Faculdade de Medicina de Olinda

10/04


2014

FHC descarta ser vice e torce para Dilma ''cair devagar''

 O ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso (PSDB), ao lançar nesta quarta-feira no Rio seu livro “O Improvável Presidente do Brasil”, afirmou que não será candidato à vice-presidência e que eleições são imprevisíveis.

— Se for para ser vice, melhor ser presidente de uma vez. Já passei da idade — brincou o ex-presidente ao ser questionado por humoristas do Pânico, da Band, vestidos de Lula e Dilma.
Sobre a popularidade de Dilma, FH disse que torce para “cair devagar” e que a eleição não está definida .  (De O GLOBO - Raphael Kapa)

Leia mais clicando aí:  FH descarta ser vice e torce para Dilma ‘cair devagar’ 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Adilson

Num sei por quê a imprensa livre não divulga outros dados da pesquisa que rejeita FHC em 65%???


Governo de PE

10/04


2014

Fim do mundo: a CPI do fogo cruzado

A realização da CPI da Petrobras, do metrô de São Paulo e do Porto de Suape é um fato consumado. O presidente do Senado, Renan Calheiros, comunicou ao Planalto e ao PT, que não é possível impedir o funcionamento de uma Comissão com fato determinado e o número regimental de assinaturas.

Além disso, os aliados do PMDB estão sustentando que o governo Dilma tem uma vantagem na largada da troca de chumbo. A investigação na Petrobras está começando do zero e passará por uma fase de depoimentos.

Já a do metrô de São Paulo está avançada e há documentos e movimentações financeiras para serem exibidas ao público.     (Ilimar Franco - O Globo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Abreu e Lima

10/04


2014

Entrevista de Lula não teve o efeito que ele desejava

Fernando Rodrigues (Blog)

 O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu uma entrevista para blogueiros convidados na terça-feira (8.abr.2014). O objetivo principal seria debelar o movimento de bastidores “volta, Lula”. O efeito prático foi diverso e diferente do que o desejado pelo petista.

O “volta, Lula” continua onde sempre esteve. Não recuou nada.
Na entrevista, o ex-presidente parecia estar dando ordens para Dilma Rousseff e para o PT.

Ao PT, recomendou ir “para cima” e fazer uma luta política contra a CPI da Petrobras no Congresso. Passou um sabão público no deputado federal André Vargas (PT-PR), ameaçado de cassação.

Para terminar, Lula fez recomendações explícitas sobre como Dilma deve conduzir o país: “Nós poderíamos estar melhor, e a Dilma vai ter que dizer isso na campanha claramente: como é que a gente vai melhorar a economia brasileira”. Se é necessário “melhorar a economia brasileira”… as coisas não estão tão bem como sempre falam Dilma e sua equipe econômica.

Enfim, Lula foi mais Lula do que nunca. Deu ordens para todos os lados, inclusive para Dilma e para o PT. Continua tutelando a presidente da República e o partido.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Jose Jeremias dos Santos

o criador confirmou que sua cria é fraquinha, fraquinha.

maristela cavalcanti

Lula é o verdadeiro Fidel Castro! um ditador autêntico!

Adilson

A entrevista continua sendo notícia, inclusive aqui e agora mas, a imprensa livre tá dizendo que não teve o efeito esperado????


Prefeitura de Limoeiro

10/04


2014

Governo Lula-Dilma. E vice-versa

 

 

 

 

 

 

Em 2011, Antônio Palocci profetizou: - No primeiro ano, será um governo Lula-Dilma. No segundo, um governo Dilma-Lula. No terceiro, Dilma-Dilma (Leia mais aqui).

Com a entrada de Ricardo Berzoini no Ministério e o retorno da taxa de juros ao patamar de 11%, já dá para dizer que o governo voltou a ser Lula-Dilma no quarto ano.  (Radar - Veja - Thiago Prado)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


10/04


2014

FHC critica Bolsa Família e diz que Petrobras é bagunça

Do blog Diário do Poder - Cláudio Humberto

 Em palestra na qual citou algumas realizações de sua gestão e fez várias críticas aos governos que o sucederam, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse que a Petrobras “virou bagunça”, apontou “acúmulo de erros na questão energética”. Disse que o Bolsa-Família não tem oferecido porta de saída suficiente, com oportunidades para os beneficiados.

“Há um pouco de excesso de transferência de renda sem contrapartida”, afirmou Fernando Henrique na Associação Comercial, onde laçou o livro O Improvável Presidente do Brasil. O tucano reagiu à análise de que privilegiou a economia, com a estabilidade da moeda, em detrimento das políticas sociais.

“Criar o Bolsa-Escola, que foi o germe dessas bolsas, não foi fácil. Hoje é glória nacional, glória petista. A oposição foi enorme. As bolsas tiveram êxito, o subsídio estava condicionado a frequência na escola e tinha porta de saída. Agora pouco a pouco não tem porta de saída, estão aumentando a idade da pessoa que pode ter bolsa”, disse o ex-presidente na palestra.

Em entrevista, afirmou que o Bolsa-Família “é política fundamental de Estado e tem que ser mantido, melhorar mais, incentivar mais, não diminuir, e dar mais estímulos para as pessoas se integrarem na vida comum”.

VIROU BAGUNÇA

Diante da plateia formada principalmente por empresários, Fernando Henrique entrou em clima de campanha ao responder a uma pergunta sobre o futuro do País: “A situação não é desesperadora, mas o caminho está cheio de tropeços e a hora de corrigir é agora nas eleições.”

Na mesma resposta, o ex-presidente atacou a política do governo de impedir o aumento do combustível para controlar a inflação. “Houve muito descuido em coisas fundamentais como a energia. Com política para combater erradamente a inflação, tabelando preços conseguimos estragar a Petrobras e o etanol”, criticou, referindo-se ao fato de que, sem aumento da gasolina e do diesel, o álcool combustível deixa de ser competitivo.

O tucano voltou a criticar o governo e o PT por tentarem impedir a CPI da Petrobras e ironizou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, seu sucessor. “O presidente Lula propunha tanta CPI no meu tempo, por que agora está contra? Se o governo está tão preocupado em impedir, a suspeita de que tem alguma coisa errada aumenta”, disse, em entrevista. Na palestra, atacou a influência dos partidos na estatal. “Essas loucuras todas na Petrobras levam a pensar no grande controle que os partidos têm. Dá no que dá. No meu governo, nós arejamos, transformamos em verdadeira empresa, não repartição pública. Cortamos a (exigência) da lei 8666 (das licitações). Agora virou bagunça”, disse.

REFINARIA

Mais uma vez, o ex-presidente defendeu a presidente Dilma Rousseff no caso da compra, pela Petrobras, da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. A um entrevistador do programa de TV humorístico Pânico que estava fantasiado de Dilma, Fernando Henrique disse: “Você é vítima, tem que explicar que não é responsável. Fala a verdade.”

Fernando Henrique afirmou que “muito do que foi feito (em seu governo) foi continuado pelo presidente até 2007 ou 2008, mas depois não”. “Muito do que nós construímos está sendo desfeito, não é que tenham a intenção, mas não têm atenção necessária para evitar a corrosão”, criticou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Adilson

O elogiadíssimo crescimento do PIB de Pernambuco acima da média do Brasil recebeu bilhões do Programa Bolsa Família em seu componente. E aí, sumidade, vai dizer o quê????????

maristela cavalcanti

O bolsa família não passa de esmola, que grande parte das pessoas acosturam a receber, e ai daquele que pense em acabar.E nós pagamos a conta.


Magno coloca pimenta folha

10/04


2014

A marca do futebol: roubo de imagem

Blog de Heródoto Barbeiro

Como todo mundo sabe existe no Congresso Nacional uma bancada da bola.  São deputados e senadores ligados a clubes de futebol em todo País.

São eles que defendem o perdão para as dívidas milionárias dos clubes sob o pretexto que praticam o esporte mais popular do Brasil.
Em troca recebem votos, viagens, hospedagens e outros mimos dos clubes.

A CBF, que é uma empresa privada explora a imagem, bandeira, cores, e o nome Brasil para ganhar dinheiro.

Privatizaram a imagem do Brasil e todo mundo fatura alto graças aos torcedores ingênuos que enchem os estádios e dão ibope na TV.

Os clubes merecem ter suas dívidas públicas perdoadas?

A CBF não deveria ter que pagar um royalty por usar a marca Brasil?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

10/04


2014

PT, PSDB e suas pizzas


 

 

 

 

 

 

 

Renato Riella - Blog

PT e PSDB têm antecedentes horríveis em matéria de escândalo. São especialistas em matéria de pizza. Em 2009, os petistas participaram de uma operação para salvar o senador José Sarney (PMDB), que presidia o Congresso e esteve envolvido em denúncias seríssimas. Ele só se salvou porque o então líder do PSDB, Arthur Virgílio, foi flagrado em atos que poderiam também levá-lo ao Conselho de Ética. O resultado é que houve um pacto secreto que arquivou as duas denúncias.

Vimos que, na eleição de 2006, um ano depois do grande escândalo do Mensalão do PT e da queda do líder José Dirceu, os tucanos fizeram campanha presidencial sem abordar este assunto. Ninguém entendeu porque.

Na verdade, o candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, estava fragilizado pela denúncia de que sua mulher, Lu Alckmin, tinha recebido 400 vestidos de um estilista famoso. PT e PSDB fizeram um pacto mudo de não agressão e Lula acabou vencendo a eleição.

Os tucanos estão fragilizados por causa do Mensalão mineiro. No entanto, ministros do Supremo Tribunal Federal que têm ligação direta com o Palácio do Planalto participaram da operação que livrou a cara do ex-governador de Minas, Eduardo Azeredo, deixando que o processo do Mensalão fosse rebaixado para a Justiça de Minas, onde vai acabar engavetado.

É assim a política brasileira, repleta de impunidades e de ruídos momentâneos que não levam a nada.

A CPI hoje em discussão, do Metrô e da Petrobras, não vai dar em nada. Será engolida pela Copa do Mundo, que é muito mais interessante.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


10/04


2014

Pressionado até pelo PT, Vargas deixa vice da Câmara

 O deputado licenciado André Vargas (PT-PR) anunciou na noite desta quarta-feira, 8, a renúncia ao cargo de vice-presidente da Câmara. A decisão ocorre no mesmo dia da abertura do processo disciplinar contra ele no Conselho de Ética da Casa.

A carta de renúncia de Vargas foi lida em plenário na noite desta quarta pelo líder do PT na Câmara, deputado Vicentinho (SP). “Tomo essa decisão para que eu possa me concentrar em minha defesa perante o conselho e para não prejudicar o andamento dos trabalhos da Mesa Diretora, e também preservar a imagem da Câmara, do meu partido e de meus colegas deputados”, diz o petista no documento.

Ao ler a carta, Vicentinho disse que o partido apoia sua decisão e que, a partir de agora, a legenda passará a discutir nomes para substituir Vargas na vice-presidência. Os mais cotados são o ex-líder do PT José Guimarães (CE), o vice-líder do governo Henrique Fontana (RS) e o ex-presidente da Câmara Marco Maia (RS). “Ele agora quer ter o direito defesa e de ser ouvido”, disse Vicentinho.  (De O Estado de S.Paulo -  Erich Decat, Valmar Hupsel Filho e Daiene Cardoso) 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha