FMO janeiro 2020

15/02


2020

Daniel de Chã Grande disputa em Gravatá

Em um ato que reuniu as principais liderança da oposição em Gravatá, o presidente estadual do PSC, André Ferreira, abonou, ontem, a ficha de filiação do ex-prefeito de Chã Grande, Daniel Alves, pré-candidato a prefeito de Gravatá. Além dele, outras 50 lideranças ingressaram na legenda durante o evento, entre elas Dra. Laura, que assume o PSC Mulher.

Em todos os discursos, o tema foi o mesmo: a importância da chegada de Daniel Alves para o município e a necessidade de união de todos os atores da oposição. Estavam presentes ao ato, além do comandante do PSC na cidade, Gilberto Lima Jr.  os presidentes municipais do PL, Darita; do DEM, Élcio Campos; do Podemos, Alex da Água; além do vice-presidente do PSB, Vital Medeiros, que representou o presidente e ex-prefeito Osano Brito.

Ao falar para o auditório lotado do Salão 3S, Daniel Alves, que tem uma larga experiência no Executivo, depois de cumprir três mandatos de prefeito em Chã Grande, destacou que chega a Gravatá para discutir os problemas do município.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

IPTU Cabo

15/02


2020

O novo jornalismo no velho mercado; ou seria o contrário?

Felipe Moura Brasil, exemplar típico do novo jornalista para o novo jornalismo

Por Heron Cid

Felipe Moura Brasil deixou a direção de jornalismo da Rádio Jovem Pan, uma das mais importantes do Brasil e onde também era apresentador do programa Pingo Nos Is.

Vai provavelmente se dedicar mais ao Antagonista, site de projeção nacional. E terá muitos convites.

No twiiter, o jovem jornalista tem mais de 1 milhão de seguidores. Portanto, se não tivesse um veículo para assinar sua carteira, já tem o próprio canal direto com sua audiência.

Transformar esse alcance em sustentabilidade de negócio são outros quinhentos.

Moura Brasil é o típico exemplar do neo-jornalista, profundamente afetado pelos novos hábitos de consumo de informação. Que se fez conhecido pelo conteúdo multi telas, não necessariamente pela mais poderosa de todas.

Assim como ele, Diogo Mainardi deixou há tempos a Revista Veja. Hoje, escreve semanalmente numa revista própria e sem papel. Fernando Rodrigues, ex-Veja e ex-Folha, pilota o Poder 360.

Leda Nagle, famosa entrevistadora, recebe grandes entrevistados dentro de sua própria casa num estúdio improvisado. E tem público. E pauta.

É o novo jornalista para o novo jornalismo.

Militante teimoso desse admirável mundo recente da integração entre jornalismo, digital e redes sociais, percebo por mim e por feedback de colegas o poder e alcance dessas novas mídias.

Uma notícia postada até por blogs e sites singelos, alguns até amadores, em instantes vira objeto de ligações e repercussões imediatas. Coisa impensável uma década atrás.

Antes, o mercado era totalmente restrito aos veículos de massa. O recém-egresso estudante de Jornalismo só tinha uma expectativa de emprego: os grupos de comunicação.

Hoje, complementado por novas mídias, esse universo se ampliou e é possível existir fora dos até então obrigatórios meios convencionais.

Não que tenha se tornado mais fácil. O terreno de empregabilidade continua sendo escasso e a crise econômica, com demissões continuadas e atrasos em salários, estão aí para assustar.

Mas ainda bem que surgiu, aos trancos e barrancos, esse novo mercado que ajuda a absorver uma mão de obra excedente para uma demanda cada vez mais achatada. Do contrário, onde estariam os repórteres demitidos dos jornais impressos fechados ou de programas de rádio e TV, cada dia mais enxutos?

Os veículos tradicionais deixaram de ser importantes? Não. Continuam essenciais nessa grande engrenagem da comunicação. Especialmente, porque a maioria ainda carrega conceito de credibilidade e detém fatia majoritária da publicidade.

O que mudou, então? O campo das novas possibilidades. Aí está a boa notícia. Se não nasce para todos, o sol desse novo jornalismo abre-se para iluminar mais cabeças.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/02


2020

Sinais de ilegalidade

A delegada Patrícia Domingos cometeu um erro e caiu na ilegalidade ao tentar mostrar seu nome ao Recife como pré-candidata. Em um vídeo publicado em suas redes sociais a delegada usa uma música de Alceu Valença sem autorização. Desconhecimento da lei de propriedade intelectual? Ou das tradições culturais de Pernambuco? Vale destacar que o partido dela “Podemos “, que defende a legalidade, já acumula denúncias contra Álvaro Dias e a cassação do “Moro de saia", a ex-Juíza Selma.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

acolher

15/02


2020

Desigualdade: Brasil fecha 2019 com nível mais alto da década

Complexo de favelas da Maré l Genílson Araújo

O Globo - Por Ancelmo Gois


A FGV Social fechou o balanço da distribuição de renda de 2019.

A desigualdade está no nível mais alto da década — fruto de cinco anos de alta. Em relação a 2018, a desigualdade no ano passado está praticamente estável.
 

Já o bolo de renda subiu 2,08% no período. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/02


2020

Estudo do BC diz que PIB vem fraco

Segundo estudo do BC, País cresceu 0,87% no ano passado, taxa que comprometeu expectativas para altas do PIB de 2019 e deste ano; falta de investimentos e incertezas políticas já levam analistas a estimarem expansão inferior a 2% este ano.

Foto/via Estadão Conteúdo

Do Estadão Conteúdo

A economia brasileira terminou 2019 em ritmo mais fraco que o esperado pelos analistas. Após os resultados ruins divulgados pelo IBGE para indústria, comércio e serviços em dezembro, o Banco Central informou na última sexta, que seu Índice de Atividade Econômica (IBC-Br), uma espécie de prévia do PIB, teve queda de 0,27% em dezembro e fechou o ano com alta de 0,89%.

O resultado abaixo do previsto - economistas ouvidos pelo Estadão/Broadcast estimavam um crescimento de 1% do IBC-Br em 2019 - desencadeou uma leva de reduções das projeções para o crescimento do PIB deste ano. O banco Santander, por exemplo, rebaixou sua projeção de alta de 2,3% para 2%. Já o banco Barclays reduziu sua estimativa de 2,3% para 2,1%. Levantamento feito pelo Projeções Broadcast com 28 instituições financeiras aponta variação entre 1,7% e 2,5% para o PIB em 2020, com mediana de 2,2%. Em sondagem feita em 16 de janeiro, as previsões eram maiores - variação de 1,9% a 2,8%, com mediana de 2,35%.

Para o economista Alexandre Schwartsman, ex-diretor do Banco Central, os resultados da economia no final do ano deixaram uma certa frustração. Ele destaca que a decepção com os dados se dá considerando principalmente a melhora no mercado de trabalho e o estímulo extra do FGTS. Segundo ele, o descompasso entre o mercado de trabalho e os dados de produção está aumentando.

"Principalmente a parte de investimento prossegue fraca no geral. Agora, é difícil avaliar o que está por trás disso. A agenda política pode ser uma hipótese. Bate-se cabeça de forma generalizada. Depois da aprovação da Previdência, o governo enviou três PECs. Mas não vemos esforço de aceleração disso. O quadro de incerteza política é grande", disse ele.

Sérgio Vale, economista-chefe da MB Associados, acredita que houve perda do ritmo de crescimento do último trimestre por conta da frustração com o impacto da liberação do FGTS no consumo. Mas ele mantém a projeção de crescimento do PIB para este ano, que já era moderada, de 2%. Segundo Vale, apesar do resultado fraco, quando se avalia o resultado do IBC-Br do quarto trimestre em relação ao mesmo período de 2019, houve uma melhora. No terceiro trimestre, a taxa de crescimento anual era de 0,7% e subiu para 1,4% no quarto trimestre.

O economista Gesner Oliveira, sócio da GO Associados, é outro que pondera os resultados. Ele lembra que no segundo trimestre de 2019 o IBC-Br caiu 0,15% e, no mesmo período, o PIB cresceu 0,4%. "Não excluo a possibilidade de fechar o ano com crescimento acima de 1% do PIB." Ele ressalta que o IBC-Br tem sido sistematicamente inferior ao que tem saído nas contas nacionais. Por isso, o economista mantém a previsão de crescimento acima de 2%


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Cúpula Hemisférica

15/02


2020

Governador: Bolsonaro se fecha para Estados da Amazônia

Decreto do presidente excluiu governos estaduais da Amazônia Legal de conselho nacional. "Tudo fica mais difícil", diz Helder Barbalho (MDB).

Foto: Antonio Cruz / Agência Brasil / Estadão Conteúdo

Por André Borges, do Estadão

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), criticou a decisão do presidente Jair Bolsonaro, de excluir os governadores da região amazônica do Conselho Nacional da Amazônia Legal, anunciada pelo governo para tratar de temas ligados à região.

O conselho anunciado nesta semana por Bolsonaro será liderado pelo vice-presidente Hamilton Mourão, que disse ter ver uma oportunidade para instituir "uma verdadeira política de Estado para a região".

Não é o que pensa o governador do Pará, que disse ter sabido da decisão do governo sobre o conselho por meio da imprensa. "Não consigo compreender qual a dificuldade do governo federal em contar com a participação dos Estados. Na hora que o governo se fecha, tudo fica mais difícil", disse ao Estadão.

Bolsonaro deixou clara a sua avaliação sobre o assunto na última quinta-feira, 13, ao reagir a uma crítica da organização Greenpeace, que chamou de "lixo". "Se você quiser que eu bote governadores, secretários de grandes cidades, vai ter 200 caras. Sabe o que vai resolver? Nada. Nada", disse Bolsonaro.

Para Helder Barbalho, a decisão de retirar o conselho das mãos do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, foi acertada, porque coloca o tema sobre um patamar maior, ao ser comandado por Mourão. A restrição dos Estados, porém, diz ele, "é um equívoco". "Não tem sentido algum, porque o governo federal perde força. É uma escolha dele e tem de respeitar, mas não precisamos concordar com isso", comentou.

O líder do consórcio de governadores da Amazônia Legal, Waldez Goés (PDT), governador do Amapá, disse que a exclusão é um "retrocesso" e que a visão do governo caminha para ser 'mais Brasília e menos Amazônia'".

Mourão chegou a dizer que se tratava de uma posição pessoal de Waldez. Mas Barbalho não concorda. "A manifestação do Waldez não é isolada. Esse é o sentimento do grupo. Toda e qualquer ação nessa região precisa de diálogo local."

Helder Barbalho disse ainda que os recursos do Fundo Amazônia, principal programa de apoio a ações de combate ao desmatamento na região, permanecem paralisados até hoje, por causa das acusações feitas por Ricardo Salles contra a gestão do fundo, no ano passado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

15/02


2020

Magno Martins agora na Rádio Camará FM

A partir de segunda-feira, o Programa Repórter Camará ganha mais uma participação de peso: o Jornalista Magno Martins. Bacharel em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco, com pós-graduação em Ciência Política pela mesma instituição, Magno ancora o Programa Frente a Frente pela Rede Nordeste de Rádio, de segunda à sexta-feira, às 18 horas. E editor do Blog do Magno, o mais acessado do Nordeste, pioneiro no País ao lado do blog do Noblat.

Bem vindo Magno, agora também pela Rádio Camará FM no programa Repórter Camará.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro

15/02


2020

Um velho amigo e talentoso jornalista

Nas circuladas pelo Congresso, entre o salão verde da Câmara e o azul do Senado, a alegria do reencontro com o meu amigo Eumano Silva, o mais cigano de todos os jornalistas que conheço em Brasília.

Já emprestou seu talento e sua capacidade investigadora aos mais importantes veículos da mídia nacional. Na última vez que estive com ele, numa cobertura nacional, estava na revista Época.

Já mudou e voltou ao Congresso para fazer o que mais gosta, com faro de Pastor Alemão: explosivos bastidores do poder, desta feita pelo site Metrópole, um dos mais acessados na corte, verdadeira febre.

Para o Eumano, muito sucesso!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

15/02


2020

Homem da Meia Noite e Mulher do Dia completam bodas de Pérolas

Casamento do calunga com a boneca gigante mais famosa do carnaval de Pernambuco foi realizado em fevereiro de 1990, em Olinda.

Foto: Pedro Leal/ Arquivo Público de Olinda

Do G1 - PE - Por Tatiana Notaro

Em fevereiro de 1990, um cortejo pelas ladeiras de Olinda levava o Homem da Meia-Noite para seu casamento com a Mulher do Dia. No cruzeiro da Igreja do Carmo, a cerimônia foi celebrada pelo boneco Parou Por quê e o argumento era totalmente cabível para os moldes sociais da época: legitimar os filhos do casal, o Menino e a Menina da Tarde.

Ainda assim, o matrimônio oficializou-se sem as bênçãos divinas porque a ideia do bonequeiro e artesão Silvio Botelho não agradou ao padre. São 30 anos do dia em que Olinda literalmente parou para ver o casamento de dois bonecos gigantes

Essa é a versão contada, mas a real quem conta é o bonequeiro Silvio Botelho. Naquele início da década de 1990, a vida dos bonecos gigantes de Olinda andava meio parada. Eram personagens que só tomavam vida para o carnaval, ficando meio inertes o resto do ano e Silvio achou que era preciso dar movimento. “Eu vi que tinha que criar algo e propus: ‘vamos casar a Mulher do Dia com o Homem da Meia Noite?”. E assim, foi.

Confira a íntegra aqui: Homem da Meia Noite e Mulher do Dia completam Bodas de ...


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/02


2020

Linhas de ônibus ganham reforço e têm trajetos alterados em Olinda

Prévias

Veículos passam a fazer mais viagens no domingo (16) por causa do desfile das Virgens do Bairro Novo e do Olinda Beer.

Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press

Do G1 - PE

Com as Virgens do Bairro Novo e o Olinda Beer movimentando o calendário de prévias carnavalescas no domingo (16), em Olinda, o Grande Recife Consórcio de Transporte anunciou um reforço na frota de 12 linhas de ônibus que circulam pelo município. As festas de rua também alteram o itinerário de outras 23 linhas.

Confira aqui: Linhas de ônibus ganham reforço e têm trajetos alterados ...


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/02


2020

Bolsonaro falta e Moro dança em casamento de deputada do PSL

Casamento de Carla Zambelli, em São Paulo, teve Weintraub e ministro da Justiça como padrinhos.

Moro, pouco antes de dançar valsa no casamento de Zambelli e Aginaldo Foto: Divulgação / PSL
Época - Por Guilherme Amado

A deputada Carla Zambelli se casou na noite desta sexta-feira, em São Paulo, com Antônio Aginaldo de Oliveira, coronel da Polícia Militar da Bahia, numa cerimônia que reuniu Michelle Bolsonaro e o casal Sergio e Rosângela Moro, além de outras figuras de proa do governo Bolsonaro, a exemplo de Abraham Weintraub, Ernesto Araújo e Regina Duarte.

O jornalista Alexandre Garcia, favorito do bolsonarismo, também esteve.

Moro e Rosângela, bem como Weintraub e sua mulher, foram padrinhos do casal. O presidente Jair Bolsonaro foi convidado, mas não compareceu.

Um dos grandes destaques da noite foi um discurso de Moro, pouco antes de uma versão da canção francesa La vie en rose em valsa, para que ele e Rosângela dançaseem ao lado do principal casal da noite.

A música, segundo o maestro do casamento, foi escolhida especialmente para o casal Moro, devido a uma suposta predileção do ministro por canções francesas.

"Pode falar muita coisa, mas não é todo mundo que sai na rua para protestar com essa coragem. É uma guerreira, sem a formação de Polícia Militar, mas merecia aqui uma medalha honorária de caveira, de tropa especial. Fica minha homenagem. Desejo ao casal toda a felicidade do mundo. Que sejam felizes para sempre, é o que podemos desejar", disse Moro, para uma Zambelli em lágrimas.

Em seguida, o maestro da cerimônia agradeceu a Moro, dizendo ter tido um dos momentos mais felizes de sua vida, ao ter "regido um milhão de pessoas na Avenida Paulista" cantando "Como é grande meu amor por você" para o então juiz da Lava Jato.

O nome de Bolsonaro foi pouco citado na cerimônia.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/02


2020

Segurando o Talo ganha exposição

Em um convite para revisitar a trajetória de um dos principais blocos da região Norte do Recife, a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) lançou, hoje, a partir das 9h, a exposição “Segurando o Talo por uma Sociologia da Alegria”. A homenagem à troça carnavalesca criada pelos motoristas da Instituição, em 1984, conta com instalação na Sala Mauro Mota, localizada no Campus Gilberto Freyre, em Casa Forte, bairro da Zona Norte do Recife. A abertura é restrita a convidados. A partir do domingo (16/02) a mostra ficará aberta ao público.
 
Às vésperas dos festejos de Momo, o público poderá conferir a evolução da indumentária utilizada pela troça ao longo dos anos. Além das camisetas da Troça Carnavalesca Mista Turma da Jaqueira Segurando o Talo, os manequins mascarados vestirão o abadá de outras agremiações de bairros como Alto de Santa Isabel e Vasco da Gama. A Orquestra Arrecifes Frevo assume a recepção dos convidados durante a vernissage. Na sequência, passistas e caboclinhos se apresentam no pátio do campus.

Para Antônio Campos, presidente da Fundaj, a exposição evidencia o que há de mais genuíno do fenômeno carnavalesco. “A vertente mais significativa acontece nos subúrbios da cidade. O frevo, por exemplo, nasceu na rua. A Fundação tem um compromisso com todas as expressões de arte e cultura, do genuinamente popular ao severamente acadêmico; e a Zona Norte é uma das regiões da cidade onde os bairros mantêm  a tradição associada à modernidade para renovar a alma do folião”, reflete Campos.

Outro destaque da mostra expográfica é a presença do tradicional boneco gigante de Gilberto Freyre, que neste ano não sairá às ruas para integrar a exposição. “O sociólogo ganhará um traje especial para a ocasião, que preferimos manter surpresa. A fantasia está sendo produzida pelas equipes de design e educativo do Museu do Homem do Nordeste, no estilo homemade museum [‘museu feito em casa’, em livre tradução]”, destaca a museóloga e curadora Ciema Mello. 

A fim de promover uma imersão, registros em vídeo feitos nesses 36 anos serão projetados na sala. Dentre eles, o filme emblemático em que o sociólogo de Apipucos segura a fruta que dá nome ao bloco. “Gilberto era um sociólogo sui generis, pois ele compreendia que o Carnaval era a desordem premeditada pela ordem. Quando estudamos Sociologia, descobrimos que aquilo que parece ser não é. Ele contesta essa definição e compreende os estratagemas que compõem a folia”, aponta a curadora, ao explicar o título da exposição.

Bloco na rua

Com saída da troça programada também para este sábado (15), a concentração do bloco Turma da Jaqueira Segurando o Talo começa às 10h, no campus Casa Forte da Fundaj. A saída, prevista para às 12h, contará com participação dos blocos líricos Eu Quero Mais, Confetes e Serpentinas e Cordas e Retalhos. As orquestras Aurora Frevo Orquestra (Timbaúba), Evoé (Recife) e Arrecifes Frevo Orquestra (Recife), além dos maracatus rurais Piaba de Ouro e Cruzeiro do Forte (mais antigo do Recife, criado em 7 de setembro de 1929), integram a folia.

Nas ruas, os foliões também serão animados por seis trios elétricos, que contarão com André Marreta, Beleza Pura, Silvana Salazar, Camelô, Eduardo Moreno e a Farra das Poderosas, Malu Marinho, Márcia Lima, Marquinhos Balada e Bel Marcos. A troça percorrerá a Avenida Dezessete de Agosto, passando pelas ruas Doutor Seixas, Luiz Guimarães, Rua dos Arcos encerrando na Rua de Apipucos. O trajeto será acompanhado pelos bonecos gigantes de Nelson Ferreira, Fernando Freire e Manoel Cavalcanti.

 Em 2020, A Turma da Jaqueira homenageia o líder comunitário Walber Santos, a ex-dirigente da Diretoria Executiva de Controle Urbano do Recife (Dircon) Olímpia Falcão e o bloco Nós sofre mas nós goza. A expectativa é de que 150 mil foliões participem do Segurando o Talo neste ano.

Para a criançada

Pensando nos foliões de amanhã e na inclusão social, o Museu do Homem do Nordeste (Muhne) lança o Segurando o Talinho. A versão para os menores será promovida no domingo (16), a partir das 8h30, na comunidade Beira-Rio, em Apipucos. A atividade integra a programação do segundo Domingo dos Pequenos do ano, que, nesta edição, traz como tema o Carnaval. Na sequência, a criançada conhecerá  o Muhne, onde serão promovidas oficinas de de frevo, estandarte e instrumentos musicais. A brincadeira contará, ainda, com karaokê e desfile de La Ursa.

Serviço

Lançamento da exposição ‘Segurando o Talo por uma Sociologia da Alegria’
Local: campus Casa Forte/Fundaj (Avenida Dezessete de Agosto, 2187)
Data: 15 de fevereiro de 2020 
Horário: 9h                                    
A partir do domingo (16/02) a mostra ficará aberta ao público


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha