Faculdade de Medicina de Olinda 2

14/10


2019

No seminário eleições 2020

Acabei de abrir o debate sobre as novas regras eleitorais para as eleições municipais 2020, no Ancham Recife, no Pina. O auditório está lotado com participantes de vários municípios do Estado, do litoral ao Sertão. O evento é uma iniciativa dos advogados Paulo Souza e Caroline Rosendo, tendo como principal palestrante a advogada Yane Teles, especialista em Direito Eleitoral.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Detran

14/10


2019

Sertão abre portas para a literatura

Diário de Pernambuco

Uma viagem pelo livro ilustrado, onde palavras e imagens, juntas, contam a história, tendo como colo o objeto livro. Este texto poético está na apresentação da sexta edição da Festa da Palavra, que acontece em Carnaíba, a 400 quilômetros do Recife, entre os dias 23 e 26 deste mês. A poesia, na verdade, vai estar presente em cada cantinho da cidade seguindo o caminho mágico trilhado por escritores, ilustradores, contadores de histórias que estarão envolvidos nos debates, nos lançamentos de livros, nas discussões que o tema proporciona e que farão ecoar Sertão adentro. O mundo do Era uma vez..., o cheiro do livro, a maciez de suas páginas, o papel com suas letras, imagens e espaços em branco. Momentos para apenas deixar o coração sentir. Ler o livro, ler o mundo, escrever nossa história. Uma história que também será reescrita por todo aquele que mergulhar no universo proposto pela Festa da Palavra.

O evento conta com atividades em vários pontos da cidade, como o Teatro Municipal José Fernandes de Andrade, o Conservatório de Música, Escola Municipal Cônego Luiz, Centro Educação Infantil Marluce Bezerra, Complexo Educacional Governador Miguel Arraes e Escola de Referência Joaquim Mendes. Entre os convidados especiais estão os escritores Maria Valéria Rezende – uma santista que reside na Paraíba e conta com mais de 20 livros escritos para crianças, jovens e adultos –, Marcia Leite – tem cerca de 40 livros publicados, alguns deles premiados –, Susana Ventura - professora de literatura e escritora de livros para crianças e jovens –, Lenice Gomes – especialista em literatura infanto-juvenil - e a historiadora Stela Maris Fazio Battaglia. Também estarão presentes os ilustradores Odilon Moraes, ganhador de vários prêmios Jabuti, e Roberta Asse, autora da Coleção das crianças daqui.

As conversas sobre literatura vão impregnar o ar de Carnaíba e ressoar por todo o Pajeú. Na abertura, o público será brindado com a palestra “De onde vêm as ideias” com a escritora Maria Valéria Rezende. A palestra está programada para às 19h, no Teatro Municipal. Em seguida haverá uma apresentação da Orquestra Sanfônica da própria Carnaíba. Ao longo dos outros dias, os temas abordados, lógico, giram em torno do universo literário. Estarão envolvidos nessas atividades professores, estudantes, bibliotecários e público em geral em vários espaços onde acontecerão oficinas, contação de histórias, rodas de conversa, apresentações culturais, lançamento de livros e para o encerramento está prevista uma feira de livros. “Carnaíba tem uma tradição cultural muito forte, com sensibilidade desenvolvida nas áreas da música e da poesia. Na terra de Zé Dantas respira-se arte e cultura e receber um evento desse porte nos dá a certeza que será um grande sucesso”, pontua a secretária de Educação do município, Cecília Patriota.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

13° Bolsa Familia

14/10


2019

Robin Hood às avessas

Por Lucas Ramos*

O que o Governo de Pernambuco poderia fazer com R$ 200 milhões de receitas extras? Recuperar quilômetros de estradas. Construir novas Escolas Técnicas e de tempo integral. Ampliar o acesso à água, a partir de novas adutoras ou através da perfuração de poços e implantação de Sistemas Simplificados de Abastecimento. Construir novos Centros Comunitários da Paz – Compaz. Hospitais para aumentar a cobertura de Saúde em nosso Estado. Projetos de inegável importância para a melhoria da qualidade de vida dos pernambucanos.

A realização de sonhos, a tão esperada geração de empregos e distribuição de renda. Os valores, no entanto, correm sério risco de nunca mais serem repassados. Agindo como um Robin Hood às avessas, a liderança do Governo Bolsonaro no Congresso Nacional, orquestrou uma manobra nos bastidores que impediu que essas novas receitas chegassem. Trabalhou para prejudicar Pernambuco e Nordeste e favorecer Estados mais ricos.

Os R$ 200 milhões seriam provenientes das novas regras de partilha entre Estados e municípios da cessão onerosa da exploração de petróleo no Brasil, previstas para o próximo megaleilão que acontecerá no mês de novembro. A estimativa é de que o novo certame arrecade R$ 106,6 bilhões. No projeto que passou pelo Senado, Pernambuco teria uma receita extra com a operação de R$ 695 milhões. Mas com as digitais do líder do Governo Federal nas negociações, esse valor despencou para R$ 489,8 milhões na proposta votada semana passada na Câmara dos Deputados – votação considerada simbólica, pois não foram identificados os votos de cada um dos parlamentares. Em valores absolutos, trata-se da maior perda entre os Estado brasileiros. 

Pior. A nova divisão fez com que dos 10 estados que mais ganham com a partilha, cinco sejam do eixo Sul/Sudeste e Centro-Oeste. O Norte e Nordeste foram colocados de lado pelo líder do Governo Bolsonaro. No total, os nove estados nordestinos deixarão de receber R$ 1,85 bilhão. Somente São Paulo, por exemplo, saltou de R$ 93,2 milhões para R$ 632,6 milhões entre uma proposta e outra, um aumento de 573% na expectativa de arrecadação.

Qual serviço a liderança do Governo Bolsonaro no Senado esperava estar prestando aos pernambucanos e nordestinos ao operar tamanhas perdas? Em um cenário econômico ainda recessivo, onde o Governo de Pernambuco tem se destacado, com muita competência, para se manter fora do grupo de Estados com saúde financeira prejudicada, por que um de seus representantes no Senado Federal decidiu virar as costas para seu povo?

Não há respostas ou justificativas plausíveis. O projeto individualista, centrado na defesa de interesses de um pequeno grupo político, nunca deveria se sobrepor às necessidades do nosso povo pernambucano e nordestino. Corremos o risco de perder a oportunidade de melhorar o abastecimento de água, a Educação, a Saúde, a Segurança e a Economia de Pernambuco e região. De abrir mão de R$ 1,85 bilhão por ano. Por total falta de compromisso com a população.

*Deputado estadual pelo PSB


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro

14/10


2019

STF julga ações sobre prisão em segunda instância

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, marcou para a próxima quinta-feira, 17, o julgamento do mérito de três ações que discutem a possibilidade de prisão após condenação em segunda instância. Segundo o Estadão, a discussão da medida faz parte de uma série de julgamentos que traz implicações diretas para o rumo da Operação Lava Jato, podendo beneficiar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso após ser condenado no caso do tríplex do Guarujá (SP).

Relator de três ações que discutem a execução antecipada de pena, o ministro Marco Aurélio Mello já cobrou tanto Toffoli quanto a sua antecessora no comando da Corte, Cármen Lúcia, pedindo a inclusão do tema na pauta do plenário. Em dezembro de 2018, na véspera do recesso de fim do ano, Marco Aurélio deu liminar derrubando a possibilidade de prisão após condenação em segunda instância, mas a decisão acabou cassada por Toffoli no mesmo dia.

Agora, a expectativa de ministros tanto da ala alinhada à Lava Jato quanto da corrente mais crítica à atuação do Ministério Público é a de que a atual posição do STF sobre o tema seja revista. A dúvida é se o Supremo vai permitir a prisão apenas após se esgotarem todos os recursos, o chamado ‘trânsito em julgado’.

O tribunal também pode optar por uma solução intermediária, fixando como marco uma definição do Superior Tribunal de Justiça (STJ) – posição que já foi defendida por Toffoli e o ministro Gilmar Mendes. É da ministra Rosa Weber o voto considerado decisivo para definir o placar, que tende novamente a ser apertado.

Em abril do ano passado, Rosa votou contra um habeas corpus para Lula, ainda que tivesse votado antes contra a prisão após segunda instância. “Reputo o princípio da colegialidade imprescindível (isto é, necessário e suficiente) para o sistema, porquanto a individualidade dentro do tribunal, no processo decisório, tem um momento delimitado, a partir do qual cede espaço para a razão institucional revelada no voto majoritário da Corte”, disse na ocasião.

Em quatro ocasiões distintas, o Supremo já firmou entendimento favorável à possibilidade de prisão após condenação em segunda instância.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


14/10


2019

PSL já trabalha com cenário de divórcio com Bolsonaro

Apesar da iniciativa de bombeiros no PSL para uma tentativa de conciliação, tanto aliados do presidente Jair Bolsonaro como integrantes da cúpula do partido já trabalham com a possibilidade de um desfecho litigioso. As informações são do Blog do Camarotti.

Esse é considerado o pior cenário, pois deixará sequelas na governabilidade. Além de “abrir as vísceras” do partido e do grupo de Bolsonaro.

Depois da decisão de pedir auditoria das contas da legenda dos últimos cinco anos, o próprio PSL quer jogar um holofote nos gastos da campanha presidencial, mas principalmente da pré-campanha de Bolsonaro.

O argumento é que Bolsonaro assumiu o comando do partido ao indicar no início de 2018 o então aliado e agora ex-ministro Gustavo Bebianno. E que recebeu a legenda com caixa cheio e devolveu com o caixa vazio.

“Será fundamental uma auditoria nas contas do partido para saber como foi esse gasto com a pré-campanha de Bolsonaro”, disse ao blog um dirigente da legenda.

Diante do movimento dos advogados de Bolsonaro, a ordem é centrar artilharia até mesmo na defesa. A advogada eleitoral Karina Kufa era até recentemente a responsável pela defesa do partido na Justiça Eleitoral. E o advogado Admar Gonzaga era ministro do Tribunal Superior Eleitoral.

“Admar participou do colegiado que julgou e aprovou as contas da campanha de Bolsonaro. E Karina Kufa até recentemente estava no partido. Eles deveriam se sentir impedidos”, ressaltou um integrante da legenda que chegou a classificar Kufa de “advogada infiel”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bozonaro diz que o PSL é uma Quadrilha. O PSL diz que Bozonaro é um Bandido. E eu concordo com os dois!


Magno coloca pimenta folha

14/10


2019

A mais longa viagem de um Milk-shake

Por Zé Roberto*

Como o Bob’s, que é de 1952 e agora abre suas portas por aqui, completei 56 anos em 2008, mais precisamente no dia 12 de junho. Como os 15 anos, talvez os 18, mais de meio século de vida já é motivo para ser comemorado, embora saibamos que, com exceção da data em si, das lembranças e da Torta de Morango da Tia Anastácia, nada se altera na vida da gente após cada aniversário. Ela, a nossa vida, continua tão imprevisível quanto o dia onze que passou e, ainda mais enigmática que o dia treze que chegou e pouquíssima novidade nos reservou.

Servem, então, as datas consideradas históricas para olharmos pelo retrovisor, darmos uma retrospectiva no que realizamos, um balanço dos nossos erros, dos nossos acertos. Dente eles, no momento de suas aplicações e decisões, se postava o destino que nos conduziu a caminhos que, se invertidos, conduziriam nossos aniversários para lugares completamente diferentes. Não sei se para melhor ou para pior. Certamente seriam diferentes.

Enquanto algumas decisões tomadas se perderam em importância, outras me inquietam e me incomodam até hoje. Como a que tomei aos 25 anos, no ano de 1977. Era, naquela ocasião, jogador de futebol profissional, ponta-esquerda do CR Flamengo. Um clube que tantos lutam para chegar e que eu, após cumprir um ano dos dois que tinha de contrato, com dez de profissão e recuperando-me de uma forte fratura no pé direito, resolvi deixá-lo ao aceitar a proposta financeiramente irrecusável feita por um usineiro, então presidente do Santa Cruz FC, de Recife. Para fazer parte de uma fantástica equipe treinada pelo técnico Jouber Meira, bi-campeã pernambucana 77/78 e quarta colocada no brasileiro de 1979, já dirigida por Evaristo Macedo: Joel Mendes, Carlos Alberto Barbosa, Lula Pereira, Levir Culpi e Pedrinho; Givanildo, Wilson Carrasco, Betinho e Zé Roberto; Nunes e Fumanchú. Era uma equipe tão competente quanto a do Flamengo de Zico, Leandro e Junior que quase deu para esquecer, ao lado da maior torcida do Nordeste, dos encantos da cidade do Rio de Janeiro.

Lá, em Recife, havia praias tão bonitas, pessoas tanto quanto, mas a capital pernambucana em 1977 não tinha uma só loja do Bob’s. Éramos, eu e meu irmão Flávio (Brasa), que para lá se mudou após defender o São Cristóvão FC, viciados no Ovomaltine crocante de 500ml. Após cada treino, físico ou técnico, era ele que repunha nossas energias e nos obrigava a novos 200 abdominais e 150 flexões extras para ter direito, sem culpa, a um outro duplo na noite seguinte.

Nas belas noites de lua na praia de Boa Viagem, com tudo que o Nordeste nos oferecia com jangadas, redes, sucos naturais de Cajá e Graviola, forró ao vivo toda às quintas na feirinha de Olinda, chegávamos a delirar por um duplo crocante do Ovomaltine do Bob’s. Até que surgiu o nosso amigo coelhão em Recife. Coelhão era o apelido do nosso companheiro trirriense Paulo da Silva Peralta Filho que havia ficado no Rio, que dividia com a gente o apartamento em Copacabana e que, após seis meses da nossa chegada a Recife, ganhara uma passagem de presente. Eu paguei a ida, o Flávio deu de presente a volta. Dentre outras lembranças, cartas de família, bilhetes das namoradas e saudades do amigo, Coelhão levaria na bagagem a maior das preciosidades: dois duplos ovomaltines.

Antes de seguir para o Galeão, passou na Garcia Davila, em Ipanema, e mandou embrulhar pra viagem. Esta, por sua vez, descendo em Salvador e baldeando em Maceió e Aracajú, durou 6 horas. A cena que se seguiu no desembarque foi pro resto da vida. Eu e meu irmão, ansiosos à beira do muro no Aeroporto de Guararapes, e ele carregando pela pista, entre os dedos já oleados e crocantes, amparado por uma aeromoça conduzindo toalhas, o que restou de dois cobiçados milk-shakes. Que não resistiram à pressurização, aos copos de papelão, ao sabor exposto e azedou.

Naquela noite de sexta-feira, seguimos insaciados com ele e o hospedamos no Edifício Transatlântico, onde morávamos, com duas definitivas certezas: a primeira, que aquilo sim é que era amigo, todo melado e quase preso pela SUIPA por tráfico de bens perecíveis. E, segundo, que fora do Rio de Janeiro, em certas ocasiões e defendendo equipes especiais, você consegue substituir até o sagrado manto rubro-negro. Você não consegue mesmo é substituir o sabor e o fascínio de um Ovomaltine duplo e crocante do Bob’s.

*Jornalista e ex-jogador de futebol


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

14/10


2019

Miguel diz que Pernambuco está quebrado

Em visita, há pouco, ao presidente da Folha de Pernambuco, Eduardo Monteiro, o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, afirmou que o PSB quebrou o Estado e que o governador Paulo Câmara faz uma das piores gestões dos últimos anos. "Assistimos a uma paralisia total, o Estado não tem dinheiro para nada. Só a nós, deve R$ 17 milhões não repassados", afirmou.

Coelho chegou a esse valor com a soma dos repasses do SUS em aberto, o FEM desde 2017 em aberto e convênios não cumpridos. Para Miguel, diferentemente de outros estados do Nordeste, Pernambuco não anda porque o governador é fraco e inoperante.

Sobre a notícia de que o seu pai, senador Fernando Bezerra Coelho, havia prejudicado o Estado excluindo R$ 200 milhões da cota da cessão onerosa do pré sal, afirmou que a matéria da Época é tendenciosa. "Isso foi feito de um acordo no Congresso", destacou.

Ainda em relação à gestão de Câmara, o prefeito disse que não existe nenhum sinal de governo no São Francisco, especialmente Petrolina. "Desconheço uma só obra do Governo do Estado. Lá, temos muita obra com recursos federais e municipais", afirmou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


14/10


2019

Miguel visita a Folha e anuncia ida para o MDB

O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (sem partido), está sendo recebido, neste momento, pelo presidente da Folha de Pernambuco, Eduardo Monteiro, que reuniu todo o seu staff. Na fala inicial, anunciou sua filiação ao MDB. Acerta a data da filiação hoje com o presidente estadual da legenda, Raul Henry.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha