Faculdade de Medicina de Olinda 2

13/10


2019

Gravatá faz festa gigantesca da criança

Foto/Divulgação

Parque de diversões, palhaços, shows infantis, brincadeiras, guloseimas, sorteios de prêmios e toda a magia dos personagens da Disney invadiram a Avenida Joaquim Didier, ontem, na maior festa de Dia das Crianças que Gravatá já viu. Sob o título "Gravatá cresce feliz", os drones e lentes fotográficas registraram todo o sucesso de público que marcou a grandeza do evento, ao contar com a presença de centenas de crianças e famílias, que se divertiram, viveram e reviveram os sonhos da infância.

"Hoje, foi um dia muito especial. Ver nossas crianças vivendo toda essa alegria, aproveitando cada atração da festa, que toda a nossa equipe preparou com tanto carinho, é algo recompensador e emocionante. É por isso que trabalhamos de domingo a domingo, para que nossas crianças cresçam felizes, cresçam com oportunidades. O nome que a festa levou, " Gravatá cresce feliz" revela bem esse nosso objetivo, que é ver e proporcionar um desenvolvimento pleno e feliz para os nossos pequenos gravataenses”, disse o prefeito Joaquim Neto, que foi recebido com muito carinho pela garotada. 

Toda a infraestrutura do evento, que contou com palco, barracas, sistema de organização da entrada no local da festa e liberação do parque contou com a atuação de todas as secretarias municipais, antes e durante o evento, através das suas equipes, que não pouparam esforços para garantir muita animação e diversão para as crianças de Gravatá.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Detran

13/10


2019

O vício da banca nos juros altos

Bancos lucram tanto com quem paga que isso compensa calotes que tomam.

Internet/Google

A banca viciou-se nos juros altos
Folha de S. Paulo - Por Elio Gaspari

 

O economista-chefe da Febraban, Rubens Sardenberg, fez uma estranha associação entre os juros altos da banca e a situação da economia: “O aumento da inadimplência, a queda lenta do desemprego e o baixo crescimento da renda criam alguma cautela do ponto de vista de quem está concedendo o crédito”.

A cautela poderia levar a uma menor oferta de crédito, não a uma subida nas taxas de alguns empréstimos. A Selic está em 5,5% ao ano, algumas taxas caíram, mas a mordida anual dos juros do cartão de crédito parcelado foi de 163,1% para 177,3%.

Indo-se ao livro “Uma Chance de Lutar”, a autobiografia da senadora Elizabeth Warren, candidata a presidente dos Estados Unidos pelo Partido Democrata, vê-se a seguinte cena:

Pouco antes da crise de 2007 ela deu uma palestra para executivos do Citibank e disse que eles poderiam conter as inadimplências (e as bancarrotas familiares) parando de emprestar a quem estava em dificuldade.

Ao que um dos caciques presentes tomou a palavra: “Professora Warren, gostamos muito de sua exposição, mas não temos a intenção de parar de emprestar a essas pessoas. São eles quem garantem a maior parte de nossos lucros”.

Cobrando juros altos para quem parcela as dívidas do cartão de crédito a banca lucra tanto com quem paga que isso compensa os calotes que toma.

O Citi continuou apostando e nunca mais convidou a professora Warren. Em 2008 o banco foi às cordas, salvou-se com um socorro de US$ 20 bilhões da Viúva e hoje é uma sombra do que foi. Já a professora elegeu-se senadora e lidera (por pouco) algumas pesquisas de preferências entre os candidatos do Partido Democrata.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

13° Bolsa Familia

13/10


2019

PSL deve expulsar mais três deputados bolsonaristas

Partido deve expulsar ao menos três deputados da ala ligada a Bolsonaro.

Foto/fonte: Brasil2447

Folha de S. Paulo - Painel
Por Daniela Lima

 

O embate franco entre a direção do PSL e o grupo do presidente Jair Bolsonaro deve ter novos capítulos nesta semana. A cúpula da sigla deve expulsar ao menos três deputados que fizeram críticas públicas à gestão de Luciano Bivar (PE).

A guerra entre as diversas alas do partido fez legendas que tratavam discretamente de uma fusão com o PSL recuarem e darem um tempo nas conversas. Ninguém quer “ser usado” como arma contra o Planalto nem comprar a briga alheia.

A ideia é só voltar a negociar uma eventual união com o PSL quando a poeira entre a legenda e o presidente baixar —e se ficar claro que os passivos do partido são contornáveis.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro

13/10


2019

Irmã Dulce: primeira santa brasileira neste domingo

A baiana será canonizacomeça da pelo Papa Francisco em cerimônia no Vaticano nove anos após ser beatificada; cerimônia às 5h e será transmitida pela TV.

Irmã Dulce teve dois milagres reconhecidos e será canonizada (Acervo Memorial Irmã Dulce/.)

Por Redação da Veja

 

Neste domingo, 13, às 5h da manhã em Brasília (10h em Roma), a soteropolitana Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes, conhecida como Irmã Dulce, torna-se a primeira santa nascida no Brasil reconhecida pela Igreja Católica. Ela se torna a Santa Dulce dos Pobres.

A canonização ocorre nove anos após o colegiado de cardeais e bispos da Congregação para a Causa dos Santos, da Cúria Romana, atestar o primeiro milagre atribuído à Irmã Dulce descrito no processo de beatificação da religiosa iniciado pela Arquidiocese de São Salvador da Bahia. A decisão do colegiado é baseada em avaliação de peritos de saber científico (como médicos) e teólogos.

O milagre que levou à beatificação foi a intercessão da freira, a pedido de orações de um padre, para salvar a vida de uma mulher que deu à luz a um menino e estava desenganada por causa de uma hemorragia depois do parto, que os médicos não conseguiam conter. O caso ocorreu nove anos após a morte de Irmã Dulce (2001), em uma cidade do interior de Sergipe.

Para a canonização, a Constituição Apostólica exige a comprovação de um segundo milagre e semelhante ritual processual e comprobatório. A segunda graça, conforme publicado pela Arquidiocese de Salvador, foi a recuperação da visão do músico e maestro José Maurício Bragança Moreira, após 14 anos sem enxergar por causa do glaucoma. Ele, inclusive, vai se apresentar durante a cerimônia de canonização de Irmã Dulce, junto com a cantora Margareth Menezes e o sanfoneiro Waldonys.  A cerimônia será transmitida pela Rede Globo (5h), TV Aparecida (5h15) e pelo canal a cabo GloboNews (4h30).

“Eu fui paciente de glaucoma muito grave que me cegou durante 14 anos. No dia do milagre, 10 de dezembro de 2014, o meu coral ia cantar, mas a minha esposa nem me deixou sair de casa por causa do derrame que eu tive nos olhos devido a uma conjuntivite viral. Eu passei a noite sem conseguir dormir e por volta das 4h eu peguei a imagem de Irmã Dulce, que fica na cabeceira da minha cama, a coloquei nos meus olhos e pedi que ela aliviasse a minha dor”, descreve Moreira em relato publicado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

De acordo com o músico, após colocar o santinho impresso sobre os olhos, sentiu sono e adormeceu. “Quando eu acordei de manhã, a minha esposa me deu umas compressas de gelo e foi quando eu comecei a enxergar o gelo e a ver a minha mão, e aos poucos a visão foi voltando. O momento que começou o retorno da visão foi pouco tempo depois da oração. É um milagre”, afirma. Após o reconhecimento do milagre pela Igreja, o Papa Francisco anunciou a canonização de Irmã Dulce.

Junto com a santa brasileira, serão canonizados os beatos John Henry Newman (1801-1880), cardeal, fundador do Oratório de São Filipe Néri na Inglaterra; Giuseppina Vannini, Madre Josefina (1859-1911), italiana, fundadora das Filhas de São Camilo; a Maria Teresa Chiramel Mankidiyan (1876-1926), indiana, fundadora da Congregação das Irmãs da Sagrada Família; e Margherita Bays (1815-1879), suíça, da Ordem Terceira de São Francisco de Assis.

A primeira missa em honra à Santa Dulce dos Pobres ocorrerá em Roma na igreja San’t Andrea della Valle, segunda-feira(14), 24 horas depois da canonização. No dia 20 de outubro, domingo, em Salvador, haverá a celebração pela canonização da Santa. Será no estádio de futebol Arena Fonte Nova, com abertura dos portões ao meio-dia. Os ingressos gratuitos estão à disposição nas diversas paróquias da Arquidiocese de Salvador e começaram a ser distribuídos no início deste mês.

Durante todo o sábado, o Santuário de Irmã Dulce, em Salvador, recebeu milhares de fiéis que rezavam em homenagem a então beata.  O santuário, que foi reinaugurado neste fim de semana, permanecerá aberto durante toda a madrugada de domingo para a vigília à espera das canonizações que o Papa Francisco presidirá no Vaticano.

(Com Agência Brasil)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


13/10


2019

Bolsonaro diz que há possibilidade de deixar PSL

Bolsonaro sobre possibilidade de deixar PSL: "lógico que existe". Racha entre o presidente e a legenda aumentou após pedido para abertura das contas do partido; 'é preciso abrir a caixa-preta', afirmou.
Bolsonaro disse que é preciso abrir a 'caixa preta' do partido (Photo Premium/Folhapress)

Por Redação da Veja

 

A crise no PSL ganhou um novo capítulo: na noite deste sábado, 12, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que é preciso abrir a “caixa preta” de seu partido em relação ao uso dos recursos do fundo partidário. Quando questionado sobre a possibilidade de deixar a sigla na qual foi eleito, ele disse que é “lógico que existe”. 

Na véspera, o presidente e outros 19 parlamentares no qual pede que a sigla aja com transparência e afirma que as contas partidárias estão em situação grave. “A gente quer transparência. Eu não quero que estoure um problema e depois a imprensa me culpe ‘ah, você não sabia?”. [É necessário] Abrir a caixa preta para que o partido honre a bandeira que a gente tinha lá atrás”, disse Bolsonaro no estádio Pacaembu, onde acompanhou a partida entre Palmeiras e Botafogo pelo Campeonato Brasileiro.

“Não pode chegar e pegar uma verba de R$ 8 milhões por mês, dinheiro público, e aí uma minoria decide o que fazer com esse recurso. Por mim nem teria esse fundo partidário. Eu me elegi gastando R$ 2 milhões porque fiz uma vaquinha virtual”. Bolsonaro afirmou que, na abertura das contas espera que “não haja nada ilegal”.

A crise entre o presidente e o partido vinha em uma crescente, mas se intensificou e foi tornada pública nesta terça-feira, quando afirmou a um apoiador, na saída do Palácio da Alvorada: “Esqueça o PSL”. Na mesma ocasião, disse que o presidente da legenda, o deputado federal Luciano Bivar, “está queimado pra caramba”.

Nos bastidores, aliados de Bolsonaro afirmam que a gestão de Luciano Bivar, presidente da legenda, é “coronelista” e cobram que “a turma de Bolsonaro tome as rédeas do partido”. Parlamentares próximos ao presidente da República cobram maior presença em cargos na direção do partido. Uma outra ala do partido, no entanto, afirma que Bivar cedeu em vários pedidos e que Bolsonaro deve gratidão ao atual comandante do PSL.

Luciano Bivar, em resposta a fala do presidente, disse que tampouco quer Bolsonaro no partido. “A fala dele (Bolsonaro) foi terminal, ele já está afastado. Não disse para esquecer o partido? Está esquecido”, disse Bivar ao blog da jornalista Andréa Sadi.

Um grupo de deputados do PSL divulgou uma nota em apoio ao presidente e cobraram mais “transparência” da gestão de Luciano Bivar no comando da sigla. Nos bastidores, aliados de Bolsonaro afirmam que a gestão de Bivar é “coronelista” e cobram que “a turma de Bolsonaro tome as rédeas do partido”. Parlamentares próximos ao presidente da República cobram maior presença em cargos na direção do partido. Uma outra ala do partido, no entanto, afirma que Bivar cedeu em vários pedidos e que Bolsonaro deve gratidão ao atual comandante do PSL.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Magno coloca pimenta folha

12/10


2019

Operação Armadeira: juiz mantém empresário preso

Outros quatro  empresários deixam a prisão.

Pablo Jacob | Agência O Globo
O Globo - Coluna de Lauro Jardim 
Por Athos Moura

 

O juiz Marcelo Bretas deferiu parcialmente um pedido do MPF e manteve atrás das grades o empresário João Batista da Silva, investigado na Operação Armadeira. A prisão dele foi transformada em preventiva.

O juiz negou, porém, o pleito dos procuradores para que o auditor fiscal Alexandre Ferrari continuasse encarcerado. Ele será libertado hoje.

Também deixarão a cadeia Leônidas Quaresma, Fernando Barbosa e Fábio Cury, cujas prisões temporárias venceram. O MPF alegou não haver necessidade de estender a temporada deles na penitenciária.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

12/10


2019

Rio: PSOL e PSL viram protagonistas de brigas na Alerj

PSOL E PSL viram protagonistas de brigas na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) e mudam rotina até de seguranças. Antes exigidos apenas em dias de votações polêmicas, seguranças da Alerj passaram a ter que separar deputados com frequência.

Época - Paulo Cappelli

A polarização política que tomou conta do país mudou a rotina dos sete seguranças que vigiam o plenário da Assembleia Legislativa do Rio durante as sessões. Antigamente, os funcionários sabiam que só seriam exigidos em dias de votações que abordassem projetos polêmicos, como as de interesse do funcionalismo público. 

Nessas ocasiões, preparavam-se para protestos nos arredores da Alerj e até mesmo dentro do parlamento, quando as galerias ficavam abertas à população. Com a atual legislatura e a mudança de mais da metade dos deputados, os seguranças passaram a redobrar a atenção. Por mais de uma vez, já atuaram para separar políticos que ameaçavam brigar entre si.

"Desde o início do ano, qualquer projeto de lei bobo, que a princípio parece não ter muita importância, vira motivo para um bate-boca acalorado entre os deputados. Até mesmo o expediente final (quando parlamentares se inscrevem para discursar) tem sido usado para ofensas", conta um funcionário da Alerj, lembrando que os seguranças têm sido acionados com frequência para garantir a paz no parlamento.

Confira a íntegra da reportagem com o vídeo aqui: VídeoPSOL e PSL viram protagonistas de brigas na Alerj e ...


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


12/10


2019

Críticas à política do BC ecoam no Congresso

Críticas à política do BC em meio à letargia da economia ecoam no Congresso.

Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Folha de S.  Paulo - Painel
Por Daniela Lima

 

As ressalvas à política do Banco Central já ecoam no Congresso. O líder do MDB no Senado, Eduardo Braga (AM), diz que “não é justo” o governo propor uma reforma da Previdência com economia de R$ 800 bilhões enquanto há R$ 500 bilhões parados em compulsórios no BC.

O dinheiro, diz ele, poderia ser liberado para os bancos incrementarem o crédito e estimularem a economia, que anda em ponto morto.

Criticado por defender alterações que reduziram a economia da reforma, Braga afirma que “chegou ao Congresso com o voto de quem recebe um salário mínimo”. “É com eles o meu compromisso, não com Guedes.”


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha