Ipojuca

20/08


2018

Presidenciáveis discutem MP do Saneamento

O tema saneamento precisa entrar na pauta política das eleições 2018. É com essa perspectiva que a Associação das Empresas Estaduais de Saneamento – Aesbe convidou sete candidatos à Presidência da República para participar do Seminário Nacional para o Saneamento no Brasil, promovido pela entidade, em Brasília.

Foram convidados os postulantes dos partidos do PT, Podemos, PDT, PSDB, MDB, PSL e Rede para o debate que acontece nesta quarta-feira (22), no horário das 9h às 12h30, no Hotel Royal Tulip Brasília Alvorada. A abertura do seminário nacional será realizada hoje à noite e a programação do evento segue até a quarta-feira, abordando ainda temas como a crise hídrica no Brasil e casos de sucesso envolvendo empresas de saneamento.

Segundo o presidente da Aesbe e presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Roberto Tavares, esse debate é muito importante para a sociedade brasileira em um momento em que o setor de saneamento luta contra a Medida Provisória 844, conhecida como a MP do saneamento, assinada pelo presidente Michel Temer, e que prevê mudanças no marco regulatório. “Essa MP desestrutura o setor, amplia ainda mais a desigualdade social e abre espaço para aumentos de tarifas de água e esgoto, e isso não podemos aceitar”, reforça.

Várias entidades do setor se uniram a essa luta da Aesbe para barrar a aprovação da MP que será submetida ao Congresso no mês de setembro. A Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes), Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento (Assemae) e a Associação Brasileira das Agências Reguladoras (Abar) estão atuando conjuntamente para rever a decisão tomada pelo presidente Michel Temer sem qualquer debate com os atores envolvidos com as questões do saneamento no Brasil.

“Nós já estávamos debatendo sobre as mudanças do marco regulatório e éramos contra o Artigo 10-A, considerado o ponto mais nocivo da MP, que põe fim ao subsídio cruzado e obriga os municípios a consultarem o setor privado antes de prorrogar os seus contratos de concessão dos serviços de saneamento”, explica Roberto Tavares. O gestor ressalta que o setor foi surpreendido com a urgência do chefe do executivo federal ao assinar, no dia 06 de julho, a MP em pleno dia de jogo da Seleção Brasileira, quando todas as atenções estavam voltadas para o futebol, causando perplexidade aos operadores do saneamento.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Gravatá

20/08


2018

Paulo: Caso Lula não possa ser candidato, apoiaremos Haddad

Blog da Folha

Durante entrevista ao programa Folha Política da Rádio Folha 97,6 FM, na manhã de hoje, o governador e candidato à reeleição pela Frente Popular, Paulo Câmara, respondeu a perguntas de jornalistas da Folha de Pernambuco e de rádios do interior do Estado.

O governador garantiu que caso o ex-presidente Lula não possa ser candidato, o apoio o PSB seguirá apoiando o candidato petista. “Continuamos apoiando o Fernando Haddad, caso Lula não seja candidato”, disse.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

ArcoVerde

20/08


2018

Bolsonaro autoriza uso de seu nome em campanhas

O deputado federal e candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, encaminhou, na manhã de hoje, aos grupos da sua legenda, um áudio em que autoriza o uso de seu nome na campanha de todos os deputados federais e estaduais do partido.

“Se achar necessário, pode usar que você é o candidato do Bolsonaro no estado, sem exceção. Todos são iguais no PSL”, disse o presidenciável.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Lula tem 37,3% e Bolsonaro, 18,8%, diz pesquisa CNT/MDA. O grito por Lula se espalha pelo Brasil


Asfaltos

20/08


2018

Ciro promete zerar a fila da creche em todo o país

Em evento de campanha no Ceará, o candidato do PDT a presidente da República, Ciro Gomes, disse, hoje, que, se eleito, pretende zerar, já no seu primeiro ano de governo, a fila da creche para crianças de 0 a 3 anos de idade em todo o país.

Segundo o portal G1, o presidenciável ponderou que a demanda é grande se consideradas as estatísticas demográficas, mas que nem todas as mães querem, num primeiro momento, deixar o filho na creche e outras buscam creches privadas. Segundo ele, por essas razões seria possível atender a toda a demanda.

“De maneira que é perfeitamente praticável me comprometer, ainda no primeiro ano, a zerar toda a demanda que existe no Brasil por creche em tempo integral para crianças de 0 a 3 anos”, afirmou Ciro ao visitar uma creche na cidade de Fortaleza.

O candidato não deu detalhes das medidas que seriam adotadas para zerar a fila da creche. Para ele, a política é necessária não apenas para garantir atendimento adequado às crianças, mas também para permitir que os pais possam procurar emprego e trabalhar.

"Isso permite cuidar das crianças na hora mais importante de formação do seu pequeno cérebro, mas permite também à mulher brasileira ir à luta, procurar um emprego em um momento de tanta dificuldade", disse.

Segundo ele, o "Brasil precisa atender a essa dupla responsabilidade de proteger os nossos filhos da ameaças terríveis que há hoje e dar à mãe e ao pai a condição de ir trabalhar sabendo que seu filho está bem entregue e que vai chegar em casa banhadinho, cheiroso e bem alimentado".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/08


2018

Presidente da Fetape declara apoio a Silvio Costa

O presidente da Fetape e candidato a deputado estadual pelo PT, Doriel Barros, declarou apoio irrestrito, hoje, ao deputado federal e candidato ao Senado pela coligação Pernambuco Que Você Quer, Silvio Costa (Avante).

“Sem dúvida, o presidente Lula é o nosso grande referencial. E para assegurar o projeto das políticas públicas essenciais à população, precisamos de pessoas que ajudem Lula a manter esse projeto. Precisamos entregar o mandato, no Senado Federal, a representantes de qualidade. Por Isso, Silvio Costa terá o nosso apoio, voto e será nosso senador”, discursou Doriel, que está licenciado para a campanha, no evento ocorrido no município de Angelim, Agreste de Pernambuco.

Sílvio Costa e Doriel Barros estavam juntos a lideranças da Associação e Conselho de Desenvolvimento Rural e representantes do Sindicato Rural da região.

“Tenho muito respeito e admiração por Doriel Barros. Não tenho dúvida que ele será um dos futuros deputados estaduais de Pernambuco. Para mim é um grande privilégio receber o apoio dessa referência do movimento sindical de Pernambuco”, expressou Silvio Costa.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/08


2018

Bruno chama Humberto de incoerente

O candidato ao Senado pela Coligação Pernambuco Vai Mudar, Bruno Araújo (PSDB), divulgou um vídeo nas redes sociais, hoje, afirmando que o senador Humberto Costa (PT) é oportunista ao pedir votos ao seu companheiro na chapa de Paulo Câmara (PSB), Jarbas Vasconcelos (MDB).

Ao chamar o petista de incoerente, Bruno diz que está pronto para o debate com Humberto e Jarbas. “A eleição do Senador da República não pode ser um faz de conta”, declara.

“Imagino a vergonha que teus eleitores sentem quando você pede votos para Jarbas Vasconcelos. Imagino a vergonha que os eleitores de Jarbas sentem quando ele Jarbas pede votos para você. Sabe por quê? Porque os pernambucanos conhecem a história política de Pernambuco. Sabe como se chama isso, Humberto? Oportunismo”, completou Bruno.

Bruno também destacou a sua parceria com o companheiro de chapa, Mendonça Filho (DEM). “Agora, eu peço votos para Mendonça. Mendonça pede votos para mim para o Senado da República por coerência”, lembrou.

Depois que Humberto declarou que Bruno Araújo esconde sua ligação com o presidente Michel Temer (MDB) na campanha, Bruno afirmou que o adversário utiliza do discurso para esconder os seus problemas com o juiz Sérgio Moro e o chamou de incoerente por pedir votos para o um membro do MDB de Temer.

“Humberto, você vem com essa conversa sobre Temer em quem você votou duas vezes, em 2010 e 2014, para esconder os teus problemas com o juiz Sérgio Moro. Aliás, incoerência é você que pede votos para um senador do partido de Temer que está coligado com você”, disparou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Cagalhão.

Fernandes

Isso é politica em altíssimo nível, o que não se pode é criminalizar a politica e os políticos por fazerem politicas, por encontrar acertos em acordos com representantes da sociedade. Fora a politica teremos ditaduras e guerra. Aprende araújo. KKKK

Fernandes

Não voto em você.

Fernandes

Isso é só migué.


bm4 Marketing 4

20/08


2018

Detran inicia fiscalização no Monte dos Guararapes

O diretor presidente do Detran, Charles Ribeiro, após receber a solicitação do comandante da 7ª Região Militar Matias de Albuquerque, general Luís Antônio Duizie Brito, que o Órgão disponibilizasse agentes de trânsito com o objetivo de fiscalizar o Monte dos Guararapes, onde fica localizado o parque histórico, designou as operações Rota de Fuga e Transito Seguro para a localidade.

As ações que tem como foco as infrações de uso do celular ao volante, falta de uso do cinto de segurança, inclusive no banco de traz, excesso de velocidade e o não uso de equipamento de segurança por parte dos motociclistas, além da alcoolemia. A fiscalização começou na última sexta-feira. 

Segundo Ribeiro, durante a ação foram realizadas 260 abordagens, resultando 65 autuações, 10 veículos removidos ao depósito, feitos 154 testes de alcoolemia, desses, uma constatação. A Autarquia de Trânsito contou com a parceria do Exército Brasileiro, o Batalhão de Policiamento de Trânsito – BPTran e o 6º Batalhão de Polícia Militar.

Além da ação, o Detran estuda a possibilidade de implantar no Parque Histórico Nacional dos Guararapes o “Projeto Condutor do Amanhã”, a exemplo do que já vem sendo desenvolvido no Kartódromo do Tamboril, em Paulista


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/08


2018

CNT/MDA: Lula tem 37,3% e Bolsonaro, 18,8%

UOL

Pesquisa feita pelo instituto MDA e encomendada pela CNT (Confederação Nacional de Transportes) divulgada hoje traz o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em primeiro lugar na disputa presidencial, com 37,3% das intenções de voto. Esse é primeiro levantamento feito pelo instituto desde o início oficial da campanha eleitoral de 2018.

O deputado federal e candidato do PSL ao Palácio do Planalto Jair Bolsonaro aparece em segundo lugar, com 18,8%. A pesquisa ouviu 2.002 pessoas entre a última quarta-feira (15) e este sábado (18), em 137 municípios de 25 unidades da federação. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

A pesquisa não testou cenários sem Lula, que está preso desde o dia 7 de abril, inelegível pela Leia da Ficha Limpa e tem sua candidatura questionada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Foram testados na pesquisa os 13 candidatos que pediram registro ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Por ser a primeira vez em que o cenário traz apenas os 13 candidatos ao Planalto, não é possível comparar os índices desta pesquisa com os dados anteriores divulgados pelo MDA. Veja o resultado:

Intenção de voto estimulada para presidente:

  • Lula (PT) - 37,3%
  • Jair Bolsonaro (PSL) – 18,8%
  • Marina Silva (Rede) – 5,6%
  • Geraldo Alckmin (PSDB) – 4,9%
  • Ciro Gomes (PDT) – 4,1%
  • Alvaro Dias (Podemos) – 2,7%
  • Guilherme Boulos (PSOL) – 0,9%
  • João Amoêdo (Novo) – 0,8%
  • Henrique Meirelles (MDB) – 0,8%
  • Cabo Daciolo (Patriota) – 0,4%
  • Vera (PSTU) – 0,3%
  • João Goulart Filho (PPL) – 0,1%
  • José Maria Eymael (DC) – 0%
  • Branco/Nulo – 14,3%
  • Indeciso – 8,8%
  •  

Transferência de votos

A pesquisa CNT/MDA não testou entre eleitores um cenário sem o ex-presidente Lula. A pesquisa avaliou, entretanto, quem eventualmente receberia os votos destinado a Lula caso o candidato, inelegível pela Lei da Ficha Limpa, não possa disputar a eleição.

A candidatura de Lula foi questionada e o TSE deve decidir se o ex-presidente, que está preso desde de abril, poderá disputar as eleições de outubro. Por ter sido condenado em segunda instância, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá (SP), ele foi enquadrado na Lei da Ficha Limpa e se tornou potencialmente inelegível.

Considerando apenas o universo de eleitores que inicialmente declararam voto no petista (37,3%), o ex-prefeito Fernando Haddad, vice na chapa de Lula, ficou em primeiro lugar, com 17,3% das intenções de voto, seguido de Marina Silva e Ciro Gomes, com 11,9% e 9,6%, respectivamente. Somados, votos brancos e nulos e índice de indecisos representam 47,9% do total.

Respostas espontâneas

Registrada no TSE sob o número BR-09086/2018, a pesquisa também trouxe um cenário espontâneo, no qual os entrevistados foram questionados em quem votariam sem que nenhum nome fosse apresentado previamente. Desta forma, Lula ficou em primeiro, com 20,7%. Em seguida, aparece Bolsonaro, com 15,1%.

  • Lula (PT) – 20,7%
  • Jair Bolsonaro (PSL) – 15,1%
  • Geraldo Alckmin (PSDB) – 1,7%
  • Ciro Gomes (PDT) – 1,5%
  • Alvaro Dias (Podemos) – 1,3%
  • Marina Silva (Rede) – 1,1%
  • Outros – 1,4%
  • Branco/Nulo – 18,1%
  • Indeciso – 39,0%

Cenários para segundo turno

Além desses três cenários, o MDA simulou outros dez para o segundo turno, envolvendo cinco presidenciáveis: Lula, Ciro, Alckmin, Bolsonaro e Marina. Lula vence com vantagem expressiva nos quatro cenários em que foi testado, contra Ciro, Alckmin, Bolsonaro e Marina. Nas outras seis simulações, os candidatos ficaram tecnicamente empatados, levando em conta a margem de erro, de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Lula x Bolsonaro

  • Lula – 50,1%
  • Jair Bolsonaro – 26,4%
  • Branco/Nulo – 19,1%
  • Indeciso – 4,4%

Lula x Ciro

  • Lula – 49,4%
  • Ciro Gomes – 18,5%
  • Branco/Nulo – 27,2%
  • Indeciso – 4,9%

Lula x Alckmin

  • Lula – 49,5%
  • Geraldo Alckmin – 20,4%
  • Branco/Nulo – 25,2%
  • Indeciso – 4,9%

Lula x Marina

  • Lula – 49,8%
  • Marina Silva – 18,8%
  • Branco/Nulo - 26,7%
  • Indeciso – 4,7%

Bolsonaro x Ciro

  • Jair Bolsonaro – 29,4%
  • Ciro Gomes – 28,2%
  • Branco/Nulo – 32,7%
  • Indeciso – 9,7%

Bolsonaro x Alckmin

  • Jair Bolsonaro – 29,4%
  • Geraldo Alckmin – 26,4%
  • Branco/Nulo – 35,0%
  • Indeciso - 9,2%

Bolsonaro x Marina

  • Jair Bolsonaro – 29,3%
  • Marina Silva – 29,1%
  • Branco/Nulo – 33,3%
  • Indeciso – 8,3%
  • Ciro x Marina
  • Ciro Gomes – 26,1%
  • Marina Silva – 25,2%
  • Branco/Nulo – 40,0%
  • Indeciso – 8,7%

Marina x Alckmin

  • Marina Silva – 26,7%
  • Geraldo Alckmin – 23,9%
  • Branco/Nulo – 40,8%
  • Indeciso – 8,6%

Ciro x Alckmin

  • Ciro Gomes – 25,3%
  • Geraldo Alckmin – 22,0%
  • Branco/Nulo – 42,6%
  • Indeciso – 10,1%

Sem citar nominalmente nenhum dos candidatos a vice-presidente, a pesquisa ainda questionou os entrevistados sobre a importância dos companheiros da chapa presidencial. Para 48,2%, o ocupante do posto é "muito importante". Já 23,8% dos ouvidos acham que a importância é média.

Por outro lado, 11,2% consideram pouco importante, e 14% acham que "não tem importância". O levantamento também abordou o limite de voto dos candidatos e a avaliação do governo do presidente Michel Temer (MDB), além do interesse dos eleitores nas eleições, da expectativa para os próximos meses e das doações para as campanhas, entre outros temas.

Outras duas pesquisas nacionais devem ser divulgadas esta semana: uma realizada pelo Ibope, nesta segunda, e outra pelo Datafolha, na próxima quarta-feira (22).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

O grito por Lula se espalha pelo Brasil

Fernandes

A esquerda pronta para resgatar o Brasil



20/08


2018

Jarbas recebe apoio do ex-prefeito de Itapissuma

O deputado federal e candidato ao Senado pela Frente Popular, Jarbas Vasconcelos (MDB), recebeu, hoje, em seu escritório no Recife, Cal Volia, ex-prefeito de Itapissuma. Na ocasião, o ex-gestor que também é candidato a deputado estadual pelo PP, reafirmou o seu apoio à candidatura de Jarbas.

“Cal Volia é um importante aliado no Litoral Norte. Tem história de trabalho e compromisso. Obrigado pelo apoio! Vamos juntos para Pernambuco seguir em frente!”, cravou Jarbas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/08


2018

Haddad enfrenta fogo amigo no PT, e PP pede votos a Lula no NE

Blog da Andréia Sadi

As campanhas do PT e do PSDB à Presidência da República precisam, antes de mirar o adversário, vencer resistências internas nos seus partidos e alianças.

No caso de Geraldo Alckmin (PSDB), o ex-governador de São Paulo gosta de dizer que todos os adversários tentaram levar o tempo de TV que ele conseguiu com o apoio dos partidos do "Centrão" – mas, fora da tela, a realidade é dura para o tucano.

O PP, por exemplo, presidido pelo senador Ciro Nogueira (PI), levou a vice de Alckmin com a senadora Ana Amelia (RS). Mas, na sexta-feira, Nogueira subiu no palanque de Fernando Haddad (PT) no Piauí e, em discurso de cerca de 3 minutos, desfiou elogios a Lula no Nordeste – defendendo e declarando apoio ao ex-presidente, que está preso, mas registrou sua candidatura no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Tucanos admitem que o gesto de Ciro Nogueira constrange Alckmin, mas, principalmente, mostra que os partidos do "Centrão" fecharam a aliança comprando um "terreno na lua"- isto é, se o tucano ganhar, esperam cargos e espaços no governo – mas, enquanto não chegam à lua, os partidos mais pragmáticos do Congresso estão de olho na sua própria sobrevivência. Caso de Ciro Nogueira, que é candidato ao Senado pelo Piauí – e precisa renovar o foro privilegiado.

Desafios de Haddad

No caso de Haddad, ele venceu a primeira resistência interna no PT- a presidente da legenda, Gleisi Hoffmann, que também estava de olho na vice de Lula. Mas os problemas do ex-prefeito de São Paulo dentro da sigla não acabaram.

Haddad ainda enfrenta alguma resistência da bancada paulista do PT. Principalmente de parlamentares que já foram ligados à senadora Marta Suplicy que, após sair do PT, se filiou ao MDB.

Historicamente, Haddad sempre teve problemas com esse setor do PT. Um aliado de Haddad ouvido pelo blog lembra, por exemplo, que foi o deputado Devanir Ribeiro (PT-SP) que apelidou Haddad de "poste", após o então ministro da Educação se negar a trocar o reitor da Universidade Federal do ABC (UFABC), indicado pela comunidade acadêmica, acusado de não ter relações com o partido.

Outra aresta que Haddad precisa aparar com o PT é a participação de Manuela D'Ávila (PC do B) nas viagens que o candidato a vice fará pelo Nordeste nas próximas semanas.

Segundo o blog apurou, ainda não está clara a agenda de Manuela neste roteiro – já que setores do PT querem que ela viaje separadamente de Haddad –, sugestão da qual o ex-prefeito discorda. Ele acredita que a chapa Haddad e Manuela precisa ser conhecida o quanto antes, melhor.

Manuela D' Ávila deve acompanhar Haddad em São Luís do Maranhão. O governador do Maranhão, Flavio Dino, é do PCdoB, mesmo partido de Manuela.

Nesta semana, antes de São Luís, Haddad viaja para Salvador, Paraíba e Aracaju. Pula Pernambuco: dirigentes do PT ainda têm receio de reações pró Marilia Arraes (PT) e contra o governador Paulo Câmara (PSB). Haddad não quer problema com Câmara ou com Marília. O PT, em uma negociação para que o PSB não apoiasse nenhum candidato à Presidência, decidiu tirar Marília da disputa ao governo em Pernambuco.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

CNT/MDA: Lula tem 37,3% e Bolsonaro, 18,8%

marcos

Haddad é tão fraco como gestor que perdeu a reeleição no primeiro turno

marcos

Haddad foi o Pior Prefeito de Capital do Brasil.

marcos

Você quer virar Gay, fala com Haddad. Ele criou o Kit Gay



20/08


2018

Lóssio atrai Marina Silva para Pernambuco

A candidata à Presidência da República pelo Rede Sustentabilidade, Marina Silva, estará de volta a Pernambuco, amanhã. Ela vem acompanhar a agenda do candidato ao Governo do Estado também pela Rede, Júlio Lóssio.

Marina tenta repetir os números da eleição passada, onde foi majoritária em Pernambuco. O crescimento de Julio Lóssio após a retirada da candidatura de Marília Arraes (PT) pode ajudar o projeto de ex-senadora a ter bons resultados novamente em Pernambuco.

A agenda de Lóssio e Marina começa no Porto Social, às 14h, no Recife. Às 15h30, eles concederão entrevista coletiva e, em seguida, participarão de uma live, às 17h. À noite, eles participarão de um encontro com candidatos da Rede e do PV, no Hotel Luzeiros, também no Recife.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/08


2018

Classe empresarial de Caruaru sabatina candidatos

Com o objetivo de cumprir o papel institucional de promover diálogos e difundir informações de interesse de seus membros e associados, as entidades representativas da classe empresarial, sediadas em Caruaru, promovem o Fórum Caruaru – Eleições 2018. O evento consiste em uma série de palestras e debates com candidatos ao Governo do Estado, ao Senado, à Assembleia Legislativa de Pernambuco e à Câmara Federal com domicílio eleitoral na cidade.

A iniciativa será realizada pela Associação Comercial e Empresarial de Caruaru (Acic), a Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe), a Câmara dos Dirigentes Lojistas de Caruaru (CDL), o Sindicato dos Lojistas do Comércio de Caruaru (Sindloja), o Movimento Polo Caruaru, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e os Centros Universitários Tabosa de Almeida (Asces – Unita) e UniFavip Wyden.

A finalidade é a de subsidiar os membros e associados das entidades realizadoras com informações objetivas sobre o posicionamento dos candidatos, a partir dos temas propostos que foram escolhidos coletivamente pelas instituições. Entre os temas abordados estão: distribuição de água, anel viário e BR 232.

Os dias e os horários serão combinados pelo candidato com a organização do evento. A partir das participações no Fórum Caruaru – Eleições 2018 será elaborada uma revista com a transcrição do posicionamento de cada candidato. O material será disponibilizado digitalmente para população caruaruense e fisicamente entre os membros e associados das entidades realizadoras.

Durante os mandatos, os políticos poderão ser avaliados também pelos compromissos assinados e registrados no Fórum. As eleições 2018 ocorrem em todo o Brasil no dia sete de outubro, em primeiro turno, e no dia 28 de outubro, caso o segundo turno seja necessário.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/08


2018

Eu vi dois siris jogando bola, lá no mar

MONTANHAS DA AL-JAQUEIRA – As pessoas que acreditam nas fake news da Internet e dizem que viram dois siris jogando bola, lá no mar, são as mesmíssimas criaturas que irão eleger o presidente da República, governadores, senadores e deputados, assim falou o Profeta Adalbertovsky aos seus discípulos do alto das montanhas da Al-Jaqueira. Exemplos: “Um ancião da Índia descobriu as propriedades miraculosas da casca de limão para curar todos os tipos de câncer. É verdade, eu juro pelas minhas barbas de bode. 

“Eu vi dois siris jogando bola, lá no mar/ eu vi dois siris bola jogar, lá no mar”. “Vi uma porca com dois brincos de argola de batom, mas que graçola, dando beijos num gambá”. Assim era a cantoria dos magistrais Luís Gonzaga e Zé Dantas.

“Vou revelar um segredo para vocês. Soube de um andarilho que conhece mistérios sobre os astros do rock: Michael Jackson continua vizinho da silva e atualmente está refugiado num mosteiro do Tibet. Quem morreu e a mídia americana esconde a verdade foi Donald Trump. Os agentes secretos da CIA fuzilaram Trump e colocaram um sósia dele na White House para governar os Estados Unidos. It is true.

“O guru da seita vermelha está na cadeia. Já apelou até ao Papa, à Onu, aos orixás, já se comparou a Cristo, a Tiradentes, a Mandela, a Pelé e Garrincha, mas não consegue driblar a lei da ficha limpa, lá no mar.  A seita vermelha vai continuar infernizando a vida dos brasileiros. Faz parte da natureza do mal, desde quando uma serpente cobiçou um celular da Big Apple e Zeus mandou deletar os vírus comunistas do paraíso virtual”. A cantoria do Profeta Adalbertovsky está postada no Menu Opinião.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

A esquerda pronta para resgatar o Brasil

marcos

Haddad o candidato do Kit Gay

Fernandes

A censura é o imposto da inveja sobre o mérito.



20/08


2018

Agenda dos candidatos ao Governo do Estado

Armando Monteiro (PTB)

13h00 – Reunião de trabalho

20h30 – Encontro com o prefeito Vavá Rufino e lideranças, em Moreno

Júlio Lóssio (Rede)

10h00 – Reunião com lideranças da Zona da Mata

14h00 – Visita a uma Instituição de Trabalho Social

17h00 – Participação da Festa dos Garçons de Frei Miguelinho

20h00 – Jantar com simpatizantes da Rede Sustentabilidade em Caruaru.

Mauricio Rands (PROS)

11h00 – Reunião com coordenadores da campanha

13h00 – Reunião com assessoria de imprensa

15h00 – Recebimento de apoio e articulação política

17h00 – Sistematização de propostas e ideias recebidas no fim de semana.

Paulo Câmara (PSB)

11h00 – Entrevista à Rádio Folha FM. Local: Avenida Marquês de Olinda, 85 – Bairro do Recife

18h00 – Caminhada – bairro da Torre, no Recife. Local: Em frente à Igreja da Torre (Praça Professor Barreto Campelo, 50 - Torre)

Os demais candidatos não enviaram as suas agendas até o fechamento desta matéria.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/08


2018

A charge do dia


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/08


2018

Governador destaca "eficiência" de sua gestão

Do Blog da Folha 

Frente Popular inaugura comitê de campanha. Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Candidato à reeleição, governador Paulo Câmara (PSB) inaugurou, neste domingo (19), o comitê de campanha no bairro do Parnamirim, na Zona Norte do Recife, reiterando as críticas ao pacto federativo e destacando a "eficiência" da sua gestão. 

Parafraseando o ex-governador Eduardo Campos, morto em 2014, Câmara destacou que não podia desistir do Brasil, mas a resistência começava em Pernambuco. "Mesmo em tempos tão difíceis, conseguimos fazer muito com pouco" declarou ele, repercutindo o REE-F (Ranking de Eficiência dos Estados - Folha) e respondendo a oposição que o crítica.

Ao ser questionado sobre o índice abaixo da média nacional no quesito segurança, o governador disse apenas que a pesquisa foi feita em 2017. "Quando for medido este ano, é capaz de estarmos em primeiro", sugeriu. Em sua página oficial do Facebook, Paulo celebrou que o estado é o único do Nordeste a aparecer entre os cinco considerados eficientes pelo ranking - é o quarto da lista.

"Agora, o Brasil sabe o que os pernambucanos já sabiam, que o governo Paulo serve ao seu povo", reforçou a deputada federal Luciana Santos, candidata a vice.

Após o ato, Câmara saiu às pressas, com a chapa majoritária, para um ato em Vitória de Santo Antão. 

O Ranking

O ranking, o REE-F é uma ferramenta inédita lançada pela Folha de S.Paulo e pelo Datafolha. Ela mostra quais estados entregam mais educação, saúde, infraestrutura e segurança à população utilizando o menor volume de recursos financeiros.

O levantamento considera 17 variáveis agrupadas em 6 componentes para calcular a eficiência na gestão dos 26 estados e detalha ainda a situação das finanças de cada um deles.

Santa Catarina, São Paulo, Paraná, Pernambuco e Espirito Santo lideram o ranking e obtiveram selo de "eficientes" por terem ultrapassado 0,50 no índice (numa escala de 0 a 1).

O objetivo do REE-F é quantificar o cumprimento, pelos governos estaduais, de funções básicas e previstas em lei segundo seus recursos financeiros.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Diga não a Bolsonaro presidente do lixo. UM SAFADO DESSE QUERENDO SER PRESIDENTE ZOMBA DOS POBRES NÃO RESPEITA AS MULHERES BRASILEIRAS FALA MAL DO POVO NORDESTINO IMAGINA UMA MERDA DESSA GOVERNANDO O BRASIL



20/08


2018

Candidatos, ex-juízes causam saia-justa

Adriana Mendes e Daniel Gulino – O Globo

Após quatro anos de Lava-Jato, com a popularização de magistrados e o descrédito da classe política, diversos ex-juízes irão se candidatar nas eleições deste ano. Entretanto, muitos encontram dificuldades na transição do universo jurídico para o eleitoral. Um dos dilemas ocorre na formação dos palanques, já que candidatos que usam o discurso ético acabam tendo como colegas de chapa políticos que já foram alvos de suspeitas de corrupção.

O PSL, por exemplo, lançou ao Senado, em Mato Grosso, a ex-juíza Selma Arruda, conhecida como “Sergio Moro de Saia” por ser dura nas decisões e colocar na cadeia vários políticos do estado. A ex-juíza apoia a reeleição do governador Pedro Taques (PSDB), ex-procurador da República que deixou o Ministério Público para seguir carreira política. Em 2016, Selma mandou prender o empresário Alan Malouf, que atuou na campanha de Taques em 2014, e o ex-secretário do governo Permínio Pinto (PSDB) por suspeita de esquema de propina e fraudes na Secretaria de Educação. A candidata disse que não vê constrangimento e nem contradição na aliança com os tucanos.

— Você tem um governo com cinco mil pessoas trabalhando e não consegue controlar todo mundo. Alguém ali deu um passo errado e foi punido. Não vejo contradição — disse a ex-juíza, destacando que o PSL é um partido pequeno, que precisa de coligações com a atual legislatura eleitoral.

Selma se aposentou em março deste ano, após 22 anos de magistratura. Ela reconhece que é “bem principiante” na política e diz que tem muita coisa que nem imaginava como funcionava. Para a ex-juíza, algumas peculiaridades da política são difíceis para um leigo entender, como a coligação em alguns estados entre o PT e o PMDB.

No Rio de Janeiro, o candidato do PSC ao governo, Wilson Witzel, atuou em varas de Execuções Penais no Rio e no Espírito Santo e também vai se candidatar pela primeira vez neste ano. O candidato ao Senado na sua chapa será o Pastor Everaldo, presidente do PSC, citado na delação de executivos da Odebrecht. Segundo os delatores, ele teria recebido R$ 6 milhões nas eleições de 2014 para beneficiar o candidato do PSDB, Aécio Neves, nos debates. O pastor Everaldo nega ter atuado a pedido da Odebrecht e ter recebido doações ilegais.

Wiztel não vê problemas, porque a citação não gerou nenhum inquérito. Ele considera que apenas com a apresentação de uma denúncia pelo Ministério Público existem indícios suficientes para impedir uma aliança.

— Sou professor de Processo Penal. No inquérito policial, você não tem um acusado, tem a investigação de um fato. Se você tem uma denúncia do Ministério Público, fundamentada, com as provas colhidas no inquérito policial, aí sim, nós podemos dizer que há uma séria preocupação com a conduta moral daquele indivíduo — avalia.

O candidato do PDT ao governo de Mato Grosso do Sul, o ex-juiz Odilon Oliveira, (foto) se aposentou em outubro do ano passado e teve dificuldade em fechar alianças por vedar a participação de políticos corruptos ou sob suspeita em sua coligação. Odilon atuou no combate ao narcotráfico e se tornou um dos juízes mais ameaçados do país. Até hoje anda com escolta por determinação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Com apoio apenas do Podemos e do Pros, afirma não se preocupar com um palanque esvaziado.

— Prefiro ficar sozinho e estar rodeado pelo povo do que com pessoas manchadas e ter a censura popular. A política ainda tem salvação. Vai ser difícil consertar, mas o único instrumento é através do voto — afirma.

O ex-juiz explica, no entanto, que sempre abriu as portas de sua casa a autoridades para relacionamentos institucionais.

— Logicamente, se eu já elogiei algum prefeito que se enrolou depois, com corrupção ou qualquer outra coisa, isso não significa que a foto representa um aval em relação aos atos praticados por aquela pessoa.

Outro exemplo é Márlon Reis (Rede), (foto menor) autor da Lei da Ficha Limpa, que vai disputar novamente o governo do Tocantins. Ele terá o apoio do PV, que tem entre suas principais lideranças estaduais o casal Marcelo e Claudia Lelis, ambos com problemas na Justiça Eleitoral. Marcelo foi condenado por abuso de poder econômico e captação ilícita durante as eleições municipais de Palmas em 2012, quando foi candidato a prefeito. Já Claudia era vice-governadora até março, quando ela e o governador Marcelo Miranda foram cassados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por caixa dois na campanha de 2014.

No início do mês, Márlon Reis disse que a aliança é com o PV, que Marcelo Lélis não é candidato nem dirigente partidário e que Claudia não é acusada de nada nem está inelegível.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Diga não a Bolsonaro presidente do lixo. UM SAFADO DESSE QUERENDO SER PRESIDENTE ZOMBA DOS POBRES NÃO RESPEITA AS MULHERES BRASILEIRAS FALA MAL DO POVO NORDESTINO IMAGINA UMA MERDA DESSA GOVERNANDO O BRASIL

Fernandes

A esquerda pronta para resgatar o Brasil



20/08


2018

FHC: Bolsonaro; soluções simplistas e autoritárias

FH: "Bolsonaro assusta com soluções simplistas e autoritárias"

Bernardo Mello Franco - O Globo

Para Fernando Henrique Cardoso, o Brasil se aproxima da eleição mergulhado num clima de ódio e de medo. O ex-presidente se diz assustado com a possibilidade de Jair Bolsonaro (PSL) chegar ao segundo turno. Neste caso, ele admite a hipótese de um acordo entre PSDB e PT, algo inédito desde 1989, quando os dois partidos se uniram contra Fernando Collor.

— Não farei objeção a que o PT nos apoie. Naturalmente, isso significa também que não haveria objeção ao contrário. Mas nós pensamos de forma diferente — ressalta.

Aos 87 anos, FH acaba de entrar no Twitter. O tucano promete usar o próprio celular para conversar com os eleitores. Na sexta, um jovem quis saber o que ele pensou quando o ex-jogador Vampeta deu cambalhotas no Palácio do Planalto.

— Pensei que ele fosse cair da rampa! — respondeu.

***

Desde 1989, um candidato do PSDB não vai tão mal nas pesquisas. Por que Geraldo Alckmin não decola?

A mídia presta atenção em tudo o que é novo ou extravagante. Quando surgiu o Bolsonaro, eu disse: “Vai subir”. Até que o Geraldo ultrapasse a poeira, é difícil. Mas ele sempre ultrapassou.

Em abril de 1994, eu virei candidato. Em maio, falei com a Ruth: “Vou desistir”. Eu tinha 12%, o Lula tinha 40%. As pessoas não acreditavam. Em agosto, comecei a crescer. Em outubro, ganhei no primeiro turno. É claro que tinha o Plano Real. Mas não é só o que você faz. É o que você fala. Tem que cacarejar.

Alckmin cacareja pouco?

Cada um tem um jeito de ser. O importante, em política, é não tentar ser o que não é. Este é o problema dos marqueteiros. O Geraldo ganhou várias vezes em São Paulo. Ele é médico, tem experiência, não enriqueceu na política, não é gastador. Tem que mostrar isso. Não basta ser simpático, tem que ser confiável.

Em 2006, ele foi criticado por vestir um macacão com os logotipos das estatais...

Ele foi o chefe da privatização em São Paulo. Aquilo foi marquetagem, foi errado. O marqueteiro é indispensável, mas ele tem que ressaltar o jeitão do candidato, e não fazer o candidato do jeitão dele. As pessoas percebem quando é inautêntico.

Alckmin se aliou ao centrão em troca de palanques regionais e tempo de TV. Isso ainda vai decidir eleição em 2018?

Não tenho certeza. Não é suficiente, mas é necessário. Embora a rede social tenha muita influência, a televisão tem peso. Todos os candidatos tentam ter o máximo de tempo. Quando um consegue, o outro acusa. Ele está apanhando porque fez o que todos ambicionavam e não conseguiram. Todos os presidentes tiveram que governar também com eles (os partidos do centrão): eu, Lula, Dilma.

O PSDB ainda pode se recuperar do desgaste com a Lava-Jato?

Todos os partidos estão desgastados. O mensalão e o petrolão mostraram o dinheiro público sustentando partidos no poder. É outra natureza de corrupção, a corrupção da própria democracia. Não tem nenhum tesoureiro do PSDB na cadeia.

O senador Aécio Neves foi gravado pedindo R$ 2 milhões a um empresário. A polícia filmou as malas de dinheiro.

Isso prejudica, obviamente, a imagem do partido. Não dá para tapar o sol com a peneira.

Por que o PSDB não o expulsou?

Ele não foi condenado ainda. Tem que respeitar a Justiça.

Um colaborador próximo de Alckmin, Laurence Casagrande, foi preso sob suspeita de desviar dinheiro do Rodoanel.

São Paulo faz muita obra. É possível que funcionários tenham ganhado alguma coisa. Mas não vi nada indo para o Alckmin. Nada que possa prejudicar a imagem dele.

No passado, caixa dois era uma coisa banal. É errado? É. É crime eleitoral. A Justiça vai ter que separar bem as coisas. Tudo é crime, mas são crimes diferentes. Sou favorável à Lava-Jato. Pode haver exageros. Acho difícil aceitar prisão provisória por mais de um ano, por exemplo. Não é bom ver pessoas que você conhece indo para a cadeia, mas o processo era necessário. O Brasil não aguenta mais assalto ao cofre.

O ministro Gilmar Mendes diz que há um Estado policial.

Há uma predisposição de acusar, é verdade. Faz parte da cultura do Ministério Público. Mas o processo legal está sendo seguido. Acho grave dizer que estamos vivendo um Estado policial. Não estamos. Você pode ter excessos. Mas eu vivi o Estado policial, sei o que é isso. Nós não vivemos isso aqui.

Há uma tentativa de desmoralizar o sistema. Quem sancionou a Lei da Ficha Limpa foi o Lula. Se você foi condenado em segunda instância, não está em condições de ser candidato. Tem que cumprir a lei.

O PT diz que eleição sem Lula é fraude. O sr. concorda?

Não. Vai haver eleição, e o PT vai concorrer. Hoje (sexta-feira) o Comitê de Direitos Humanos da ONU declarou que o Lula deve ser candidato. Qual a base para isso? Querem que desrespeite as leis brasileiras? A lei é clara. Ele não tem, pela lei, a qualificação para ser candidato. Como é que o tribunal vai registrar?

É preciso fortalecer as instituições. Nas democracias, sempre há o risco de eleger um personalista malucão. Ainda mais agora. Quando a s instituições são fortes, elas seguram. Quando não são fortes, o malucão as derruba. Eu vi isso na América Latina tantas vezes...

Muitos especialistas dizem que haverá pouca renovação no Congresso. Por quê?

Reforçaram a oligarquia partidária. É difícil (renovar). Com essa legislação, que limitou recursos e pôs na mão dos oligarcas dos partidos, como é que faz? E quem se eleger presidente vai governar com quem? Com os que estão no Congresso.

Marina Silva diz que é possível governar só com os melhores...

Tudo bem. Boa intenção ajuda. Especialmente no convento, na universidade... Na política, você tem que ter um certo grau de realismo.

Gosto da Marina, me dou com ela, mas não acho que vá para o segundo turno. Ela tem pouco tempo de TV. Há uma certa fragilidade na candidatura, nela mesma. O povo sente isso. Ela tem uma causa, é aberta, mas falta um pouco de malignidade.

Esse negócio de ser presidente da República não é fácil. Eu não sei por que tanta gente quer... (risos).

Nos cenários sem Lula, o líder é Bolsonaro. O que explica isso?

As pessoas estão com ódio e com medo. No Brasil, além da incerteza, tem a violência e a corrupção. O apelo por uma solução forte e simplista é grande. O Leste europeu está todo indo para a direita. Em alguns casos, para um neofascismo. O Trump quebrou os partidos com essa linguagem forte. O Bolsonaro é um reflexo deste momento de incerteza.

O que ele fez como deputado? Eu não sei. Sei que ele queria me fuzilar numa certa altura. Queria matar 30 mil pessoas (o deputado já disse que o país precisava de uma guerra civil, mesmo que morressem 30 mil). É uma visão simplória da história.

Ele se diz liberal na economia...

Vai acreditar nisso? A vida inteira ele não foi assim. Ele não deve ter uma convicção maior. Ele não sabe.

Bolsonaro o assusta?

Assusta. Não creio que ele tenha a experiência e a visão democrática de aceitar o outro com facilidade. O pior, para mim, é que ele tem soluções simplistas e autoritárias. Eu não acredito nisso. Acredito que as coisas são complicadas e que você precisa convencer. Num país diverso como o nosso, como é que você governa sem capacidade de juntar?

É possível que ele vá ao segundo turno.

O PT acha que o segundo turno vai ser Haddad e Alckmin. Eu acho que pode ser Bolsonaro e Alckmin.

E se for Bolsonaro e Haddad? O PSDB pode apoiar o PT?

Não quero aliança com o PT. Somos diferentes. O PT virou um partido hegemônico. A história nos separou.

PT e PSDB já se aliaram para evitar a eleição de quem julgavam ser um mal maior. Marta e Covas se juntaram duas vezes contra Maluf.

É verdade. O Covas era grande. Acho que precisamos evitar uma descambada para os extremos. Na hora da eleição, você tem que ter voto. Vai polarizar quem tiver voto.

E se o PSDB ficar fora?

Não farei objeção a que o PT nos apoie. Naturalmente, isso significa também que não haveria objeção ao contrário. Mas nós pensamos de forma diferente. O que acho é que isso (um eventual acordo no segundo turno) deve se dar dentro de uma visão democrática.

Se Lula for barrado, o PT deve lançar Fernando Haddad. O que acha dele?

Tenho uma boa relação pessoal com o Haddad. O que acho complicado é que ele está sendo visto como marionete do Lula. Um presidente tem que ter força própria para governar.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Você quer ser Gay, fala com Haddad Ele criou o Kit Gay

marcos

Haddad o candidato do Kit Gay

Fernandes

Diga não a Bolsonaro presidente do lixo. UM SAFADO DESSE QUERENDO SER PRESIDENTE ZOMBA DOS POBRES NÃO RESPEITA AS MULHERES BRASILEIRAS FALA MAL DO POVO NORDESTINO IMAGINA UMA MERDA DESSA GOVERNANDO O BRASIL

Fernandes

A esquerda pronta para resgatar o Brasil

Fernandes

Haddad criou: PROUNI. FUNDEB. INDEB. REFORMA DO SISTEMA \"S\" CRIOU O MAIOR NÚMERO DE ESCOLAS TÉCNICAS DA HISTÓRIA DO PAÍS,



20/08


2018

Candidatos: os mais ricos, os do meio e os mais pobres

Carlos Brickmann

Os mais ricos

De acordo com a declaração de bens de cada um, o candidato mais rico é o engenheiro (e ex-executivo de bancos) João Amoêdo, do Partido Novo. Seus bens somam R$ 425.066.485,46. O segundo é o engenheiro (e ex-executivo de bancos) Henrique Meirelles, do MDB, até recentemente ministro da Fazenda do presidente Michel Temer. Patrimônio declarado de Henrique Meirelles: R$ 377.496.700,70.

Curiosidade: os vices dos dois candidatos mais ricos estão longe de ser pobres, mas seu patrimônio é de cerca de 1% do valor dos bens dos cabeças de chapa.

Os do meio

Seguem-se os outros candidatos, pela ordem de bens declarados: o terceiro mais rico é o escritor João Goulart Filho (PPL), filho do ex-presidente João Goulart, com R$ 8.591.035,79; Lula  (PT), que aponta como ocupação “torneiro mecânico”, é o quarto candidato mais rico, com R$ R$ 7.987.921,57 – ver na nota Me engana que eu gosto os números de declaração anterior, pela qual seria o terceiro mais rico; quinto, Eymael (DC), empresário, com R$ 6.135.114,71; sexto, Álvaro Dias (Pode), R$ 2.889.933,32; sétimo, Jair Bolsonaro (PSL), que apresenta como ocupação declarada “membro das Forças Armadas”, com R$ 2.286.779,48; oitavo, Geraldo Alckmin (PSDB), que se apresenta como médico, com R$ 1.379.131,70; Ciro Gomes (PDT), advogado, R$ 1.695.203,15, é o nono; décimo, Marina Silva (Rede), historiadora, R$ 118.835,13.

Os mais pobres

A décima-primeira é Vera Lúcia (PSTU), ocupação declarada “outros”, R$ 20.000,00; décimo-segundo, Guilherme Boulos (PSOL), historiador, R$ 15.416,00; décimo-terceiro, deputado Cabo Daciolo (Patriota), nada.

Nada a ver

O patrimônio declarado de cada candidato nada tem a ver com posição nas pesquisas. Se tivesse, Meirelles e Amoêdo estariam ambos no páreo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Diga não a Bolsonaro presidente do lixo. UM SAFADO DESSE QUERENDO SER PRESIDENTE ZOMBA DOS POBRES NÃO RESPEITA AS MULHERES BRASILEIRAS FALA MAL DO POVO NORDESTINO IMAGINA UMA MERDA DESSA GOVERNANDO O BRASIL

Fernandes

A esquerda pronta para resgatar o Brasil



20/08


2018

Tucanos de Alckmin versus MDB de Meirelles

A defesa eleitoral de Geraldo Alckmin (PSDB) dirá ao TSE que o MDB de Henrique Meirelles não tem legitimidade para contestar a coligação formada pelo tucano.

“O entendimento da Justiça Eleitoral é o de que as convenções e suas formalidades constituem matéria interna corporis dos partidos”, diz o advogado Ricardo Penteado.

Penteado diz que a jurisprudência do tribunal ampara a tese. Em decisão de 2016, relatada pela hoje presidente da corte, Rosa Weber, o TSE afirmou que “partidos, coligações e candidatos não têm legitimidade para impugnar aliança adversária, ante a falta de interesse próprio”.

Marina Silva (Rede) vai mirar o eleitor que não está disposto a sair de casa para votar. A avaliação da coordenação da campanha é a de que a ex-senadora deve pregar aos descontentes com o sistema político que, para mudá-lo, é preciso estar dentro dele.  (Folha Painel – Daniela Lima)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

A esquerda pronta para resgatar o Brasil


Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores