Busca


Coluna do Blog
Ambiente de guerra


Destaques
Dilma aposta no voto evangélico na reta final
Dilma consegue direito de resposta imediato à Veja
Sensus fecha última pesquisa: Aécio, 52,1%; Dilma 47,9%
Veja quem está na frente em 10 Estados
Na segunda-feira, o grito dos derrotados
Datafolha/votos válidos: Dilma, 52%; Aécio, 48%
Ibope/Votos válidos: Dilma, 53%; Aécio, 47%
Colunista:Aécio ganha debate mas não vira jogo no Ibope
Apoiado por Cid e Ciro, petista pode vencer no Ceará
Dilma repudia vandalismo à Veja, mas ataca a revista


Opinião


Zeus nos livre das sete pragas dos gafanhotos vermelhos - José Adalberto Ribeiro
























TwitterTwitterRádio do MagnoRSS

25
10/14
Dilma aposta no voto evangélico na reta final
Leandro Mazzini - Coluna Esplanada 

 Em milhões de folhetos distribuídos pela coligação nas ruas das capitais, nos últimos três dias, a presidente Dilma (PT) faz a última ofensiva para conquistar o voto dos evangélicos. Não apenas dos eleitores de Marina (PSB) e Pr. Everaldo (PR), que teoricamente migram para Aécio (PSDB).

É luta pessoal desde 2010, quando foi acusada de ser a favor do aborto. No folheto, Dilma cita que não obrigará pastores a realizarem casamentos de pessoas do mesmo sexo, e lembra que ‘afirmamos em 2010 não promover nenhuma iniciativa que afronte a família. Honramos tal compromisso’.

Mas uma ação do Ministério da Saúde quase jogou tudo para o alto. A Portaria 415 da Saúde, publicada dia 22 de maio, trocou no D.O. o termo da ‘profilaxia da gravidez’ em casos graves por ‘interrupção terapêutica do parto’.

O novo termo que seria usado oficialmente abriria brecha jurídica para o aborto. Revelado pela Coluna, causou embate entre juristas e o governo, e a Saúde recuou.

À ocasião, a bancada evangélica, forte no Congresso, chiou e foi para cima do ministro e da presidente Dilma. Acuada, visando a eleição, a presidente mandou a Saúde recuar.

No material da coligação, a presidente também lembra que mudou a Lei Rouanet para reconhecer a música Gospel como atividade cultural, para que recebesse patrocínio.

  Escrito por Magno Martins, às 23h00
 
Comentários Comentários (0) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

25
10/14
Dilma consegue direito de resposta imediato à Veja

Campanha foi abalada pelo texto da revista sobre envolvimento da petista na corrupção da Petrobras

 O ministro Admar Gonzaga, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), concedeu neste sábado direito de resposta à campanha da presidente Dilma Rousseff na revista “Veja”. O site deverá publicar imediatamente um texto com a explicação dos petistas de que não há provas do conteúdo da reportagem de capa da última edição da revista. 

“A democracia brasileira assiste, mais uma vez, a setores que, às vésperas da manifestação da vontade soberana das urnas, tentam influenciar o processo eleitoral por meio de denúncias vazias, que não encontram qualquer respaldo na realidade, em desfavor do PT e de sua candidata”, diz o início da resposta que a revista terá de publicar.

Em seguida, o PT afirma que foram “apresentadas acusações sem provas”. Ainda segundo o texto, o advogado do próprio Youssef diz que seu cliente não incriminou Dilma e Lula no depoimento.

Pela decisão, o direito de resposta deve ser publicado imediatamente na página da revista na internet. “Concedo a liminar para a veiculação do direito de resposta requestado e, assim, determinar à Editora Abril S.A. que insira, de imediato, independentemente de eventual recurso, no sítio eletrônico da Revista Veja na internet, no mesmo lugar e tamanho em que exibida a capa do periódico, bem como com a utilização de caracteres que permitam a ocupação de todo o espaço indicado”, decidiu o ministro.

  Escrito por Magno Martins, às 21h30
 
Comentários Comentários (6) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

25
10/14
Sensus fecha última pesquisa: Aécio, 52,1%; Dilma 47,9%

Do blog Diário do Poder - Cláudio Humberto

O Instituto Sensus realizou a última pesquisa de intenção de votos para presidente, fechada há pouco, indicando liderança do candidato do PSDB, Aécio Neves, com 52,1% dos votos válidos. A sua oponente Dilma Rousseff (PT), segundo o Sensus, soma 47,9% dos votos válidos. O levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sob nº 01193/2014.

Ao contrário de todos os demais institutos de pesquisa do País, como Datafolha, MDA e Ibope, que apontavam para Marina Silva (PSB) disputando o segundo turno com a candidata do PT, o Sensus foi o único a captar o crescimento de Aécio, na reta final, sobretudo após o debate da Rede Globo, indicando que ele estaria no segundo turno, como de fato aconteceu.

Computando-se todas as intenções de voto, inclusive brancos e nulos, Aécio tem 45,7%, contra 42% de Dilma. Indecisos, brancos e nulos somam 12,4%. As entrevistas foram realizadas nesta sexta-feira (24) e hoje, e a margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, para mais e para menos.

  Escrito por Magno Martins, às 21h00
 
Comentários Comentários (7) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

25
10/14
Veja quem está na frente em 10 Estados

Rio de Janeiro

Pezão tem 55% e Crivella 45%

Distrito Federal –

Rollemberg tem 55%; e Frejat 45%

Rio Grande do Sul

Sartori tem 60% e Tarso Genro 40%

Ceará

Camilo (PT) tem 52%, e Eunício (PMDB) 48%

Amapá

Waldez tem 62% e Camilo 38% no Amapá

Goiás

Marconi Perillo tem 60% e Iris Rezende 40%

Mato Grosso do Sul

Delcídio tem 51% e Reinaldo 49%

Pará

Helder tem 50% e Jatene 50%

Paraíba

Ricardo tem 53% e Cássio 47%

Rio Grande do Norte

Robinson tem 54% e Henrique 46%

  Escrito por Magno Martins, às 20h48
 
Comentários Comentários (1) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

25
10/14
Na segunda-feira, o grito dos derrotados

 Depois da voz das urnas, um de dois gritos de revanche ecoarão de Norte a Sul, chefiados pelo Lula, se Dilma perder, ou por Geraldo Alckmin, se Aécio não conseguir a vitória. Obviamente, sem a participação do derrotado.  Não se prevê um conflito específico  entre esquerda e direita, já que as ideologias às vezes se confundem, mas um muito mais simples embate entre duas concepções de poder. E de conquista das  benesses por ele oferecidas.

Na segunda-feira pela manhã começará a erosão de quem for derrotado. No caso de Dilma, a certeza da volta a Porto Alegre,  apesar de mineira, para curtir  no ostracismo a ausência dos companheiros que ainda hoje a bajulam.

Em se tratando de Aécio, a evidência do completo domínio dos paulistas no ninho tucano, passando o então ex-candidato a refugiar-se nos quatro anos  restantes  de senador. Ambos, sem a menor dúvida,  tidos como cartas fora do baralho, até para satisfação de muitos de  seus parceiros.  (Carlos Chagas)

  Escrito por Magno Martins, às 20h00
 
Comentários Comentários (1) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

25
10/14
Datafolha/votos válidos: Dilma, 52%; Aécio, 48%

Portal G1

Pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (25) aponta os seguintes percentuais de votos válidos no segundo turno da corrida para a Presidência da República:
-
Dilma Rousseff (PT): 52%
-
Aécio Neves (PSDB): 48%

Para calcular esses votos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição.

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal 'Folha de S.Paulo'.

De acordo com o Datafolha, a presidente Dilma Rousseff (PT) chega à véspera da votação empatada tecnicamente com seu adversário, Aécio Neves (PSDB). Mas, segundo o instituto, 'é maior a probabilidade de Dilma estar à frente'.

No levantamento anterior do instituto, divulgado no dia 23, Dilma tinha 53%, e Aécio, 47%.

Votos totais
Se forem incluídos os votos brancos e nulos e dos eleitores que se declaram indecisos, os votos totais da pesquisa estimulada são:

- Dilma Rousseff (PT): 47%
- Aécio Neves (PSDB): 43%
- Em branco/nulo/nenhum: 5%
- Não sabe: 5%

Os dois candidatos estão tecnicamente empatados dentro do limite da margem de erro.

O Datafolha ouviu 19.318 eleitores em 400 municípios nos dias 24 e 25 de outubro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. Isso significa que, se forem realizados 100 levantamentos, em 95 deles os resultados estariam dentro da margem de erro de dois pontos prevista. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01210/2014.

Certeza do voto
O Datafolha também perguntou, entre os dois candidatos, em quem os eleitores votariam com certeza, em quem talvez votassem e em qual não votariam de jeito nenhum. Veja os números:

Dilma
46% - votariam com certeza
14% - talvez votassem
38% - não votariam de jeito nenhum
1% - não sabe

Aécio
41% - votariam com certeza
16% - talvez votassem
41% - não votariam de jeito nenhum
2% - não sabem

1º turno
No primeiro turno, Dilma teve 41,59% dos votos válidos e Aécio, 33,55% (
veja os números completos da apuração no país).

  Escrito por Magno Martins, às 18h37
 
Comentários Comentários (8) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

25
10/14
Ibope/Votos válidos: Dilma, 53%; Aécio, 47%

Do portal G1

Pesquisa Ibope divulgada neste sábado (25) aponta os seguintes percentuais de votos válidos no segundo turno da corrida para a Presidência da República:
- Dilma Rousseff (PT): 53%
- Aécio Neves (PSDB): 47%

Para calcular esses votos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição.

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal 'O Estado de S. Paulo'.

No levantamento anterior do instituto, divulgado no dia 23, Dilma Votos totais
Se forem incluídos os votos brancos e nulos e dos eleitores que se declaram indecisos, os votos totais da pesquisa estimulada são:

- Dilma Rousseff (PT): 49%
-
Aécio Neves (PSDB): 43%
- Branco/nulo: 5%
- Não sabe/não respondeu: 3%

O Ibope ouviu 3.010 eleitores em 206 municípios nos dias 24 e 25 de outubro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01195/2014.

1º turno
No primeiro turno, Dilma teve 41,59% dos votos válidos e Aécio, 33,55% (
veja os números completos da apuração no país).

  Escrito por Magno Martins, às 18h34
 
Comentários Comentários (4) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

25
10/14
Colunista:Aécio ganha debate mas não vira jogo no Ibope

 

 

 

 

 

 

 

De Lauro Jardim - Veja Online

Aécio Neves fez um debate impecável ontem e superou Dilma Rousseff, que teve sua pior participação nestes embates diretos do segundo turno. Mas, de acordo pelo menos com o Ibope, não foi suficiente para virar o jogo.

A nova pesquisa Ibope com as intenções de voto para a Presidência da República, que será divulgada hoje à noite, a última antes da eleição,  mostrará que nada mudou entre quinta-feira (leia mais aqui) e hoje.

Mais uma vez Dilma Rousseff aparecerá na frente, com uma vantagem acima da margem de erro da pesquisa.

Aécio Neves pode estar atrás de Dilma Rousseff nas pesquisas, mas nos últimos dias ultrapassou a petista num segmento em que ela sempre dominou – a web.

O Alexa,  um dos mais confiáveis medidores de audiência de sites, está mostrando que o site oficial de Aécio ultrapassou o de Dilma. É agora o 33,705 site mais acessado do mundo. O site de Dilma está em 39,809º lugar.

  Escrito por Magno Martins, às 18h00
 
Comentários Comentários (6) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

25
10/14
Apoiado por Cid e Ciro, petista pode vencer no Ceará

Com o apoio do governador Cid e do ex-ministro Ciro Gomes, o petista Camilo Santana (PT), 46, é o favorito para vencer as eleições no Ceará neste domingo (26). Ele lidera a disputa no Estado com 14 pontos percentuais a mais que o senador Eunício Oliveira (PMDB) – 57% a 43%, segundo levantamento do Datafolha no meados desta semana.

Filho de um ex-deputado estadual petista, Santana é engenheiro agrônomo e servidor licenciado do Ibama e já foi do PSB. Já Eunício intensificou o uso da imagem da presidente apenas no segundo turno. No primeiro, ele fez uso moderado para acomodar em sua chapa o tucano Tasso Jereissati, que fez campanha para Aécio. 

No segundo turno, o principal tema da campanha foi a segurança pública. Além dos altos números de homicídios no Estado, que tem o terceiro maior índice do país – 44,6 mortes por 100 mil habitantes –, a Polícia Militar foi jogada no centro do embate político após declarações do governador de que a corporação estaria atuando como uma "milícia" para prejudicar a campanha de Camilo.

Por um acordo com o PMDB nacional, Dilma manteve a neutralidade em solo cearense. A petista também não gravou depoimentos nem manifestou apoio formal a nenhum dos lados em nenhum dos dois turnos. (Folha de S.Paulo)

  Escrito por Magno Martins, às 17h00
 
Comentários Comentários (2) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

25
10/14
Dilma repudia vandalismo à Veja, mas ataca a revista
Manifestantes picham muro da sede da editora Abril (Foto: Cauê Fabiano/G1)
Manifestantes picham muro da sede da editora Abril (Foto: Cauê Fabiano/G1)

'Bandidos que tentam salvar a própria pele estão afirmando coisas sem fundamento'

A presidente Dilma Rousseff disse neste sábado (25) repudiar os atos de vandalismo na sede da Editora Abril, em São Paulo, e afirmou que 'bandidos que tentam salvar a própria pele' estão afirmando 'coisas sem fundamento'.

Em entrevista em Porto Alegre, onde promove o último ato de sua campanha, ela disse que a reportagem da revista 'Veja', segundo a qual ela e o ex-presidente Lula sabiam das irregularidades na Petrobras, é um 'processo golpístico'.

Em tom indignado, ela afirmou: 'Quero que provem que eu compactuei com a corrupção. [É] Esse tipo de situação em que se insinua e que não tem prova. Quero dizer também que não falo de corrupção só em época eleitoral'.  (Da Folha de S.Paulo) 

  Escrito por Magno Martins, às 16h20
 
Comentários Comentários (8) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

25
10/14
Aécio condena ataque à Veja: ''Atacam a liberdade''

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, condenou os ataques à sede da editora Abril, em São Paulo, onde funciona a revista Veja. 'Com isso, eles não atacam a revista, atacam a liberdade', 

Em entrevista em São João Del Rey (MG), disse que o país assistiu 'um atentado à democracia' com as depredações e tentativa de 'censura' à revista.

Para ele, a intolerância já é 'uma marca dos nossos adversários'. Um grupo que apóia a candidatura da presidente Dilma Rousseff (PT) assinou os ataques. O PT, por sua vez, entrou na Justiça para impedir a publicidade da capa de 'Veja' nas redes sociais. (Da Folha de S.Paulo)

  Escrito por Magno Martins, às 15h40
 
Comentários Comentários (12) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

25
10/14
Campanha: Marina deixa para o PSB dívida milionária
Dívida milionária Dívida milionária

É de cerca de 1 milhão de reais a dívida de campanha de Marina Silva que caiu no colo do PSB.

Bazileu Margarido, homem forte da Rede, está com dificuldades de apresentar à cúpula do partido os recibos e contratos de cada gasto efetuado.

E o PSB já indicou que só paga o que estiver devidamente comprovado com documentos.

Enquanto isso, entre os reeleitos, Jean Wyllys (PSOL/RJ) foi o deputado que alcançou o maior crescimento no número de votos entre 2010 e 2014. Passou de 13 018 votos para 144 770 votos, um aumento de 1012%.

No outro extremo, está Arnaldo Jordy (PPS/PA), cujo emagrecimento eleitoral foi vigoroso. Caiu de 201 171 votos em 2010 para 70 950 votos. Uma queda de 65%.  (Lauro Jardim - Veja Online)

  Escrito por Magno Martins, às 15h00
 
Comentários Comentários (2) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

25
10/14
DEM dá sinal do seu fim após eleições

Foto: Divulgação

A cúpula do DEM vai acabar com o partido. É o que afirma o colunista do Globo Ilimar Franco. Segundo ele, seus dirigentes avaliam, independentemente do resultado da eleição, que essa é a única maneira de sobreviver.

‘Eles pretendem abrir negociação com dez partidos nanicos, que abrigam 24 deputados, para criar a nova legenda. O DEM elegeu 22 deputados, e seus líderes imaginam chegar a 50. Esse caminho não é unanime. Há os que defendem se entregar nos braços do PSDB’, diz a nota.

“O DEM não vai mais existir como tal. Se Aécio ganhar, faremos uma fusão para crescer. Se Aécio perder, faremos uma fusão para sobreviver”, disse Antônio Carlos Magalhães Neto, prefeito de Salvador (BA). (Do Brasil247)

  Escrito por Magno Martins, às 14h20
 
Comentários Comentários (3) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

25
10/14
Propaganda: TSE veta Abril de uso da Veja contra Dilma

 O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) concedeu liminar que proíbe a editora Abril, responsável por publicar a revista Veja, de fazer propaganda em qualquer meio de comunicação da reportagem de capa segundo a qual a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teriam conhecimento do esquema de corrupção da Petrobras.

Para a campanha petista, uma eventual publicidade do caso tem por objetivo único beneficiar a candidatura do tucano Aécio Neves. Em caso de descumprimento da liminar, os advogados de Dilma cobram a aplicação de multa de R$ 1 milhão por veiculação proibida.

A campanha da presidente argumentou ainda que a revista Veja antecipou sua edição em dois dias com a 'nítida intenção de tumultuar a lisura do pleito eleitoral do próximo domingo (26)'. Citam ainda que a revista teria postado no Facebook dela, com 5,4 milhões de seguidores, notícia com o título 'Tudo o que você queria saber sobre o escândalo da Petrobras: Dilma e Lula sabiam'. Essa propaganda teria sido reproduzida na página oficial do PSDB, partido do adversário na disputa ao Palácio do Planalto, também na mesma rede social.

Em parecer, o procurador-geral Eleitoral, Rodrigo Janot, manifestou-se a favor da campanha da Dilma. Para Janot, diante da iminência da realização de uma propaganda eleitoral irregular é necessário proibir a divulgação das publicidades sob pena de acarretar 'prejuízo irreparável ao equilíbrio e (à) lisura do pleito'. (Do Estadão conteúdo)

  Escrito por Magno Martins, às 13h40
 
Comentários Comentários (6) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

25
10/14
Pesquisa MDA: Aécio tem 50,3% e Dilma 49,7%
Pesquisa CNT/MDA divulgada nesta manhã mostra o candidato à presidência da da República pelo PSDB, Aécio Neves, numericamente à frente de Dilma Rousseff, mas em empate técnico. De acordo com o levantamento, o tucano teria hoje 50,3% das intenções de votos válidos contra 49,7% da candidata do PT à Presidência da República. A margem de erro é de 2,2 pontos porcentuais para mais ou para menos, com nível de confiança de 95%.
 
O levantamento mostra que o candidato tucano oscilou em alta e a candidata à reeleição oscilou para baixo. Pesquisa anterior CNT/MDA mostrava que o porcentual de votos válidos para Aécio era de 49,5% contra 50,5% de Dilma.
 
A intenção de voto espontânea também mostram os candidatos empatados tecnicamente com Aécio Neves levando 44,4% dos votos e Dilma 43,3% do total. Na pesquisa estimulada os números vão a 45 3% para o candidato tucano e 44,7% para a candidata à reeleição.
 
A sondagem mostra que 43,3% dos entrevistados não votaria em Dilma de jeito nenhum enquanto no caso de Aécio, 42,8% dos consultados não votariam nele de jeito nenhum. No levantamento anterior, 41% não votariam em Aécio e 40,7% não votariam em Dilma.
 
A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número BR – 01199/2014 e realizada nos dias 23 e 24 de outubro com 2.002 pessoas entrevistadas em 137 municípios de 25 Unidades da Federação.
 
(Fonte: Estadão Conteúdo)
  Escrito por Magno Martins, às 12h44
 
Comentários Comentários (13) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

25
10/14
FHC, em vídeo, pede 'mais amor' e votos para Aécio

chamada.jpg

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) é a personalidade mais recente a fazer proselitismo em um vídeo disseminado por WhatsApp, aplicativo de mensagens instantâneas de celular. Nele, FHC pede voto a Aécio Neves e, ao lado da mulher, Patrícia Kundrát fala em 'mais amor' na disputa.

'Gente, essa eleição está com muito falcatrua, muita mentira e discurso de ódio. Eleição tem que ser feita e tratada com amor', diz Kundrát no vídeo, que tem 40 segundos. 'Não é, Fernando, meu amor?', acrescenta, dirigindo-se a FHC.

'É sim', concorda o ex-presidente. 'Eu sempre fiz política acreditando nas coisas, com esperança, com amor; nunca xinguei, usei argumento', diz. 'Mas nós temos agora, nesta eleição, um candidato que também olha o Brasil, olha o futuro, tem alegria e tem esperança. É o nosso candidato, vamos votar nele, no Aécio Neves.

Aécio, candidato tucano à Presidência, está em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto e  queixou-se da agressividade das críticas vindas  do PT.

O próprio Aécio também já fez um vídeo para o WhatsApp,  que dizia que o PT está assustado e que 'vai vir a pancadaria e as ofensas'.

Para pedir voto em Dilma, o ex-presidente Lula também gravou vídeos que foram mostrados primeiro pelo WhatsApp, assim como fez como o cantor Chico Buarque. (Da Folha de S.Paulo)

  Escrito por Magno Martins, às 11h40
 
Comentários Comentários (5) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

25
10/14
Impeachment de Dilma já tem 644.906 assinaturas

Do blog Diário do Poder - Cláudio Humberto

 Petição de impeachment da presidenta Dilma Rousseff (PT) acumulava no começo da noite desta sexta-feira (24) mais de meio milhão de assinaturas (exatas 575 mil).

Às 10h30 deste sábado (25), esse número já chegava a 644.906.

A petição, no site Avaaz, ganhou fôlego após revelação do doleiro Alberto Youssef à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal de que Dilma e Lula sabiam do roubo na Petrobras. A PF suspeita que Youssef “lavou” R$ 10 bilhões. 

  Escrito por Magno Martins, às 11h00
 
Comentários Comentários (18) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

25
10/14
Receita de Aécio para corrupção: tirar o PT do poder

Do blog de Noblat

Nem que a vaca tussa, Dilma Rousseff responderá à pergunta que Aécio Neves lhe fez duas vezes, ontem à noite, durante o debate entre os candidatos a presidente promovido pela Rede Globo de Televisão.

 A pergunta: “O que a senhora tem a dizer sobre os mensaleiros do PT condenados pela Justiça e que estão presos?”

Dilma nada tem a dizer. Não teve no debate da Globo e tampouco nos demais debates do primeiro ou do segundo turno. Como é possível que uma presidente da República nada tenha a dizer sobre um assunto desses?

Como se viu, entre nós, é possível sim. Não responder a perguntas incômodas é considerado por um povo que se acha esperto uma prova de grande esperteza – de fraqueza ou medo, jamais.

O debate foi dividido em quatro blocos. Em dois, candidato perguntou a candidato. Nos outros dois, eleitores indecisos perguntaram aos candidatos. O primeiro bloco, onde os candidatos se confrontaram, terminou empatado.

Aécio ganhou com folga os três blocos seguintes. Respondeu às perguntas com tranquilidade. Protagonizou os momentos marcantes do debate. Deixou Dilma atrapalhada várias vezes. E se saiu melhor ao ser interrogado pelos eleitores indecisos.

Cometeu uma frase matadora, destinada à passar à história dos debates. Foi quando uma eleitora perguntou o que poderia ser feito para acabar com a corrupção. Aécio disse: “Existe uma medida para acabar com a corrupção: tirar o PT do governo!”

O melhor do debate: as perguntas dos eleitores indecisos, que expuseram a dura realidade da vida das pessoas de carne e osso. Nada a ver com as pessoas que desfilaram na propaganda eleitoral de Dilma.

Um garoto contou que perdera um primo assassinado pelo tráfico de drogas. A professora, a trágica história do aluno que abandonou a escola para se tornar um dos chefes do tráfico. O florista cobrou uma solução para o problema das moradias. Afinal, o aluguel triplicou em quatro anos.

O mico da noite foi para... Dilma, naturalmente. Uma economista do Ceará, de 55 anos de idade, disse que não consegue mais emprego. Resposta de Dilma: faça o Pronatec, um curso de qualificação. Puxa, a mulher já é qualificada. Precisa de emprego, não de curso técnico.

A vitória de Aécio em mais um debate, dificilmente, será capaz de imprimir um novo rumo à eleição. A tendência é que os eleitores de Dilma achem que ela venceu o debate. Os eleitores de Aécio acharão que o vencedor foi ele. É assim que costuma acontecer.

De resto, algo como 84% dos eleitores de Dilma e dos eleitores de Aécio diz que não há hipótese de mudar seu voto. Um por cento dos eleitores de cada um diz que é alta a probabilidade de mudar. Para 4% de cada, existe alguma possibilidade de mudar. E 11% não respondem ou não sabem.

  Escrito por Magno Martins, às 10h22
 
Comentários Comentários (8) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

25
10/14
PT-MG investigará desvios de Aécio na Saúde e Educação

Ilimar Franco - O Globo

 O PT em Minas não dará folga ao tucano Aécio Neves. Quando Fernando Pimentel assumir o governo do Estado, eles dizem que vão investigar denúncias feitas ao MP, de desvios na Saúde, Educação, Previdência do servidor e de favorecimento a empresas privadas pela Cemig. Os petistas dizem que não querem ser acusados de conivência.

Uma vitória de Aécio Neves é fundamental para o PSDB. Sem a Presidência da República, sem governador no Nordeste e derrotado em Minas, os tucanos correm o risco de serem rotulados pelos eleitores como o partido dos paulistas.

  Escrito por Magno Martins, às 10h20
 
Comentários Comentários (4) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  

25
10/14
Indecisos injetaram realidade na ficção

Do blog de Josias de Souza

O ponto alto do debate da Globo foi a participação dos eleitores indecisos. Sem ambições políticas ou artísticas, os indecisos esfregaram na cara dos candidatos perguntas feitas de lugares-comuns, iguais aos lugares onde eles vivem. Injetaram na ficção dos estúdios iluminados a realidade opaca de seus universos sem luz. Suas luzes apagadas expuseram a cegueira do marketing das campanhas.

Selecionados pelo Ibope, os indecisos revelaram que o inferno que habitam fica muito distante do paraíso do horário eleitoral. Nele, tem gente madura “sem empregabilidade”, tem jovem que morre por causa de “uma dívida de dogras de apenas R$ 50”, tem aluno que “deixou a escola para ser chefe do tráfico”, tem bandido que mandou uma família “sair de casa sem poder levar nada”, tem “esgoto a céu aberto”, tem bairro em que “as pessoas perdem o pouco que puderam conquistar” quando chove forte e tem “aluguel que triplicou”.

Os eleitores indecisos “escreveram perguntas sobre 14 temas de interesse geral”, informou William Bonnner na abertura do debate. “Foram selecionadas as 12 questões mais representativas. E aqui, ao vivo, eu vou sortear oito delas.”

Bonner explicou que o próprio autor leria a respectiva indagação. Sem improvisos ou acréscimos, sob pena de ter o microfone cortado e ser substituído por outro indeciso que não quebrasse a confiança da Globo.

Os indecisos são seres implacáveis. Inquiridos por eles, Dilma e Aécio ofereceram missangas retóricas, sorrisos e um certo ar de respeito humanista. E os indecisos, proibidos de replicar, olharam para os candidatos com suas feridas expostas e semblantes crispados. Indecisos não têm tempo para cultivar desejos abstratos. Seus objetivos são concretos.

“Meu nome é Elizabeth da Silva Gomes Andrade. Tenho 48 anos e sou dona de casa. A maioria dos bairros próximos de onde eu moro têm esgoto a céu aberto, quando chove, as pessoas perdem um pouco do que puderam conquistar. O que impede, de verdade, os governos resolverem esse problema?”

Com seu rebolado de general de cavalaria, Dilma aproximou-se da eleitora sem candidato. “Elizabeth, uma boa pergunta”, ela disse. Para a Dilma, todas as interrogações de indecisos são boas perguntas. “Eu tenho um compromisso com o futuro, Elizabeth. É acelerar essa questão do tratamento e da coleta de esgoto. Nós estamos colocando, hoje, R$ 76 bilhões em parceria com Estados e municípios.”

Na sucessão de 2010, a Globo já havia incluído os indecisos na coreografia do último debate. Nessa ocasião, coube a Melissa Bonavita, uma operadora de telemarketing do Rio, inquirir Dilma sobre saneamento: “Moro num bairro onde, nas proximidades, tem um valão imenso. Algumas vezes, em épocas de chuva, o valão transborda, provocando doença nas pessoas. O que será feito para melhorar o saneamento no país?”

Eis o que respondera a Dilma de quatro anos atrás: “Melissa, essa é uma das mais importantes questões. Queria te dizer que eu tenho um compromisso, que é resolver de uma vez por todas uma das questões mais graves do Brasil, que é a questão das enchentes, principalmente nas regiões metropolitanas. [...] Vou triplicar os valores investidos em saneamento —tratamento de esgoto e tratamento de água. [...] Vou investir em saneamento porque o Brasil tem de zerar o déficit em saneamento.”

Ou seja, no futuro da presidente sempre cabem todos e cabe tudo, pois o futuro não pode ser apalpado. O tucano José Serra, adversário dela na corrida presidencial de 2010, estava nos estúdios da Globo na noite passada. Deve ter gargalhado em silêncio.

Ele criticara Dilma por não eliminar os impostos cobrados das companhias estaduais de saneamento. “O governo federal duplicou os impostos sobre saneamento”, afirmara Serra em 2010. “Isso tira R$ 2 bilhões das companhias estaduais por ano. E diminui os investimentos no setor.”

Aécio Neves, defensor da mesma providência, ecoou Serra na resposta à indecisa. “Elizabeth, eu não vou terceirizar responsabilidades. Presidente, vou cumprir o meu papel. O primeiro deles é desonerar as empresas de saneamento do PIS. A candidata prometeu. E não cumpriu.” Não é difícil perceber por que Elizabeth é uma eleitora indecisa.

Os indecisos não cultivam projetos abstratos. Só concretos. Por exemplo: o projeto de Vera Lúcia Azevedo Simões, 45, professora em Salvador, é obter segurança. “A droga tem dizimado parte dos jovens”, ela disse a Dilma e Aécio. “Muitos morrem antes de completar maioridade. Conheci um jovem do meu bairro que foi morto devido a uma dívida de drogas de apenas R$ 50. Tive um aluno que deixou a escola para ser chefe do tráfico. A caneta como arma, o caderno por lápide. Qual a proposta para melhorar essa realidade?”

Aécio respondeu que fechará as fronteiras do país, para impedir a entrada de drogas e armas. E reiterou a promessa de conceder um estímulo monetário aos jovens que se dispuserem a concluir os estudos.

“Eu quero criar o Poupança Jovem, um recurso que é depositado na conta dos alunos do ensino médio que só pode ser sacado ao final do curso para que tenha um estímulo a mais para concluir sua formação. Quanto? O candidato não especificou. Mas, para concorrer com o recrutamento do tráfico, há de ser um bom dinheiro.

Quanto a Dilma, ela disse que, dentro de quatro anos, a indecisa Vera Lúcia será outra pessoa: “Eu vi numa reportagem da Globo News. Dizia que todas as pessoas que participaram do debate de 2010 disseram que melhoraram de vida. Eu quero que também com vocês aqui, com os eleitores indecisos ocorra a mesma coisa. Que vocês, no fim de 2018 cheguem aqui, digam que melhoraram de vida se eu for eleita, ficarei muito feliz.” Há 12 anos no poder, quatro os quais como presidente, Dilma oferece aos indecisos, de novo, um futuro radiante. Mal sabe ela que os indecisoas detestam futuros. Pragmáticos, querem ser convencidos no presente.

Os indecisos se comportam mal, desvirtuam a programação da marquetagem. Num debate em que Dilma jactou-se de presidir um país sob pleno emprego, a cearense Elizabeth Maria Costa Timbó apresentou-se como um ponto for a da curva:

“Tenho 55 anos e sou economista. Sou uma pessoa qualificada profissionalmente, mas pelo fato de estar com 55 anos, atualmente me encontro fora do mercado de trabalho formal. Qual a sua proposta para que pessoas maduras tenham sua experiência de trabalho valorizada e possam manter sua empregabilidade?”

Aécio tropeçou no óbvio ao dar uma resposta a Elizabeth: “O país tem que voltar a crescer, nós não temos alternativa, a nossa taxa de investimentos hoje é de 16,5% do PIB, a menor da última década. E eu tenho absoluta convicção: com clareza das propostas, com respeito às regras, respeito às agências reguladoras, com uma política fiscal transparente vamos gerar novos empregos para gente qualificada como você, Elizabeth.” Quer dizer: mandou a indecisa entrar na fila.

“Muito boa a sua pergunta”, interveio Dilma. “Eu não acho que o Brasil não está gerando emprego. O que eu acho, Elizabeth, é que seria interessante que você olhasse entre os vários cursos que têm sido oferecidos, inclusive pelo Senai, que são cursos para pessoas que têm a possibilidade de conseguir um salário e um emprego melhor, se você não acha colocação.” Ou seja: para Dilma, o problema não está no mercado, mas em Elizabeth, que ainda não descobriu as maravilhas de uma reciclagem no Senai.

Pressionando aqui, você chega à integra da transcrição do debate. A conversa com os indecisos vale o desperdício de um pedaço do final de semana. Eles falaram no segundo e no quarto blocos. Na prática, os indecisos transformaram o último debate da temporada eleitoral numa espécie de centro terapêutico para tratar candidatos à Presidência de suas loucuras. Neste domingo, um deles terá alta.

  Escrito por Magno Martins, às 10h08
 
Comentários Comentários (3) Enviar por E-mail Enviar por e-mail Imprimir Imprimir Topo Facebook Twitter Twitter Topo Topo  


Copyright Magno Martins. 2011. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.