FMO

16/01


2020

Os últimos momentos da procissão do Bonfim


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Governo de PE - Redução nos Homicídios

16/01


2020

O autêntico som baiano


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

acolher

16/01


2020

Uma mistura de fé com carnaval


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

16/01


2020

É hora de matar o calor


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


16/01


2020

Uma festa de fé, na paz e sem violência


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro

16/01


2020

Candidato de ACM também fala ao blog


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

16/01


2020

Bonecos de Olinda na festa do Bonfim


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


16/01


2020

No meio da multidão, prefeito fala ao blog


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


16/01


2020

O frevo pernambucano na procissão do Bonfim


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


16/01


2020

Não poderia faltar a capoeira


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


16/01


2020

Tem até manifestação pro Lula e fora Bolsonaro


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


16/01


2020

Manuela DÁvila na lavagem do Bonfim

A ex-vice-candidata à Presidência da República pelo PCdoB em 2018, Manuela D'Ávila, esteve, há pouco, na Festa do Bonfim, em Salvador. A ex-deputada federal estava acompanhada de apoiadores e cumprimentava eleitores no trajeto da procissão que leva à lavagem das escadas da Igreja de Nosso Senhor do Bonfim.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


16/01


2020

Tem carnaval na lavagem do Bonfim


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


16/01


2020

Chegando na largada da procissão do Bonfim


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


16/01


2020

A peregrinação até a Lavagem do Bonfim


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


16/01


2020

Uma festa que bate o Galo de longe

Por uma dessas coincidências da vida, ou sorte - como repórter  a sorte bate muito à minha frente - vim a Salvador na semana da Lavagem do Bonfim, um dos eventos religiosos mais importantes da Bahia, que acontece daqui a pouco, com a previsão, pasmem, de atrair cerca de 2 milhões de pessoas.

Isso mesmo, não é exagero, nem se assuste. Os números são da Igreja, conforme informou ontem o reitor da Basílica do Bonfim, padre Edson. Se essa multidão se confirmar o Galo da Madrugada, que enche as ruas do Recife,  ficará muito atrás, perdendo a liderança e o recorde de festa de rua. 

A lavagem faz parte da programação da Festa ao Nosso Senhor do Bonfim, onde ocorrem celebrações católicas desde o último dia 9. O tema deste ano está estampado em camisas e outdoors pela cidade - "Senhor do Bonfim, 275 anos de devoção, veneração e proteção".

 A festa leva o lema, também, de "Ontem, hoje e sempre sob a sombra da Tua Cruz".
Remete ao Ano Jubilar, proclamado em abril de 2019, com o objetivo de comemorar a chegada da imagem do Senhor do Bonfim a Salvador.

"Que Deus nos conceda a graça para comemorar os 275 anos da imagem de Nosso Senhor do Bonfim", disse, ao blog, o padre Edson, adiantando que a festa vai contar com uma quermesse.

Ao final do cortejo, a lavagem sincrética, que conta com católicos e o povo de santo não será realizada apenas no adro, como nos últimos anos, mas nas escadarias da Basílica do Bonfim.

"As pessoas não conseguiam ver muito bem a lavagem das escadarias, mas o que era lavado era o adro da igreja. Então, a ideia é que as pessoas possam ver melhor o momento mais importante da festa", afirmou o padre.

Ontem, véspera da lavagem, a imagem de Nosso Senhor do Bonfim foi levada em uma procissão marítima até o 2º Distrito Naval de Salvador.

A imagem ficou no bairro do Comércio e hoje, às 7  horas, os fiéis seguem da basílica na tradicional caminhada religiosa de Corpo e Alma, que seguirá em direção à Colina Sagrada, onde fica a Igreja do Bonfim.

O andor que levará a imagem do Senhor do Bonfim será conduzido em uma grande caravela, alegoria produzida pelo artista plástico Zaca Oliveira, para recordar a chegada da imagem a Salvador no dia 18 de abril de 1745. A caravela será ladeada por um pano azul que simbolizará o mar.

Desde o dia 9, largada das comemorações do Senhor do Bonfim, ocorrem as apresentações do Coral das Crianças do Bonfim, sempre às 18h30. As crianças do coral ficam posicionadas nas janelas, escadarias e adro da Igreja do Bonfim.

Outro grande evento do calendário religioso é a  Sexta da Gratidão, a última sexta feira do ano. Nesse dia serão realizadas 13 missas na igreja do Bonfim: 5h, 6h, 7h, 8h, 9h, 10h, 11h, 12h, 13h, 14h, 15h, 17h e 18h30.

No último dia 3 também foram realizadas 13 missas, celebrações eucarísticas que marcam a chamada  Sexta-Feira da Proteção.  Já estou me preparando, espiritualmente e fisicamente, para uma cobertura jornalística que nunca fiz por atuar muito mais e especificamente no campo político. 

Mas político é o que não vai faltar por lá, desde a concentração na Igreja dos Mares até a chegada do cortejo à Igreja do Bonfim. 

Durante o governo de Getúlio Vargas, as esposas de políticos e autoridades faziam uma simulação da lavagem das escadarias para posar para fotos dos jornais, com roupas finas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Hermano Couto Sampaio Júnior

Rapaz, Magno Martins quer jogar Pernambuco na vala de todo jeito. Vai com calma, imparcialidade blogueiro.

Ary Siqueira da Cunha Filho

Bom dia caro Magno, tenho acompanhado sua visita à querida Salvador-BA., e vejo que está bem administrada, por ACM Neto, no entanto Recife está na dianteira sem sombra de dúvidas das capitais do Nordeste, por tudo que representa no seu desenvolvimentos nos últimos 12 anos. Agora ouvir esses comentários descabidos de Edson Barbosa, um marqueteiro, competente, porém gestor, tenho minhas dúvidas, parecendo demonstrar raiva e levando comentários para o lado da pessoalidade.



16/01


2020

Dilma, Jacques e Rui ajudaram a desafogar trânsito

As mudanças estruturais no trânsito de Salvador, que provocaram uma redução drástica nos engarrafamentos, ainda sem muito impacto no centro, têm uma história que nasceu lá atrás, quando Dilma Rousseff ainda estava no poder. Tudo a ver com o dinheiro do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento –, em parceria com os governos petistas de Jaques Wagner e Rui Costa. Envolve uma obra magnífica de um sistema viário com, aproximadamente, 25 km, composto por dois corredores, que já começaram a desafogar – e muito – o acesso ao centro e aos bairros populosos da periferia.

O primeiro corredor, a Linha Azul, é um sistema viário que compreende a integração da Avenida Pinto de Aguiar à Avenida Gal Costa, duplicação da Av. Gal Costa e implantação da Ligação Pirajá x Lobato, constituindo uma nova via transversal à Avenida Paralela, interligando a orla de Patamares/ Pituaçu a orla do Subúrbio/ Lobato, numa extensão de aproximadamente 12 km.

É caracterizado por pista dupla, com três faixas de tráfego, em cada sentido, incluindo um corredor exclusivo em condições de operar pelo sistema BRT (Bus Rapid Transit). As pistas com pavimentação asfáltica são limitadas por um canteiro central com largura variável, passeios laterais e ciclovia. Visando assegurar as condições de funcionamento de macrodrenagem, será implantado um canal com estrutura em C.A e seção variável, em alguns trechos coberto e em outros descobertos.

Para assegurar o perfeito funcionamento deste importante corredor de tráfego, estão sendo executados serviços de urbanização, paisagismo, sinalização viária, horizontal e vertical, implantação de semáforos e iluminação pública. Dentre as obras d’arte, destacam-se nove elevados e quatro túneis duplos. Merece destaque o túnel sob a Avenida Paralela, com três faixas, e os que fazem a interface com Avenida Suburbana, contendo duas faixas.

O outro corredor é a chamada Linha Vermelha, sistema viário ligando a Av. Otávio Mangabeira (Orla) à BR-324, passando pela Av. Orlando Gomes, Av. Luís Viana Filho, Baixo do Jaguaribe e Av. Regional. São 20 km de vias, com três faixas em cada sentido, incluindo um corredor exclusivo em condições de operar pelo sistema Bus Rapid Transit (BRT).

O empreendimento possui passeio e ciclovia em toda sua extensão além de seis viadutos, cinco pontes, aproximadamente, 4 km de canal, sinalização, iluminação pública, urbanização e paisagismo. A obra foi iniciada com um pontilhão ligando a Av. Otávio Mangabeira à Av. Orlando Gomes, que será duplicado. Estão sendo construídos dois viadutos ao longo da Avenida Orlando Gomes. A extensão total da Linha Vermelha é 20 km, já com obras em 12 km.

O corredor passa pelo Parque Tecnológico da Bahia, as estações metroviárias do Bairro da Paz e de Águas Claras/Cajazeiras e, primeiramente, pelo viaduto de acesso às rodovias federal (BR-324) e estadual (BA-528), acompanhando o vale do Rio Jaguaribe. Chegará em Paripe, seguindo a rodovia estadual, mais precisamente à futura Estação São Luís do VLT do Subúrbio de Salvador.

Com impacto na abertura de novos vetores de desenvolvimento da Bahia, o corredor passa a compor o sistema de transporte de massa, pois estará ligado a ambas as linhas metroviárias, alimentando-o, bem como à linha de trens urbanos do Subúrbio. De média/alta capacidade, posteriormente será implantado sistema de ônibus (BRT) em uma das faixas, com previsão de funcionamento até 2022. Atravessa a cidade de orla a orla, conectando as áreas da Orla Atlântica, do Miolo e do Subúrbio Ferroviário. São os quase 13 km de via municipal da Avenida Orlando Gomes (3,5 quilômetros) e da futura Avenida 29 de Março (9,2 quilômetros) mais os 8 km da Estrada da Base Naval (BA-528).

A obra tem o carimbo petista dos governos Jacques Wagner e Rui Costa. Pelo contrato, datado de 22 de abril de 2013, celebrado entre o Município do Salvador, Município de Lauro de Freitas e o Estado da Bahia, decorrente do convênio com a União. No contexto dos acordos sobre a transferência de controle do metrô, ficou a cargo do Estado da Bahia a construção dos dois corredores transversais e foram reservadas à capital a definição do modal a ser instalado e a sua operação.

A implantação do corredor foi dividida em duas áreas: primeiro da orla atlântica até a BR-324, e posteriormente prolongamento até a Paripe. Em 17 de julho de 2013, o governo baiano lançou o edital de pré-qualificação de concorrentes para o início das obras do Corredor 2, como também do Corredor Transversal I. Meses depois, em 12 de março do ano seguinte, foi homologada a vitória da construtora OAS, que apresentou a proposta de menor preço, R$ 581 milhões.

O prazo de execução é de 36 meses, a contar da assinatura da ordem de serviço, feita em 27 de março de 2014. As obras incluem duplicação da Orlando e construção da 29 de Março, a qual terá três faixas de rolamento em cada sentido por 14 km, uma delas preferencial ao transporte público (a virar BRT mais tarde), ciclovia e complexo de viadutos no cruzamento com a Avenida Paralela.

Em outubro de 2013, o Governo Federal liberou verba para financiar a segunda parte, dentro do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) em sua versão PAC Mobilidade Urbana, o BRT Águas Claras-Paripe, como complemento ao trecho 29 de Março-Orlando Gomes. As obras significam a duplicação da via para adequação ao modal, a começar pelos estudos de topografia e sondagem, para que se chegue de Águas Claras à Estação São Luís.

Já em março de 2015, o então Corredor Transversal II foi renomeado para “Linha Vermelha” assim como ocorreu com o então Corredor Transversal. A Avenida 29 de Março foi projetada como parte do corredor transversal alimentador do metrô, a chamada Linha Vermelha, que conectará a Orla, em Piatã, à BR-324, na altura de Águas Claras.

Graças à nova via, o deslocamento no trecho de 13 km dura apenas 15 minutos, o que reduziu pela metade o tempo do antigo trajeto. Batizada em homenagem à data do aniversário de Salvador, a via liga a Avenida Paralela à Aliomar Baleeiro, conhecida como Estrada Velha do Aeroporto. Neste trecho, o governo investiu R$ 78,3 milhões.

A Avenida 29 de Março foi inaugurada no dia 6 de abril do ano passado. Dediquei parte do horário da manhã de hoje para conhecer os dois corredores e por que eles passam a dar fluência ao trânsito. Muito simples: da BR-324 para Águas Claras ou Cajazeiras, entra na Via Marginal, desce a primeira à direita, pega o sistema novo e sobe pela Rua Celika Nogueira. Da BR-324 (sentido Feira de Santana) para voltar a Salvador ou pegar a Estrada do Derba, entra na Via Marginal e desce na alça de retorno, passando sob o viaduto.

De Águas Claras ou Cajazeiras em direção à BR-324, desce pela Rua Oswaldo Leal e pega o sistema novo, chegando ao sentido da via que preferir. De Salvador para a Via Regional, pega a Via Marginal da BR-324, após a passarela lilás, desce na primeira alça, pega o sistema novo e vai direto. Já da Estrada do Derba para a Via Regional, passa embaixo do viaduto e segue direto pelo sistema novo. Da Estrada do Derba para Feira de Santana, passa embaixo do viaduto e sobe a primeira alça à direita, chegando à nova Via Marginal.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


16/01


2020

Metrô de Salvador é coisa de primeiro mundo

Emperrado há 12 anos, período que seus vagões comprados no exterior ficaram encaixotados por questões de ingerência administrativa e política de gestões passadas, o metrô de Salvador está de vento em popa, tendo contribuído de forma efetiva para desafogar o trânsito. Tudo graças a uma decisão arrojada do governador Rui Costa (PT), com transição feita pelo ex-governador Jacques Wagner. Na época, Rui acompanhou o processo de perto como chefe da Casa Civil e depois das Relações Institucionais.

Há pouco, testei a qualidade do metrô, grata esperança para acelerar os projetos de mobilidade urbana da Grande Salvador. São 33 quilômetros de trilhos. Paguei R$ 3,70 pelo bilhete integrado ao sistema de ônibus, ou seja, com direito a pegar o bus até o local do meu destino sem desembolsar um tostão a mais.

Na capital baiana, o metrô se tornou um exemplo de obra de infraestrutura na área de transportes executava com rapidez e competência.

A história bem-sucedida começou em outubro de 2013, quando o Grupo CCR venceu a licitação e assinou o contrato para assumir o sistema. Até então, os soteropolitanos amargavam uma má experiência. Desde 2000, a obra havia avançado apenas 6 quilômetros em meio a polêmicas, falta de recursos e suspeitas de superfaturamento.

O governo estadual assumiu o controle e propôs uma parceria público-privada integral. Em vez de erguer a obra e contratar uma empresa para cuidar dos trens, o Estado optou por chamar, por meio de leilão, um único consórcio para assumir todo o processo (construção, operação e manutenção do sistema), ditando o ritmo dos investimentos no período de 30 anos.

Com a parceria público-privada integral, a empresa contratada também arca com os gastos, o que estimula a economia. No caso baiano, a obra custou R$ 4,8 bilhões, com uma contrapartida estadual e federal de pouco mais da metade desse valor.

Raio X do metrô baiano

Salvador ganhou 26 quilômetros de trilhos em quatro anos. A cidade hoje tem a terceira maior rede brasileira de trilhos, atrás apenas de Rio de Janeiro e São Paulo.

Serviços

Extensão: 33 km

Linhas: 2

Estações: 20

Viagens diárias: 800

Passageiros: 330 mil/dia

Terminais de integração com ônibus: 7

Empregos diretos: 1,6 mil

Preço do bilhete: R$ 3,70


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores