criminoso, o delegado disse que ainda é prematuro fazer esse tipo de afirmação.

O coordenador de Operações da Defesa Civil do Município, Sérgio Gomes, disse que o prédio que pegou fogo foi interditado. Outra ala do hospital, recém-inaugurada, que não foi afetada, está liberada. Uma casa particular, nos fundos do Badim, foi interditada parcialmente, pois sofreu danos. O edifício residencial ao lado, que chegou a ser totalmente interditado na quinta, já foi liberado aos moradores, com exceção de uma parte da garagem.

“Interditamos uma parte da garagem, porque há probabilidade de queda de uma parte do revestimento”, disse Gomes.

Flores

No início da tarde, uma cena que chamou a atenção foi a chegada de um grupo de estudantes de escolas municipais, internos de um abrigo em Vila Isabel, que levaram um buquê de flores e um cartaz com frases de apoio às vítimas e às famílias.

“As crianças viram que aconteceu esta tragédia, e resolveram fazer esta homenagem”, disse o responsável pelo grupo, o diácono Roberto, da Arquidiocese do Rio. No cartaz estava reescrito: “Nosso carinho e solidariedade aos doentes, aos familiares e aos profissionais do Hospital Badim”.

O Instituto Médico-Legal (IML) do Rio de Janeiro confirmou na tarde desta sexta-feira a 11ª vítima fatal do incêndio: Ivone Cardoso, que havia sido transferida para o Hospital Israelita Albert Sabin, também na zona norte, e não resistiu.

(Com Agência Brasil e Estadão Conteúdo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


13/09


2019

Alepe nos Municípios chega à cidade de Ribeirão

A cidade de Ribeirão, na Zona da Mata Sul, conhecida como a ‘Princesa dos Canaviais”, receberá pela primeira vez, na próxima segunda-feira, o Programa Alepe nos Municípios, produzido pela Assembleia Legislativa de Pernambuco. Criado para informar de maneira pedagógica o funcionamento e as atribuições do Poder Legislativo estadual, a iniciativa visa também mostrar os caminhos que o cidadão pode seguir para acessar os serviços oferecidos pela Casa e fazer sugestões.

Os encontros entre os deputados estaduais, os técnicos da Alepe e a população acontecem sempre em espaços públicos. A ideia, segundo os organizadores, é proporcionar uma maior interação com a comunidade escolar e atrair um maior número de participantes das cidades. O programa pretende ir aos 184 municípios pernambucanos. Já foram visitadas Timbaúba, Ipojuca e Cabo de Santo Agostinho. Nesta segunda, o evento acontecerá na Escola de Referência em ensino João Lopes de Siqueira Santos a partir das 13 horas.

Com grande inserção na região, o deputado Clóvis Paiva (PP) gravou uma mensagem convidando os moradores para participar do evento. Haverá palestras, exibições de vídeos e um jogo de perguntas e respostas para os estudantes a respeito do Poder Legislativo. “Pela primeira vez na história de Ribeirão vamos trazer o Alepe nos Municípios, ou seja, a Assembleia virá para participar de uma audiência pública em Ribeirão”, destacou o parlamentar.

O Alepe nos Municípios foi criado na gestão do presidente Eriberto Medeiros (PP) e tem como foco aproximar o Poder Legislativo estadual da população, desmistificando o papel dos deputados. Na avalição de Clovis Paiva, o programa possibilitará que a sociedade conheça o trabalho dos deputados, suas atribuições e limitações, além da população fazer críticas e sugestões.

“É importante conhecer qual a importância de um deputado no contexto nacional e estadual. Saber o que que ele (o político) pode fazer por você e sua família e o que o cidadão pode fazer para mostrar as coisas importantes que existem no seu município e o que não está sendo feito na sua região”, afirmou o parlamentar, acrescentando que, além de Ribeirão, será uma boa oportunidade para discutir as questões de toda a região.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Abreu e Lima

13/09


2019

Meu editorial no Frente a Frente – 13/09/2019

Se você perdeu o Frente a Frente de hoje, programa que ancoro pela Rede Nordeste de Rádio, tendo como cabeça de rede a Rádio Folha 96,7 FM, no Recife, escute agora o meu editorial.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Magno coloca pimenta folha

13/09


2019

Homenagem ao meu pai

Diz um ditado popular que santo de casa não faz milagre. Meu pai, só, hoje, aos 97 anos, foi homenageado pela Câmara de Vereadores de Afogados da Ingazeira. Por ter sido presidente da Casa em um dos quatro mandatos que conquistou, um anexo do prédio ganhou o seu nome.

Papai foi levado até ao recinto da Câmara pelo meu irmão Augusto Martins, vereador também de quatro mandatos. Estava muito emocionado, sendo carinhosamente recebido pelo prefeito José Patriota e o presidente da Câmara, Igor Mariano, além de vários vereadores.

Minha aptidão pelo jornalismo político veio do meu pai, apaixonado pela vida pública. Exerceu seus mandatos parlamentares como tribuno devotado ao povo. Nunca traiu seu povo, mas foi traído pelo seu grupo político.

Seu nome era consensual no grupo do saudoso Zezé Rodrigues para disputar a Prefeitura de Afogados da Ingazeira quando encerrava o mandato de vice do prefeito João Alves Filho. Zezé garantiu a palavra, mas nas caladas da noite costurou a candidatura do seu filho Silvério Brito, fritando papai.

A política tem dessas coisas, mas o velho guerreiro, embora desapontado, deu a volta por cima, se elegeu vereador, mais uma vez, e nunca abandonou a vida pública. Foi excelente presidente da Casa, nunca se conseguiu identificar um só desvio ético de sua parte.

Papai tem um amor que não se traduz por palavras pela nossa Afogados. Num dos seus livros, ele disse que até as pedras do sertão são belas. O cheiro de marmeleiro perfuma a sua face enrugada pelo tempo. Como disse Luiz Gonzaga, papai é tão sertanejo que cheira a bode.

No primeiro livro lançado da escriba dele – Retratos de uma vida – tem uma frase que, segundo Ana Regina, minha irmã, simboliza a filosofia de vida dele:

"O bom da vida: ser e não parecer, regar os sonhos, viver para servir..."


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro

13/09


2019

Manifesto em defesa do Assentamento Normandia

Nota oficial

O coletivo formado por parlamentares de Pernambuco vem prestar solidariedade ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) na defesa do Assentamento Normandia e do Centro de Formação Paulo Freire (CFPF). Durante esse processo de luta, os/as parlamentares estarão mobilizados/as e à disposição para contribuir contra a ação de despejo. 

O Centro de Formação Paulo Freire, criado há 20 anos dentro do Assentamento Normandia na cidade de Caruaru, é uma referência de educação popular na região e no país. O espaço nasceu sob o apoio do próprio Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA). Hoje o trabalho realizado no CFPF capacita assentados/as, trabalhadores/as e estudantes, além de dar suporte a prefeituras do interior de Pernambuco, incentivar a economia local e realizar importantes parcerias com instituições de ensino.

Pela importância do trabalho desenvolvido no Centro, os/as parlamentares resolveram unir-se num amplo movimento político em Pernambuco. O objetivo é evitar a ação de despejo promovida por parte do Governo Federal. Afirmamos estar dispostos/as a mediar todo o processo de diálogo e a defender a sede do referido centro no assentamento Normandia, uma vez que o espaço só contribui na formação de pessoas e na geração de emprego e renda na região do Nordeste.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


13/09


2019

Ibama e ICMBio podem paralisar por falta de verba

O congelamento orçamentário imposto ao Ministério do Meio Ambiente (MMA) neste ano colocou o Ibama e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) sob risco de ficarem de bolsos vazios para encerrar as atividades de 2019. É o que indica uma análise dos valores disponíveis e do que já foi empenhado neste ano pelos dois órgãos ligados, que recebem a maior fatia dos recursos da pasta.

Restam para as ações de fiscalização do Ibama até o fim do ano pouco menos de R$ 19 milhões. Os dados, obtidos pelo Estado no Sistema Integrado de Planejamento e Orçamento (Siop), da Secretaria de Orçamento Federal, foram levantados na quarta-feira, 11.

Desde o início da gestão, o governo Bolsonaro empenhou pouco mais de R$ 68 milhões – média de R$ 8,5 milhões por mês para as ações de fiscalização do Ibama. Com base nesse cálculo, o que resta em caixa cobre apenas mais dois meses de fiscalização de crimes ambientais, como desmatamento.

O MMA acredita que há possibilidade de que parte dos recursos parados sejam deslocados. O ministério informou ao Estadão que os valores bloqueados dos dois órgãos estão em fase de negociação com a área econômica do governo, “que já sinalizou com a possibilidade de liberação de limites” ainda em setembro. A pasta disse ainda estar reavaliando contratos, para reduzir seus gastos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


13/09


2019

Adiada votação de PL que impõe calendário de leilões

A Comissão de Minas e Energia (CME) da Câmara adiou a análise do PL 1470/2019, cujo texto substitutivo propõe uma mudança na Lei do Petróleo que institui um calendário obrigatório de leilões da ANP para quatro anos. O adiamento da votação foi feito a pedido do próprio relator da matéria e autor do substitutivo, deputado Lucas Gonzalez (Novo/MG).

O texto original do PL, protocolado por Sebastião Oliveira (PR/PE), previa uma alteração do percentual de royalties de petróleo. O texto de Gonzalez é um substitutivo, que prevê a criação do calendário obrigatório de leilões de petróleo para quatro anos, com possibilidade de revisão das previsões a cada dois anos.

O PL 1470/2019 vem figurando na pauta da CME desde meados de agosto, a comissão, no entanto, tem analisado cerca da metade dos projetos em pauta a cada sessão. Hoje havia previsão de votação de 14 matérias, mas apenas oito foram debatidas.

Ao fim da reunião da CME aprovou apenas três requerimentos. Um para realizar audiência pública acerca da privatização da CELG, em Goiás, ocorrida em 2017; outro para inclusão de convidados em audiência pública que debaterá mineração na Amazônia; e um terceiro para a realização de um seminário sobre mineração e seus impactos ambientais e na sociedade.

Sem a presença do presidente da CME, Silas Câmara (Republicanos/AM), a reunião foi presidida pelo vice-presidente, deputado Benes Leocádio (Republicanos/RN).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha



Warning: PHP Startup: Unable to load dynamic library '/opt/cpanel/ea-php56/root/usr/lib64/php/modules/mcrypt.so' - /opt/cpanel/ea-php56/root/usr/lib64/php/modules/mcrypt.so: cannot open shared object file: No such file or directory in Unknown on line 0