Congresso Nordestino de Educação Médica

19/08


2012

Ela está diferente: contas à sociedade, não a Lula e PT

CORREIO BRAZILIENSE - PAULO DE TARSO LYRA

A presidente Dilma Rousseff está cada vez mais à vontade na cadeira presidencial para imprimir um ritmo próprio no governo, escapando da asa de seu mentor político, Luiz Inácio Lula da Silva, e da vigília ideológica de seu partido, o PT. O pacote de concessões de estradas e ferrovias anunciado na semana que passou é apenas um dos exemplos do distanciamento gerencial imposto pela presidente em relação ao seu antecessor. "Sentou naquela cadeira, é prestar contas para a sociedade, não para o PT ou para Lula", disse ao Correio um petista que integra a ala dilmista.
Leia + aqui


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

milton tenorio

Dilma é dura ...O PSB que se segure....



19/08


2012

Greve: agora dos defensores. Serão devorados

DO BLOG DE JOSIAS DE SOUZA 

Na guerra contra os grevistas, Dilma deve seus êxitos à infantaria da Advocacia-Geral da União. Dali saem as petições que encostam na parede o movimento paredista. Surgiu, porém, um problema: a brigada anti-greve ameaça engrossar o pelotão dos grevistas. A Anauni (Associação Nacional dos Advogados da União) convocou assembleia para a próxima quarta-feira (22). Materializando-se a ameaça dos advogados, lacra-se o principal paiol de Dilma na batalha contra os grevistas. O Planalto dá de ombros. Acredita que os seus doutores não ousarão acender o pavio da desobediência. Avisa: se acenderem o fósforo, serão devorados.

“Parece que o governo esqueceu definitivamente da Advocacia-Geral da União”, queixa-se o presidente da entidade, Marcos Luiz Silva. Neste sábado, Marcos Silva participou de reunião no Ministério do Planejamento. Junto com outros sindicalistas, ouviu da boca de Sérgio Mendonça, secretário de Relações do Trabalho, a oferta final de Dilma: 15,8% de reajuste, em três parcelas anuais – a primeira em 2013 e a última em 2015.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

S. C. B. M.

ESTE SISTEMA DEVERIA SER PARA TODOS OS SETORES DO PODER NO PAIS;CÂMARA SENADO E TODOS OS PODERES DO SUPREMO.DILNA MOSTRA O TEU PODER,TUA ARROGÂNCIA.QUAL O MOTIVO DE SER SÓ PARA OS PEQUENOS.FORMIGA SABE A ROÇA QUE CORTA.



19/08


2012

Minha cidade é linda
















A contribuição para o painel de hoje é da leitora Mariana Cavalcati e traz imagem da Igreja Matriz de Agrestina, no Agreste Central, a 154 km do Recife. Agrestina é conhecida como a capital brasileira do chocalho, instrumento de metal, provido de badalo, semelhante à campainha, que é colocado no pescoço de animais. O fabrico de chocalhos (hoje a grande marca da cidade) inicialmente atendia apenas aos criadores locais.

Por conta da boa qualidade das peças, o negócio foi expandindo até ganhar fama em todo o Nordeste brasileiro.

A produção de chocalhos de Agrestina é completamente artesanal, com o uso de instrumentos de trabalho nada sofisticados (como talhadeiras e martelos), o que torna mais demorada a confecção de cada peça.

O sistema de produção é tão rudimentar que os chocalheiros ainda usam uma fornalha soprada a fole manual, para a fase da queima das peças de ferro galvanizado e latão, envoltas em barro. Mas, se acarreta em baixa produtividade, ao mesmo tempo é esse processo manual que acaba dando charme e qualidade aos chocalhos produzidos em Agrestina.

Faça uma foto bonita da sua cidade e nos envie para postagem neste quadro: [email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


19/08


2012

Dobradinha 2014: Eduardo-Aécio. Consultaram os russos?

Parece que a sempre empinada candidatura de Eduardo Campos a presidente da República – e já em 2014, peitando Dilma – talvez até sem que o próprio governador voluntariamente mova um palha para tal, ganha cada vez espaço ascendente na mídia em todo o País. E envolvendo até o tão falado concorrente tucano e da mesma geração de Eduardo, Aécio Neves. Este, humildemente agora, até se contentaria com uma vaguinha na chapa do pernambucano, como candidato a vice. É, por exemplo, o que diz Cláudio Humberto, na sua coluna deste domingo, reproduzida abaixo:

''''O crescimento de Eduardo Campos (PSB) para presidente tem feito Aécio Neves (PSDB) examinar nova candidatura ao governo de Minas. Aécio não descartaria ser vice de Eduardo Campos, em 2014, juram aliados. “É jovem, tem tempo”, diz um velho amigo do avô Tancredo.''''

Este blog pede licença para levar um pouco de pimenta ao ponche do qual se fala acima, indagando: será que os dois protagonistas interessados, sobretudo o pernambucano,  consultaram os russ...,  digo, Dilma e Lula?

E, ainda, para os da nova geração, que ainda não conhecem o significado do termo ''consultar os russos'': na Copa de 58, na Suécia, ganha brilhantemente pelo Brasil, o técnico brasileiro, Vicente Feola, não dormira na noite anterior, assombrado com o fantasma soviético, time atém então imbátível. Prancheta na mão, reuniu a turma logo cedo e ditou a tática a seguir: fulano marca sicrano, beltrano recua e avança quando necessário, e mais mil e uma recomendações. Um moreno quase analfabeto, mas muito inteligente e bom de bola -- o mundo veria depois --, ouvia tudo e não dera um pio. Mas no final a pergunta devastadora : ''''Ô seu Feola, o senhor consultou os russos?''''. Mas deu tudo certo, o Brasil ganhou por dois a zero, com um show de Garrinha, o perguntador inconveniente, ele e sua pergunta impertinente imortalizados no mundo todo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

BARTOLOMEU BUENO JOSE DE ALBUQUERQUE LINS

como diria Miguel Arraes

BARTOLOMEU BUENO JOSE DE ALBUQUERQUE LINS

Eduardo e Aécio são dois socialistas de peso que se mostram capazes de concorrerem a presidência. A união deles no primeiro turno podem está fortalecendo Dilma. Essa união deve ser concretizada no segundo turno, quando poderão afinarem o discurso. A pressa é inimiga da política,como diria Arraes.

milton tenorio

A pressa é inimiga da política....

BARTOLOMEU BUENO JOSE DE ALBUQUERQUE LINS

Eduardo e Aécio são dois socialistas de peso que se mostram capazes de concorrerem a presidência. A união deles no primeiro turno podem está fortalecendo Dilma. Essa união deve ser concretizada no segundo turno, quando poderão afinarem o discurso. O apressado come cru com diria Miguel Arraes.



19/08


2012

Apito: Dilma, Eduardo e Aécio, os ''centrais'' para 2014

A presidente Dilma Rousseff (PT), o senador Aécio Neves (PSDB) e o governador Eduardo Campos (PSB) têm cada um seu plano para chegar a novembro mais cacifado

 A campanha municipal deste ano começa para valer na terça-feira, com o início do horário eleitoral gratuito de rádio e TV. Mas, muito além dos candidatos a prefeito e vereador, a elite da política nacional já pensa na melhor forma de usá-la com vistas a 2014. A presidente Dilma Rousseff (PT), o senador Aécio Neves (PSDB) e o governador Eduardo Campos (PSB) têm cada um seu plano para chegar a novembro mais cacifado.

Com a dupla tarefa de articular 2014 e manter sua base no Congresso, Dilma não deverá fazer qualquer movimento até meados de setembro. Sua estratégia é não criar cizânia com integrantes da base aliada; evitar patrocinar derrotas e manter — ao contrário de Lula — distância entre ações de governo e atos de campanha. Ela só subirá nos palanques onde sua presença for, de fato, decisiva.

Aécio Neves e Eduardo Campos farão o caminho oposto. Principal pré-candidato da oposição, Aécio já definiu uma intensa agenda de gravações e viagens pelo país. Na última semana, foi montado um estúdio de televisão em seu apartamento em Belo Horizonte no qual fez gravações para 192 candidatos, cerca de 80 de fora de Minas. Nesta semana, fará sua primeira viagem para Curitiba, no Paraná.

Aécio quer percorrer 17 estados, especialmente no Nordeste, onde os tucanos enfrentam grande resistência desde 2006.

''''Os candidatos têm pedido para falarmos principalmente sobre gestão, que é uma marca do PSDB. 2014 vai acontecer lá na frente. Agora, eu irei onde for possível, porque isso consolida a imagem e ajuda a homogeneizar um discurso nacional'', desconversa Aécio.(Agência Globo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


19/08


2012

Grevistas incomodados se mudem para Zona do Euro

TRECHOS DO ARTIGO DE RUTH DE AQUINO - ÉPOCA

O PADRÃO SUICIDA DAS GREVES - “A Polícia Federal está com concurso na rua, salário inicial de R$ 7.700 para agentes e escrivães, funções de nível superior. Você acha que esses salários são exorbitantes em relação às atividades que esses profissionais desempenham?”

Recebi esse e-mail de um leitor da coluna, incomodado com minha crítica suave às greves dos servidores públicos federais. Greves que considerei irresponsáveis por infernizar a vida de inocentes que ganham bem menos. Como o piso dos jornalistas – profissão que também exige diploma universitário e pode incluir riscos de vida – varia entre pouco mais de R$ 1.000 e pouco mais de R$ 2.000, respondi que os servidores parados estão descolados da realidade do país.

Será difícil para grevistas com estabilidade e salários em torno de R$ 10.000 ganhar apoio, ainda mais pelo desrespeito à população. Por que os 300 mil funcionários parados não vão para Brasília e fazem um protesto gigante na Praça dos Três Poderes? Talvez porque o ar esteja seco demais na Capital. Dá preguiça. Exige planejamento.

O motivo principal é que protestos democráticos não causam o prejuízo emocional e financeiro de bloqueios em estradas, aeroportos, portos, hospitais e universidades.

Provavelmente, a maioria dos leitores achará mesmo “exorbitantes” os salários iniciais da Polícia Federal. E mais exorbitante ainda o aumento exigido: eles querem R$ 12.000. De piso. Esse bando de baderneiros de uniforme e boné vem distribuindo bombons e pizzas nos aeroportos para famílias, assalariados, crianças e idosos. Reféns enfileirados por horas, impotentes diante de uma operação-padrão de chantagem.

– Vocês deveriam distribuir nariz de palhaço, não bombons! –, disse um passageiro aos policiais federais no aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília.

Há 643.404 civis trabalhando para o Poder Executivo, ou seja, para Dilma. O piso dos auditores da Receita Federal, entre 2003 e 2010, deu um salto mortal (para nós, não para eles): foi de R$ 5.000 para R$ 13.600, um aumento 55% acima da inflação. É exorbitante. Mas eles não estão satisfeitos.

Lula alimentou, em seus mandatos, a megalomania das centrais sindicais, que estão se achando. Dilma demorou a reagir, o sentimento de onipotência se alastrou entre os servidores, mas agora a presidente precisa do apoio do país e da Justiça para não ceder aos grevistas.

Se as exigências fossem aceitas, o impacto nas contas públicas seria de R$ 92 bilhões. Não dá. Não existe. Ponto. Lula demorou a apoiar Dilma, mas elogiou a atitude da presidente na quarta-feira: “O dinheiro é curto”.

Os grevistas acusam “a mídia desinformada” de jogar a população contra os servidores parados há meses. Os grevistas produzem as manchetes e se ressentem delas.

Há, sim, categorias com salários defasados. Elas erram e perdem a força ao se unir a coleguinhas bem remunerados e ensaiar um rolo compressor. Os reajustes pedidos variam de 20% a 70%. Que país pode hoje conceder esses níveis de aumento?

Somos reféns de chantagistas. Se o governo aceitasse o que os grevistas querem, iria à falência

Eles não têm o direito de parar o país, parar você, me parar, parar os carros e caminhões, parar o estudo de nossos filhos, parar a assistência médica a nossos parentes, parar a importação de remédios. Isso não se chama greve, mas abuso de poder. O governo deveria regulamentar as fronteiras da greve no serviço público, de uma vez por todas.

Os sindicatos oportunistas estão incomodados com o “autoritarismo de Dilma”. Dilma responde que está mais preocupada com quem não tem direito a estabilidade e nem consegue emprego. Estou com Dilma. Os grevistas incomodados que se mudem... para a Zona do Euro!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

suricato

Srs. grevistas funcionários públicos,faça como nós da iniciativa privada não estão satisfeitos? enfiem a viola no saco e deem o fora vão procurar suas "melhoras" em outro emprego não prjudiquem aqueles que lhes sustenta.

josival Coelho de Amorim

Todavia os três poderes,precisam olhar para dentro de suas folhas de pagamento e pra o que sai por fora delas.O caso da PF é diferente,as condições que lhe são negadas é estratégico na proteção dos corruptos deste país,As campanhas ricas indicam aonde está o dinheiro que falta na saude e na educação

DIOGENES HOVSEPIAN

Não são trabalhadores em busca de reajustes de salários. São marginais. Agem assim nas estradas PEGANDO suborno - os PRF´s -; AGEM assim nas fronteiras PEGANDO SUBORNO - os PF´s. TUDO SE EXPLICA: GOVERNO DE ALOPRADOS LADRÕES, SERVIÇAIS TB LADRÕES...



19/08


2012

Carteirada de um burro em outro na plateia

 Vale reproduzir essa de Cláudio Humberto, hoje na sua coluna:

''''Contam na Bahia que foi animada a eleição para presidente da Câmara Municipal de Bom Jesus da Lapa, em janeiro de 2001. Indicado pelo prefeito, o vereador Valdivino Borges fazia seu discurso quando alguém o interrompeu para se referir à sua condição de semi-analfabeto:
- Sai daí, seu burro!
Valdivino olhou para o agressor e respondeu na lata:
- Eu sou burro e sou o presidente da Câmara, e você, que não é, está aí me dando coice!...''''


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


19/08


2012

Saudosa: Dilma e os ex-bons companheiros da CUT

Dilma Rousseff fará um gesto na tentativa de recompor sua relação com a CUT, desgastada devido à greve dos servidores federais. Segundo Vera Magalhães, hoje na Folha de S.Paulo, a presidente anunciará em setembro a isenção do Imposto de Renda na PLR (Participação nos Lucros e Resultados), reivindicação antiga da central, ligada ao PT. Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência) prometeu em maio que a decisão sairia, mas as negociações foram congeladas graças às paralisações. Agora, Dilma deu sinal verde à medida. Apesar do afago à central, Dilma não deu nenhuma indicação à equipe de que fará novas concessões para os servidores em greve. Técnicos do governo colocaram na ponta do lápis as reivindicações. Os pedidos variam de a 46,5% a 64,2%.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores