Mobi Brasil 2

24/02


2017

Coluna da sexta-feira

    Com segurança ou insegurança? 

Nunca um período carnavalesco em Pernambuco, aberto, hoje, oficialmente, no Recife, pelo governador Paulo Câmara (PSB) e o prefeito Geraldo Júlio (PSB), gerou tamanha incerteza em sua segurança. Tudo pela ameaça da Polícia Militar em continuar com a chamada operação padrão, que é, na verdade, uma greve branca diante da proibição de paralisação da categoria, conforme reza a Constituição.

Na quarta-feira passada, dois dias antes da instalação do “reino da alegria”, esposas dos policias da tropa militar promoveram um ato no centro do Recife de solidariedade aos seus maridos, reafirmando a operação marcha lenta. O Governo promete mobilizar 31 mil policiais no esquema de segurança para o Carnaval e não aceitou reforço do Exército, mesmo sendo oferecido pelo ministro da Defesa, Raul Jungmann.

Câmara está seguro do que faz. Quem não está segura, entretanto, é a população, que viu, nos últimos meses, o número de homicídios alcançar um crescimento assustador. Viu, sem poder de reação, Recife virar palco do mais ousado e cinematográfico assalto a uma empresa transportadora de valores do País, resultado num roubo de R$ 60 milhões. Ninguém no Estado, da Região Metropolitana ao Sertão, está confiante num Carnaval de paz e muito seguro.

Pelo contrário, o que se ouve nas ruas é um folião louco para cair no passo do frevo receoso e amedrontado, temendo virar refém de bandidos. Reza a tradição que Pernambuco, com destaque para Recife e Olinda, promove o melhor e mais animado Carnaval do planeta, atraindo milhares de turistas de regiões as mais distantes e, também, estrangeiros. Mas, infelizmente, a folia bateu à porta sem que tenhamos a certeza de que essa tradição será mantida com a segurança e a tranquilidade dos aos anteriores.

Oxalá que isso ocorra e que o Carnaval seja verdadeiramente uma festa descontraída, alegue, irreverente e bela, não dando espaço a nenhum tipo de violência, onde a paz reine na sua inteireza, sem ameaças. Aos que vão à folia, boa sorte. Aos que optaram pelo descanso do corpo e da alma, como este escriba, que os olhos do Divino nos iluminem.

AÇÃO– Parlamentares de oposição ao presidente Michel Temer (PMDB) protocolaram ação na Procuradoria-Geral da República (PGR) para que o órgão investigue irregularidades na venda de ativos da Petrobras, incluindo a maior parte das ações da BR Distribuidora – líder do mercado nacional com lucros bilionários. Para Humberto Costa (PT-PE), líder da oposição no Senado, o patrimônio da maior empresa do País está sendo entregue de mãos beijadas a investidores estrangeiros, sem o cumprimento da legislação e o conhecimento da sociedade brasileira, e de forma muito rápida. “Não estão realizando processos licitatórios, mas sim convite às empresas”, afirma.

Aplauso ao líderRepresentante do Araripe na Assembleia Legislativa, a deputada Roberta Arraes (PSB) está bem impressionada com o desempenho do líder do Governo na Casa, Isaltino Nascimento (PSB). “Habilidoso e respeitado, Isaltino deu uma demonstração da sua capacidade num tempo muito curto, revelando-se no primeiro grande desafio, o de aprovar em tempo recorde o projeto de reajuste da PM enviado pelo governador”, disse. No enfrentamento à oposição, o líder, segundo ela, não tem deixado nada sem resposta, sendo convincente em seus argumentos.

Naná imortalizado– O músico Naná Vasconcelos, considerado um dos melhores percussionistas do mundo, foi homenageado pelo prefeito Geraldo Julio (PSB) com uma estátua de concreto no Bairro do Recife Antigo. "Naná levou o nome do Recife, a nossa cultura e a da nossa gente para o mundo através da música. Agora ele está imortalizado nessa estátua tão linda, em cima das alfaias, com seu berimbau, e vai continuar regendo os carnavais do Recife como ele sempre fez. Estou muito feliz, é uma homenagem mais do que justa", disse o socialista.

Recuperação fiscal– O Governo encaminhou ao Congresso o projeto de lei que institui o regime de recuperação fiscal dos Estados e do Distrito Federal. Na mensagem publicada no Diário Oficial de ontem, o Governo comunica o envio do texto ao Congresso, mas não detalha os itens da proposta. De acordo com o Ministério da Fazenda, o projeto estabelece uma suspensão do pagamento das dívidas dos Estados com a União em troca de contrapartidas que devem ser tomadas pelos governos locais, como a privatização de empresas estaduais.

Fundo ao tombamentoO deputado federal Severino Ninho (PSB) quer criar uma reserva de recursos no Fundo de Participação dos Municípios (FPM) para as cidades que possuem acervo tombado pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Quer assegurar uma verba carimbada para ações de preservação e recuperação dos acervos tombados, vinculada ao repasse de FPM feito pela União. Para isso, apresentou um projeto, que, aprovado, não valerá para as capitais. De acordo com a matéria, caberá ao Iphan orientar e acompanhar a aplicação desses recursos. “Por conhecer de perto a realidade de Igarassu, cidade histórica onde nasci, e que tive a oportunidade de governar, cujo patrimônio é considerado monumento nacional, tomei a iniciativa”, afirmou.

CURTAS

DE VOLTA– Após pedir demissão do cargo de ministro das Relações Exteriores, José Serra (PSDB-SP) reassumiu, ontem, o mandato de senador. Serra estava no Itamaraty desde maio do ano passado, quando Temer assumiu como presidente em exercício. O tucano é senador por São Paulo e tem mandato até 2022. Ele havia se licenciado para assumir o Ministério, nas teve que sair para se submeter a um tratamento de saúde.

BOM CARNAVAL– Devido ao reinado do Momo, que começa hoje e só acaba daqui a cindo dias, esta coluna só volta a ser atualizada na próxima quarta-feira de Cinzas. Aproveito para retribuir votos de bom Carnaval a todos que nos enviaram mensagens. Que possamos ter uma festa tranquila, com muito astral e, principalmente, muito segura.

Perguntar não ofende: Foi correta a decisão do governador de rejeitar o reforço das tropas federais para o Carnaval? 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

FMO

23/02


2017

Vice-presidente da Câmara rompe com Temer

Coordenador da bancada de MG, Fábio Ramalho (PMDB) informou que tomou decisão após Osmar Serraglio (PMDB-PR) ser indicado para Ministério da Justiça.

G1 Brasília – Fernanda Calgaro

O primeiro vice-presidente da Câmara, deputado Fábio Ramalho (PMDB-MG), anunciou nesta quinta-feira (23) que rompeu com o governo do presidente Michel Temer. Coordenador da bancada de Minas Gerais na Casa, ele tomou a decisão em reação à indicação do deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) para o Ministério da Justiça, vaga que era cobiçada pela bancada mineira.

"Estou rompendo com o governo. Pelo tamanho de Minas Gerais, teríamos que ser acomodados dentro de um ministério. Desde que começou o Brasil, que começou o império, Minas tem ministro", disse Ramalho. Por ocupar uma posição estratégica, o rompimento pode gerarr dificuldades para o presidente Michel Temer na Câmara.

Como o país está sem vice-presidente da República, toda vez que Temer viajar ao exterior, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), assumirá a presidência do país e será substituído na Câmara por Ramalho. No comando da Casa, competirá a ele definir a pauta de votações.

Ao G1, Ramalho afirmou: "Eu pretendo reunir as pessoas que estão insatisfeitas com o governo. Tem muita gente insatisfeita. Então, eles vão ver o tamanho da insatisfação, que eles não sabem. Eles vão saber a partir das votações agora.”

Bancada mineira

Segunda maior bancada na Câmara, com 53 deputados, os deputados mineiros defendiam o nome de Rodrigo Pacheco (PMDB-MG). Ele acabou perdendo força depois que vieram críticas feitas por ele ao poder de investigação do Ministério Público.

O vice-presidente da Câmara afirmou que chegou a receber uma ligação de Temer nesta tarde explicando a situação, mas que não o fez mudar de ideia.

"Ele falou que era para eu pensar. Eu disse que não. Aí ele falou que ia tentar recriar um ministério... mas recriar, não. A gente não aceita recriação de ministério. A gente só aceita ministério já existente. A bancada é contra qualquer contra qualquer recriação de ministério", relatou.

Ramalho acompanhou toda a movimentação na Esplanada dos Ministérios de Salvador (BA), onde foi passar o carnaval.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Volta às Aulas - Governo PE

23/02


2017

Serra: Senado é chance de retomar projeto político

Folha de S.Paulo – Catia Seabra e Daniela Lima

Esmaecido politicamente, o ex-ministro José Serra afirmou a aliados que o retorno ao Senado poderia permitir sua volta à cena política. Para colaboradores de Serra, a saída do Ministério das Relações Exteriores, anunciada na noite desta quarta (22), é o único caminho de que o tucano dispõe para reativar seus projetos eleitorais a partir de São Paulo.

Em conversas ocorridas antes de seu desligamento do Ministério, Serra queixou-se de "tédio". Também reclamou de seu isolamento político —produto de uma agenda consumida por assuntos internacionais— e da dificuldade de manter atividades no Estado de São Paulo.

O Senado cobre, por exemplo, gastos do escritório político de cada parlamentar, benefício que perdeu ao assumir o cargo de chanceler. O ex-ministro lamentou ainda da falta de visibilidade. Suas ações no ministério não tinham o efeito público desejado.

Submetido a uma cirurgia na coluna em dezembro, Serra vinha se queixando de dores. Em fevereiro, após uma série de exames, foi aconselhado a evitar viagens. Ainda assim, confirmou participação na primeira reunião do G20, na Alemanha.

Ao voltar, lamentou que uma viagem de mais de 12 horas tenha rendido tão pouco.

Segundo tucanos, Serra passou a avaliar que o custo físico da permanência no ministério era muito maior do que os frutos políticos que ele conseguia obter na pasta. Nas palavras de um amigo, a continuidade no cargo oferecia "poucos prós para muitos contras".

Outro amigo de Serra definiu o Itamaraty como "um universo paralelo". O presidente Michel Temer chegou a pedir para que Serra permanecesse mais algum tempo à frente do ministério, que desse ao governo um prazo para a busca de um nome. Mas, após ler um laudo médico apresentado por Serra, reconheceu que não havia forma de ele permanecer no cargo.

Ainda segundo aliados, Serra cogitou deixar o anúncio da saída para depois do Carnaval, mas foi aconselhado a não postergar a situação, até para evitar vazamentos e constrangimentos ao presidente. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Supranor 1

23/02


2017

Amigo de Temer, Yunes recebeu R$ mi; pedido de Padilha

Folha de S.Paulo - Mônica Bergamo

O empresário José Yunes está decidido a esclarecer um episódio em que se envolveu em 2014, e que veio à tona na delação premiada de Claudio Melo, um dos ex-executivos da Odebrecht que fez delação premiada: o de que ele teria recebido R$ 1 milhão em dinheiro vivo em seu escritório, em São Paulo.

Yunes, que é um dos melhores amigos do presidente Michel Temer e foi seu assessor especial até o ano passado, diz a vários interlocutores que foi um mero "mula" e que nunca teve nada a ver nem com a origem nem com o destino dos recursos.

Ele conta que, naquele ano, em meio à campanha eleitoral, recebeu um telefonema do hoje ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmando que precisaria de um favor.

Padilha queria que Yunes recebesse em seu escritório alguns "documentos", que depois seriam retirados de lá por um emissário.

Os "papéis" seriam destinados a campanhas ligadas ao grupo do ex-ministro Geddel Vieira Lima.

O empresário concordou.

Na hora combinada, para a sua surpresa, Lucio Funaro, tido como operador de Eduardo Cunha, apareceu no escritório, que fica na região da avenida Faria Lima, para tratar dos recursos.

Ele conta que mal conversou com Funaro e que acredita na possibilidade de ter havido um acerto de contas interno de Padilha com Cunha em torno dos recursos.

O episódio tem incomodado Yunes, que deixou a assessoria especial de Temer depois que o caso foi divulgado.

Procurado por meio de sua assessoria, Padilha não respondeu. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/02


2017

Não há aliens no Supremo

José Roberto de Toledo - Estadão

O sabatinado voltou-se para o presidente da comissão, a seu lado, e perguntou sobre o andamento da sabatina. Ao ouvir a resposta, sorriu e piscou o olho esquerdo (foto). O repórter Dida Sampaio seguia os movimentos da dupla com sua Canon EOS-1D X e imortalizou a cena. Pelos personagens flagrados e sua circustância, a foto da piscada virou ícone do momento político e viralizou nas mídias sociais, assim que publicada pelo Estado.

Em primeiro plano, o perfil do presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, Edison Lobão (PMDB-MA), aparece propositalmente borrado. O foco está à sua frente, no personagem principal do dia, talvez do ano: ministro licenciado da Justiça, Alexandre de Moraes (ex-PMDB, ex-PFL e ex-PSDB) comprime os lábios, engolindo o sorriso, e cerra com força as pálpebras de um olho só, em sinal de aprovação. O cabelo tingido de um e a careca do outro realçam o contraste.

O gesto teatral de Moraes seria banal, não estivesse ele sendo sabatinado na CCJ para virar ministro do Supremo Tribunal Federal. Se aprovado – como viria a ser -, Moraes pode julgar vários daqueles senadores, a começar por Lobão, citado múltiplas vezes por delatores da Lava Jato. Aquela piscadela não denotava um ilícito, mas sua desenvoltura e cumplicidade reforçaram a conotação que já estava na cabeça de parte da opinião pública: “estão todos combinados”, “está tudo dominado”.

O preconceito está nos olhos de quem vê, dirão sabatinadores e sabatinado. E com razão: vemos com os olhos, mas enxergamos com o cérebro e todos os seus vieses. Nem tudo é viés de confirmação, porém. Acumulam-se fatos nada alternativos que sugerem outras qualidades que não o saber jurídico para Moraes estar ali, piscando para a alcateia.

Como chefe da polícia paulista, Moraes montou força-tarefa que identificou, prendeu e conseguiu a condenação em tempo recorde do chantagista que hackeou o celular da primeira-dama Marcela Temer e ameaçava “jogar na lama” o nome de seu marido. Promovido a ministro da Justiça e chefe da Polícia Federal, manteve-se bem informado sobre os passos da Lava Jato, como demonstrou ao dizer, em ato político, que haveria operação no dia seguinte.

Quando o avião em que estava Teori Zavascki deu seu mergulho fatal no mar de Paraty, Moraes posou ao lado de Temer enquanto o presidente fazia sua declaração de pesar pela morte do ministro do STF e relator da Lava Jato. Nas articulações que se seguiram para nomear o substituto, Moraes foi poupado do escrutínio dos primeiros dias pós-tragédia graças ao vazamento do nome de um boi de piranha que, por comparação, tornou o seu palatável.

Indicado por Temer, Moraes cabalou votos como o político que é. Visitou senadores e fez até sabatina informal com uma dúzia deles em uma chalana ancorada no lago Paranoá, conhecida em Brasília como “barco do amor” – pelo ambiente familiar.

Essas qualidades superaram o desempenho do ministro como gestor da já aparentemente esquecida crise nos presídios, e no combate às facções do crime organizado que ameaçam virar cartéis. Seu desempenho fez todos esquecerem que ele próprio defendia que políticos não devem ser nomeados para o Supremo.

A aprovação de Moraes sepulta o mito de que ministros do STF são aliens de Trappist-1, sem lado nem viés. Humanos, eles formam um tribunal que é alvo de lobbies empresariais e partidários, que sofre pressão da opinião pública e faz julgamentos políticos. É tão sujeito a crises quanto o resto da praça dos Três Poderes. Para a imagem do Supremo, a Lava Jato não será outro Mensalão. Os vizinhos estão vibrando. Há tempos não se sentiam tão iguais.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner - Hapvida

23/02


2017

Pior que Serraglio, só a reação do PMDB de MG

Blog do Josias

O deputado mineiro Fábio Ramalho, que ocupa a vice-presidência da Câmara como representante do PMDB, rompeu relações com o governo de Michel Temer. Ficou furioso com a nomeação do colega paranaense Osmar Serraglio para o posto de ministro da Justiça. Preferia que o presidente tivesse escolhido o também deputado Rodrigo Pacheco, da bancada de Minas.

''Estou rompendo com o governo e vou colocar toda a bancada de Minas para romper também”, disse Ramalho. “Se Minas Gerais não tem ninguém capacitado para ser ministro, não devemos apoiar esse governo. Vou trabalhar no plenário contra o governo, para derrotar o governo em tudo. A vice-presidência da Câmara vai ser um ponto de apoio aos que não estão contentes com o governo.''

Quer dizer: se o governo Temer descobrir a fórmula para a cura do câncer e enviar à Câmara um projeto destinando verbas para a fabricação do novo medicamento, o deputado Fabinho, como é conhecido, votará contra. Se Deus intimar o deputado a optar entre a cura do câncer e a nomeação de um ministro mineiro, Fabinho daria uma resposta fulminante: “Que a humanidade morra de cancer!” Com isso, ficaria claro que, para os aliados de Michel Temer, o fisiologismo é o grande projeto. Só o cargo público, com seus cofres, existe. O resto é paisagem.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/02


2017

Liminar determina punição a quem obstruir segurança

O desembargador José Fernandes de Lemos, do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), atendeu a pedido da Procuradoria Geral do Estado de Pernambuco (PGE-PE) e determinou, no início da noite de hoje, que esposas e parentes de líderes das associações de classe da PM e qualquer outra pessoa se abstenham de obstruir a saída e a movimentação de militares ou viaturas militares das unidades onde servem ou de locais onde se encontrem, sob pena de multa individual diária de R$ 10 mil.

O pedido foi apresentado à Justiça para evitar qualquer tentativa de que se repita em Pernambuco movimento similar ao ocorrido no Espírito Santo. A decisão é endereçada a Verônica Maria Souza da Silva, Jane Rodrigues da Silva Costa, Welline Gusmão Silva Barros, Natacha Xênia Nascimento da Silva, Pamela Porto e a “terceiros incertos e não sabidos”.

Na petição à Justiça, foram anexados vídeos e textos extraídos das redes sociais contendo ameaças à ordem pública. O desembargador determinou a intimação das rés, bem como de “quaisquer outros que se encontrem ou venham a se encontrar em local público perpetrando conduta proibida por força da presente tutela de urgência concedida”.

Também conferiu, ao oficial de justiça que venha a ser designado para o cumprimento da ordem de intimação dos réus, autoridade para “dar ordem de desobstrução oriunda da presente decisão, seja ela em frente de quartéis, corporações, viaturas, ruas, etc., tudo para que se tenha a almejada segurança e paz desejada pela sociedade neste carnaval e posteriormente, podendo o mesmo requisitar reforço policial (e, na sua impossibilidade, das Forças Armadas) para o fiel cumprimento de seu mister”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

suricato

a decisão se for cumprida ,ótimo ,esperamos que não ocorra o que acontece quando a justiça multa sindicatos e estes não pagam.


ArcoVerde

23/02


2017

Paulo Câmara reforça atuação da Polícia Civil

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara, assinou, hoje, o decreto no. 44.146, autorizando que policiais civis aposentados voltem a exercer funções administrativas. Desta forma, os policiais que estão na ativa reforçarão as atividades fins da Polícia Civil, como as investigações de crimes. De acordo com o governador, a medida ajudará no combate aos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) e aos Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVP).

“Nós reforçaremos, dentro da Polícia Civil, as atividades de natureza administrativa e vamos direcionar os servidores ativos para as atribuições finais. Com isso, haverá uma maior efetividade nas investigações e no exercício das funções de polícia judiciária e administrativa. Estamos trabalhando para garantir segurança à sociedade e preservar a paz social”, pontuou Paulo Câmara.

O decreto prevê que os policiais civis aposentados possam desempenhar os cargos de comissário, agente e escrivão de polícia. Dentre as funções, os servidores poderão atender ao público dentro das delegacias, lavrar boletins de ocorrência, dentre outras atividades administrativas em geral. Até 800 servidores aposentados poderão ser chamados, após processo seletivo. O prazo para desempenhar as funções será de três anos, prorrogável por igual período. O decreto é regulamentado pela Lei Complementar no. 340, de 22 de dezembro de 2016.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Naipes

23/02


2017

Passageiros de ônibus terão “botão de pânico” em celular

Por Adamo Bazani – Diário do Transporte

Passageiros do transporte público de Recife e Região Metropolitana vão contar com mais um dispositivo de segurança no Carnaval, quando os ânimos ficam mais exaltados e os criminosos tendem a fazer mais vítimas.

Trata-se de um “Botão de Incidente Grave” que poderá ser acionado por meio do celular por quem estiver dentro do ônibus, nas paradas ou terminais.

A funcionalidade está disponível no aplicativo CittaMobi, que pode ser baixado gratuitamente em qualquer tipo de celular com internet.

Toda a comunicação de assalto feita pelos passageiros por meio do aplicativo será repassada em tempo real para o CIODS – Centro Integrado de Operações de Defesa Social, que receberá o alerta e providenciará o tratamento da ocorrência.

A ferramenta é de fácil uso, sendo assim a comunicação pode ser feita rapidamente sem despertar a atenção dos criminosos. No entanto, a recomendação das autoridades de segurança é de que a vítima não chame a atenção dos criminosos e nunca reaja.

A funcionalidade foi possível depois de uma parceria entre Governo do Estado de Pernambuco, o aplicativo CittaMobi e a URBANA – Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros no Estado de Pernambuco.

O aplicativo já disponibiliza dados como previsão de chegada dos ônibus no ponto, itinerários e relação de linhas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/02


2017

Temer sanciona lei que beneficia produtores de energia

O presidente Michel Temer telefonou, no final da tarde de hoje, para o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) para informar que sancionou o projeto de lei Complementar 163/2015, que prevê medidas de compensação aos municípios geradores de energia hidrelétrica. O texto teve como origem o Projeto de Lei do Senado 525/2015, de autoria de Fernando Bezerra.

“Esta é uma reivindicação histórica de muitas cidades brasileiras, que agora passam a contar com mais recursos, distribuídos de uma maneira justa e eficaz. O presidente Michel Temer foi sensível ao apelo que fizemos. Tenho certeza que esta medida dará mais tranquilidade a muitos prefeitos em todo o Brasil”, afirmou o senador.

Fica estabelecida uma uma média nacional para a divisão do Valor Adicionado Fiscal (VAF) do ICMS da geração de energia entre os municípios que possuem hidrelétricas, o que não implicará em aumento deste imposto nem de qualquer outra tarifa ao consumidor.

O objetivo é minimizar os impactos causados aos municípios produtores de energia elétrica, que perderam receita com a queda do preço da energia, ocasionada pela Lei 12.783/2013. “Não haverá reflexos ao consumidor e é justo que as cidades que abrigam as usinas passem a receber uma parte maior do ICMS”, explica Fernando Bezerra. “É uma correção histórica”, acrescenta o líder do PSB no Senado.

Pelas novas regras, o valor da produção da energia oriunda de usina hidrelétrica situada no município, para fins de apuração da quota-parte de ICMS da referida cidade, corresponderá à quantidade de energia produzida multiplicada pelo preço médio da energia hidráulica comprada das geradoras pelas distribuidoras, calculado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

De acordo com a Associação Nacional dos Municípios-Sedes de Usinas Hidrelétricas (Amusuh), o Brasil possui 175 municípios-sedes de 197 hidrelétricas. Destes, 18 contabilizam prejuízos em virtude da Lei 12.783/2013. Entre eles, Petrolândia (PE), que perdeu R$ 88,3 milhões, e Canindé de São Francisco (SE), onde as perdas chegam a R$ 20 milhões.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/02


2017

Para Renan, Serraglio é “excelente nome” para a Justiça

O líder do PMDB do Senado, Renan Calheiros (AL), afirmou, na tarde de hoje, em entrevista ao Broadcast Político, que a escolha do deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) para comandar o Ministério da Justiça recaiu sobre um "excelente nome". "É um parlamentar respeitado, tem trânsito com todo mundo e vai fazer um bom trabalho", disse.

Investigado na Lava Jato, Renan afirmou que nada - nem mesmo Serraglio – poderá parar o avanço da operação, que, em sua avaliação, "caminha por si só. "Ela (a Lava Jato) jamais será atrapalhada por ninguém e o Osmar, o perfil dele, aponta na direção que vai fazer um grande trabalho não só na Lava Jato, mas também com todas as operações", considerou.

Rompimento

Renan não quis comentar a decisão do primeiro-vice-presidente da Câmara, o correligionário Fábio Ramalho (MG), de anunciar o rompimento com o governo após a bancada de Minas ter ficado, com a escolha do paranaense Serraglio para a Justiça, fora do primeiro escalão da gestão Michel Temer.

"Você não pode ter uma conotação meramente pessoal na nomeação de qualquer um para o ministério", avaliou. Ele destacou que o PMDB do Senado não fez qualquer movimento para emplacar o novo ministro da Justiça e destacou que, dos nomes postos, Serraglio está entre os melhores "sem dúvida".

A indicação de Serraglio para a Justiça tem causado desconforto dentro do PMDB da Câmara. Deputados externaram preocupação com a pouca influência que paranaense tem sobre a bancada do PMDB e a dificuldade de reverter sua nomeação em apoio à agenda de Temer.

Blackout

O líder do PMDB também não quis comentar a 38ª fase da Lava Jato, a Blackout, em que foram decretadas as prisões dos lobistas Jorge e Bruno Luz, respectivamente pai e filho. Mais cedo, o procurador da República, Diogo Castor de Mattos, da força-tarefa da operação, havia declarado que "agentes políticos do PMDB no Senado" foram beneficiários de parte dos US$ 40 milhões de propina supostamente repassada pelos dois.

Renan repetiu o que constava em sua nota oficial divulgada ainda pela manhã na qual diz não ver Jorge Luz há 25 anos. E que não teve nenhuma relação com ele.

"O senador Renan Calheiros reafirma que a chance de se encontrar qualquer irregularidade em suas contas pessoais ou eleitorais é igual a zero. O senador reitera ainda que todas as suas relações com empresas, diretores ou outros investigados não ultrapassaram os limites institucionais. Embora conheça a pessoa mencionada no noticiário (Jorge Luz), não o vê há 25 anos e que não possui nenhum operador", diz a nota do peemedebista.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/02


2017

Estado reduziu investimento em saúde e educação

O Governo do Estado de Pernambuco reduziu os desembolsos para as áreas de saúde e educação no ano passado, como revela os dados do balanço do Estado debatido na manhã de hoje, na Assembleia Legislativa de Pernambuco, durante reunião da Comissão de Finanças, Orçamento e Tributação.

Segundo os dados apresentados pelo secretário da Fazenda, Marcelo Barros, apesar de Pernambuco estar cumprindo os limites constitucionais de gastos com as duas áreas, os repasses caíram 9,8% (educação) e 3,8% (saúde) no ano passado em relação a 2015. “Na prática, os recursos para a educação caíram cerca de R$ 200 milhões em 2016 e a verba da saúde caiu também R$ 200 milhões, comprometendo a prestação de serviços à população”, destacou o deputado Silvio Costa Filho (PRB).

Outro ponto abordado pelo parlamentar foram os restos a pagar deixados de 2016 para 2017. “Ao todo, os restos a pagar somaram R$ 1,2 bilhão no ano passado. Desse total, cerca de 30% correspondem a débitos com fornecedores da área de saúde, como a Fundação Altino Ventura, o Imip e o Hospital Português”, afirmou.

A deputada Priscila Krause (DEM), destacou a preocupação com a previsão orçamentária para 2017, questionando ao secretário Marcelo Barros a previsão de recursos remanescente do Programa Estadual de Recuperação de Créditos Tributários (Perc), lançado no ano passado pelo Estado. “O que o Estado espera arrecadar ainda com as parcelas do Perc e qual a previsão de receitas da nova lei da repatriação do Governo Federal?”, questionou.

Para Silvio, diante do quadro financeiro de Pernambuco, o Governo deveria cortar gastos com a máquina e preservar os investimentos em saúde e educação, que são prioridades para a população. O deputado lembra que que no ano passado o Governo gastou R$ 43 milhões com a Arena Pernambuco, cerca de R$ 50 milhões com publicidade e R$ 30 milhões com consultoria. “Governar é definir prioridades e nesse quadro de restrição financeira, é preciso gastar menos com o Estado e mais com as pessoas”, defendeu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

bm4 Marketing 4

23/02


2017

Cornelito é homenageado do carnaval de Salgueiro

“Um símbolo da folia, uma lenda viva de Salgueiro e dos nossos carnavais”. Com estas palavras, o prefeito do município de Salgueiro, Clebel Cordeiro, justificou a escolha de Cornélio Parente Muniz (Cornelito), como o nome que será o homenageado do carnaval 2017.

Durante o seu discurso sobre Cornelito, na ocasião do lançamento da programação deste ano, o prefeito foi aplaudido quando anunciou o nome do homenageado. “A reação do público é uma demonstração do quanto Cornelito é querido neste município – seja pela pessoa humana bem relacionada, seja pelos serviços prestados aos salgueirenses”, disse Clebel após o evento.

Na justificativa para o público, ele referiu-se a Cornelito como um folião de resistência, responsável por importantes movimentos tradicionais do município. “Trata-se de um homem incansável, que está sempre contagiando o povo com sua alegria e a sua inseparável fantasia de estudante, fazendo esse eterno encontro com a juventude salgueirense. Escolhemos Cornelito porque ele merece. Por sua história e sua contribuição com o desenvolvimento do município”, destacou o gestor.

Amigo – O vice-prefeito de Salgueiro, Chico Sampaio, também considerou a homenagem como bastante oportuna para o conhecimento da história de Cornelito, por parte das novas gerações. Amigo pessoal do homenageado, desde a infância, Chico Sampaio destacou as qualidades pessoais e profissionais do homenageado. “Trata-se de um cidadão diferenciado, humilde e realizador, que consegue ser um exemplo para que as pessoas se sintam de bem com a vida. Além de ter contribuído para o desenvolvimento de Salgueiro, Cornelito sempre participou ativamente dos nossos carnavais, além de ter realizado muitas obras e ações na cidade e na zona rural”, afirmou o vice-prefeito.

Brincar em paz – Prefeito por três mandatos, Cornelito Muniz governou Salgueiro num período total de 14 anos. Considerado um dos melhores gestores na história do município, fez um trabalho de urbanização e construção de obras que envolvem pavimentações, escolas, o canal da cidade e o estádio Salgueirão, entre outras realizações.

Cornelito falou sobre a homenagem recebida. “É uma honra pra mim, porque eu trago o carnaval na alma desde menino. Fico feliz, agradeço e digo que vou sair às ruas como sempre fiz, com a minha fardinha de estudante no domingo. Aproveito e peço aos jovens que saiam de casa com coragem de brincar e não de brigar. Se desarmem. O carnaval é uma festa bonita e todos gostam de brincar em paz”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/02


2017

Carnaval: Jaboatão libera taxistas para circular no Recife

A Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes firmou convênio com a Prefeitura do Recife parar que os taxistas jaboatonenses possam circular livremente na Capital, no período de Carnaval. Serão 980 veículos cadastrados à disposição dos passageiros que vão se deslocar para os polos de animação.

De acordo com o convênio, os profissionais estarão liberados no Recife a partir das 18h desta sexta-feira (24) e até as 12h da Quarta-feira de Cinzas. Além de garantir o reforço no número de táxis nas ruas, o acordo entre as prefeituras do Jaboatão e da capital favorece a categoria com uma renda a mais, durante o Carnaval.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/02


2017

Gestão de Raquel Lyra já enfrentou dois protestos

Em Caruaru, a gestão da prefeita Raquel Lyra (PSDB), já enfrentou dois protestos em menos de 60 dias. Um por parte dos ambulantes que, ontem, tocaram fogo e interditaram a ponte que liga o Centro ao Parque 18 de Maio. Os ambulantes protestaram contra uma determinação que proíbe a comercialização em ruas do entorno do Parque.

O outro protesto foi realizado, hoje, pelos loteiros que trabalham no Terminal Leste. De acordo com os loteiros, a Destra comunicou, hoje pela manhã, que durante o Carnaval o terminal estará fechado, fato que revoltou os motoristas, afinal mesmo não tendo folia na Capital do Agreste, a procura pelos serviços do transporte alternativo é grande, principalmente por pessoas que se deslocam de Caruaru para as cidades de Bezerros e Lagoa dos Gatos, que realizam grandes carnavais.

Os Loteiros acusam a Prefeitura de estar tomando decisões para beneficiar a empresa do pai da prefeita Raquel Lyra, que faz viagens para as cidades citadas, principalmente Bezerros onde a oferta de passageiros é grande.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores