Congresso Nordestino de Educação Médica

20/06


2019

Moro sobrevive, mas foi só o primeiro round

Helena Chagas

A ida do ministro Sergio Moro à CCJ do Senado hoje foi o primeiro round de uma luta que pode estar longe de acabar. O ex-juiz da Lava Jato não saiu nocauteado. Ele repetiu dezenas de vezes a palavra “sensacionalista” para se referir à divulgação das conversas pelo The Intercept e apostou na narrativa de que se trata de uma trama para acabar com a Lava Jato. Mas Moro caiu em provocações, perdeu a calma em alguns momentos e deixou lacunas em sua narrativa.

No primeiro caso, os oposicionistas foram bem sucedidos diversas vezes. Moro deu respostas atravessadas e chegou a confrontar senadores como Contarato, que questionou sua imparcialidade no  julgamentos de casos nos quais teve papel de condução, como o do ex-presidente Lula. Embora o senador tenha ressalvado não estar questionando a Lava Jato como um todo, o ministro reagiu de forma agressiva: “O senhor defende então a anulação de tudo? Devolvermos o dinheiro para o Renato Duque, o Paulo Roberto?”.

Num comportamento que, para alguns senadores, beirou a arrogância, Moro citou por diversas vezes um artigo de um autor americano sobre o assunto que teria como título “O incrível escândalo que encolheu”.

Leia artigo na íntegra clicando ao lado:  Moro sobrevive, mas foi só o primeiro round - Helena Chagas - Os ...


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Governo de PE

20/06


2019

O tamanho do rombo

Carlos Brickmann

A multibilionária Odebrecht, do grupo que mais vezes foi denunciado em delações premiadas, cujo principal diretor (e herdeiro) foi preso por um longo período, é multibilionária também em dívidas: quer recuperação judicial (a antiga concordata) para negociar R$ 65 bilhões com seus credores.

A Odebrecht resistiu o quanto pôde a essa solução, mas teve de recorrer a ela quando a Caixa Econômica Federal passou a executar as garantias de suas dívidas.

O problema não é apenas o montante dos débitos: é a resistência de possíveis clientes futuros, impressionados com o volume de más notícias que atingiu a empresa desde o início da Operação Lava Jato.

Simultaneamente, a Odebrecht perdeu clientes como Cuba, Venezuela, Angola; esses clientes também já não chegam ao BNDES. Tempos difíceis.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Caruaru

19/06


2019

Alcolumbre elogia desenvolvimento de Petrolina

A convite do prefeito Miguel Coelho e do senador Fernando Bezerra, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, desembarcou em Petrolina, hoje. O chefe do legislativo acompanhado por três senadores, dois deputados federais, o deputado estadual Antonio Coelho e um vereador recifense veio conhecer o modelo administrativo da cidade sertaneja, além da festa de São João.

A primeira parada do grupo foi na Prefeitura de Petrolina. No encontro regado a comidas típicas do Nordeste, o prefeito Miguel Coelho apresentou informações econômicas, sociais e culturais da cidade, além de uma série de obras e ações em desenvolvimento no município sertanejo. "É uma honra receber representações tão importantes para o País e uma oportunidade de mostrar porque nossa cidade tem se destacado tanto no Nordeste", avaliou Miguel Coelho.

Após a reunião, a comitiva seguiu até a igreja catedral de Petrolina, onde foi recepcionada pelo bispo dom Francisco Palhano. Os políticos ainda conheceram o Museu do Sertão e, lá, ouviram canções de Luiz Gonzaga numa apresentação da Camerata 21 de Setembro.

Alcolumbre elogiou o município e o modelo de gestão liderado pelo prefeito Miguel Coelho. "É uma cidade muito bonita, bem iluminada, limpa. O Brasil precisa conhecer esse modelo de desenvolvimento voltado para a produção. Esse modelo é uma vertente da gestão do prefeito Miguel Coelho, que tem na fruticultura um exemplo para o Brasil. E a gente precisa levar para o Brasil esse sentimento de que o país dá certo", destacou o presidente.

Além de Alcolumbre e Fernando Bezerra, estão na comitiva os senadores Marcos Rogério (RO), Daniela Ribeiro (PB), os deputados federais Elmar Nascimento (BA), Augusto Coutinho (PE), o estadual Antonio Coelho (PE), além do vereador do Recife, Rodrigo Coutinho. O grupo ainda acompanha na noite desta quarta-feira a programação do São João de Petrolina.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

São João Petrolina

19/06


2019

A versão da Chesf

Nota oficial

Em resposta à publicação do dia 17/06/2019, com o título “Chesf faz licitação sem transparência”, a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) informa que segue todos os trâmites exigidos na Lei 13.303/16 e no Regulamento de Licitações e Contratos da Eletrobras, que tem como princípio a transparência de todos os seus processos.

Sobre o processo de contratação do seguro mencionado na nota publicada no blog, a Chesf destaca que em licitação realizada em 2017, a 1ª colocada foi convocada a apresentar sua documentação de habilitação no prazo legal, e não atendeu um dos itens exigidos em edital, resultando na sua inabilitação. Pelo mesmo motivo, a segunda e terceira colocadas foram inabilitadas. Após análise a Chesf decidiu pela revogação da licitação e a realização de um novo processo, que está em curso.

Em relação ao processo atual, a indenização por sinistros (sinistralidade), anexa inicialmente ao Termo de Referência, teve como base com os dados de janeiro a outubro/2018. Após a publicação da licitação, houve solicitação para atualização da sinistralidade, concluído o período de 1 (um) ano.

A Chesf não se envolve com as estratégias de preços dos fornecedores que participam de suas licitações. A decisão de baixar os valores globais em um certame é dos próprios licitantes que disputam o pregão, sendo esta sua finalidade: disputa para otimizar os ganhos da administração direta e indireta.

Ao contrário do mencionado, houve a participação de algumas das principais seguradoras do mercado, como Bradesco Vida e Previdência, Unimed Seguradora, Sompo Seguros, Icatu Seguros e Mapfre Seguros. O resultado da licitação atual gerou um deságio de 8,48% em relação ao preço de referência, decorrência da disputa das seguradoras.

A Empresa reitera os valores que pautam todas as suas atividades, dentre eles a Ética e Transparência e o Compromisso com a Sociedade.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


19/06


2019

“Podem procurar outro alvo”, diz Bolsonaro sobre Moro

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) defendeu, hoje, em Guaratinguetá (SP) o ministro Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública).

"Vão quebrar a cara. Pode procurar outro alvo, esse já era. Sérgio Moro é nosso patrimônio", disse ele, após participar de uma formatura de militares.

Bolsonaro havia sido perguntado por jornalistas se demitiria Moro caso alguma denúncia de irregularidade grave surgisse. Era uma referência às mensagens divulgadas pelo site The Intercept nos últimos 10 dias. Os diálogos teriam ocorrido por meio do aplicativo de mensagens Telegram na época em que o ministro era o juiz responsável pelos processos da Lava Jato na Justiça Federal do Paraná. O site tem divulgado mensagens que sugerem que Moro orientou a atuação de integrantes da força-tarefa da Lava Jato.

"Não vi nada de grave ali [nas mensagens]", disse o presidente. "Não posso me casar pensando em me separar um dia, né? Eu me caso pra ficar até que a morte nos separe. Não vi nada de anormal até agora”.

O presidente disse que o caso é "uma grande trama". "Atacam quem está ao meu lado para tentar me atingir." Moro foi ao Senado nesta quarta e disse que não têm nada a esconder sobre as conversas atribuídas a ele e a procuradores da Lava Jato e que não tem nenhum apego pelo cargo de ministro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


19/06


2019

Danilo quer explicação sobre instalação de usina em PE

O deputado federal Danilo Cabral (PSB/PE) protocolou, ontem, um requerimento de convocação do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, para esclarecer sobre a instalação de uma usina nuclear em Itacuruba, no Sertão de Pernambuco. O documento foi protocolado na Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia (Cindra) e deverá ser votado na semana que vem.

O parlamentar pernambucano justifica que os rumores de construção da usina precisam ser esclarecidos para a população, visto que ainda não houve nenhuma consulta às comunidades afetadas por essa medida. "A instalação da usina nuclear possui uma localização próxima ao Rio São Francisco, e isso também acaba gerando grande preocupação para a população, devido ao risco de vazamento de material radioativo, além de inúmeras outras consequências, como a diminuição dos peixes do rio; proliferação de doenças; aumento do preço dos produtos e até eventuais alterações do clima", explica Danilo.

Outro ponto defendido por Danilo Cabral é que a legislação estadual proíbe a instalação de uma usina atômica em Pernambuco. De acordo com o Artigo 216 da Constituição Estadual, no capítulo que versa sobre a proteção ao meio ambiente, está proibida a instalação de usinas nucleares no estado enquanto não se esgotar toda a capacidade de produzir energia hidrelétrica e de outras fontes. Ao grave risco ambiental soma-se o questionamento sobre a real necessidade de exploração desse tipo de energia em um estado com enorme potencial de exploração da energia solar, hidroelétrica e eólica.

"O Brasil possui mais de 15 mil megawatts de potência instalada de outras usinas e as duas usinas nucleares de Angra representam apenas 1,1% de tudo isso. Isso demonstra que o potencial energético de usinas nucleares é irrisório em comparação com outras modalidades de captação de energia. Esperamos que o ministro possa esclarecer e explicar sobre a construção da usina para toda população, especialmente para os pernambucanos, que são os mais afetados", critica o parlamentar. A próxima reunião da Comissão está marcada para a próxima quarta-feira (26).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Asfaltos

19/06


2019

Obra beneficia moradores de Ouricuri com mais água

Diversas ações foram desenvolvidas em Ouricuri para eliminar o rodízio na distribuição de água para 70% da cidade, localizada no Sertão do Araripe, que antes desse projeto, recebia água em um regime de dois dias com água e oito dias sem. Para alcançar essa performance, a Compesa realizou a setorização do sistema de abastecimento, que significa dividir a rede em setores de distribuição, isolando cada um deles, para permitir o maior controle da água produzida e fornecida à população.

A cidade de Ouricuri é atendida pelo Sistema Adutor do Oeste, a partir das águas do Rio São Francisco. Mesmo sem aumentar a produção de água, a Compesa conseguiu melhorar o abastecimento da cidade. Para isso, foram implantados dez quilômetros de novas tubulações para melhorar a eficiência da rede de distribuição. Também foi feita a instalação de equipamentos como macromedidores, para monitorar a vazão de cada setor de distribuição, e válvulas redutoras de pressão, que têm a função de controlar as pressões para evitar estouramentos na rede de distribuição.

Foram investidos R$ 2,4 milhões para melhorar o abastecimento de água para 30 mil pessoas. De acordo com a diretora Regional do Interior da Compesa, Simone Albuquerque, Ouricuri é um exemplo bem-sucedido desse tipo de ação.  "Às vezes precisamos implantar quilômetros de adutoras. Outras vezes, podemos realizar ações específicas para ampliar a oferta de água. Cada município tem suas características e setorizar o abastecimento de Ouricuri foi a solução encontrada para garantir mais água para o município” afirmou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


19/06


2019

Bolsonaro tira articulação política de Onyx e dá a general

O presidente Jair Bolsonaro decidiu que a Casa Civil de Onyx Lorenzoni não cuidará mais da articulação política do Planalto. O desafio agora ficará a cargo da Secretaria de Governo, comandada pelo recém-nomeado general Luiz Eduardo Ramos. A mudança, antecipada esta semana pelo Estado de São Paulo, foi confirmada em medida provisória publicada hoje, e ocorre depois de sucessivas derrotas e desencontros do Planalto com o Congresso.

Para assumir a interlocução, a Secretaria de Governo terá em sua estrutura a Secretaria Especial de Assuntos Parlamentares, que substitui a Subchefia de Assuntos Parlamentares antes abrigada na Casa Civil. A pasta de Onyx, por sua vez, extinguiu a secretaria voltada para o Senado e transformou a secretaria criada para tratar com a Câmara na Secretaria Especial de Relacionamento Externo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

bm4 Marketing 4
Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores